Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

2004

No description
by

Carlos Augusto

on 19 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 2004

RENASCIMENTO
(séc. XVI)
BARROCO
(séc. XVII)
ROMANTISMO
(séc. XIX/1ª met.)
NEOCLASSISMO
(séc. XVIII)
IDADE MÉDIA
(sécs. XII/XV)
(Antig. Clássica)
RENASCIMENTO
Retorno às regras clássicas.
• Homem em equilíbrio.
BARROCO
Evolução das regras renascentistas.
• Homem em conflito.
NEOCLASSISMO
Restauração mais rigorosa da perspectiva clássica.
• Homem em equilíbrio (rigidez).
ROMANTISMO
Liberdade para criação artística.
• Homem em liberdade (liberté, égalité, fraternité).
CLASSISMO

Mitologia Paganismo
IDADE MÉDIA
Adaptação da cultura clássico-pagã.
• Deus Cristianismo
Classicismo é a doutrina estética que dá ênfase à ordem, ao equilíbrio e à simplicidade. Os antigos gregos foram os primeiros grandes clássicos. Posteriormente, os romanos, os franceses, os ingleses e outros povos que produziram movimentos clássicos.

A literatura grega da antiguidade é a que se desenvolveu desde que começou a difundir-se o emprego da escrita, por volta do século VIII a.C., período da maior importância para a história das letras ocidentais, divide-se nas épocas:




Homero (VII a.C. / Grécia Antiga):
criador dos poemas épicos,
Ilíada
e a
Odisséia
, que recontam histórias entremeadas de mitos da época micênica, de estilo nobre, que celebrava conquistas heroicas. Algumas fontes desses poemas são da época micênica, talvez de 1500 a.C., mas a obra escrita, atribuída a Homero, é datada de cerca do século VIII a.C.

CLÁSSICA (SÉCULOS V E IV a.C.)

Foi um período áureo para a retórica e a oratória, cujo estudo levantou questões sobre verdade e moralidade na argumentação, e, dessa maneira, era objeto de estudo tanto do filósofo quanto do advogado e do político.


HELENÍSTICA E GRECO-ROMANA (A PARTIR DO SÉCULO III a.C.)

No imenso império de Alexandre o Grande, macedônios e gregos compunham a classe dominante, a criação artística passou ao patrocínio privado e, exceto pela comédia ateniense, as composições visavam um público pequeno e seleto, apreciador da erudição e da sutileza.
O período helenístico foi do fim do século IV ao fim do século I a.C.,os escritores gregos tinham consciência de viverem num mundo do qual Roma era o centro. Infelizmente, grande parte das obras deste período foi perdida. Mas podemos destacar alguns escritores helenísticos.

Teócrito (309 - 247 a. C / Grécia Antiga):
asimplicidade foi uma das principais características de seus poemas épicos e bucólicos, fundador da poética pastoral. Embora tenha atingido grande prestígio por todo o mundo helênico, de sua obra resta a recopilação conhecida como Idílios, que quer dizer eidyllia, diminutivo de eidos, que também pode significar pequenos poemas, idílios.
Calímaco (320 – 240 a.C. / Antiga Grécia) :
mitógrafo, poeta e bibliotecário grego, escreveu poemas épicos, hinos e epigramas. Tendo se tornado diretor da Biblioteca de Alexandria, criou um catálogo das obras existentes naquela biblioteca - os Pinakes - com autores por ordem alfabética e com breve biografia de cada um deles.

De suas mais de 800 obras, apenas 6 hinos, 64 epigramas e fragmentos (de papiros) de outros livros chegaram até nós, dentre elas:
-
Sobre a cabeleira de Berenice
(poema dedicado à rainha Berenice)
-
O banho de Palas
(hino)
-
As origens
(poema em quatro livros)
-
Hecale
(curta obra épica)
-
Epopeia sobre Teseu
-
Aetia
(coleção de lendas gregas em versos elegíacos)
ARCAICA (ATÉ O FIM DO SÉCULO VI a.C.)

Antes mesmo de utilizarem a escrita para fins literários, os gregos já faziam poesia para ser cantada ou recitada. Seus temas eram os mitos, em parte lendários, baseados na memória difusa de eventos históricos, além de um pouco de folclore e de especulação religiosa primitiva.
Platão (428 - 347 a.C / Grécia Antiga):
obra,
Corpus Platonicum
é constituído de diálogos (incluindo crítias de final inacabado), a
Apologia de Sócrates
, uma coleção de 13 cartas e uma coleção de definições, o Horoi. Com exceção de Epístolas e Apologia todas as outras obras não foram escritos em forma de poemas didáticos ou tratados - como eram escritos a maioria dos escritos filosóficos, - mas em forma de diálogo, a Apologia contém passagens ocasionais de diálogos, onde há um personagem principal, Sócrates e diferentes interlocutores em debates filosóficos separados por inserções e discursos indiretos, digressões ou passagens mitológicas.


