Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ESBOÇO ESTRELA

No description
by

on 21 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ESBOÇO ESTRELA

Eu-Ideal
Pedir
Não
Ousar
Lei
Dever-Ser
Obrigar-se
Ideal do Eu
"O quão sórdidas são as coisas mundanas vistas do celeste"
Santo Ignácio de Loyola
Querer
Poder (capacidade)
Dever
Dever (necessitar)
Poder (permitir)
Prometer
Criar
EU
Interdição
Verbo Modal
(alemão)
Verbo Modal
(portugues)
Ditos em termos nominais
na primeira pessoa
Sinonímia geral em português
Verbo Modal
(ingles)
Wollen
Konnen
Sollen
Müssen
Dürfen
Querer
Dever-ser
Poder
Poder
Dever
querer como sendo a ‘vontade voluntária’ da pessoa, ter ganas
poder como capacidade, habilidade; conseguir, ter condição
dever como ideal a ser cumprido
dever como sentir falta, necessidade, necessitar
permitir-se
to Want
Can
Should be
Must
May
My will
Minha vontade
My duty,
Meu dever
My strength
Minha força
My necessity,
Meu sentir falta,
My request
Meu pedido
Prof. Dr. Francisco Martins
Psiquiatra, Psicólogo, Psicanalista
Caixa Postal 04462-UnB
70904-970 Brasilia DF
Curriculum http://lattes.cnpq.br/4006667017652862
Telefone: 0055 61 81757559
Verbo, Liberdade e Loucura
RESUMO
Investigaremos aqui a Liberdade e a Loucura de cada um do ponto de vista dos verbos modais. Procuraremos fazer um inquérito no fundamento do humano enquanto pessoa partir da linguagem ordinária que supomos constituir o pensar e dirigir o agir do homem.

- ‘Como vai você?’: Mais ou menos diz o neurótico denegador.
- ‘Como vai você?’: Muito mal, veja o mal que fiz, diz o melancólico.
- ‘Como vai você?’: Mal, tudo e todos estão errados, a despeito de eu ter tudo feito direito, diz o neurótico deprimido.
- ‘Como vai você?’: Excelente, tudo é divino e maravilhoso, diz o hipomaníaco.

- ‘Como vai você?’: Vou bem, não estás vendo que minha perna não está mais fraturada, diz o psicótico liberalizando o significante.
- ‘Como vai você?’: Você vai?, responde o autista.

"Irrito-me, quando eu quero alguma coisa e não posso, quando devo algo que não quero e na maioria das vezes quando eu quero dever algo que não tenho capacidade e não permito-me".
- Quam sordet mihi tellus dum cœlum aspicio! significando
- Quão sórdida se torna a terra quando olho para o céu!

Nos quatro campos psicopatológicos ocorre a perda da liberdade nos diversos modos de sofrimento humano conhecidos como desvarios ou formas radicais de destinos: o homem que vive somente do contato, personaliza sua psicopatia no ousar sem medida; o homem sexual, revelado na perversão, personaliza-se na mistura entre a necessidade imperiosa e o querer; ele suprime a necessidade e efetiva a sua vontade pessoal; o homem paroxístico, o neurótico, se personaliza no "tu não matarás e não tomarás aquilo que te é proibido"; o dever como ideal é o que me torno enquanto ser em pessoa; o homem psicótico se personaliza na no tudo poder para si, inclusive incorporando os ideais mais megalômanos como sendo reais para ele.
Full transcript