Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

As consequências do Imperialismo na Africa e na Ásia

No description
by

Carlos Gomes

on 3 March 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of As consequências do Imperialismo na Africa e na Ásia

As consequências do Imperialismo na África e na Ásia
Imperialismo
Ocupação territorial:
A diferença entre povos de uma mesma localidade foi ignorada pelos imperialistas, que fizeram com que tribos rivais se agrupassem. Com isso, mesmo após a saída das potências, existem regiões ainda assoladas por guerras civis e conflitos.
Consequências:

LINKS:
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/historiageral/as-consequencias-imperialismo.htm

http://hid0141.blogspot.com.br/2012/09/imperialismo-as-consequencias-do.

http://imperioliberal.blogspot.com.br/2011/09/consequencias-do-imperialismo-na-africa.html
http://verdadeiroimperialismo.blogspot.com.br/2011/08/o-que-e-o-imperialismo.html

http://historiadomundo.uol.com.br/idade-contemporanea/imperialismo.htm

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/historiageral/imperialismo.htm

http://www.suapesquisa.com/historia/imperialismo/imperialismo_africa.htm

http://www.infoescola.com/historia/imperialismo/

http://www.gondim.net/2010/04/resumo-e-questoes-de-vestibular-sobre-o.html

O imperialismo consistiu numa política expansionista que inaugurou uma nova partilha colonial, tendo como motivo a busca por novos mercados fornecedores de matérias-primas, fontes de energia e locais de investimentos dos capitais excedentes na Europa.
Esse processo é dirigido pelo Estados onde estão instalados os grandes Oligopólios.
Exploração:
Muitas das regiões invadidas foram extremamente exploradas, como consequências, grande parte da população vive em miséria e pobreza até os dias de hoje.
Geral:
As contribuições europeias foram novas ideias e técnicas para agricultura, indústria e comércio, saúde e educação e administração política.
O imperialismo causou grandes problemas que são pertinentes ate os dias atuais. Alem de ter gerado as maiores áreas de pobreza do mundo, as grandes potencias reuniram sob as mesmas fronteiras povos de etnias diferentes e muitas vezes inimigos históricos, causaram guerras e espalharam concepções erradas sobre outras culturas. Isso se traduz hoje em conflitos étnicos devastadores.
Conclusão:

Superioridade Racial:
Houve a intensa introdução de ideias que pregavam a superioridade da raça branca europeia, gerando o racismo que perdura até hoje.
Guerra:
As tensões entre as potências europeias cresceram intensamente durante o proceso de dominação.
A instabilidade era tão grande que alguns dos países europeus se sentiram injustiçados com a conquista dos continentes africano e asiático que foi um dos motivos para que a Primeira Guerra Mundial acontecesse, em 1914.

Questão:(UNIFACS/BA) - Universidade Salvador

Uma profusão de línguas, diversas etnias, mais de 50 países: segundo continente mais populoso do planeta, a África parece não ter muito peso no mundo globalizado e a mídia não presta muita atenção a ela.É como se não tivessem importância as milhares de pessoas desalojadas, refugiadas, mortas e vítimas de violência em consequência de conflitos políticos. E outras tantas milhares de pessoas debilitadas por fome, doenças negligenciadas ou Aids. [...] A África que hoje se apresenta ao mundo é também uma herança colonial e da partilha que foi feita do continente no final do século 19, quando as potências europeias de então dividiram-no entre si na Conferência de Berlim (1884-1885). Os colonizadores preocuparam-se principalmente com as zonas de grande interesse econômico para eles. Como as rivalidades entre europeus não cessavam, as fronteiras dos países africanos sofreram algumas alterações.Assim como os recursos naturais e os acidentes geográficos, os povos colonizados eram transferidos de soberania, frequentemente divididos sem consideração pela sua organização sociocultural e pelo seu passado político.
É assim que um mesmo povo podia acabar sujeito a poderes político-administrativos diferentes, e povos rivais submetidos a um mesmo poder político-administrativo. A história da definição das fronteiras de Angola, por exemplo, dá conta também do colonizador firmando acordos de protetorado com chefes africanos e de bolsas de resistência que tornavam teórico o domínio português em certas áreas.
Não são poucos os desafios para mudar a situação da população no continente, e um dos que se colocam aos povos africanos é conciliar a atual organização em estados nacionais à sua organização sociocultural ancestral.
(ALBERICO, 2008, p.6).
Em relação à história do continente africano, é correto afirmar:

A - A sociedade egípcia antiga se desenvolveu, no norte do continente, graças ao seu isolamento econômico e cultural em relação aos povos do Oriente Próximo e da Europa mediterrânea.

B - As organizações tribais africanas e os cultos animistas impediram a expansão cultural e econômica islâmica no norte da África.

C - A unidade étnica e cultural africana contribuiu para a penetração dos europeus no interior da África, na época moderna, com o objetivo de escravizar os africanos.

D - A Conferência de Berlim solucionou pacificamente as divergências entre as potências colonialistas na África, evitando um conflito generalizado entre os governos imperialistas.

E - As lutas fratricidas que ocorrem na África atual têm, entre suas origens, as fronteiras artificiais estabelecidas pelo colonizador europeu.
Full transcript