Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Hepatites Virais

No description
by

Renata Gullini

on 1 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Hepatites Virais

Atendimento às Hepatites Virais na Atenção Primária

Não há tratamento específico.

Curso natural não é alterado por dietas especiais, repouso no leito.

Situações Clínicas Suspeitas
Icterícia aguda e colúria;
Elevação de aminotransferases;
História de exposição;
Exames sorológicos positivos.
Medidas Preventivas

Epidemiologia
Contaminação fecal-oral
VHA e VHE são presentes em todo o mundo, porém são mais comuns em países pobres e em desenvolvimento - precárias condições de higiene e saneamento.
VHA - mais prevalente em crianças e adolescentes.
VHE - mais prevalente em adultos jovens. * 80-90% da população brasileira é anti-VHA +.
Ana Carolina S. de Medeiros
Eduardo Martins
Erisson Will
Kamila Longo
Larissa Gemballa
Lucas Bettiol
Renata Gullini
Roberta Braga

Hepatite B
Viremia transitória ou crônica (> 6 meses).
A transmissão é por via parenteral, sexual, vertical e fecal-oral (mais raramente).
A incubação varia entre 30-180 dias.
Sorologia + para antígenos e para anticorpos.
Aparentemente, o VHB não é citopático, o dano parece ocorrer por ativação de resposta imune.

Hepatite C
Todo indivíduo com VHC pode tornar-se um doente crônico.
80% podem desenvolver hepatopatia crônica.
Tem forte associação com carcinoma hepatocelular.
O dano ocorre por ação citopática.
A transmissão é por via parenteral, vertical e sexual (mais raramente).
A incubação varia de 15-160 dias.
A sorologia é positiva para anticorpos, com aparecimento tardio.

Hepatite A
É a mais benigna das hepatites.
Não cronifica.
A transmissão é por via oral-fecal - associada à má condição de higiene.
A incubação varia de 15-50 dias.
Gera dano hepatocelular por citotoxicidade direta ou indução de resposta imune pelo hospedeiro.
A sorologia é + para antígenos e anticorpos (IgM e IgG anti-VHA).


Tratamento
Outros vírus
Contaminação Sexual, Vertical ou Parenteral
Dados OMS no Brasil de portadores crônicos: 2 milhões - VHB e 3 milhões - VHC.
Os indivíduos assintomáticos ou com sintomas inespecíficos limitados podem não saber que têm a doença e se tornarem fonte de transmissão.
Grupo de indivíduos de maior risco: usuários de drogas injetávies, hemofílicos, nefropatas em hemodiálise, indivíduos com comportamento sexual de risco e profissionais da saúde.

Orienta-se evitar efeitos deletérios ao fígado: álcool (6 meses), alguns medicamentos.

Evitar: ACO, corticóides.

Medicamentos:
Anti-eméticos (vômitos persistentes), Vitaminas (colestase grave > 8 s.),
Antivirais: Interferon (HB e HC).

Situação muito graves (fulminantes, crônicas complicadas):
transplante hepático.
Referências
DUCAN, B. B.; SCHMIDT, M. I.; GIUGLIANI, E. R. J. e colaboradores. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3 ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.

Caderno de Atenção Básica: HIV/aids, Hepatites e outras DSTs - no. 18, 2006 . Hepatites Virais. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abcad18.pdf >. Acesso em 30 out 2013.
MFC II
Hepatite A
Quadro:
início abrupto, febre alta, prostação intensa, náuseas, icterícia (menos frequente), elevação das transaminases (> 100x), hepatite colestática (rara).
Forma fulminante: alta letalidade.
Diagnóstico laboratorial: aparecimento anticorpo-VHA IgM (precoce) e anti-VHA IgG (tardio).
Anti-VHA IgG confere imunidade.
Os vírus

Unidades e Competências
Unidades: UBS, PSF e CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento).

Competências: atenção básica, promoção da saúde, prevenção, aconselhamento e triagem sorológica e acompanhamento de pacientes.
VHD - co-infecção com o VHB; transmissão parenteral; pode cronificar.
VHE - é auto-limitada; transmissão fecal-oral; não cronifica; pode evoluir para insuficiência hepática em gestantes.
VHG - transmissão parenteral e vertical e desconhecida para demais vias; pode cronificar.
VHTTV - transmissão parenteral e vertical e desconhecida para demais vias; não se sabe se cronifica.
É uma doença importante porque...
Tem distribuição universal.
Gera complicações agudas e crônicas.

Hepatite B
Quadro clínico: fase prodrômica - alterações cutâneas, febre e dores articulares. Mais tardiamente, doenças hepáticas crônicas.
Diagnóstico laboratorial:
*Quadro agudo: HBsAg +, HBeAg +, Anti-HBc IgM + e aumento de transaminases.
*Quadro crônico: HBsAg + , Anti-HBc IgG +, HBeAg + ou -, Anti-HBc + ou -. Alta chance de desenvolver cirrose, e em menor frequência, carcinoma hepatocelular.
*Quadro cura: Anti-HBs +, Anti-HBe +.
*Quadro imunizado: Anti-HBs +.

Hepatite C
Quadro: frequentemente assintomático. Pode ter manifestações similares a HA e HB.
Diagnóstico laboratorial:
*Quadro agudo: difícil diagnóstico. Prolongado período de enzimas anormais + RNA-VHC. Anti-VHC tem aparecimento tardio.
*Quadro crônico: persistência de RNA-VHC > 6 meses.

Formas mais frequentes
Hepatites A e E
Desinfecção de água e alimentos, higiene pessoal rigorosa e limpeza dos ambientes e objetos pessoais.
Afastar o indivíduo do convívio social – até 10 dias.
Imunoglobulinas: profilaxia antes da exposição ou período de incubação da doença; contactantes e RN.
Imunização: Vacina HA – 2 doses – 100% conversão.
Hepatites B, C e D
Imunização: Vacina HB - protege também da HD.
Imunoglobulinas (IGHAHB): pós exposição, RN com mãe +.
Medidas de segurança no trabalho (HB e HC) - profissionais de saúde.
Sexo seguro - uso de preservativos.
Atenção às gestantes infectadas - RN deve ser acompanhado.
O aleitamento materno não é contra-indicado.
Esquemas vacinais
Vírus A
Havrix ™720 Jr, GSK / 12 meses – 18 anos / 2 doses (0,5 mL) / IM / 0 e 6-12 meses .
Havrix™ 1440 Adult, GSK / > 18 anos / 2 doses (1 mL) / IM / 0 e 6-12 meses.

Vírus B
RN: esquema: ao nascer, 1 e 6 meses.
Demais: esquema 0, 1 e 6 meses.

* Transmissão vertical – RN de mães HBsAg positivas devem ser vacinados imediatamente após o parto (primeiras 12 horas) nas doses preconizadas, associadas à imunoglobulina específica contra hepatite B (IGHB 0,5 ml intramuscular).
* Deve-se testar a presença do HBsAg e do anti-HBsAg. O HBsAg positivo indica falha terapêutica. O anti-HBsAg positivo indica sucesso vacinal.

Full transcript