Aristóteles (384 – 322 a.C. / Grécia Antiga):
as obras que sobreviveram desde a antiguidade através da transmissão de manuscrito medieval são coletados no
Corpus Aristotelicum
. Seus escritos abrangem diversos assuntos, como a física, a metafísica, as leis da poesia e do drama, a música, a lógica, a retórica, o governo, a ética, a biología e a zoologia.
IMPRESSIONISMO
(séc. XIX/ fins –
séc. XX/começos)
MODERNISMO
(séc. XX)
PÓS-MODERNISMO
(séc. XX/
2ª met.)
SIMBOLISMO
(séc. XIX/fins –
séc. XX/ começos)
REALISMO
(séc. XIX/
2ª met.)

IMPRESSIONISMO
Criação artística: impressão do real
MODERNISMO
Cubismo/Futurismo/Dadaísmo/Surrealismo/Purismo
Criação artística: liberdade plena, pluridimensionalidade.
PÓS-MODERNISMO
Criação artística: ênfase na hiper-realidade, mistura de estilos.
Homem influenciado pela tecnociência.
REALISMO
Naturalismo /Parnasianismo
Criação artística: observação e análise.
Busca do homem na dimensão científica.
SIMBOLISMO
Criação artística: “eu profundo”.
Busca do homem na dimensão psicológica (homem/alma).
Linha do tempo da Literatura
Uma das principais características da literatura na Idade Média é a importância dada aos temas religiosos. Os textos e livros eram escritos principalmente por monges e integrantes do alto clero (bispos, arcebispos, papa). Como a maioria da população não sabia ler na Idade Média, esta literatura ficava restrita aos integrantes do clero e membros da nobreza.
É o período histórico do trovadorismo e das poesias líricas palacianas. O amor impossível e platônico transforma o trovador num vassalo da mulher amada, exemplo do amor cortês. Neste período, também foi comum o poema satírico, representado pelas cantigas de escárnio (crítica indireta) e de maldizer (crítica direta).

