Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE NA RELAÇÃO PROFESSOR -ALUNO NO

No description
by

Fáthima Azevedo

on 22 January 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE NA RELAÇÃO PROFESSOR -ALUNO NO

PROBLEMA
INTRODUÇÃO
AFETIVIDADE
CAPÍTULO I

CAPITULO II
AFETIVIDADE NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE NA RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
METODOLOGIA
CAPÍTULOS



EMOÇÕES


INTERACIONISMO
FACILITADORA
PROFESSOR E ALUNO
APRENDIZAGEM
CONHECIMENTO
CONFLITO
ESTRATÉGIAS
INTERAÇÃO
RECURSO
MEDIADOR
CULTURA
CAPÍTULO III

A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE NAS RELAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR
RESPEITO
COMPREENSÃO
DIÁLOGO

PARCERIA
CONFIANÇA
CONSIDERAÇÕES FINAIS
AMOROSIDADE
HENRI WALLON
LEV VYGOTSKY
PAULO FREIRE
ZONA DO DESENVOLVIMENTO PROXIMAL
RELAÇÃO PROFESSOR -ALUNO
ESCOLA E FAMÍLIA
INDISSOCIÁVEIS

PERCEBEMOS ATRAVÉS DESSE TRABALHO O QUANTO É IMPORTANTE NOS CONHECER PARA CONHECER O OUTRO, O PROFESSOR QUE NÃO É CAPAZ DE AMAR O QUE FAZ NÃO PODERÁ VISLUMBRAR O BRILHO NOS OLHOS DOS ALUNOS QUANDO ESTES SE DESCOBREM COMO PESSOAS CAPAZES DE APRENDER, PORQUE A EDUCAÇÃO NÃO DEVE SER ALGO IMPOSTO, DETERMINADO, MAS ALGO PRAZEROSO, QUE SE CONSTRÓI DIA A DIA COM SEUS ENVOLVIDOS. É NESSE CAMINHAR QUE A AFETIVIDADE DEVERÁ ESTAR PRESENTE SEMPRE.

OBJETIVO
CAPÍTULO I
REFERÊNCIAS
CASTRO, Edileide. Afetividade e Limites.Uma parceria entre família e escola. Rio de Janeiro : Wak 2011.

CUNHA, Antônio Eugênio. Afeto e aprendizagem, relação de amorosidade e saber na prática pedagógica. Rio de Janeiro : Wak 2012.

DELORS, Jacques e EUFRAZIO, José Carlos. Educação: um tesouro a descobrir. São
Paulo: Cortez, 1998

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_______. Professora SIM tia NÃO Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo, Olho d' Água, 1993.
_______. Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1999.

_______. Pedagogia da Autonomia. Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1999.


LARROUSSE. Nova Cultural Ltda. O globo, Rio de Janeiro, 1998.

WALLON, H. As origens do caráter na criança. São Paulo. Nova Alexandria 1934- 1995.

_______. Psicologia e educação da infância. Lisboa, Estampa, 1959-1975.

_______. Do acto ao pensamento. Lisboa: Moraes Editores, 1978-1979.

_______. As origens do pensamento na criança. São Paulo: Manole, 1989.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

_______. A formação social da mente. Rio de Janeiro: Martins Fontes,1982 - 1996.

_______. Pensamento e Linguagem. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1978 - 1998.

Disponível em: http://www.revistaescola.abril.com.br/formacao/mentor-educacao-consciencia-423220.shtml?page=3. Acesso em 02/12.

Disponível em: http://www.significados.com.br/afetividade/. Acesso em 04/12.




Full transcript