Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Programa de Inteligência Emocional e Outdoor Training , mudanças positivas

No description
by

Mario Santos

on 8 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Programa de Inteligência Emocional e Outdoor Training , mudanças positivas

O profissional da saúde deve tentar conseguir gerir as alterações provocadas pelas mudanças organizacionais e pelo exercício das suas funções na dicotomia saúde/doença, vida/morte
Elevados níveis de ansiedade e stress nos profissionais de saúde, apresentando cansaço físico e emocional
Conjuntura hospitalar, verificamos um
elevado mal-estar dos profissionais da saúde:

- Mudanças organizacionais e estruturais nos serviços da saúde
- Aumento do fluxo de doentes
- Aparecimento de novas situações de doenças
- Cargas horárias de trabalho cada vez maiores
- Relações profissionais em maior tensão
- Estilos de vida demasiado sedentários
Finais séc. XX registamos
diversas alterações:
- políticas
- económicas
- sociais
Capacidade Intrapessoal
Capacidade Interpessoal
Gestão do Stress
Adaptabilidade
Humor Geral
O ato de cuidar pressupõe uma relação sujeito – sujeito não é apenas a intervenção técnica, mas inter – ação e comunhão. Boff compartilha com Paulo Freire do sentido humano e libertador, do oposto da relação eu – tu. O tu não é qualquer coisa, é um rosto com olhar e com fisionomia, que torna impossível a indiferença. O rosto obriga a tomar uma posição porque à um ser que pro –voca, e-voca, com-voca.
SEL também está associada com melhorias significativas no desempenho acadêmico dos alunos e atitudes em relação à escola.



A revisão marco descobriram que estudantes que recebem instrução SEL tiveram atitudes mais positivas sobre a escola e melhorou uma média de 11 pontos percentuais sobre testes de desempenho padronizados em comparação com estudantes que não receberam tal instrução.
Outdoor Training
Desenvolvimento do Programa
Debrief
Metodologia para Potenciar as Competências Sócio-Emocionais nos Profissionais da Saúde
Subdivide-se em dois grupos de trabalho, que se encontram em competição entre si (15 + 15).

Estes grupos realizam a sua actividade no Rabaçal
Foi realizado:
- Sessão pré-teste;
- Programa Outdoor Training
- Debrief / Feedback ;
- Sessão pós-teste;
- Dois meses depois, realização do reteste, com finalidade de observar se existe retenção de aprendizagem.
Grupo Experimental
Zona de Pânico
Zona de Conforto
Zona de Desafio
Incerteza
APRENDIZAGEM
EXPERIMENTAL
NATUREZA
AULA
Metodologia da Formação
Testemunhos