Dante Alighieri (Florença, 1º de junho de 1265 — Ravena, 14 de setembro de 1321):
foi um escritor, poeta e político italiano. É considerado o primeiro e maior poeta da língua italiana, definido como il sommo poeta ("o sumo poeta"). E tal é a sua grandeza que a literatura ocidental está impregnada de sua poderosa influência, sendo extraordinário o verdadeiro culto que lhe dedica a consciência literária ocidental. Foi muito mais do que literato: numa época onde apenas os escritos em latim eram valorizados, redigiu um poema, de viés épico e teológico,
La Divina Commedia (A Divina Comédia)
, o grande poema de Dante, que é uma das obras-primas da literatura universal e um dos pontos mais altos atingidos pelo espírito humano.
Anício Mânlio Torquato Severino Boécio (Roma, 480 — Pavia, 525):
mais conhecido simplesmente por Boécio, foi um filósofo, estadista e teólogo romano que se notabilizou pela sua tradução e comentário do
Isagoge de Porfírio
, obra que se transformou num dos textos mais influentes da Filosofia medieval europeia. Traduziu, comentou ou resumiu, entre outras obras dos clássicos gregos, para além do Isagoge de Porfírio e do
Organon de Aristóteles
, vários tratados sobre matemática, lógica e teologiaEntre as obras de Boécio, a mais conhecida é De consolatione philosophiae (A Consolação pela Filosofia), sua última obra, escrita na prisão enquanto aguardava a execução da pena de morte. É um texto neo-platónico, no qual a procura da sabedoria e do amor de Deus é considerada como a verdadeira fonte da felicidade humana.
Geoffrey Chaucer ( 1343 - 25 de outubro de 1400):
conhecido como o Pai da literatura Inglês , é amplamente considerado como o maior poeta Inglês da Idade Média . Enquanto ele alcançou a fama durante sua vida como um autor, filósofo, alquimista e astrônomo , compondo um tratado científico sobre o astrolábio. Entre suas muitas obras, que incluem
O livro da duquesa
, a
House of Fame
, o
Legend of Boas Mulheres
e
Troilo e Criseyde
, ele é mais conhecido por
The Canterbury Tales
. Também acredita-se que ele começou a trabalhar wm The Canterbury Tales(Os Contos de Canterbury) em 1380 , que é uma coleção de histórias contadas pelos peregrinos ficcional no caminho para a catedral de Canterbury , estes contos ajudaria a moldar a literatura Inglês.
Aurélio Agostinho dito de Hipona, conhecido como Santo Agostinho (Tagaste, 13 de novembro de 354 -Hipona, 28 de agosto de 430):
foi um bispo, escritor, teólogo, filósofo e é um Padre latino e Doutor da Igreja Católica. Agostinho é uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do cristianismo no Ocidente. Foi um autor prolífico em muitos géneros,dentre eles, tratados filosóficos, teológicos, comentários de escritos da Bíblia, além de sermões e cartas. As
suas Confissões
(Confesiones), escritas entre os anos 397-398, são geralmente consideradas como a primeira autobiografia. Agostinho descreve sua vida desde sua concepção até à sua então relação com Deus, e termina com um longo discurso sobre o livro do Génesis, no qual ele demonstra como interpretar a Bíblia.
Giovanni Boccaccio (Florença ou Certaldo, 16 de junho de 1313 - Certaldo, 21 de dezembro de 1375):
foi um poeta e crítico literário italiano, especializado na obra de Dante Alighieri. Foi um importante humanista, autor de um número notável de obras, incluindo
Decamerão
, o poema alegórico,
Visão Amorosa
(Amorosa visione) e
De claris mulieribus
, uma série de biografias de mulheres ilustres. O "Decamerão" fez de Boccaccio o primeiro grande realista da literatura universal.
O Renascimento surge no século XIV na civilização europeia, com a intenção de reviver a literatura clássica greco-romana, mantendo características religiosas. Durante o período renascentista várias mudanças ocorreram. A princípio, a denominação deste movimento cultural propõe uma ressurreição do passado clássico, fonte de inspiração e modelo seguido. Logo, o homem é valorizado, bem como a natureza, pois é concreta e visível. O humanismo e antropocentrismo se despontam em oposição ao teocentrismo, ao divino, ao sobrenatural.

Luís de Camões (Lisboa , 1524 — Lisboa, 10 de Junho de 1580):
foi o mais importante poeta de Portugal deste período histórico, escreveu
Os

Lusíadas
, narrando as aventuras marítimas da época dos descobrimentos. É uma epopeia humanista, mesmo nas suas contradições, na associação da mitologia pagã à visão cristã, nos sentimentos opostos sobre a guerra e o império, no gosto do repouso e no desejo de aventura, na apreciação do prazer sensual e nas exigências de uma vida ética, na percepção da grandeza e no pressentimento do declínio, no heroísmo pago com o sofrimento e luta.
François Rabelais (Chinon, 1494 — Paris, 9 de abril de 1553):
escritor, padre e médico francês do Renascimento, que usou, também, opseudônimo Alcofribas Nasier (um anagrama de seu verdadeiro nome). Ficou para a posteridade como o autor das obras primas cómicas
Pantagruel e Gargântua
, que exploravam lendas populares, farsas, romances, bem como obras clássicas. O escatologismo é usado para condenação humorística. A exuberância da sua criatividade, do seu colorido e da sua variedade literária assegura a sua popularidade.
Michel Eyquem de Montaigne (Saint-Michel-de-Montaigne, 28 de fevereiro de 1533 — Saint-Michel-de-Montaigne, 13 de setembro de1592):
foi um político, filosofo e escritor cético francês, considerado como o inventor do ensaio pessoal. Nas suas obras e, mais especificamente nos seus
"Ensaios"
, analisou as instituições, as opiniões e os costumes, debruçando-se sobre os dogmas da sua época e tomando a generalidade da humanidade como objeto de estudo. É considerado um céptico e humanista.
William Shakespeare (Stratford, 23 de abril de 1564 — Stratford-upon-Avon, 23 de abril de 1616):
foi um poeta lírico e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. É chamado frequentemente de poeta nacional da Inglaterra . De suas obras restaram até os dias de hoje 38 peças, 154 sonetos, dois longos poemas narrativos, e diversos outros poemas. Suas peças foram traduzidas para os principais idiomas do globo, e são encenados mais do que as de qualquer outro dramaturgo. Muitos de seus textos e temas, especialmente os do teatro, permaneceram vivos até aos nossos dias, sendo revisitados com frequência pelo teatro, televisão, cinema e literatura. Entre suas obras mais conhecidas estão
Romeu e Julieta
, que se tornou a história de amor por excelência, e
Hamlet
, que possui uma das frases mais conhecidas da língua inglesa: To be or not to be: that's the question (Ser ou não ser, eis a questão).
Miguel de Cervantes Saavedra (Alcalá de Henares, 29 de setembro de 1547 — Madrid, 22 de abril de 1616 ):
foi romancista, dramaturgo e poeta castelhano. A sua obra-prima,
Dom Quixote
, muitas vezes considerado o primeiro moderno, é um clássico da literatura ocidental e é regularmente considerado um dos melhores romances já escritos, por fazer uma sátira bem humorada das novelas de cavalaria e cria o personagem Dom Quixote e seu escudeiro, Sancho Pança. Seu trabalho é considerado entre os mais importantes em toda a literatura. A sua influência sobre a língua castelhana tem sido tão grande que o castelhano é frequentemente chamado de La lengua de Cervantes (A língua de Cervantes).
QUINHENTISMO

