Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Análise Histórica do filme: A Nova Onda Do Imperador

No description
by

Pablo Hemanoel

on 18 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Análise Histórica do filme: A Nova Onda Do Imperador

Análise Histórica do filme:
A Nova Onda Do Imperador
Professora: Tracy
Disciplina: História
Alunos: Ariane, Catharina, Dayane, Lara, Pablo e Rafael
Liceu Santa Maria Imaculada
Personagens Principais:
Kuzco
Pacha
Izma
Kronk
O Filme :
The Emperor's New Groove é um filme de animação
estadunidense de 2000 produzido pela Walt Disney Pictures.
O filme foi dirigido por Mark Dindal, produzido por 
Randy Fullmer e Don Hahn e dublado na versão americana por David Spade, John Goodman, Eartha Kitt e Patrick Warburton.
The Emperor's New Groove é o quadragésimo filme
de animação dos estúdios Disney e foi lançado nos cinemas dos EUA em Dezembro de 2000.
O filme se passa no Peru durante o domínio
do Império Inca.

Sinopse:
Querendo dar de presente a si mesmo um Palácio de
Verão, o arrogante imperador inca Kuzco escolhe o topo de
um morro onde mora Pacha, um simpático camponês.
Enquanto isso, a maligna conselheira Yzma bola um
plano para matar Kuzco e tomar para si o Império. Mas o
plano dá errado e Kuzco não morre, mas é transformado
em lhama e acaba ficando na casa de Pacha, dependendo
dele para retornar ao seu palácio e ao poder. Pacha avisa que
só vai ajudá-lo se tiver garantias de que sua casa não será
demolida, e assim a história se desenvolve.

Ao analisarmos historicamente o filme “A Nova Onda do Imperador” podemos relacioná-lo a dois assuntos já estudamos: o Absolutismo e
o Império Inca.
A começar pelo Absolutismo. Por se tratar de um filme que tem como personagem principal um Imperador, ele é indispensável... Mas o que é Absolutismo?
Absolutismo é uma teoria política que defende que alguém (em geral,
um monarca) deve ter o poder absoluto, isto é, independente de outro órgão. É uma organização política na qual o soberano concentrava todos os poderes do estado em suas mãos.
Os teóricos de relevo associados ao absolutismo incluem autores
como Maquiavel, Jean Bodin, Jaime VI da Escócia e I da Inglaterra, Bossuet e Thomas Hobbes.
E como isso se aplica ao filme? É o que veremos agora.

O imperador Kuzco é um líder que para atingir os seus objetivos, faz tudo o que tiver que fazer. Várias partes do filme comprovam isso. Uma delas é a construção da Kuscotopia, que seria um parque aquático justamente na vila onde mora Pacha, que é um camponês importante para o império, já que é da sua vila que vem os alimentos que vão para o palácio. Além de demonstrar total desinteresse pelo povo, mesmo os camponeses sendo a base da economia e a maior parte da população.
Nessa cena do filme, vemos o
quão mimado é o imperador, já que tem vários funcionários que satisfazem todos os seus desejos na hora em que ele quer. Na música diz “ele é mais que um rei poderoso, ele é como um deus fabuloso” e essa era a visão de todos os integrantes do império Inca.


