Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Que mudanças o ouro provocou no Brasil Colonial?

Trabalho de História.
by

Matheus Brasil

on 9 March 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Que mudanças o ouro provocou no Brasil Colonial?

No final do século XVII, as exportações de açúcar brasileiro começaram a diminuir. Isto ocorreu, pois a Holanda havia começado a produzir este produto nas ilhas da América Central. Com preços mais baixos e boa qualidade, o mercado consumidor europeu passou a dar preferência para o açúcar holandês. Que mudanças o ouro provocou no Brasil colonial? Roteiro Introdução A corrida do ouro A renda da metrópole Controle e repressão Os efeitos da mineração Introdução
Em meados do século XVIII começam a serem descobertas as primeiras minas de ouro na região de Minas Gerais.

O centro econômico desloca-se para a região Sudeste.

A Coroa Portuguesa cria uma série de impostos e taxas para lucrar com a exploração do ouro no Brasil. Entre os principais impostos estava o quinto.

Grande crescimento das cidades na região das minas, com grande urbanização, geração de empregos e desenvolvimento econômico.

A capital é transferida para a cidade do Rio de Janeiro.

No campo artístico destaque para o Barroco Mineiro e seu principal representante: Aleijadinho.

A mão-de-obra nas minas, assim como nos engenhos, continua sendo a escrava de origem africana. A corrida do ouro A descoberta do ouro no Brasil aconteceu no século XVII, na região de Minas Gerias, Goiás e Mato Grosso, o que provocou uma verdadeira "corrida do ouro" para essas regiões. Entre as pessoas que iam, podiam-se encontrar:
Fazendeiros falidos;
Lavradores sem terra;
Mascates;
Vadios;
Aventureiros. Para estimular essa busca, o rei de Portugal garantiu por decreto a livre exploração, pelos colonos, das minas encontradas, oferecendo títulos e honrarias aos descobridores. A atividade mineradora no Brasil era dividida em duas formas de extração, a lavra (grande extração) e a faiscação (pequena extração). A maior parte do ouro encontrado estava no leito dos rios e se encontrava misturado à areia e ao cascalho. Chama-se ouro de aluvião. O ouro de aluvião A região mineira é montanhosa e muito fria no inverno. No entanto, os escravos sempre trabalhavam seminus. Duras condições de trabalho Os bandeirantes










Fernão Dias Pais
Manuel Borba Gato
Antonio Pedroso
Bartolomeu Bueno Os Bandeirantes foram os homens valentes, que, do século XVII em diante, passaram a se dedicar a procura por ouro e pedras preciosas. Entre eles, podemos destacar:
Fernão Dias Pais Leme Manuel Borba Gato A população que chegava nas minas era bastante heterogênea, mas se destacavam dois grupos bem distintos, os paulistas e os emboabas, que se hostilizavam bastante, o que provocou uma verdadeira guerra .Com o término do combate, os paulistas, que foram obrigados a se retirarem do local, descobriram outras minas em Goiás e Mato Grosso. Guerra dos Emboabas Renda garantida para a metrópole O governo português oferecia terras aos mineradores, exigindo em troca a sujeição aos monopólios e o pagamento dos impostos. Medidas
tomadas Criação de numerosos decretos reais;
Dificultou-se a emigração de portugueses para o Brasil;
Proibiu-se:

