Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Textura Sonora: flaneria na hipermídia

Apresentação dos conteúdos da disciplina de Produção em Áudio, Curso de Comunicação Social Jornalismo -UNISUL
by

Daniel Signorelli

on 19 August 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Textura Sonora: flaneria na hipermídia

Produção em Áudio
Prof.: Daniel Signorelli
PERCEPÇÃO
?
Maurits Cornelis
Escher
Em psicologia, neurociência e ciências cognitivas, percepção é a função cerebral que atribui significado a estímulos sensoriais, a partir do histórico de vivências passadas.
Através da percepção um indivíduo organiza e interpreta as suas impressões sensoriais para atribuir significado ao seu meio. Consistem na aquisição, interpretação, seleção e organização das informações obtidas pelos sentidos.
A percepção pode ser estudada do ponto de vista estritamente biológico ou fisiológico, envolvendo estímulos elétricos evocados pelos estímulos nos órgãos dos sentidos. Do ponto de vista psicológico ou cognitivo, a percepção envolve também os processos mentais, a memória e outros aspectos que podem influenciar na interpretação dos dados percebidos.
+
=
Na filosofia, a percepção e seu efeito no
conhecimento e aquisição de informações do mundo
é objeto de estudo da filosofia do conhecimento ou epistemologia. Em geral a percepção visual foi base para diversas teorias científicas ou filosóficas. Newton e Goethe estudaram a percepção de cores e algumas escolas, como a Gestalt, surgida no Século XIX e escolas mais recentes, como a fenomenologia e o existencialismo baseiam toda a sua teoria
na percepção do mundo.
O processo de percepção tem início com a atenção que não é mais do que um processo de observação seletiva, ou seja, das observações por nós efetuadas. Este processo faz com que nós percebamos alguns elementos em desfavor de outros. Deste modo, são vários os fatores que influenciam a atenção e que se encontram agrupados em duas categorias: a dos fatores externos (próprios do meio ambiente) e a dos fatores internos (próprios do nosso organismo).
À medida que adquirimos novas informações, nossa percepção se altera. Diversos experimentos com percepção visual demonstram que é possível notar a mudança na percepção ao adquirir novas informações. As ilusões de óptica e alguns jogos, como o dos sete erros se baseiam nesse fato. Algumas imagens ambíguas são exemplares ao permitir ver objetos diferentes de acordo com a interpretação que se faz. Em uma "imagem mutável", não é o estímulo visual que muda, mas apenas a interpretação que se faz desse estímulo.
Imagem ambígua. O animal da figura pode ser um coelho ou um pato. Um exemplo de "percepção mutável"
Fatores Externos
Fatores Internos
INTENSIDADE
(pois a nossa atenção é particularmente despertada por estímulos que se apresentam com grande intensidade e, é por isso, que as sirenes das ambulâncias possuem um som insistente e alto)
CONTRASTE
(a atenção será muito mais despertada quanto mais contraste existir entre os estímulos, tal como acontece com os sinais de trânsito pintados em cores vivas e contrastantes)
MOVIMENTO
que constitui um elemento principal no despertar da atenção (por exemplo, as crianças e os gatos reagem mais facilmente a brinquedos que se movem do que estando parados)
INCONGRUÊNCIA
, ou seja, prestamos muito mais atenção às coisas absurdas e bizarras do que ao que é normal (por exemplo, na praia num de dia verão prestamos mais atenção a uma pessoa que apanhe sol usando um cachecol do que a uma pessoa usando um traje de banho normal)
MOTIVAÇÃO
(prestamos muito mais atenção a tudo que nos motiva e nos dá prazer do que às coisas que não nos interessam)
EXPERIÊNCIA
anterior ou, por outras palavras, a força do hábito faz com que prestemos mais atenção ao que já conhecemos e entendemos
E o
FENÔMENO SOCIAL
que explica que a nossa natureza social faz com que pessoas de contextos sociais diferentes não prestem igual atenção aos mesmos objetos (por exemplo, os livros e os filmes a que se dá mais importância em Portugal não despertam a mesma atenção no Japão)
O que significa a palavra
palavra de origem germânica que significa “forma” ou “figura”. Outros nomes pra psicologia da Gestalt são Gestaltismo, psicologia da forma ou simplesmente Gestalt.
Qual é o princípio básico
Quais são as leis
o inteiro é interpretado de maneira diferente que a soma de suas partes
a crença de que o inteiro é maior do que a soma de suas partes levou ao descobrimento de diferentes fenômenos que ocorrem durante a percepção
