Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Filosofia Pré-Socrática

No description
by

Uilson Fernandes

on 29 November 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Filosofia Pré-Socrática

A origem da filosofia e os primeiros pensadores gregos...
Zenão de Eléia
Parmênides de Eléia (540-450 a.C.)
Nasceu em 515 a. Cna cidade de Eléia região da atual Turquia, a.C discípulo de Parmênides Zenão tem uma bela história política em torno de seu nome, diz a lenda que o filósofo fora torturado por um tirano que tomou a cidade de Eléia, fiel a seus amigos, Zenão não entregou nenhum de seus companheiros...
Parmênides de Eléia, também conhecido como o obscuro, elaborou alguns princípios fundamentais da lógica ao separar dua vias: a da verdade (alethéia) e a da opinião(doxa). De um lado a aparência, sensibilidade, mero ponto de vista, o não ser; do outro a essência, a verdade, a razão e sua lógica, o ser. A tese fundamental da imobilidade de todas as coisas, é central em seu pensamento, donde pensamento imobilista.
Os famosos Paradoxos de Zenão, são exercícios lógicos fundados em princípios da matemática que visam na maioria das vezes demonstrar que o movimento é uma ilusão, neste percurso surge a famosa
dialética
.
O paradoxo de Áquiles e a Tartaruga
Paradoxo da dicotomia
Parmênides e Zenão, buscam em suas filosofias, demonstrar que a opinião enquanto crença que se fundamenta nos dados sensíveis, mesmo quando nos parecem evidentes, nada mais são que aparências...
Pitágoras (571 a.C. e 570 a.C.)
Tales de Mileto (625-547 a.C.)
 Sabemos que Tales era da colônia grega de Mileto e, segundo algumas fontes, viajou muito, recolhendo ideias de várias culturas, como, por exemplo, da babilônica e da egípcia. Segundo alguns entendimentos, teria ele introduzido a geometria na Grécia, após tê-la aprendido com os egípcios. Sua cosmologia devese muito a eles, certamente, pois acreditavam que a Terra flutuava na água. Ele parece ter chegado a esse conceito observando o comportamento de substâncias úmidas ao se tornarem sólidas ou líquidas. Notou, também, que a água é absorvida por todas as plantas e animais, o que sugeriria que são compostos dela...
PRINCÍPIO DA NATUREZA É O ÚMIDO...
É certo que se empenharam em apontar o quanto os gregos poderiam encontrar e aprender no estrangeiro, no Oriente, e quantas coisas, de fato, trouxeram de lá. Era, sem dúvida, um espetáculo curioso, quando colocavam lado a lado os pretensos mestres do Oriente e os possíveis alunos da Grécia e exibiam agora Zoroastro ao lado de Heráclito, os hindus ao lado dos eleatas, os egípcios ao lado de Empédocles, ou até mesmo Anaxágoras entre os judeus e Pitágoras entre os chineses. No particular, pouca coisa ficou resolvida; mas já a ideia geral, nós a aceitaríamos de bom grado, contanto que não nos viessem com a conclusão de que a filosofia, com isso, germinou na Grécia apenas como importada e não de um solo natural doméstico, e até mesmo que ela, como algo alheio, antes arruinou do que beneficiou aos gregos. Nada é mais tolo do que atribuir aos gregos uma cultura autóctone: pelo contrário, eles sorveram toda a cultura viva de outros povos e, se foram tão longe, é precisamente porque sabiam retomar a lança onde um outro povo a abandonou, para arremessá-la mais longe. NIETZSCHE, A filosofia trágica na época dos gregos. Pg. 39 Tradução Maria Inês Madeira de Andrade. Lisboa: 70, 1987.
A Anaximandro atribuem-se dois grandes feitos: o de ter sido o primeiro homem (em território grego) a elaborar um mapa geográfico e o de ter introduzido na Grécia o relógio de Sol, de origem babilônica, aperfeiçoando-o. A exemplo de Tales, Anaximandro também concluiu que todas as coisas tinham uma origem única:
o Apeíron.
Anaximandro de Mileto (588-524 a.C.)
Apeíron
: este termo pode ser traduzido como indeterminado - sem limite. Anaximandro utiliza-o para indicar a mistura que originou todas as coisas, indefinida, indistinta e caótica, a partir da qual – por meio de sucessivas divisões, causada pela alternância de quente e frio – foi gerado o mundo tal qual o conhecemos.
Anaxímenes considerou o ar como o princípio de todas as coisas que seriam produzidas pelos processos de condensação e de rarefação. Surgia o Pneuma-Apeiron ( Ar infinito/indeterminado) responsável pela vida do cosmos.
Em lugar da matéria indeterminada de Anaximandro, põe ele novamente um elemento determinado da natureza (o absoluto numa forma real) — em vez da água de Tales, o ar. Ele achava, com certeza, que para a matéria era necessário um ser sensível; e o ar possui, ao mesmo tempo, a vantagem de ser o mais liberto de forma. Ele é menos corpo que a água; não o vemos, apenas experimentamos seu movimento. Dele tudo emana e nele tudo se dissolve. Ele o determinou igualmente como infinito. ( F. Hegel - Doxografia)
Anaxímenes de Mileto (588-524 a.C.)
Escola eleática (Xenófanes, Parmênides, Zenão)
Foi mestre de Parmênides, seu pensamento buscou fundamentalmente encontrar a unidade do divino fora do registro imoral dos deuses apresentados por Hesíodo.
Xenófones de Eleia (570 a.C. — 475 a.C.)
Escola Jônica: Tales, Anaximandro, Anaxímenes - Mileto. Heráclito - Éfeso; Empédocles - Agrigento.
Empédocles
490 a.C. - 430 a.C.)
A arqué da physis é explicada pelo pensador a partir dos quatro elementos essenciais que fazem toda a estrutura do mundo - fogo, ar, água e terra. A proporção e combinação destes elementos (stoicheion) leva a constituição e segregação de toda a natureza, Tudo no cosmos é efeito destas relações entre os elementos.
Heráclito de Éfeso (535 a.C. - 475 a.C.)
Formulador primeiro do princípio do movimento, baseado nos dados sensíveis.
Tudo flui - panta rei, nada se mantém da mesma forma, a oposição e a luta dos contrários motiva a mudança permanente, este é o princípo da natureza. O Logos é capaz de compreender esta mudança...
Seu pensamento é norteado pelo princípio fundamental da matemática. Ao elaborar estudos, teoremas e hipóteses em torno de um cosmos lógico, racional e interconectado - pitágoras estabeleceu teses em torno da própria música, tendo inclusive formas de educação musical para educar o temperamento dos jovens.

