Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

História A

A viragem para uma nova época
by

Carina Amaral

on 17 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of História A

A viragem para uma outra era Trabalho elaborado por: Primado da ciência e da inovação tecnológica: Desde os anos 80, século XX, que a Humanidade vive uma nova era. O Estado-Nação enfrenta as disputas étnicas e religiosas que recrudescem com o fim da Guerra Fria. Perde poderes de decisão com a globalização da economia. As empresas não pertencem a um Estado. O Estado-Nação mostra-se imponente para controlar os fluxos migratórios, as agressões ambientais, as redes terroristas, etc. Introdução Declínio do sindicalismo e da militância política Declínio da militância política DIMENSÕES DA CIÊNCIA E DA CULTURA NO CONTEXTO DA GLOBALIZAÇÃO Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar - Carina Amaral
n.º6 - Ana Dias
n.º2 - Carlos Chaves n.º7 - Duarte Borges
n.º12 A sociedade global do mundo desenvolvido quase não tem operários. Revolucionada pelas tecnologias da informação e da comunicação liga grande parte da Humanidade em rede.

Devido à crise de valores, a Humanidade busca conforto na religião, novas formas de solidariedade e de empenhamento cívico. Luta-se contra a degredação do planeta e a exclusão social. Rarefação da Classe Operária; Declínio do Sindicalismo e da Militância Política O fim dos operários? A partir do último quartel do século XX, começou a falar-se na existência de uma era pós – industrias e a rarefação da classe operária.
Durante os “Trinta Gloriosos ”,a indústria e os seus operários tinham contribuído para a riqueza e prosperidade daquele período. Mas as dificuldades económicas dos anos 70 fizeram com que os principais ramos da indústria entrassem em declínio. Na década de 80 e 90, prossegue a redução dos operários no conjunto da população ativa. A elevada automatização dos anos 90 permite eliminar mão de obra menos qualificada. De facto, o declínio do trabalho operário não significa um declínio da indústria, pois cada vez há mais bens industriais e riqueza nas sociedades desenvolvidas. O próprio setor de serviços absorve a maioria da população ativa ao abrir o século XXI. A denominação de sociedade pós – industrial, aplicada aos nossos dias, merece, por conseguinte sérias reservas a alguns especialistas. Nas sociedades desenvolvidas, onde o rendimento das famílias regride, ou estagna, o desemprego progride. A exclusão e a delinquência urbanas preocupam os cidadãos e os estados e muitas vezes alimentam discursos radicais em força não democráticas. Declínio do sindicalismo: Nas sociedades desenvolvidas, chegámos ao fim do século XX com um mundo do trabalho profundamente alterado na sua composição: O setor primário quase desaparece, enquanto o secundário parece prescindir dos operários e, em contrapartida, o terciário explode; Declínio da consciência de classe (competitividade individualista);
Precariedade das condições de trabalho; Interior duma industria de tecelagem portuguesa Alto nível de desemprego;
Concorrência dos novos países industrializados com baixos salários; Globalização da economia Ataque terrorista às Torres Gemeas em 2001, 11 de setembro O nosso lixo de cada dia Símbolo da riqueza mundial Desenvolvimento tecnológico Fila de desempregados para comer uma sopa Ascensões ao poder de governo de direita conservadora, consideram excessiva a influência dos sindicatos na sociedade;
O declínio do sindicalismo traduz uma outra crise que é a do exercício da cidadania nas sociedades democráticas; Crise do sindicalismo O declínio do sindicalismo está ligado ao declínio da militância política pois traduz uma outra crise que é a do exercício da cidadania nas sociedades democráticas;
Os partidos perdem militantes e mostram pouca eficácia na mobilização das massas;
Os partidos são mais do que locais de reflexão e debate, são empresas ou aparelhos destinados à conquista do poder político ; A ideologia cede lugar ao utilitarismo;
A militância converte-se em carreira;
Os modernos meios de comunicação revelam-se poderosos na conquista de eleitorado;
Desinteresse crescente que os cidadãos manifestam pelos atos eleitorais;
Abstenção é um sintoma de deserção cívica e de desvitalização política Campanha do Partido Socialista Português Ato eleitoral 2 - Governos e entidades privadas investem na ciência e na tecnologia. 1 - A economia globalizada estimula a investigação científica e a inovação tecnológica. 3 - O mundo dos computadores, da Internet, da realidade virtual e dos telemóveis, as questões relativas ao ADN, ao genoma e à clonagem, à biodiversidade e ao aquecimento global enchem as páginas dos jornais e das revistas e abrem noticiários televisivos. 4 - Os livros de vulgarização científica tornam-se comuns nas livrarias. 5 - Nos domínios da eletrónica, da informática, da comunicação e das biotecnologias produziram-se as mais marcantes conquistas técnico-científicas das últimas décadas. 6 - Os especialistas afirmam que entramos na era da 3ª revolução industrial. Estrutura do ADN Revolução Industrial Eletrónica, informática, revolução da comunicação Dinamismos socioculturais
Individualismo moral e novas formas de associativismo Historia A - Professora Fernanda Vital •Da eletrónica irradiam algumas das maiores inovações tecnológicas ocorridas desde os anos 70. Inventou-se o microprocessador; fabricaram-se fibras óticas, facilitando a miniaturização dos equipamentos e a transmissão de informações.• À eletrónica deve-se uma revolução nas indústrias nas indústrias de eletrodomésticos e de automóveis. O primeiro microprocessador do mundo Intervém nos serviços administrativos, na gestão das empresas, na organização dos transportes e dos fluxos de trânsito. Contribui para o desenvolvimento da indústria aerospacial, havendo aviões cada vez mais sofisticados. A eletrónica constitui o suporte físico da informática que altera todos os domínios da vida humana. Esta passa pela digitalização dos sons, das palavras e das imagens e pelo seu armazenamento. Da eletrónica e da informática deriva a revolução da informação e da comunicação, sendo ela uma revolução das telecomunicações. Influência da internet no mundo A produção industrial eléctrica e electrónica nacional Esta digitalização pode ser vista e ouvida na rádio ou na televisão, por satélite ou por cabo, no telefone, etc. Sons e imagens cercam-nos, nesta sociedade da informação e da comunicação em que vivemos. Nos EUA, por exemplo, passam-se 7 horas diárias em frente ao televisor. No mundo atual, a comunicação torna-se uma tecnologia e uma indústria com vastas repercussões económicas, sociais, políticas e civilizacionais.