Mais hábeis para expressar e comunicar os seus sentimentos e as suas necessidades;
Relacionamentos interpessoais mais satisfatórios;
Melhores ouvintes;
Mais hábeis para entender os sentimentos dos outros;
Mais flexíveis;
Realistas e gestores de mudanças;
Mais capacidade de resolução de problemas quotidianos;
Melhores gestores o stress a que estavam sujeitos e auto controlando-se de forma mais satisfatória.
Favorece o descobrimento de si mesmo
É muito eficaz para a construção da coesão do grupo, da confiança, etc.
Mostra os participantes tal como são
É um campo de desporto nivelado
É um cenário terapéutico
Natureza como Aula
Factores /Competências Sócio-Emocionais
Empatia ou Descentração
Responsabilidade Social
Relações Interpessoais
Auto-Conceito
Auto Consciência Emocional
Assertividade
Independência
Auto-Actualização
Interpessoal
Intrapessoal
Competências Emocionais
Factores
ADAPTAÇÃO Á MUDANÇA
METÁFORA
SIMULAÇÃO
CONTRATO PSICOLÓGICO
DEBRIEF
TAMANHO DOS GRUPOS
DURAÇÃO
Elementos do OT
Plano de Acção
Análise CAME (corrigir, enfrentar, manter e explorar )
Análise SWOT (debilidades, ameaças, forças e oportunidades)
O que vais fazer?
E na tua vida pessoal?
Como explica o sucedido?
O que se sucedeu?
Desenvolvimento do Debrief
REAIS
DIVERTIDAS
IMPACTANTES
MOTIVANTES
TRANSFERIVEIS
AMBIENTE DIFERENTE
EXPERIMENTAIS
INOVADORAS
Características do Outdoor Training
Ensinar os Outros 80%
Aprendizagem Experimental 75%
Discussão em Grupo 50%
Demonstração 30%
Audiovisual 20%
Leitura 10%
Escuta 5%
“Uma pessoa aprende 5% do que lê, 10% do que ouve, 20% do que lê e ouve ,75% do que vivencia ou descobre por si”
Retenção da Apredizagem
Fonte: Bar-On EQ-i: YV ( Bar-On & Parker, 2000)
Optimismo
Felicidade
Humor Geral
Tolerância do Stress
Controlo de Impulsos
Sentido da Realidade
Flexibilidade
Resolução de Problemas
Gestão do Stress
Adaptação
Competências Emocionais
Factores
Factores /Competências Sócio-Emocionais
Pensar
Observar
Fazer
Sentir
Experimentação Ativa
Conceptualização
Abstrata
Observação Reflexão
Experiência Concreta
APRENDIZAGEM

APRENDIZAGEM EXPERIMENTAL
Inteligência
Emocional

Desenvolvimento de Competências Sócio-Emocionais nos Profi
por Mário Santos
Capacidade de perceber emoções, assimilá-las com base nos sentimentos, avaliá-las e gerenciá-las” (Mayer, Caruso & Salovey, 2000)
Capacidade para reconhecer sentimentos em si mesmo e nos outros, sendo hábil para os gerir no trabalho com outras pessoas,( Goleman 1995)
“Es una nueva metodología del aprendizaje dirigida a la formación de las personas, y de una forma particular a los equipos, especialmente indicada para lograr el desarrollo y crecimiento de competencias emocionales y la transmisión de valores, para lo cual se sirve de la naturaleza como aula y el aprendizaje experimental como método”
(Reinoso, 2006)
MÉTODO
Outdoor Training
Elementos Chave de um Programa OT
EQ - I : YV, Bar - On e Parker 2000
Desenvolvimento de Competências Sócio-Emocionais nos Profissionais de Turismo, de Saúde e Bem-Estar
Mário Santos
mariofortes1@gmail.com
964485696

Agradecemos a atenção !
Defendemos o desenvolvimento das competências sócio-emocionais
Na área da saúde os profissionais da saúde estão perante uma grande tarefa que implica cuidar de alguém. “ Cuidar” é mais do que um ato, é uma atitude de ocupação, preocupação responsabilização, e de envolvimento com o outro, ( Boff 1999)
É imprescindível lembrar que o ser humano possui sentimento, emoção, capacidade de envolvimento, e que qualquer relação tem no mínimo dois envolvidos, podendo ambos aprender e ensinar um com o outro.
O profissional da saúde lida com todos estes sentimentos na primeira e segunda pessoa, tendo uma dupla responsabilidade, sendo o seu modo de atuar preponderante para que o paciente sinta confiança no tratamento
Ressalta então que é fundamental a valorização do QE, nas profissões que pressupõe o ato de cuidar do ser humano, como as ligadas á área da saúde, (medicina, odontologia, enfermagem, nutrição, psicologia, fisioterapia, talassoterapia entre outras). Torna-se preponderante o desenvolvimento da competência sócio- emocionais
O que é o Coaching ?
O Coaching de Saúde e Bem Estar
Benefícios
Que medidas e vantagens deveriamos ter sobre o coaching?
E se aliarmos aos profissionais de saude um coach?
Princípios do Coaching de saude
Em 2003, Palmer e colaboradores apresentaram a seguinte definição: “Coaching em Saúde é a prática da educação, orientação e treino para promover a saúde e aumentar o bem-estar das pessoas, facilitando que alcancem os seus objetivos relacionados à saúde”.

