Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Mídia-Educação (Física): Provocações... [Parte I]

Seminário ministrado no XII Conesef (19/09)
by

Gilson Cruz Junior

on 2 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Mídia-Educação (Física): Provocações... [Parte I]

Mídia-Educação (Física):
Provocações... Gilson Cruz Junior Olá!!! Meu nome é... “Quando a imagem de Nelson Mandela pode ser mais familiar para nós que o rosto do nosso vizinho de porta, [é sinal de que] alguma coisa mudou na natureza de nossa experiência cotidiana.” (Anthony Giddens) Globalização Fenômeno de natureza econômica
Lógica expansionista do Capitalismo
Absorção Assimétrica de mercados
Depende da capacidade de trasporte "A globalização não é apenas uma questão econômica, mas também diz respeito a questões de sentido cultural. Enquanto os valores e significados ligados ao lugar permanecem significativos, estamos cada vez mais envolvidos em redes que se estendem muito além dos nossos locais físicos imediatos." (Chris Barker) "O conceito de globalização remete-nos para as crescentes conexões multidirecionais econômicas, sociais, culturais e políticas que estão se formando em todo o mundo e para a nossa consciência a respeito deles. Assim, a globalização envolve o aumento da compressão do mundo e nossa consciência crescente desses processos. A compressão do mundo pode ser entendida como o expansionismo das instituições da modernidade, enquanto a intensificação reflexiva da consciência de mundo pode ser percebida como benéfica em termos culturais." (Chris Barker) Fenômeno de natureza cultural
Bens materiais x bens simbólicos
Pioneirismo das indústrias culturais
Centralidade meios de comunicação
Avanço técnico e popularização "As pessoas que moram em aldeias pequenas, aparentemente remotas, em países pobres, do ‘terceiro mundo’, podem receber, na privacidade de suas casas, as mensagens e imagens das culturas ricas, consumistas, do Ocidente, fornecidas através de aparelhos de TV ou de rádios portáteis, que as prendem à ‘aldeia global’ das novas redes de comunicação." (Stuart Hall) Identidades "[a] identidade é uma construção cultural, pois os recursos discursivos que produzem o material para a formação da identidade são culturais por natureza. Em particular, nos constituímos como indivíduos em um processo social que é comumente entendido como aculturação, sem o qual não seríamos pessoas.Na verdade, a própria noção do que vem a ser uma pessoa é uma questão cultural [...] e sem a linguagem do próprio conceito de identidade seria ininteligível para nós." (Chris Barker) Conjunto de referências culturais responsável por nos fazer ser "quem somos", cuja aquisição se dá através de variados processos de socialização
Cultura locais & estado-nação
Fragmentação e descentração do sujeito
Culturas locais & cultura global
Participação das midias na formação de nosso senso comum "A percepção que temos de nosso lugar no mundo depende, é claro, de como vivemos nele e de como o vemos. A esse respeito, arrisco dizer que estamos constantemente nos movendo para fora e dentro da cultura global. Passamos de estruturas locais de referência, da ordinariedade do dia-a-dia, da vizinhança, do local, para tempos e espaços que têm uma referência e definição mais extensas. Fazemos isso no trabalho e no lazer. No espaço físico e simbólico. Por vontade própria ou sob ameaça. E nesses movimentos, os movimentos de indivíduos e grupos, estamos constantemente reivindicando o direito de ser nós mesmos, reivindicando identidade, uma parte do pouco que sobra dos bens globais comuns." (Roger Silverstone) Mídia??? Técnicas e Tecnologias Conteúdos Discurso "Tomemos como referência a televisão, que codifica sons e imagens em movimento para a transmissão pelo ar e, mais recentemente, a cabo, para uma subsequente reconversão em imagens e sons, utilizando um dispositivo de codificação especial. Qual é o nome do conteúdo assim transmitido? Televisão. E do aparelho que exibe imagens? É uma televisão. E as pessoas que preparam esse conteúdo e enviam o sinal resultante – em que indústria trabalham? Na televisão, é claro. As pessoas que trabalham na televisão fazem televisão para a sua televisão." (Clay Shirky) Mídias
Massivas Mídias
Digitais X Comunicação de "um para muitos"
Unilateralidade
Conteúdos produzidos por profissionais
Presença do editor Comunicação de "um para um" ou de "muitos para muitos"
Fluxo multidirecional (via de mão dupla)
Aberta à produção "amadora"
Presença editorial mínima ou inexistente As mídias e as novas gerações Apocalípticos Integrados Neil Postman As mídias eletrônicas apresentam às crianças um mundo que antes era restrito aos adultos
Perda da "inocência"
Erotização (precóce)
Prejudica a aquisição da cultura "letrada"
Um dos motivos para a barbárie (criminalidade) Marc Prensky Nativos
&
Imigrantes digitais Incompreensão acerca dos perfis dos novos alunos como causa dos problemas enfrentados pela educação escolar
Professores imigrantes x alunos nativos
Os nativos digitais possuem diferenças cognitivas em relação às antigas gerações
Raciocínio multitarefa
Predileção por imagens
Feedbacks constantes
Aprendizagem coletiva David Buckingham “Ambas refletem um tipo de sentimentalismo sobre as crianças e os jovens que deixa de reconhecer a diversidade das experiências vividas na infância, assim como das relações das crianças com as mídias. Nesse sentido, a visão tradicional das crianças como essencialmente inocentes e vulneráveis à influência das mídias é equilibrada pela igualmente romântica visão delas como naturalmente “entendidas em mídia”. Nenhuma dessas visões [...] oferece uma base realista para a elaboração de políticas culturais, sociais e educacionais que possam de fato habilitar todas as crianças a lidar com as realidades culturais em mudança nas quais nasceram.” To be continued...
Full transcript