Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os bizantinos e a civilização árabe - 7º ano

No description
by

Jessica Nunes

on 17 May 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os bizantinos e a civilização árabe - 7º ano

Os bizantinos e a civilização árabe
Os árabes
Maomé e o islamismo
Maomé (570 d.C):
comerciante árabe, vivia em Meca;

Revelações divinas através do anjo Gabriel (613 d.C);

Pregou novos
princípios religiosos
e
condenava o politeísmo;

Islã:
monoteísta;

Conquistou seguidores:
expansão do Islã.
Península arábica na Antiguidade
A expansão islâmica
Hégira
Jihad
Por volta de 1200 a.C., ela era habitada por tribos árabes que viviam do pastoreio e do comércio
eram
comerciantes
faziam caravanas e longas viagens
surgimento de povoados no deserto
e desenvolvimento de cidades
Oásis
troca de ideias
intercâmbio cultural
A península arábica até o século VII
sem unidade política entre as tribos;
cada grupo exercia domínio em um local;
os árabes eram politeístas e animistas;
Meca
:
centro comercial e religioso, lá ficava a
Caaba
, templo em forma de cubo onde os árabes cultuavam seus deuses.
Maomé desagradou a elite da tribo coraixita
os coraixitas:
lucravam com as peregrinações à Caaba
Maomé desencorajou o politeísmo: desestímulo às peregrinações
A perseguição dos coraixitas a Maomé e seus seguidores chama-se
HÉGIRA.
A importância de Meca
Centro comercial:

lucro através das peregrinações à Caaba;
comércio: a cidade era uma importante rota comercial;

Centro religioso:

santuário pagão: Caaba (cubo);
a caaba ainda guarda a pedra negra sagrada;

Domínio político e econômico em Meca:
pertencia à elite da tribo
coraixita.
Em 622, Maomé e seus seguidores migraram para Yatreb, mais tarde chamada de
Medina (cidade do profeta)
, pois foram perseguidos pelos coraixitas.
migração ou
fuga
:
Hégira: ano 1 do calendário islâmico
Esforço em favor de Deus
e caminho até Deus

Esforço dos muçulmanos em divulgar
a religião e converter as pessoas
Forma pacífica:
por meio da palavra
Forma não pacífica:
por meio da guerra
Expansão do islamismo
Forças de Maomé conquistam Meca (630);
Unificação do povo árabe:
sentimento de identidade
;
Até a morte de Maomé (632): conquista da Arábia.

Império muçulmano:
união dos árabes pela fé;
controle de terras férteis e rotas comerciais;
fragilidade dos impérios conquistados;
tolerância religiosa dos árabes com os povos conquistados.
Árabes antes do islamismo:
- sem unidade política;
- tribos independentes.

Povos árabes após o islamismo:
- unidade política;
- governo central (califas);
- sentimento de identidade (Islã).

Império Bizantino (395 - 1453)
divisão do império romano (395 d.C.)
Origem:

Bizâncio torna-se a capital do Império Romano (330) e passa a se chamar Constantinopla;
Divisão do Império Romano (395): Constantinopla torna-se a capital do Império Romano Ocidental;
O Império Bizantino não foi alvo das invasões germânicas e manteve uma política centralizada.
O reinado de Justiniano (527 a 565)
Projeto:
reconstruir o Império Romano;
tentou reunir as duas partes do império;
sem sucesso: a porção ocidental já estava muito fragmentada.

Expansão territorial:
norte da África, península ibérica e itálica.

Código de Justiniano:
leis romanas atualizadas: são a base do direito moderno;
Estabeleceu que o poder ilimitado do imperador;
privilégios para grandes proprietários de terras;
tornou inalienável a riqueza da Igreja Católica;
cesaropapismo:
o imperador exercia controle sobre a Igreja, como um papa.
Expansão territorial durante o governo de Justiniano
A revolta de Nika (532)
População urbana:

passava por dificuldades, como fome e altos impostos;
impostos: arcar com os gastos militares (expansão);
Descontente, a população realizou uma violenta manifestação em Constantinopla;
Nika:
do grego 'vitória';
A repressão foi brutal e cerca de 30 mil pessoas morreram.
A religião no Império Bizantino
Cristianismo: religião oficial do Império Romano desde 391;

As populações do oriente se converteram ao cristianismo, mas praticavam a religião com influências das civilizações orientais;

Em razão dessas influências, ocorreram discussões e polêmicas teológicas, que foram consideradas heresias pela Igreja Ocidental.
novas interpretações do cristianismo
MONOFISISTAS:
defendiam a existência de uma natureza de Cristo, a divina
ICONOCLASTAS:
condenavam a adoração de imagens nas igrejas (ícones, estátuas)
A ruína do Império Bizantino
Fatores:
grande parte dos territórios conquistados por Justiniano foi perdida após sua morte;

ataques militares dos persas e árabes;

grandes dificuldades econômicas;

perda do controle do comércio;

Queda de Constantinopla:
Em 1453, Constantinopla foi tomada pelos turcos otomanos que estavam em processo de expansão de seu império.
Grandes civilizações: O Império Bizantino
parte I
parte II
Grandes civilizações: O Islã
parte I
A CIVILIZAÇÃO ÁRABE
Full transcript