Representa a fase inicial da literatura brasileira, pois ocorreu no começo da colonização. Representante da Literatura Jesuíta ou de Catequese, destaca-se Padre José de Anchieta com seus poemas, autos, sermões cartas e hinos. O objetivo principal deste padre jesuíta, com sua produção literária, era catequizar os índios brasileiros. Nesta época, destaca-se ainda Pero Vaz de Caminha, o escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral. Através de suas cartas e seu diário, elaborou uma literatura de Informação ( de viagem ) sobre o Brasil. O objetivo de Caminha era informar o rei de Portugal sobre as características geográficas, vegetais e sociais da nova terra.

O Barroco sucedeu o Renascimento, abrangendo do final do século XVI ao final do século XVIII, estendendo-se a todas as manifestações culturais e artísticas europeias e latino-americanas. O momento final do Barroco, o Rococó é considerado um barroco exagerado e exuberante, e para alguns, a decadência do movimento.
As ideias da Contra-Reforma marcaram profundamente esta época, principalmente nos países de tradição católica mais forte como, por exemplo, Espanha, Itália e Portugal. Esse contexto histórico acabou influenciando na produção literária, gerando o fenômeno do barroco. As obras são marcadas pela angústia e pela oposição entre o mundo material e o espiritual. Metáforas, antíteses e hipérboles são as figuras de linguagem mais usadas neste período.
Jacques-Bénigne Bossuet (Nascido em, 27 de setembro de 1627 - e morreu em [Paris]], 12 de abril de 1704):
foi um bispo e teólogo francês. Um dos primeiros a defender a teoria do absolutismo político; ele criou o argumento que o governo era divino e que os reis recebiam seu poder de Deus. Foi autor de
A Política
tirada da Sagrada Escritura, publicada postumamente em 1709, na qual defende a teoria dos reis, justificando que Deus delegava o poder político aos monarcas, conferindo-lhes autoridade ilimitada e incontestável. O caso mais exemplar de governante que se serviu das ideias de Bossuet foi Luís XIV de França, chamado "Rei Sol".
John Milton (9 de dezembro de 1608 - 8 de novembro de 1674):
foi um escritor inglês, e autor do célebre livro
O Paraíso Perdido
, um dos mais importantes poemas épicos da literatura universal. Durante o período republicano inglês foi preso e acabou por ficar cego; na prisão, ditou o Paraíso Perdido, sua obra-prima, que conta a história da queda de Lúcifer, e foi publicado em 1667. Quatro anos mais tarde, lança o livro Paraíso Recuperado, uma sequência do primeiro poema, trata da vinda de Cristo à Terra reconquistar o que Adão teria perdido.
Bento Teixeira (Portugal, 1561 – 1618):
o Barroco brasileiro tem seu marco inicial em 1601, com a publicação do seu poema épico,
Prosopopeia
. Esse poema, além de traçar elogios aos primeiros donatários da capitania de Pernambuco, narra o naufrágio sofrido por um deles, o donatário Jorge Albuquerque Coelho. Apesar de os críticos o considerarem de pouco valor literário, o texto tem seu valor histórico pois foi a primeira obra do Barroco brasileiro e o marco inicial do primeiro estilo de época a surgir no Brasil.
O século XVIII é marcado pela ascensão da burguesia e de seus valores. Esse fato influenciou na produção das obras desta época. Enquanto as preocupações e conflitos do barroco são deixados de lado, entra em cena o objetivismo e a razão. A linguagem complexa é trocada por uma linguagem mais fácil. Os ideais de vida no campo são retomados (fugere urbem = fuga das cidades) e a vida bucólica passa a ser valorizada, assim como a idealização da natureza e da mulher amada. A principal expressão do movimento na literatura é o Arcadismo, manifestado na Itália, em Portugal e no Brasil. Na França, os novos ideais iluministas são a base dos textos.
Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu, conhecido como Montesquieu (castelo de La Brède, próximo a Bordéus, 18 de Janeiro de 1689 — Paris, 10 de Fevereiro de 1755):
foi um político, filósofo e escritor francês. Ficou famoso pela sua teoria da separação dos poderes, atualmente consagrada em muitas das modernas constituições internacionais. Proficiente escritor, concebeu livros importantes e influentes, como
Cartas persas
(1721),
Considerações sobre as causas da grandeza dos romanos e de sua decadência
(1734) e
O Espírito das leis
(1748), a sua mais famosa obra. Contribuiu também para a célebre
Enciclopédia
, juntamente com Diderot e D'Alembert.
François Marie Arouet, mais conhecido como Voltaire (Paris, 21 de novembro de 1694 - Paris, 30 de maio de 1778):
foi um escritor, ensaísta, deísta e filósofo iluminista francês. Conhecido pela sua perspicácia e espiritualidade na defesa das liberdades civis, inclusive liberdade religiosa e livre comércio. É uma dentre muitas figuras do Iluminismo cujas obras e ideias influenciaram pensadores importantes tanto da Revolução Francesa quanto da Americana. Voltaire experimenta vários gêneros:
• tragédia (
A Morte de César
);
• poesia (
Discurso sobre o Homem
);
• contos fantásticos (
Zadig
);
• romance de fundo moral (
Cândido
).