SEMELHANÇA
A lei da semelhança dita que eventos que são similares se agruparão entre si.
PROXIMIDADE
Elementos são agrupados de acordo com a distância a que se encontram uns dos outros. Elementos que estão mais perto de outros numa região tendem a ser percebidos como um grupo.
CONTINUIDADE
Essa lei dita que pontos que estão conectados por uma linha reta ou curva, são vistos de uma maneira a seguirem um caminho mais suave. Em vez de ver linhas e ângulos separados, linhas são vistas como uma só.
PREGNÂNCIA
É chamado também de lei da simplicidade. Ela dita que objetos em um ambiente são vistos da forma mais simples possível. Quanto mais simples, mais facilmente é assimilada.
FECHAMENTO
Elementos são agrupados se eles parecem se completar. Ou seja, nossa mente observa um objeto completo mesmo quando não há um.
fenômenos
Princípio da figura e fundo
Obrigado!
Textura
Textura é o aspecto de uma superfície ou seja, a "pele" de uma forma, que permite identificá-la e distingui-la de outras formas. Quando tocamos ou olhamos para um objeto ou superfície sentimos se a sua pele é lisa, rugosa, macia, áspera ou ondulada. A Textura é, por isso, uma sensação visual ou tátil.
ASPECTOS VISUAIS
Naturais
Aquelas que resultam da intervenção natural do meio ambiente ou que caracterizam o aspecto exterior das formas e coisas existentes na Natureza
Artificiais
Texturas
Aquelas que resultam da intervenção humana através da utilização de materiais e instrumentos devidamente manipulados.
PROPRIEDADES FÍSICAS DO SOM
No estudo da física onda é uma perturbação ou movimentos oscilatórios que se propaga no espaço ou em qualquer outro meio (líquido, sólido ou gasoso), como, por exemplo, a água.
No estudo da física onda é uma perturbação ou movimentos oscilatórios que se propaga no espaço ou em qualquer outro meio (líquido, sólido ou gasoso), como, por exemplo, a água.
As ondas podem se classificar de acordo com a direção de propagação de energia, quanto à natureza das ondas e quanto à direção de propagação.
ONDAS
NATUREZA DAS ONDAS
Ondas mecânicas:
são aquelas que necessitam de um meio material para se propagar como, por exemplo, onda em uma corda ou mesmo as ondas sonoras.
Ondas eletromagnéticas:
são aquelas que não necessitam de meio material para se propagar, elas podem se propagar tanto no vácuo (ausência de matéria) como também em certos tipos de materiais. São exemplos de ondas eletromagnéticas: a luz solar, as ondas de rádio, as microondas, raios X, entre muitas outras.
Qualidades Fisiológicas do Som
Os sons
simples
distinguem-se uns dos outros por duas características, a saber,
INTENSIDADE
e
ALTURA
; os sons
compostos
, além daquelas, diferenciam-se pelo
TIMBRE
:
Intensidade:
esta ligada à amplitude das vibrações (e, portanto à energia transportada pela onda sonora); é a qualidade pela qual um som forte (grande amplitude — muita energia) se distingue de um som fraco (pequena amplitude — pouca energia).
Altura:
está ligada unicamente à sua freqüência; é a qualidade pela qual um som grave (som baixo --- freqüência baixa) se distingue de um som agudo (som alto --- freqüência alta).
É fácil perceber que essa característica do som depende tão somente da freqüência; sabe-se, por exemplo, que encurtando-se uma lamina elástica, aumenta-se a freqüência de suas vibrações e, correlativamente, constata-se que o som emitido se torna mais e mais agudo.
depende dos harmônicos associados ao som fundamental no caso dos sons musicais ou das ondas que se superpõem, no caso dos sons compostos em geral.
No caso dos sons musicais, é a qualidade que permite distinguir dois sons de mesma altura emitidos por fontes sonoras diferentes; uma flauta e um viola, por exemplo, ambos emitindo a mesma nota
=
_
COMPOSIÇÃO MUSICAL
Oh, if i catch you!!!
CONSONÂNCIA
1. Reunião de sons harmônicos. 2. Ret. Uniformidade de sons na terminação das palavras ou das frases.
DISONÂNCIA
s. f. 1 Falta de consonância ou de harmonia. 2 Mús. Encontro pouco harmonioso de vários sons. Discordância.
X
MOTIVO
Idéia musical curta, podendo ser melódica, harmônica, rítmica, ou as três simultaneamente.
TEMA
O material musical em que todo uma obra, ou parte dela se baseia; uma melodia identificável.
X
MONOFONIA
Voz única – uma única linha melódica
POLIFONIA
Termo derivado do grego, significando “vozes múltiplas”, usado para a música em que duas ou mais linhas melódicas soam simultaneamente
Full transcript