Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Evolução da Cientificidade

No description
by

Raryanne Freitas

on 31 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Evolução da Cientificidade

1903 – Criação da American Political Science Association (APSA)
1923-1925 – Conferencias de Yale organizadas por Merriam onde se lançam as bases para a noção de uma “ciência política científica” e a ruptura com a análise histórica vigente. Conexão entre a psicologia comportamental e a ciência política.
1860 – EUA surgimento dos estudos “científicos” da política
“Há uma longa variabilidade nas concepções do que se chama o “problema da demarcação/crise de identidade na ciência política”

Nas primeiras décadas do século XX, o estudo empírico dos fenômenos políticos era basicamente orientado pela tradição jurídica, filosófica, e, histórica. Os primeiros autores “científicos” sobre a análise política são orientados pelas teorias propostas por Goodnow (1900) e Woodrow Wilson (1887). Autores como Pendleton Herring (1929), Schattschneider (1935), Rutherford (1937) buscam entender a política de forma mais empírica e mais realista”
Evolução da Cientificidade
Sec XIX – Até os anos 50
1886 – Criação do Primeiro Periódico na Disciplina “Political Science”: Political Science Quarterly
Problema da demarcação entre ciência política e ciências sociais, história, e outras disciplinas já abordado no artigo “Smith, Monroe (1886). Introduction: The Domain of Political Science”
https://archive.org/details/jstor-2139299
1906 – Criação da American Political Science Review (APSR)
1900s – Duas décadas de “estudos descritivos”; ciência política compreendida como o estudo do governo; principal metodologia: comparações empíricas”
Bentley produz o importante livro “The Process of Government”, um estudo sobre as pressões dos grupos de interesse, influenciar de forma seminal a ciência política. Problema central: “por que os partidos políticos são fundamentais para a qualidade da governança democrática”

Lowell (Harvard) produz o importante livro “Government of England” - primeira tentativa de utilizar análises estatísticas na ciência política.

“A expressão ciência política ganha mais sentido no início do Século XX a partir da revolução comportamental gerada por Charles E. Merriam na Universidade de Chicago nos anos 20. Merriam foi o primeiro professor de ciência política da Universidade de Chicago é o principal mentor e empreendor metodológico do estudo científico.

A escola de Chicago introduz a demanda por metodologias qualitativas e de pesquisa sistemática lastreada em desenhos de pesquisa experimental para o análise do comportamento político. O primeiro programa sistemático de pesquisa sobre o comportamento eleitoral nas eleições municipais foi conduzido por Gosnwell (1896-1997) trabalhando sobre a orientação de Merriam”
http://www.amazon.com/Process-Government-Study-Social-Pressures/dp/1560007788

http://www.amazon.com/government-England-Lawrence-Lowell/dp/B002ZVPOH6/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1464556508&sr=1-1&keywords=Lowell+Government+of+England+1908a
1920 – Surgimento da tradição behavioralista (sobre impacto do behavioralismo ver Truman, David. 1955. The Impact of the Revolution in Behavioral Science on Political Science. Brookings Lectures, Washington,D .C.: Brookings Institution, pp. 202-231)
1921 – Merriam escreve o artigo seminal “The Present State of the Study of Politics” na American Political Science Review contendo uma ampla revisão crítica sobre o estado da arte na ciência política produzida nos EUA
https://www.jstor.org/stable/1944081?seq=1#page_scan_tab_content
1925. Hall et al – A American Political Science Association (APSA) produz o Relatório da Segunda Conferencia Nacional sobre o Estudo Científico da Política – que resolve o problema da demarcação e institucionaliza os discursos sobre a tradição experimental na ciência política . Bases para o estudo científico e metodologicamente orientado na cp.
1930/1940 – Ciência política com grande ênfase nos estudos sobre o comportamento político (political behavior).
Ênfase em quantificação, experimentos, e, uso intensivo de análise estatística. Desenvolvimento de metodologias empíricas adequadas aos fenômenos estudados pela ciência política – especialmente eleições, opinião pública, e, comportamento político. Consolidação dos dois principais periódicos disciplinares: American Political Science Review e Journal of Politics.
1934 – Lasswell escreve “Politics: Who Gets What, When, How” que inaugura um dos principais modelos referenciais para a análise política.
O modelo da política como “distribuição/alocação” de recursos lança as bases para o estudo das políticas públicas 30 anos depois.
http://www.amazon.com/Politics-who-gets-what-when/dp/B007T23NUG/ref=sr_1_5?ie=UTF8&qid=1464448576&sr=8-5&keywords=Politics%3A+Who+Gets+What%2C+When%2C+How