Cláudio Manuel da Costa (Vila do Ribeirão do Carmo, Minas Gerais, 5 de junho de 1729 — Vila Rica, Minas Gerais, 4 de julho de 1789):
foi um jurista e poeta do Brasil Colônia, destacou-se pela sua obra poética e pelo seu envolvimento na Inconfidência Mineira. Sua obra poética
O Uraguai de Basílio da Gama
, partiu do seu contato com o iluminismo, que concebia práticas mais racionais nas belas-letras.
O romantismo é todo um período cultural, artístico e literário que se inicia na Europa no final do século XVIII, espalhando-se pelo mundo até o final do século XIX.
O berço do romantismo pode ser considerado três países: Itália, Alemanha e Inglaterra. Porém, na França, o romantismo ganha força como em nenhum outro país e, através dos artistas franceses, os ideais românticos espalham-se pela Europa e pela América.
As características principais deste período são: valorização das emoções, liberdade de criação, amor platônico, temas religiosos, individualismo, nacionalismo e história. Este período foi fortemente influenciado pelos ideais do iluminismo e pela liberdade conquistada na Revolução Francesa.
Os poetas românticos usavam e abusavam das metáforas, palavras estrangeiras, frases diretas e comparações. Os principais temas abordados eram : amores platônicos, acontecimentos históricos nacionais, a morte e seus mistérios.
Victor-Marie Hugo (Besançon, 26 de fevereiro de 1802 — Paris, 22 de maio de 1885):
foi um novelista, poeta, dramaturgo, ensaísta, artista, estadista e ativista pelos direitos humanos franceses, e de grande atuação política em seu país. É autor de
Les Misérables
e de
Notre-Dame de Paris
, entre diversas outras obras. Os Miseráveis (1862), portanto, traz claramente a filosofia política de Victor Hugo. É um mundo onde há cooperação - e não luta - entre as classes; onde o empreendedor desempenha uma função essencialmente benéfica para todos; onde o trabalho é a via principal de aprimoramento pessoal e social.
Alexandre Dumas, pai (Villers-Cotterêts, 24 de julho de 1802 — Puys, 5 de dezembro de 1870) foi um romancista francês. Seu nome de batismo era Dumas Davy de la Pailleterie:
escreveu romances e crônicas históricas com muita aventura que estimulavam a imaginação do público francês e de outros países nos idiomas para os quais foram traduzidos. Alguns destes trabalhos foram:
Três Mosqueteiros
(1844) e o
Conde de Monte Cristo
(1844).
José Martiniano de Alencar (Ceará, 1829 — Rio de Janeiro, 1877):
foi um jornalista, político, advogado, orador, crítico, cronista, polemista, romancista e dramaturgo brasileiro. Dentre seus romances, em destaque
O Guarani
(1857), os personagens seguem linhas pré-estabelecidas, com traços marcadamente simbólicos (herói, heroína/protagonistas, antagonistas), inteiramente destituídas de personalidade (personagens superficiais).
Na segunda metade do século XIX, a literatura romântica entrou em declínio, juntos com seus ideais. Os escritores e poetas realistas começam a falar da realidade social e dos principais problemas e conflitos do ser humano. Como características desta fase, podemos citar: objetivismo, linguagem popular, trama psicológica, valorização de personagens inspirados na realidade, uso de cenas cotidianas, crítica social, visão irônica da realidade.
Movimento que mostra de forma crítica a realidade do mundo capitalista e suas contradições. O ser humano é retratado em suas qualidades e defeitos, muitas vezes vitimas de um sistema difícil de vencer.
Gustave Flaubert (Ruão, 12 de dezembro de 1821– Croisset, 8 de maio de 1880 ):
foi um escritor francês. Prosador importante, Flaubert marcou a literatura francesa pela profundidade de suas análises psicológicas, seu senso de realidade, sua lucidez sobre o comportamento social, e pela força de seu estilo em grandes romances, tais como
“Madame Bovary”
(1857),
“L'Éducation sentimentale”
(1869),
“Salammbô”
(1862) e contos, tal como
“Trois contes”
(1877).
Charles John Huffam Dickens (Portsmouth, 7 de Fevereiro de 1812 — 9 de Junho de 1870 que também adoptou opseudónimo Boz no início da sua atividade literária:
foi o mais popular dos romancistas ingleses da era vitoriana. A fama dos seus romances e contos, tanto durante a sua vida como depois, até aos dias de hoje, só aumentou. Apesar de os seus romances não serem considerados, pelos parâmetros atuais, muito realistas, Dickens contribuiu em grande parte para a introdução da crítica social na literatura de ficção inglesa. Entre os seus maiores clássicos estão
Oliver Twist
(1837–1839) e
David Copperfield
(1849–1850).