Pode-se relacionar uma cena do filme à teoria de Thomas Hobbes que diz que haveria uma espécie de contrato social, entre governantes e governados. Kuzco e Pacha fazem um acordo de que se Pacha ajudasse Kuzco a chegar ao palácio, ele desistiria de derrubar a sua vila para construir o parque aquático.
O absolutismo pode ser justificado através da teoria do Direito Divido dos Reis, já que consideravam o Inca descendente do Deus Sol. (Jean Bodín)
Yzma é a conselheira de Kuzco e para tomar o poder, queria mata-lo. Acreditando que Kronk conseguiu mata-lo, ela se mostra absolutista ao ordenar que todos voltem ao trabalho, mesmo após a suposta morte de Kuzco.
Porém logo depois do acordo Pacha fica preso em uma armadilha e pede ajuda a Kuzco que recusa e revela que deixaria ele apodrecer na cadeia. Isso mostra que os fins (chegar a Cuzco) justificam os meios (a morte de Pacha), segundo a teoria de Maquiavel.
Além de mostrar que " o homem é lobo do homem" - Thomas Hobbes
O filme se passa no Peru, durante o domínio do Império Inca, vamos então saber um pouco mais sobre esse Império.
Ao falar de um povo, é importante falar da cultura desse povo.
No filme a cultura dos antigos Incas pode ser identificada através...
Este é o nome do imperador e protagonista do filme. Esse nome é recebido, pois no Império Inca há uma região chamada Cusco, o mais importante centro administrativo e cultural. A palavra significa “umbigo do mundo”, na qual demonstra a extrema importância do personagem.
Este é o nome do camponês que ajuda o imperador Kuzco no filme, seu nome é dado de acordo com a mitologia Inca, na qual Hanan Pachase definia o mundo de cima, onde se encontravam todas as deidades.
É o nome dado à pior inimiga do imperador Kuzco. Ela sempre quis roubar seu poder e ser a imperadora, por isso, ela o queria morto, mas por acidente o transformou em uma lhama. Esse nome se relaciona a uma civilização que vivia em conflitos com incas.
Culinária
A comida inca consistia
principalmente de vegetais,
carboidratos, e cereais além de carne de porcos selvagens e de lhama. Apesar da dieta dos incas ser muito variada, havia muitas diferenças entre os alimentos consumidos pelos diversos setores da sociedade.

A gente do povo só comia duas refeições
por dia. Eles comiam ainda grandes quantidades de frutas. O milho era bastante consumido e era preparado fervido ou torrado.
Os nobres e a família real se alimentavam muito melhor do que o povo. Na mesa do Inca não podia faltar carne, mas era escassa para o povo. Ele comia carne de lhama, de vicunha, patos selvagens, perdizes da puna, rãs, caracóis e peixe.
Vestuário
Além de que os nobres tinham a orelha grande e as cores dos brincos das pessoas denominavam seus determinados padrões na sociedade Inca. No filme, o imperador Kuzco usava brincos verde água, a nobre Izma usava brincos azuis e a camponesa (esposa de Pacha) usava brincos marrons.
Assim como os Incas, no filme, percebemos uma diferença no vestuário do camponês e do Imperador, isso acontece, pois esse usava roupas, cocares e adornos especiais que demonstravam sua superioridade e poder, além de plumas, penas, etc.
Também, os povos Incas produziam tecido da lã das lhamas ou do algodão feitos pelas mulheres, e no filme, o Pacha conta ao imperador que sua esposa faz crochê e fez uma blusa de lã para ele.
Magia, Casamento e Predestinação
Casamento:

Nos povos Incas, eram os homens os quais escolhiam com qual mulher eles iriam se casar, assim como no filme, pois o imperador Kuzco escolheria qual seria sua noiva.

De acordo com as tradições dos Incas, eles tinham muitas festas nas quais
expressavam imensa gratidão à natureza de forma especial, pois para eles durante o tempo que os é concedido na Terra, eram ligados à natureza e a todos os seus entes, e também eram dependentes dela. Nos dias anteriores a essas festas, muitos deles tinham visões através de sonhos onde viam espíritos da natureza que em geral lhes permaneciam ocultos, como a protetora dos animais, a “Kariki”.
Essas informações se relacionam ao filme de duas formas. Uma delas é através dos
sonhos, quando os filhos do Pacha sonham com coisas que realmente aconteceram com ele e o Kronk tem um sonho que esclarece sobre o paradeiro do imperador. Além de que durante o filme, há várias cenas na floresta que mostram uma relação de companheirismo e amizade dos personagens com os animais.