http://www.amazon.com/Politics-parties-pressure-groups-Key/dp/B0007DNLYW/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1464450251&sr=8-1&keywords=Politics%2C+Parties%2C+and+Pressure+Groups
1941/2 – Pritchett escreve sobre os modelos atitudinais de Decisões Judiciais.
1950 – 1970 – Expansão das Tradições Funcionalistas e da ciência política como insumo para o desenvolvimento (conceito de desenvolvimento politico)
1957 – Downs escreve a “Teoria Econômica da Democracia” em que são lançadas as bases para os modelos formais do comportamento do eleitor mediano (median voter theory). Democracia como competição política.
http://www.amazon.com/Economic-Theory-Democracy-Anthony-Downs/dp/0060417501/ref=sr_1_1ie=UTF8&qid=1464450206&sr=8-1&keywords=An+Economic+Theory+of+Democracy)
1958 – Duncan Black publica o livro “The Theory of Committees and Elections” que lança a importante contribuição para o desenvolvimento dos modelos formais na ciência política
http://www.amazon.com/Theory-Committees-Elections-Duncan-Black/dp/0521042623/ref=sr_1_1ie=UTF8&qid=1464450114&sr=8-1&keywords=The+Theory+of+Committees+and+Elections
1957 – Em Social Choice and Individual Values, Arrow lança o teorema da impossibilidade na qual as instituições servem para resolver o conhecido problema de Condorcet ou o paradoxo do voto
1960 – Modelo de Easton para compreender a interação entre Estado e Sociedade sobre bases funcionalistas. Interação entre estado e sociedade como um modelo de equilíbrio em que: “o governo busca sobreviver e produzir políticas que ampliam o retorno eleitoral, e, a sociedade busca, por vários mecanismos e por várias formas organizadas, extrair benefícios do Estado.
Problema da ação coletiva como fundamental para o Estudo da Política.
1962 – Na tradição da escolha pública, James Buchanan e Gordon Tullock lançam o livro seminal “The Calculus of Consent” que inaugura as bases para o estudo das instituições políticas a partir de modelos de racionalidade e individualismo metodológico
http://www.amazon.com/Calculus-Consent-Collected-Works-Buchanan/dp/0865972184/ref=sr_1_1ie=UTF8&qid=1464450306&sr=8-1&keywords=The+Calculus+of+Consent)
1963/4 – Surgimento da critíca da tradição de Yale aos modelos funcionalistas. Surgimento dos estudos seminais na área de políticas públicas. Theodore Lowi faz a proposição: “policies causam a política (e não o contrário) criando a noção de que o estado é, na realidade, composto por várias lógicas de ação e organização política, que são conhecidas como arenas. Wilson cria os modelos de custos e benefícios para a organização política.

Obras seminais: Lowi – the End of Liberalism
http://www.amazon.com/end-liberalism-Ideology-policy authority/dp/B0006BYY00/ref=sr_1_2?s=books&ie=UTF8&qid=1464450426&sr=1-2&keywords=the+end+of+liberalism
Bureaucracy
http://www.amazon.com/Bureaucracy-Government-Agencies-Basic-Classics/dp/0465007856/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1464450465&sr=1-1&keywords=bureaucracy+wilson
1967 - Olson escreve o livro “The Logic of Collective Action: Public Goods and the Theory of Groups” em que são formuladas a teoria da ação coletiva, e, lançadas a críticas seminais as abordagens do pluralismo analítico e do marxismo.
http://www.amazon.com/Collective-Printing-Appendix-COLLECTIVE-Paperback/dp/B00QPIV42Y/ref=sr_1_2?s=books&ie=UTF8&qid=1464450529&sr=1-2&keywords=olson+collective+action
Quadro – Ciência Política - Principais Sistematizações da Disciplina nos EUA 1990-2005
Modelo dos Quadrantes Disciplinares na Ciência Política
1942 - O´Key (1942) escreve a obra seminal “Politics, Parties, and Pressure Groups” criando novas possibilidades de estudo dos grupos de interesse e aplicação de métodos quantitativos para a ciência política
The End
http://journals.cambridge.org/action/displayAbstract?fromPage=online&aid=8714604&fileId=S0003055400020979
Full transcript