As TIC apoiam as estratégias empresariais das multinacionais. Por todo o mundo, difundem os mesmos saberes, as mesmas músicas, os mesmos filmes, mesmos produtos. Tudo isto é um instrumento da globalização e da uniformização cultural. Manipulação dos "media" A evolução dos telemóveis A primeira televisão do mundo Televisao moderna Leitores de cassete antigos Ipod O GPS Primeiro computador do mundo Computador moderno Ciências e desafios da biotécnica Revivescência do fervor religioso e perda de autoridade das igrejas •O último quartel do século XX assistiu à explosão das ciências ligadas à vida de um modo tão intenso que a biotecnologia surge como uma área decisiva do desenvolvimento.

•A evolução das ciências biológicas interliga-se com o progresso da eletrónica e da informática.

•Como pontos-chave na evolução das ciências biológicas, consideram-se a produção de ADN recombinante e a invenção da tecnologia de sequenciação genética. Biotecnologia Organismos genéticamente modificados A Ovelha Dolly Embrião humano Genoma Humano Culturas transgénicas de 1996 - 2011




A genética abre agora caminho à hegemonia da medicina preventiva e terapêutica. Os avanços na genética precipitaram-se: Produziram-se organismos geneticamente modificados, como é o caso dos transgénicos; Clonaram-se plantas e animais; Transformou-se a produção alimentar; Aprende-se a intervir que forma mais racional na resolução dos problemas ambientais e progrediu-se no tratamento dos doenças. 
- Será que é admissível criar embriões para produzir células estaminais?

- Não poderá uma previsível clonagem humana abrir a porta a um controlo eugénico que faz lembrar a seleção racional? Os progressos da genética exercem grande impacto mediático.