Os Sonhos e a Natureza:

Magia:

Os incas acreditavam em magia, para eles a religião e a magia eram a rota que conduzia o trono. No filme, o tema central se passa diante de uma poção mágica que transforma Kuzco em lhama e o tempo inteiro ele tentava desfazer o efeito da poção.

uma mulher e um homem eram considerados oficialmente casados quando trocavam entre si os seus pares de chinelos
Predestinação:

No filme, o imperador Kuzco era predestinado como imperador, percebemos isso através das cenas seguintes, e os Incas tinham essa mesma tradição que segundo Calvino, somente os eleitos pelo Senhor conseguem vencer na vida.


Arte
Artesanato Têxtil

O artesanato têxtil alcançou, entre os incas andinos, um grande
apuro técnico. Os tecidos incas destacavam-se pelos estampados variados e de cores vivas. Os incas conheciam a técnica de produção de vários tipos de tecidos graças à facilidade de matéria-prima: cultivo de algodão e as lãs fornecidas pelas lhamas e alpacas. No artesanato têxtil era comum a aplicação de plumas nos mantos e chapéus.

A ourivesaria

A ourivesaria — e, em geral, o trabalho em metais —, também
alcançou alto grau de desenvolvimento. Embora a maior parte das peças tenha sido destruída pelos espanhóis durante a ocupação do território, ainda sobraram mantos sacerdotais bordados a ouro, luvas de ouro (manoplas) também para uso dos sacerdotes, capacetes ornados, copos, taças, pratos, brincos e placas peitorais. A prata era usada cotidianamente e, dos objetos feitos neste material, restaram poucos exemplares: canecas, jarras, pratos, talheres e enfeites domésticos.
Cerâmica

Das artes produzidas pelos incas
nenhuma, porém, foi tão original
quanto a cerâmica. Os diferentes
estilos e técnicas nos permitem, hoje,
estudar a evolução do império e a
sucessão de culturas que acabaram
por criar a cultura inca. Em Chavín e
Paracas, as cerâmicas eram
entalhadas ou pintadas com figuras
de felinos. A espessa cerâmica de
Tihuanaco era pintada de vermelho
ou cor de laranja e, geralmente,
apresentava a forma de uma taça
sem pé. Uma serpente se enroscava nesta taça e a cabeça do réptil ultrapassava o limite superior da taça. Em Recuay manufaturava-se uma cerâmica quase branca, com decoração entalhada. Nazca desenvolveu uma cerâmica delicada e de finíssima espessura: bastante polida, era enfeitada com frutos e flores. A cerâmica de Nazca é conhecida mundialmente por utilizar, como elemento decorativo, cabeças humanas reduzidas e mumificadas.
Pintura:

Parece que os Incas concebiam a pintura como um complemento a outras
artes, como a arquitetura, tecidos e cerâmicas.
É em cerâmica e têxteis, onde agora você pode apreciar as características da
pintura Inca, cujos motivos estão relacionados com as dadas pela fauna, flora, mitos, lendas e acontecimentos importantes na vida dos Incas.
Em relação ao uso de cores, era policromática, ou seja, mais de dois,
principalmente se usado marrom, creme, branco, laranja, amarelo e vermelho.
Representações foram naturalista e abstrato, com predominância deste último.
Muitas das pinturas murais, bem como mesas e tecidos armazenados no Puquincancha, teve um fim utilitário e político. Sua intenção era preservar a memória dos acontecimentos do Incas e mostrar o seu poder de sujeitar os povos.

Arquitetura
Os incas desenvolveram várias construções, com enormes
blocos de pedras encaixadas, como de templos, casas e palácios. A maneira de trabalhar a pedra tanto na escultura quanto na arquitetura, era sua forma de expressão artística. Seus templos, palácios e fortalezas mostram técnicas fabulosas de trabalho em pedra talhada. Possuíam conhecimentos astronômicos avançados e eram capazes de aplicar conceitos de matemática e geometria nas suas construções.
Os Incas possuíam uma organização econômica social
bastante complexa. A ela se vinculava uma arte monumental, que merece ser conhecida especialmente pela capacidade que tiveram de superar as dificuldades impostas pelo relevo.
Sendo essa região marcada pela presença de terremotos,
convém observar que mesmo as construções de grande porte, resistiram muito bem a fortes abalos, ao contrário de diversas edificações feitas pelos europeus e que desabaram com os terremotos. Pra eles, suas construções mais altas os faziam estar mais perto daquele que eles serviam – Rei Sol.