Joaquim Maria Machado de Assis (Rio de Janeiro, 21 de junho de 1839 — Rio de Janeiro, 29 de setembro de 1908):
foi um escritor brasileiro, amplamente considerado como o maior nome da literatura nacional. Escreveu em praticamente todos os gêneros literários, sendo poeta, romancista, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista, e crítico literário. Principais obras são:

Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)
Quincas Borba (1891)
Dom Casmurro (1899)

O simbolismo foi um movimento que se desenvolveu nas artes plásticas, teatro e literatura. Surgiu na França, no final do século XIX, em oposição ao Naturalismo e ao Realismo. Os poetas simbolistas usavam uma linguagem abstrata e sugestiva, enchendo suas obras de misticismo e religiosidade. Valorizavam muito os mistérios da morte e dos sonhos, carregando os textos de subjetivismo.
Charles-Pierre Baudelaire (Paris, 9 de abril de 1821 — Paris, 31 de agosto de 1867):
foi um poeta e teórico da arte francesa. É considerado um dos precursores do Simbolismo e reconhecido internacionalmente como o fundador da tradição moderna em poesia, embora tenha se relacionado com diversas escolas artísticas. Sua obra teórica também influenciou profundamente as artes plásticas do século XIX, autor da obra
As flores do mal
(1857) que é considerada um marco no simbolismo literário.
Stéphane Mallarmé, cujo verdadeiro nome era Étienne Mallarmé, (Paris, 18 de Março de 1842 - Valvins, comuna de Vulaines-sur-Seine, Seine-et-Marne, 9 de Setembro de 1898):
foi um poeta e crítico literário francês. Mallarmé se utilizava dos símbolos para expressar a verdade através da sugestão, mais que da narração. Sua poesia e sua prosa se caracterizam pela musicalidade, a experimentação gramatical e um pensamento refinado e repleto de alusões que pode resultar em um texto às vezes obscuro. Suas outras obras importantes são a antologia
Verso e prosa 
(1893) e o volume de ensaios em prosa 
Divagações
 (1897).
João da Cruz e Sousa (Nossa Senhora do Desterro (atual Florianópolis), 24 de novembro de 1861 — Estação do Sítio, 19 de março de 1898):
foi um poeta brasileiro. O simbolismo teve início no ano de 1893, com a publicação de duas de suas obras
Missal
(prosa) e
Broquéis
(poesia). Seus poemas são marcados pela musicalidade (uso constante de aliterações), pelo individualismo, pelo sensualismo, às vezes pelo desespero, às vezes pelo apaziguamento, além de uma obsessão pela cor branca.
O impressionismo passou a ser “engajado” na Literatura a partir de dois irmãos, Edmond e Jules de Goncourt, para que fosse designada a “escrita artística”, e que mostrava retratar a realidade cotidiana com uma linguagem bastante exata baseada em pensamento científico, voltada para o estado da alma dos personagens, buscava tentar “figurar” o estado que o personagem estava e da mesma forma os estados sutis da atmosfera. Nasce então, um novo tipo de linguagem em que o autor procura mostrar a realidade com uma linguagem imperfeita, com uso de metáforas, ritmos evocatórios.
Está época é marcada pelo regionalismo, positivismo, busca dos valores tradicionais, linguagem coloquial e valorização dos problemas sociais. 
Edmond Louis Antoine Huot de Goncourt, mais conhecido como Edmond de Goncourt (26 de maio de 1822 – 16 de julho de 1896):
foi um escritor francês, autor de vários diários,  críticas artísticas e literárias, romances, peça de teatro, entre outros gêneros literários. Ele foi o editor e fundador da Academia Goncourt e chegou a escrever várias obras com seu irmão Jules de Goncourt (1830-1870).
Ele e seu irmão são conhecidos como  irmãos Goncourt, escreveram em colaborações romances inspirados pela escola naturalista :
GerminieLacerteux, 1865
Madame Gervaisais, 1869 
José Bento Renato Monteiro Lobato (Taubaté, 18 de abril de 1882 – São Paulo, 4 de julho de 1948):
foi um dos mais influentes escritores brasileiros do século XX, é um importante editor de livros inéditos, o livro que lançou Lobato foi
"A menina do narizinho arrebitado"
, em 1920. A maioria das histórias de seus livros infantis se passavam no 
Sítio do Picapau Amarelo
, um sítio no interior do Brasil, no entanto, as aventuras na maioria se passam em outros lugares: ou num mundo de fantasia.