Suscitam tanto a admiração como a desconfiança, dado que remetem para as complexas fronteiras da ciência, da religião e da ética.

Políticos, homens da Igreja, cientistas e vulgares interrogam-se sobre os limites da ciência: Declínio das vanguardas e pós-modernismo Os anos 80 assistem a uma reação interessante em relação aos propósitos vanguardistas que envolveram as artes plásticas na década anterior.

Discutia-se a falta de inspiração, de sentimento de alma por parte dos artistas conceptuais da década anterior.

Surge então o pós-modernismo, um conjunto de tendências em vigor na arte ocidental desde os anos 80, caracterizando-se pela abertura a diferentes repertórios estilísticos. R.B. Kitaj, “The Oak Tree” (1991) O termo pós-modernismo teve a sua primeira aplicação, ainda nos anos 70, na arquitetura, sendo forjado pelo crítico norte - americano Charles Jenks. Um dos exemplos mais marcantes é o dos grafitos que rapidamente se transformam em objeto artístico. A arte pós - moderna rompe fronteiras entre estilos e manifestações artísticas e é permeável à interdisciplinaridade. O desafio do pós-modernismo consiste em saber se ainda é possível criar algo de diferente em matéria de arte, ou se, pelo contrário, resta repetir o que já existe. Charlies Jenks, "Garden Marathon" Neoexpressionismo e transvanguarda Na Alemanha, de um conjunto de pintores destacam-se Georg Baselitz (1938), A. R. Penk (1939), Anselm Kiefer (1945) e Jorg Immendorff (1945), que fazem renascer a herança do movimento expressionista “Die Brucke”, apresentando uma pintura figurativa com formas distorcidas e cores dissonantes – neoexpressionismo. Georg Baselitz, Clown Em Itália, o neoexpressionismo encontra o seu correspondente na transvanguarda, protagonizada por Sandro Chia (1946), Enzo Cuchi (1949), Mimmo Paladino (1948) e Francesco Clemente (1952). Nos anos 90, surge a arte vídeo. Por sua vez o computador, transforma-se num precioso auxiliar artístico.

As imagens virtuais revolucionam os efeitos especiais no cinema.

Em finais do século XX a arte está presente no mundo da moda e do design do cinema e do espetáculo. Se arte é vida, nada há que não seja arte. Francesco Clemente, "The Tarots" Sandro Chia, "Jogo de Mão, 1981 Outras formas de expressão artística A arte pós–moderna rompe fronteiras entre estilos e manifestações artísticas. O conceito de arte amplia-se.

A partir dos anos 80, em Nova Iorque e mais tarde na Europa, emergem grafitis, realizados por jovens oriundos da comunidade negra.

Os grafitos rapidamente se convertem em objeto artístico. Evolução do Emprego por setores de atividade (1993-2003) Cinema 2D Cinema 3D Concerto Musical No mundo ocidental, há um século atrás, acreditava-se que os progressos cientifico-tecnológicos e a crescente laicização da sociedade fariam recuar a Fé e provocar a “morte de Deus”.

O número de praticantes do Cristianismo diminuiu:
- Há menos devotos na missa;
- Uma menor procura dos sacramentos bem como a escassez das ordenações sacerdotais. O consumo fez as sociedades mais egoístas que solidárias.

O individualismo campeia nas famílias, nas relações de vizinhança e de trabalho, nos comportamentos políticos, sindicais e religiosos.

Alguns sociólogos consideram a sociedade pouco empenhada civicamente e disso culpam a globalização económica. Os escandalos da Igreja Católica Dir-se-á haver uma crise de autoridade da Igreja Católica que, à semelhança de igrejas protestantes, ainda enfrenta escândalos sexuais.

Assistiu-se, desde as últimas décadas do século X, a uma revivescência do fervor religioso no Ocidente.

João Paulo II, o Papa não italiano que o Vaticano elegeu em 1978, agitou multidões nas suas viagens pelo Mundo.
Pelo mundo fora, o fundamentalismo religioso tem ascendido.