O Coach de saúde ajuda os pacientes a entender e a melhorar a sua saúde, estimulando-os e motivando-os para a descoberta de soluções que melhorem a sua condição.
Coaching é um processo definido com um acordo entre o coach (profissional) e o coachee (cliente) para atingir um objetivo desejado pelo cliente, onde o coach apoia o cliente na realização do objetivo. Isso é feito por meio de reflexões e posterior análise das opções e da identificação e uso das próprias competências, como o aprimoramento e também o adquirir novas competências, além de perceber, reconhecer e superar as crenças limitantes, os pontos de maior fragilidade.

O objectivo do Coach é auxiliar as pessoas, a estruturar e a estabelecer objectivo e metas, ou seja acertar no alvo da plenitude. O Coach tem um papel de suporte, para desenvolver ou aperfeiçoar competências, capacidades e talentos intrínsecos a cada indivíduo. Este método é uma ajuda fundamental, para planeamento dos passos necessários e para o desenvolvimento estratégico para que permita alcançar um determinado fim. É esta relação de cooperação, que conduz a um melhor desempenho e aumento de qualidade de vida.
Qual é o objectivo do Coach?

Sim, é um método dirigido para qualquer indivíduo independentemente da sua posição na sociedade, o grande objectivo é satisfazer uma variedade de propósitos e objectivos. Os Coaches trabalham com, profissionais de saúde, executivos, gestores, empresários, empreendedores, artistas, pais, estudantes e famílias, túristas, entre outros.
O Coaching é dirigido a qualquer pessoa ?
Se aliarmos aos profissionais de saúde um Coach, que suporte o paciente na sua saúde e bem-estar, inspirando-o e invocando o seu crescimento e desenvolvimento pessoal, os benefícios são brutais.

É aqui que entra o Coaching de saúde e bem-estar, uma área emergente e ainda muito recente em Portugal, que continua a redefinir-se a si própria. O Coach de saúde ajuda o paciente a entender e a melhorar a sua saúde, estimulando-o para a descoberta de soluções que melhorem a sua condição.
Os princípios basilares do Coaching são transversais a qualquer tipo de Coaching:
O paciente é parte integrante do processo de cura, o indivíduo é visto e aceito tal como é.
O Coach apenas acciona o processo de auto-motivação, numa base de confiança e proximidade.
Requer um envolvimento total do paciente, abrangendo todos os aspectos da sua vida.
Acompanha-se o paciente na concretização dos seus objectivos, deixar de fumar, emagrecer, gerir melhor o stress, alterar hábitos.
Definir uma estratégia e plano de acção conjuntos, que não passa por dar receitas ou soluções. Isto requer um grande envolvimento e determinação estando sempre de acordo com os objectivos e a agenda do paciente.
A relação de Coaching é desejada, o que também naturalmente promove a possibilidade de um desenvolvimento pessoal, de crescimento e descoberta, onde se reforça auto-reflexão, a auto-consciência, a auto-estima e a auto-cura.
Aumento da autoconsciência e maior autodescoberta;
Avaliar comportamentos, ações e hábitos e tomar consciência para a mudança de hábitos,
Identificar formas de pensar e agir que são prejudiciais para a saúde,
Estimular a criatividade,
Melhor visualização de objetivos;
Vida mais equilibrada;
Níveis mais baixos de stress e melhoria da qualidade de vida;
Aumento da auto-confiança, auto-responsabilidade, auto-disciplina e auto-eficácia;
Tomar decisões e agir;
Estabelecer objetivos e necessidades,
Concentrar-se no que é realmente importante na vida,
Habilidades de comunicação avançada;
Aumento do índice de conclusão de projetos;
Melhoria da saúde;
Melhores relações com colegas e com a família.
Todos os profissionais de saúde deveriam ter o papel de Coaches, sendo verdadeiros agentes para a promoção da saúde, não se centrando apenas na doença e no tratamento dos sintomas, mas no objectivo da manutenção de um nível elevado de qualidade de vida e bem-estar do paciente, através de medidas preventivas.
Educar para a saúde deve ser por isso o propósito de qualquer agente de saúde. E essa educação deve começar pelas crianças, nas escolas, para que se comece desde muito cedo a incutir valores e hábitos de vida para a saúde e bem-estar, no sentido de atingirmos, nas gerações vindouras, níveis aceitáveis de saúde e qualidade de vida.