O modernismo foi um movimento literário e artístico do início do séc. XX, cujo objetivo era o rompimento com (parnasianismo, simbolismo e a arte acadêmica), a libertação estética, a experimentação constante e, principalmente, a independência cultural do país. Apesar da força Londresdo movimento literário modernista a base deste movimento se encontra nas artes plásticas, com destaque para a pintura.
As principais características da literatura modernista são : nacionalismo, temas do cotidiano (urbanos) , linguagem com humor, liberdade no uso de palavras e textos diretos. No Brasil o movimento inicia com a Semana de Arte Moderna de 1922, na cidade de São Paulo, devido ao Centenário da Independência.
Virginia Woolf (, 25 de Janeiro de 1882 — Lewes, 28 de Março de 1941):

foi uma escritora, ensaísta e editora britânica, conhecida como uma das mais proeminentes figuras do modernismo. Woolf era membro do Grupo de Bloomsbury e desempenhava um papel de significância dentro da sociedade literária londrina durante o período entre guerras. Seus trabalhos mais famosos incluem os romances
Mrs Dalloway
(1925),
Passeio ao Farol
(1927) e
Orlando
(1928), bem como o livro-ensaio
Um Quarto Só Para Si
(1929), onde encontra-se a famosa citação "Uma mulher deve ter dinheiro e um quarto próprio se ela quiser escrever ficção".
Mário Gírio de Morais Andrade (São Paulo, 9 de outubro de 1893 — São Paulo, 25 de fevereiro de 1945):
foi um gírio, musicólogo, historiador, crítico de gírias e fotógrafo brasileiro.
Ele lutou pela arte com seu estilo de escrita puro e verdadeiro. Sua obra, 
Pauliceia desvairada,
o colocou entre os pioneiros do movimento modernista no Brasil, culminando, em 1922, como uma das figuras mais proeminentes da histórica Semana de Arte Moderna. Alguns dos seus livros de poesia mais conhecidos são: 
Losango cáqui
(1926),
 Clã do jabuti
(1927),
Poesias
(1941) e
 Lira paulistana(
1945).
Surge na segunda metade do séc. XX pode ser entendido como o processo que caracteriza o desenvolvimento das manifestações estéticas da cultura ocidental. Entretanto, ele se deixa perceber mais claramente em países desenvolvidos como França e Estados Unidos, do que em países menos desenvolvidos, como o Brasil. Desta forma, é fato que existam diferenças histórico-culturais que caracterizam o contexto brasileiro em relação ao europeu e o norte-americano.
Desta forma, os aspectos formais desse estilo de fazer literatura são baseados em questões como intertextualidade, ironia, esquizofrenia, questionamento do racionalismo pela exploração de outros níveis da realidade, anseio pela pluralidade, ênfase no cotidiano, retomada de texto do passado, acentuação e fragmentação do texto e da polifonia de vozes, intensificação do lúdico na criação literária, androgenia, hedonismo, exaltação do prazer, presença do humor, pastiche, utilização deliberada da intertextualidade, ecletismo estilístico, exercício da metalinguagem, na narrativa há uma autoconsciência e autorreflexão, radicalização de posições ante racionalistas e ante burguesas, dentre outras.
A literatura muda o foco do interesse pelas relações entre o homem e o mundo para uma crítica da natureza da própria ficção.

