Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Pragas que atacam a abóbora

No description
by

Geslane Brito

on 29 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Pragas que atacam a abóbora

Pragas que atacam a abóbora
Características da abóbora
São plantas anuais, rasteiras, da família das cucurbitáceas. Ao grupo das abóboras pertencem a abóbora rasteira (Cucurbita moschata), a moranga (C. máxima), a moranga híbrida, obtida pelo cruzamento da moranga com a abóbora, e abobrinha-verde, que é uma variedade da abóbora rasteira.
Nome científico: Cucurbita moschata (Duch.) Duch. Ex Poir.
Família: Cucurbitaceae
Origem: Ásia Tropical

As pragas que atacam as abóboras são
Essas lagartas fazem galerias dentro dos frutos, ocasionando os seus apodrecimentos. O buraco ocasionado pela broca das cucurbitáceas é um dos sinais do seu ataque.

Controle

O controle das brocas-das-cucurbitáceas é efetuado, basicamente, com uso de inseticidas. A ação desses agroquímicos no controle de D. nitidalis é dificultada, pela preferência das lagartas pelas flores e frutos, onde penetram rapidamente. As lagartas de D. hyalinata são controladas mais facilmente, pelo fato de terem preferência pelas folhas.
Brocas das cucurbitáceas
Existem duas espécies de mariposas que são conhecidas como brocas das cucurbitáceas, tendo em torno de 3 cm de tamanho de asa a asa.

Essas mariposas colocam os seus ovos nas folhas, ramos, flores e frutos. As lagartas são esverdeadas com 3 cm de tamanho, podem atacar as folhas, ocasionando desfolha.

As lagartas das brocas também podem broquear os caules, principalmente os
pontos de crescimento bem como nos botões florais, ocasionando a queda de flores. Mas o
principal problema é quando atacam os frutos.
Mosca branca
O adulto da mosca branca é um pequeno sugador de 1 mm de tamanho, geralmente
ficando na face inferior das folhas.

Os seus filhotes também ficam na parte debaixo das folhas.
Mosca Branca
Pulgão
Controle

A aplicação de inseticidas para o controle do pulgão requer alguns cuidados e precauções, pois, esse inseto é presa, ou hospedeiro preferencial para alguns inimigos naturais. Além disso, deve-se tomar cuidado com o horário de aplicação, que não deve coincidir com o horário de visita dos insetos polinizadores.
O pulgão é um pequeno inseto sugador, atacando os brotos e folhas novas. Mas o principal problema dos pulgões é a transmissão de viroses às plantas, o que reduz bastante a produtividade das plantas.
Contole

As principais medidas preventivas para o controle ou convivência com a mosca-branca são:
Fazer plantios isolados;
Eliminar Fotos de inóculo como maxixe, abóbora ou ervas daninhas Hospedeiras da praga que estejam ao redor da área a ser plantada;
Iniciar o preparo do solo, mantendo a área limpa, pelo menos 30 dias antes do plantio;
Rotação de culturas com plantas não hospedeiras;
Após o plantio, manter a área isenta de plantas hospedeiras da praga, no interior e ao redor da cultura;
Não permitir cultivos abandonados nas proximidades da área cultivada;
Eliminar os restos culturais imediatamente após a colheita.
Nível de controle

Sugere-se que seja de 10 insetos, em média. Todavia, quando são encontradas plantas com sintomas de virose ou presença da praga na área, deve-se fazer o controle.
Oídio Shaerotheca fugilinea
Oídio Shaerotheca fugilinea
Desenvolvimento propício e tratamento
Oídio é causado pelo fungo chamado Shaerotheca fugilinea. Ele ataca cultura como o feijão, a soja, o trigo, a abóbora, o pepino e muitas plantas ornamentais. A proliferação desse fungo se dá principalmente pelo excesso de umidade no solo e alta temperatura.
Por mais que possa causar a perda total de uma produção, é considerado um fungo simples de ser tratado ou prevenido. “O oídio é de fácil controle, há a necessidade de apenas aplicar o fungicida adequado

A doença desenvolve-se em períodos de temperaturas baixas (10 ºC) mas sem produção de esporos, havendo na Primavera um potencial de desenvolvimento da doença. Atinge o ótimo desenvolvimento entre os 25 e os 28 ºC. Temperaturas acima de 40 ºC são-lhe letais.
Sintomas ocasionado pela praga
O fungo ataca a plantação e causa a perca da folha e amarelamento do produto antes do seu amadurecimento, assim, a planta perde a resistência necessária para seu desenvolvimento.
1º Agricultura B
Componentes: Geslane, Érica Andréia, Fabiana e kamila


Autor(a): Geslane S. Brito
Full transcript