Para construir estradas em terrenos com grandes
declives usavam do desenho em zigue-zague facilitando a circulação ou, se necessário, escadas. As estradas eram estreitas já que circulavam nelas apenas homens e lhamas com carregamentos.A rede de estradas de pedras que ligavam todas as tribos facilitou o desenvolvimento arquitetônico da civilização. Em meio às cordilheiras muitas vezes era necessário construir pontes. Elas eram feitas de cordas e exigiam uma cuidadosa manutenção já que os cabos deviam ser substituídos todos os anos.
Podemos dizer que as obras de irrigação em direção aos
vales desertos, a construção de pontes pênseis, entre grandes precipícios, e de aterros em pântanos atestam altos níveis de conhecimentos técnicos. Já usavam a adiantada técnica das curvas de nível sendo os primeiros a usar o sistema de irrigação, desviando o custo dos rios as aldeias.
Religião
Inti, o deus Sol, era a divindade protetora da casa real. Seu
calor beneficiava a terra andina e fazia as plantas florescerem. Era representado com um rosto humano sobre um disco radiante. A grande Festa do Sol, o Inti Rami, era celebrada no solstício de inverno. Para dar as boas vindas ao Sol. Essa representação é apresentada no filme através da dominação de terra do Imperador para com o camponês, com intuito de presentear - se durante a comemoração de seu aniversário.

Os Incas eram
extremamente religiosos e viam o Sol e a Lua como entidades divinas às quais suplicavam suas bençãos. O deus Sol (Inti) era o deus masculino e acreditavam que o Rei descendia dele. A religião era politeísta, constituída de forças do bem e do mal. O bem era representado por tudo aquilo que era importante para o homem como a chuva e a luz do Sol, e o mal, por forças negativas, como a seca e a guerra.

Os huacas, ou lugares sagrados, estavam espalhados pelo território
inca. Huacas eram entidades divinas que viviam em objetos naturais.
Os incas ofereciam sacrifícios tanto humanos como de animais nas
ocasiões mais importantes que exigiam grandes sacrifícios que poderiam incluir até duzentas crianças.
Os incas tinham um calendário de trinta dias, no qual cada mês tinha o
seu próprio festival.
Os incas acreditavam na reencarnação. Aqueles que obedeciam à
regra (não roube, não minta e não seja preguiçoso), quando morressem iriam viver ao calor do sol enquanto os desobedientes passariam os dias eternamente na terra fria.
Os incas também praticavam o processo de mumificação.

Além de aspectos culturais podemos notar no filme características voltadas para a geografia local...
... entre os aspectos geógraficos podemos citar ...
O plantio era feito em terraços (degraus
formados nas costas das montanhas) e já usavam a adiantada técnica das curvas de nível sendo os primeiros a usar o sistema de irrigação, desviando o curso dos rios para as aldeias.
Agricultura e Pecúaria
Os camponeses também criavam a alpaca -
mamífero que fornecia lã para a fabricação de tecidos- e a lhama, utilizada como meio de transporte de cargas. Esses animais também eram utilizados como alimento.
As pontes de corda incas eram pontes de suspensão simples sobre cânions e desfiladeiros que forneciam acesso para o Império Inca. Pontes desse tipo eram adequadas, pois os incas não usavam transporte sobre rodas. Essas pontes foram parte integrante do sistema viário inca e são um exemplo de inovação em engenharia. Os incas usavam fibras naturais encontradas na vegetação local para construí-las. 
Essas fibras eram tecidas em conjunto a uma corda suficientemente forte e eram reforçadas com um piso de madeira. Cada lado era então ligado a um par de âncoras de pedra, e diversos cabos. Os cabos que sustentavam o caminho eram reforçados com galhos entrançados.
Parte da força e da confiabilidade da ponte vem do fato de que cada cabo era substituído a cada ano pelos moradores locais. Em alguns casos, os camponeses locais tinham a única missão de manter e reparar as pontes. A maior ponte desse tipo residia na garganta Apurimac, ao longo da principal estrada norte de Cuzco.