Italo Calvino (Santiago de las Vegas, 15 de outubro de 1923 — Siena, 19 de setembro de 1985):
foi um dos mais importantes escritores italianos do século XX. Uma de suas obras mais conhecidas é
Le città invisibili
( As cidades invisíveis), de 1972, tendo como personagens Marco Polo e Kublai Khan.
Gabriel Garcia Márquez (6 março de 1927, Colômbia)
: é um importante escritor de contos, novelista, jornalista e ativista político colombiano, e considerado pela crítica literário mundial como sendo um dos mais importantes escritores do século XX. Em 1982, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, pelo conjunto de sua obra. A obra mais popular é
Cem anos de solidão
(1967), onde o autor mistura o épico com o realismo fantástico.
Caio Fernando Loureiro de Abreu (Santiago, 12 de setembro de 1948 — Porto Alegre, 25 de fevereiro de 1996):
foi um jornalista, dramaturgo e escritor brasileiro. Apontado como um dos expoentes de sua geração, a obra de Caio Fernando Abreu, escrita num estilo econômico e bem pessoal, fala de sexo, de medo, de morte e, principalmente, de angustiante solidão. Apresenta uma visão dramática do mundo moderno e é considerado um "fotógrafo da fragmentação contemporânea". Seu primeira romance foi
Limite Branco
(1970), segundo sua perspectiva literária, a vida deve ser buscada continuamente.


LITERATURA BRASILEIRA
Luiz Ruffato:
Eles eram muitos Cavalos; Mamma, son tanto Felice; Vista Parcial da Noite; De mim já nem se Lembra; O Livro das Impossibilidades.
Marcelino Freire:
EraOdito; Angu de Sangue; Contos Negreiros; Rasif - Mar que Arrebenta; Amar é Crime; BaléRalé.
Marçal Aquino:
O Invasor; Cabeça a Prêmio; Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios; O Amor e outros Objetos Pontiagudos; As Fomes de Setembro; Abismos; O Mistério da Cidade-Fantasma; A Turma da Rua Quinze.
Rubem Fonseca:
A Coleira do Cão; O Cobrador; Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos; Feliz Ano Novo; Agosto.
Nelson Rodrigues:
Engraçadinha; O Casamento; Asfalto Selvagem; Cem Contos Escolhidos – A Vida Como Ela é...; Meu Destino é Pecar; Núpcias de Fogo; Escravas do Amor.
Ariano Suassuna:
O Castigo da Soberba; O Rico Avarento; Auto da Compadecida; O Santo e a Porca; A Pena e a Lei.
Luís Fernando Veríssimo:
O Analista de Bagé; O Popular; Ed Mort e Outras Histórias; A Velhinha de Taubaté; O Santinho; O Jardim do Diabo; Comédias da Vida Pública; Gula – O Clube dos Anjos.
Bernardo Carvalho:
Aberração; Onze; Teatro; Medo de Sade; Nove Noites; Mongólia; O Sol se põe em São Paulo; O Filho da Mãe; Os Bêbados e os Sonâmbulos.
Adélia Prado:
Solte os Cachorros; O Homem da Mão Seca; Manuscritos de Filipa; Palavra de Mulher; Contos Mineiros; Poesia Reunida; Prosa Reunida; A Imagem Refletida.
Milton Hatoum:
Relato de um certo Oriente; Dois Irmãos; Cinzas do Norte; Órfãos do Eldorado; A Cidade Ilhada; Varandas da Eva.
Nélida Piñon:
Guia-Mapa de Gabriel Arcanjo; Madeira Feita de Cruz; A Casa da Paixão; A Doce Canção de Caetana; Vozes do Deserto; Coração Andarilho; Tempo das Frutas; Até Amanhã, Outra Vez; A Roda do Vento; Aprendiz de Homero
CONTEPORÂNEO
Full transcript