Se continuar a fazer o que sempre fez, continuará a receber o que sempre recebeu
Passo 4 – Gestão de relações
Dez dicas para relações com colegas de trabalho

1. Aprecie as suas habilidades individuais, conhecimentos e capacidades
2. Arranje tempo para os conhecer e escutar activamente o que eles têm para dizer
3. Recorde que pode ter uma boa relação, sem ter de ser amigo íntimo
4. Se tiver uma discordância ou conflito, procure uma solução rapidamente, sem deixar escalar o problema
5. Procure ter tempo de relacionamento social, para alem do profissional
6. Dê feedback positivo para trabalho bem feito, esforço e dedicação
7. Procure aconselhamento e opiniões deles
8. Suporte e ajude nos momentos difíceis
9. Reconheça a individualidade de cada um, seja flexível no seu estilo de abordagem e perceba os diferentes mapas mentais de realidade
10. Use cortesia e gestos amigáveis com regularidade
Desenvolvimento de I.E.
Passo 4 – Gestão de relações
Seis passos para construir relações efectivas
1. Saiba quais as barreiras e limites da relação
2. Confirme as expectativas dos outros
3. Reveja a sua percepção
4. Confirme e reveja a percepção dos outros em relação a si
5. Examine as interacções que tem ao longo do tempo
6. Determine o resultado que deseja de uma relação
Desenvolvimento de I.E.
Passo 4 – Gestão de relações
O que faz uma boa relação

Reciprocidade.
Competências interpessoais
Escuta activa, Estabelecer empatia, Clarificar,
Relação ao longo do tempo
Continuidade e construção de confiança
Partilha e trocas.

Recorde que a forma como as pessoas no tratam é uma reflexão da forma como nos tratamos a nós mesmos.
Desenvolvimento de I.E.
Passo 4 – Gestão de relações
Razões pelas quais as relações falham:
Expectativas irrealistas
Falta de empatia
Imaturidade (baixa I.E.)
Dependência e co-dependência
Incapacidade de afirmar as suas vontades e desejos
Comunicação pobre
Estratégias ineficazes de resolução de conflitos
Diferenças pessoais significativas (diferentes mapas do mundo)
Desenvolvimento de I.E.
Passo 4 – Gestão de relações
Razões pelas quais nos relacionamos
Companhia
Sentimento de pertença
Estabelecer um sistema de suporte
Construir a nossa identidade
Desenvolvimento pessoal
Amor
Sentimento de comunidade e objectivos comuns
Desenvolver sentimento de trabalho de equipa
Desenvolvimento de I.E.
Passo 2 – Gestão de emoções
A técnica de congelamento do tempo em 5 passos

1. Reconheça a emoção negativa e “congele-a”, faça stop, faça uma pausa, “ponha a emoção num contentor”, separe-se dela por um momento, isole-a (time-out).
2. Faça um esforço consciente para mudar a sua atenção dos pensamentos “a mil à hora” ou das emoções muito perturbadoras, por um momento.
3. Tranquilize-se e recorde uma emoção positiva, um sentimento divertido, feliz, importante e re-experiencie, imaginando-se naquele momento.
4. Pergunte-se, qual é a melhor resposta a esta situação stressante?
5. Ouça e faça o que respondeu à pergunta, num estado já mais calmo.
Desenvolvimento de I.E.
Passo 2 – Gestão de emoções
Aplicando a técnica de eliminação de preocupações