Toda a filosofia pré-socrática se estabeleceu em torno da investigação de qual é arché da phisis, ou seja, o princípio da natureza. Arqué aqui significa elemento ordenador comum, e phisis, se apresenta como natureza no sentido amplo do termo... estava nascendo a ciência

Democrtito de Abdera (463-370 a.C). O paradoxo da divisibilidade de Zenão, e as teses de Parmênides influenciaram este grande sábio da grécia clássia a formular o princípio do atomismo, ou seja, o que explicaria a arqué da phisis, seriam pequenas moléculas, partículas indivisíveis e invisíveis a olho nú presentes em todas as coisas.
Os átomos então explicariam a morte, segregação e separação, a vida , agregação de átomos em seu devir...
A posse da racionalidade autoconsciente que pertence a nós e ao mundo atual não surgiu imediatamente despontando apenas do solo da atualidade, mas é-lhe essencial ser uma herança e, de modo mais definido, o resultado do trabalho e, decerto, do trabalho de todas as gerações passadas do gênero humano. Assim como as artes da vida exterior, a quantidade de meios e habilidades, as instituições e os hábitos da coexistência social e política são um resultado da reflexão, da invenção, das necessidades, da indigência e do infortúnio, da vontade e realização da história anterior ao nosso pressente, assim também o que somos na ciência, e de modo mais preciso, na filosofia, se deve igualmente à tradição, que por meio de tudo o que é efêmero e que portanto, se desvaneceu, se entrelaça, segunda expressão de Herder, como uma cadeia sagrada, e nos conservou e legou o que o mundo anterior produziu. Mas semelhante tradição não é só uma ferramenta, que apenas guarda fielmente o que recebeu e transmite sem modificação aos descendentes. Não é uma estátua imóvel, mas viva, e cresce como uma poderosa torrente que se avoluma à medida que mais se afasta da sua origem. (HEGEL, Introdução à História da Filosofia. Página 15. Editora Rideel. São Paulo: SP .2005)
Tese Orientalista
A primeira teoria defendia que a origem da filosofia está ligada ao contato que os gregos tiveram com a sabedoria oriental (egípcia, persa, caldéia e babilônica).Vários pesquisadores são categóricos ao afirmar que as grandes civilizações orientais mantiveram contato com as civilizações gregas e essas determinaram formas da vida social, da religião, das artes e das técnicas usadas pelos gregos.

X
Tese do Milagre Grego
É nesse sentido que a Filosofa não é privilégio dessa ou daquela casta, não é propriedade desse ou daquele homem, não pertence ao mais rico, ao que ocupa o cargo mais importante, e, sobretudo, não é um saber revelado nas sagradas páginas desse ao daquele código. Para ser flósofo, o indivíduo não precisa de ser iniciado nessa ou naquela prática mística, nesse ou naquele culto obscurantista. Para ser flósofo, unicamente se carece da pólis. Pólis enquanto espaço público, aberto, com a sua ágora ávida por ser o palco dos
debates, onde um saber construído substitui um saber herdado.
Full transcript