Entre os muçulmanos, há forças e partidos que se apoiam na religião para condicionarem a vida social. Muçulmanos em oração no Islão João Paulo II na Polónia (1979) Porém, distinguem sinais indestemíveis de revitalização das sociedades, como o aparecimento de novas de associativismo.

Nas últimas décadas, a mobilização associativa sobressai como um espaço onde se experimentam formas de luta contra a pobreza e se afirmam novas solidariedades.

Cresce o número de associações ambientalistas para a integração de imigrantes, para a luta contra o racismo e a xenofobia. Exclusão Social PETA, Liga protetoras dos animais
"Se não vai vestir o seu cão, por favor não vista a sua pele" A luta contra o Racismo Hegemonia da Cultura Urbana •Desde tempos imemoriais que as cidades representam o topo da evolução de uma sociedade, constituindo um ponto atrativo devido à variedade e quantidade de pressupostos que oferece.

•Com o passar dos séculos, tem-se verificado uma intensificação do valor da cultura urbana, em detrimento da rural, consequência do avanço tecnológico. •É nos países em vias de desenvolvimento que as cidades possuem maior número de habitantes, destacando-se a Cidade do México, Jacarta, Bombaim, Nova Deli e Xangai.

•As condições de vida nestas últimas cidades são extremamente degradantes para a maioria dos cidadãos, que se amontoam em barracas e sofrem as consequências da poluição e da falta de higiene pública. •Os núcleos rurais encontram-se cada vez mais desertificados porque se criou uma série de necessidades sem infraestruturas fora das cidades, tornando-os apenas locais de férias.

•Os valores que passaram a imperar foram os da moda, da informação constante e atualizada, da tecnologia mais avançada do momento, das casas cada vez mais confortáveis e da vida em sociedade. •Nas cidades deu-se uma maior concentração de serviços, indústria, entretenimento e informação. Estas tornaram-se alvo de elevada concorrência e afluência de pessoas que procuravam emprego e melhoria das condições de vida. •A percentagem de população que vive em cidades nos países desenvolvidos chega a atingir os 70%. Nova Iorque Fluxo diário •A Segunda Revolução Industrial provocou, no início do século XX, uma intensificação das ondas de migração que, com origem no campo, se deslocavam rumo à cidade. •Este crescimento dos núcleos urbanos exigiu a criação de mecanismos culturais que satisfizessem esta massa populacional. New Deli, India Crescimento dos núcleos urbanos •De facto, deve observar-se que os cinemas, os museus, as bibliotecas e os grandes centros desportivos, literários, musicais e científicos se encontram nas cidades. Smithsonian Institution, em Washington, nos Estados Unidos •Por outro lado, a possibilidade de criar, dentro ou na periferia das cidades, núcleos mais ou menos isolados, que se assemelham um pouco aos rurais, tornou desnecessária a mudança para o campo. Casas Modernas Grafitis em Nova Iorque Grafitis em Portugal Conclusão: - Com a apresentação deste trabalho, esperamos que tenhamos sido explicitos na explicação da matéria remetente aos nossos temas.

- Esperamos que tenham gostado e caso tenham alguma dúvida, perguntem. =) Bibliografía - http://www.geomundo.com.br/images/images-geografia/globalizacao1.jpg
- http://www.correioatlantico.com/site/wp-content/uploads/2011/09/usa.jpg
- http://www.locavia.net/site/wp-content/uploads/2009/10/lixo_no_meio_ambiente.jpg
http://www.museudocomputador.com.br/imagens/enciclo/processor3-g.jpg
- http://static.minilua.com/wp-content/uploads/2010/08/old_tv_thumb.jpg
- http://3.bp.blogspot.com/-xxJGvdpX3M8/ULfrZn-11PI/AAAAAAAAIuo/wB3HAPCQVng/s320/sony-walkman.jpg
- http://www.aovivonet.com/wp-content/uploads/2012/05/Pre%C3%A7os-computador-moderno.jpg
- http://www.dw.de/image/0,,915797_4,00.jpg

- Manual de História A 12 ano - O tempo da História de Célia Pinto do Couto, Maria Antónia Monterroso Rosas e Elvira Cunha de Azevedo Mea (revisão científica)
Full transcript