Pontes
A floresta equatorial é bastante úmida, densa e com grande diversidade de espécies animais e vegetais (apresenta a maior biodiversidade do mundo). Suas árvores são de grande porte (podendo atingir mais de 60 metros), com folhas largas e grandes, além de muito próximas umas das outras. A fauna é composta por animais rastejadores, anfíbios, beija-flores, araras, papagaios, periquitos, inúmeros tipos de macacos, esquilos, tucanos, cutias, pacas, antas, onça-pintada, diversos tipos de insetos, entre tantos outros.

A floresta equatorial
Lhamas
Lhama é um mamífero ruminante da América do Sul, da família dos camelídeos, género Llama. Este
animal tem pelagem longa e lanosa, e é domesticado para a utilização no transporte de carga, produção de lã, carne e couro.
Foi domesticado pelo povo inca, tendo sido muito importante para os mesmos.
As lhamas vivem na Cordilheira dos Andes, onde as temperaturas são baixas. Assim, as pelagens
servem para protegê-los do frio, além de proteger o seu corpo de arranhões e outros ferimentos. A lhama é conhecida pelo seu estilo calmo, muitas vezes andando devagar, porém pode se irritar facilmente. Quando irritada ou para chamar a atenção, espirra seu muco na direção do objeto de sua irritação.
A lhama alimenta-se de capim e mato.
Conhecidos por desenvolverem uma arquitetura única, os incas construíram templos, diques, canais de água, casas, palácios e até observatórios astronômicos de pedra – mesmo se encontrando em uma região montanhosa e de difícil locomoção.
Referências:
http://www.brasilescola.com/brasil/floresta-equatorial.htm
http://www.tumblr.com/search/imp%C3%A9rio%20inca
http://www.historiadomundo.com.br/inca/as-pontes-incas
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cusco
http://historiaemcartaz.blogspot.com.br/2010/08/nova-onda-do-imperador.html
http://incas-historia-br-antiguidade.blogspot.com.br/2012/08/agricultura-inca.html
http://www.historiadomundo.com.br/inca/religiao-inca.htm
http://www.abc.es/hemeroteca/incas
http://www.rodrigoenok.blog.br/2008/01/aztecas-incas-e-maias-e-sua-origem.html
http://www.suapesquisa.com/pesquisa/incas.htm
http://familiaespirita.no.comunidades.net/index.php?pagina=1894404887
http://www.wiccabrasil.com/2011/02/magia-dos-maias-incas-e-astecas-por.html
http://www.respostadesonho.com/sonhar/pedras-incas
http://books.google.com.br/books?id=fTRZElt8u1kC&pg=PA107&lpg=PA107&dq=rela%C3%A7%C3%A3o+dos+incas+com+os+sonhos&source=bl&ots=jNijJuffPL&sig=udriFKSgpf3O8tDkRm0s2BZMTjQ&hl=pt-BR&sa=X&ei=6RUaVLiDGo2QgwTLu4HYDw&ved=0CFUQ6AEwCQ#v=onepage&q=rela%C3%A7%C3%A3o%20dos%20incas%20com%20os%20sonhos&f=false
http://espiritismoeufologia.blogspot.com.br/2012/01/calvino-e-predestinacao.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Imp%C3%A9rio_Incahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Imp%C3%A9rio_Inca
http://www.suapesquisa.com/pesquisa/cultura_inca.htm
http://www.historiadomundo.com.br/inca/arte-inca.htm
http://www.suapesquisa.com/pesquisa/cultura_inca.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Im%C3%A9rio_Inca#Religi.C3.A3o
Full transcript