O ofício de ourives;
A exploração de ouro próximo ao mar;
A chegada de navios estrangeiros nos portos;
O transporte pelo sertão entre Bahia, Pernambuco e Minas Gerais. Impostos Os impostos cobrados sobre a atividade mineradora variavam muito ao longo do século XVIII. Dois impostos foram os mais importantes:
O quinto: A Coroa ficava com 20% de todo o ouro e diamantes extraídos;
A capitação: Era uma taxa cobrada pela propriedade de cada escravo com mais de 12 anos de idade.
Havia ainda... Pedágios para quem se dirigia às Minas Gerais;
Os "direitos de entrada" sobre mercadorias transportadas por animais;
As taxas de importação de escravos.
Outras medidas A descoberta de uma mina deveria ser comunicada às autoridades;
Um funcionário dividia o terreno em pequenos lotes chamados datas;
O descobridor tinha o direito de escolher duas datas;
A Coroa ficava com uma data, que depois, leiloava;
As demais eram sorteadas entre mineradores que quisessem participar da exploração. Controle e repressão Distrito Referências O controle do governo português sobre os diamantes foi ainda mais rigoroso do que sobre o ouro. Em 1731, rei decretou o monopólio da extração de diamantes no arraial do Tijuco , de onde mandou expulsar todos os mineradores. Esse território, onde se encontravam as jazidas diamantíferas mais ricas, foi demarcado e isolado completamente. Era chamada de Rio em que foram encontrados ouro e diamantes em 1729. Um arraial às suas margens tornou-se o centro administrativo do Distrito Diamantino. Diamantino. O Distrito Diamantino corresponde, hoje, à região que circunda a atual cidade de Diamantina em Minas Gerais. A rígida fiscalização da metrópole sobre a mineração provocou descontentamento e revoltas. Revolta de Felipe dos Santos Foi a mais séria das revoltas e ocorreu em Vila Rica (MG), em 1720. Liderados por Sebastião da Veiga (minerador) , Manoel Mosqueiro (médico) e Felipe dos Santos (tropeiro); os rebeldes exigiam:

Diminuição do quinto;
Eliminação do monopólio de vários produtos de consumo;
Fim da repressão contra os rebeldes;
Fim das Casas de Fundição.

Eram mais de 2000 revoltosos armados e o governador não tinha tropas. Para ganhar tempo, o Conde de Assumar prometeu atender aos pedidos dos revoltosos; porém, quando conseguiu reunir uma tropa, partiu para cima dos rebeldes e mandou prender seus líderes e incendiar suas casas.
Os escravos também reagiram contra a opressão e os maus-tratos que sofriam nas minas. Tentavam ficar com as pepitas de ouro ou com os diamantes que encontravam. Só assim podiam comprar sua liberdade. Mesmo com a rigorosa vigilância, a fuga para os quilombos de Minas Gerais era muito comum. Bandos de negros quilombolas assaltavam viajantes e contrabandeavam ouro e diamantes. Ocorreram ameaças de revoltas escravas, reprimidas pelas tropas reais antes que eclodissem. Os efeitos da mineração No Brasil Desenvolvimento Com a mineração, um número maior de pessoas passou a dispor de dinheiro, o que possibilitou o desenvolvimento do comércio;
No sul, formaram-se fazendas de gado e muares para comercializar com os mineiros;
Abriram-se caminhos terrestres, fluviais e marítimos, ligando todas as regiões da colônia;
Nas cidades mineiras surgiram diversos trabalhadores livres, como carpinteiros, alfaiates, sapateiros, pintores, escultores e outros profissionais.
Arte Outra parte da renda obtida com a mineração foi usada para a construção de igrejas. Nessa atividade, destacaram-se grandes artistas brasileiros, como: Francisco Lisboa, Manuel da Costa Andrade e Aleijadinho. Interio do Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro Interior da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, no Rio de Janeiro Interior da Igreja de Nossa Senhora do Pilar, em Minas Gerais Em Portugal Economia Manutenção de uma corte luxuosa;
Em gastos pessoais do rei;
Na importação de produtos;
No pagamento de dívidas.
A grande beneficiária foi a Inglaterra. O ouro e os diamantes brasileiros serviam para pagar as dívidas de Portugal com a Inglaterra, bem como para comprar produtos manufaturados ingleses. Referências Livro Rodrigues, Joelza Ester Domingues
História em documento: imagem e texto, 7º ano. Ed. Renovada. São Paulo: FTD, 2009. Sites Sua Pesquisa - http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/ciclo_ouro.htm
InfoEscola - http://www.infoescola.com/brasil-colonia/corrida-do-ouro/
http://www.infoescola.com/historia-do-brasil/historia-do-ouro-no-brasil/
http://www.infoescola.com/historia/revolta-de-filipe-dos-santos/ A atual corrida do ouro Parte 1 Parte 2 Mais sobre o barroco...
Full transcript