Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

Leonardo Augusto

on 27 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

A ERA DA GUERRA TOTAL


IN:
ERA DOS EXTREMOS: O BREVE SÉCULO XX – 1914-1991
. pp. 29 – 60.

Abril de 1917: Entrada dos Estados Unidos

O Telegrama Zimmermann
http://pt.wikipedia.org/wiki/Telegrama_Zimmermann ; Cf.: O livro de Barbara Tuchmann

Outubro Vermelho
: Saída da Rússia

Março de 1918: Tratado de Brest-Litovsky

Novembro de 1918: rendição alemã; Dupla Proclamação da República = Phillip Scheidemann X Karl Liebknecht

Fatos decisivos:

A Frente Oriental:

Guerra de Movimento (1914)

Guerra de Trincheiras (1915-1917)
“Milhões de homens ficavam uns diante dos outros nos parapeitos de trincheiras barricadas com sacos de areia, sob os quais viviam como – e com – ratos e piolhos. De vez em quando seus generais procuravam romper o impasse. Dias e mesmo semanas de incessante bombardeio de artilharia – ...” [HOBSBAWM:33]

2)FASES DO CONFLITO

Tratado de Brest-Litovsk

A Frente Ocidental:

GUERRA DE POSIÇÃO

Eric J. Hobsbawm (p.32) promove uma ligeira alteração, chamando de “Tríplice Aliança” a coalização de França, Grã-Bretanha e Rússia.

As “Potências Centrais” seriam representadas pela Alemanha e a Áustria-Hungria.

A Sérvia e a Bélgica foram envolvidas no conflito “devido ao ataque austríaco(...) à primeira e o ataque alemão à segunda (...)”.

Turquia e Bulgária se associaram às Potências Centrais; Itália, Grécia, Romênia e Portugal aos Aliados.

1.1 Primeiros passos: reconhecendo
os atores do conflito
P. 32: “Não há espaço para neste livro discutir as origens da Primeira Guerra Mundial, que o autor tentou esboçar em
A era dos impérios.
(...)”


O autor menciona o texto “Da paz à guerra”.In:
A era dos Impérios
. pp. 463-500. O mesmo já foi disponibilizado e lido neste curso de 2016.2. Enviado para sua conta de e-mail pelo AUTOSAU.

A Grande Guerra
1)Causas:


“Nunca houve na história do homem um episódio mais degradante do que a opção da economia pela inflação, a experiência do corpo pela fome, a experiência da guerra pelas trincheiras.”

"Experiência e Pobreza". In: . Obras Escolhidas, Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Brasiliense, 2008.

Walter Benjamin, filósofo alemão (1933).

1.1 Primeiros passos: reconhecendo os atores do conflito

O Mundo Europeu pós-1919
Observar a nova configuração do Leste: evidencia-se o “cordão sanitário” para isolar a União Soviética do resto do Velho Continente

A Grande Guerra
1)Causas

P. 32: “Não há espaço para neste livro discutir as origens da Primeira Guerra Mundial, que o autor tentou esboçar em A era dos impérios.(...)”


Antecipando a leitura da próxima aula: “Da paz à guerra”In: A era dos Impérios. pp. 463-500. Já está digitalizado. Envio ainda hoje pelo AUTOSAU.

“O exército alemão avançou sobre a França, inclusive atravessando a Bélgica, neutra, e só foi detido algumas dezenas de quilômetros a Leste de Paris, junto ao rio Marne, cinco ou seis semanas depois de declarada a guerra. (Em 1940 o plano viria a dar certo.)” Houve recuos mas “Nos três anos e meio que se seguiram não houve mudanças significativas de posição. (...)” [HOBSBAWM: 33]
Impasse...
“Como romper o impasse na Frente Ocidental? Esse era o problema crucial para os dois lados, pois sem vitória no Ocidente nenhum dos dois podia vencer a guerra, ainda mais porque a guerra naval também estava empatada.(...)” pp. 35.

O apagar das luzes
"A humanidade sobreviveu. Contudo, o grande edifício da civilização do século XX desmoronou nas chamas da guerra mundial quando suas colunas ruíram. Não há como compreender o Breve Século XX sem ela. Ele foi marcado pela guerra. Viveu e pensou em termos de guerra mundial, mesmo quando os canhões se calavam e as bombas não explodiam.
Sua história e, mais especificamente, a história de sua era inicial de colapso e catástrofe devem começar com a da guerra mundial de 31 anos.
Aspectos gerais da Segunda Guerra – A Alemanha, a Itália e seus “efeitos de repetição”

"Sem dúvida,a própria experiência ajudou a brutalizar tanto a guerra como a política: se uma podia ser feita sem contar os custos humanos ou quaisquer outros, por que não a outra?"

Guerra Massiva X Guerra Total
“Mas explicam novamente que a guerra gera empregos e aumenta a produção...”
[D. Villa-Lobos, M. Bonfá, R. Russo. “Canção do Senhor da Guerra”]
Quem se beneficiou / quem se prejudicou com a guerra?
"Sem dúvida, a própria experiência ajudou a brutalizar tanto a guerra como a política: se uma podia ser feita sem contar os custos humanos ou quaisquer outros, por que não a outra?” (HOBSBAWM:34)
“O plano alemão era liquidar rapidamente a França no Ocidente e depois partir com igual rapidez para liquidar a Rússia no Oriente, antes que o império do czar pudesse por em ação efetiva todo o peso de seu enorme potencial militar humano.”
Muitas perdas humanas; - 1,6 milhão de mortos na França (população total de 39 milhões de habitantes) – 1/3 dos soldados franceses saíram “improdutivos” da guerra. -1,7 milhão de mortos na Alemanha (população total de 66 milhões de habitantes) - cerca de 800 mil britânicos, ¼ dos alunos de Oxford e Cambridge com menos de 25 anos morreram em combate.”
“Não surpreende que na memória dos britânicos e franceses, que travaram a maior parte da Primeira Guerra Mundial na Frente Ocidental, esta tenha permanecido como a “Grande Guerra”, mais terrível e traumática na memória que a Segunda Guerra Mundial.” [HOBSBAWM: 33]
RAÍZES DO
APAZIGUAMENTO
“A longo prazo, os governos democráticos não resistiriam à tentação de salvar as vidas de seus cidadãos, tratando seus inimigos como totalmente descartáveis." [HOBSBAWM: 34]
E VERSALHES?

“Não é necessário entrar em detalhes da história do entreguerras para ver que o acordo de Versalhes não podia ser a base de uma paz estável. Estava condenado desde o início, e portanto outra guerra era praticamente certa. Como já observamos, os EUA quase imediatamente se retiraram, e num mundo não mais eurocentrado e eurodeterminado, nenhum acordo não endossado pelo que era agora uma grande potência mundial podia se sustentar.” [HOBSBAWM: 42]
Professor Leonardo de Carvalho Augusto
Full transcript