1. Especifique a situação/problema ou preocupação (apenas factos)
2. Pergunte-se: O que é o pior que pode acontecer?
3. Pergunte-se: Vou morrer por causa disto?
4. Escreva uma frase, afirmando que aceita enfrentar o pior cenário, caso venha a ocorrer.
5. Considere os passos específicos que vai tomar para evitar o pior cenário possível, realista, que encontrou.
Desenvolvimento de I.E.
Passo 2 – Gestão de emoções

3 técnicas especificas:

Técnica de eliminação de preocupações

Aprender a viver com preocupações

Técnica de congelamento do tempo
Desenvolvimento de I.E.
Passo 1 – Autoconhecimento
3. Conhecer os seus objectivos

Dicas para identificar os seus objectivos

Acredite no seu comportamento
Confie nas suas emoções
Seja honesto consigo mesmo
Desenvolvimento de I.E.
Passo 1 – Autoconhecimento
2. Entrar em contacto com as suas emoções

Quatro componentes das emoções:
1. O que pensamos, a nossa interpretação de um evento que produz uma emoção em particular

2. O que sentimos, um rotulo que usamos para descrever este estado em particular

3. A reacção corporal e fisiológica, tensão nos músculos, respiração acelerada, suar, bater do coração, borboletas no estômago, frio no estômago, sensação de vazio, tonturas, etc.

4. Como nos comportamos, fugir, evitar, reagir, atacar, abraçar, tocar.
Desenvolvimento de I.E.
Passo 1 – Autoconhecimento
O auto conhecimento é a capacidade de nos vermos com os nossos próprios olhos e estamos conscientes de:

Objectivos imediatos e futuros
Crenças acerca de nós e dos outros
Valores e saber ao que damos valor e acreditamos
O que nos move e o que afecta a forma como trabalhamos
As regras pelas quais vivemos, os devo, tenho de, deveria
Dialogo interno, a voz interna que nos diz que podemos ou não podemos fazer algo
Desenvolvimento de I.E.
Passo 3 – Auto motivação
Mnemónica DEMA

1. Adopte Dialogo interno positivo e motivador.
2. Construa uma Equipa que o suporte e que seja um reforço positivo constante.
3. Visualize a figura inspiradora de um Mentor (real ou imaginado), imagine-o com frequência, o que faria ele? Como ultrapassaria esta situação? Como lidaria com esta situação?
4. Construa um Ambiente propicio ao trabalho de alto rendimento (arejamento, luz, temperatura, imagens, disposição, som, etc.)
Desenvolvimento de I.E.
Passo 2 – Gestão de emoções
Aprenda a viver com preocupações

Viva um dia de cada vez
Encontre e concentre-se em factos concretos acerca das situações com que se depara (não medos ou cenários irracionais ou fictícios)
Pratique a técnica de eliminação de preocupações
Adopte a regra dos 6 segundos
Desenvolvimento de I.E.
Passo 2 – Gestão de emoções

Técnica de eliminação de preocupações
Quando se começar a sentir ansioso, zangado ou preocupado, no local de trabalho, adopte a técnica de eliminação de preocupações. Pergunte-se a sim mesmo as seguintes perguntas:

Onde está a evidência para o que estou a pensar?
Qual é a lógica da minha interpretação?
O que tenho a perder se fizer/disser isto?
O que tenho a ganhar se fizer/disser isto?
O que seria a pior coisa que poderia acontecer ser fizer/não fizer isto?
O que posso aprender ao fazer/dizer isto?
Desenvolvimento de I.E.
Passo 2 – Gestão de emoções
Desenvolvimento de I.E.
Diário de emoções
Passo 1 – Autoconhecimento
1. Sintonizar-se nos seus sentidos
Desenvolvimento de I.E.
Passo 1 – Autoconhecimento

1. Sintonizar-se nos seus sentidos
2. Entrar em contacto com as suas emoções
3. Conhecer os seus objectivos
Desenvolvimento de I.E.
Full transcript