Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Aula de Evolução

No description
by

Rodrigo Martins dos Santos

on 1 April 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aula de Evolução


Campus de Três Lagoas
Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas

Homoplasia
Analogias
Homologias
Convergencias
Adaptativas
Laiinie Ap.
Diego F.
Rodrigo M.
Disciplina de Evolução
Discentes:
Reversões
Evolutivas
Paralelismo
EVIDÊNCIAS EVOLUTIVAS
Convergência
adaptativa
X
Irradiação
adaptativa
ANCESTRAL
ANCESTRAL
1
2
ANCESTRAL
COMUM
INDIVÍDUO
INDIVÍDUO
1
2
INDIVÍDUO
INDIVÍDUO
1
2
É a modificação evolutiva, em duas ou mais linhagens, de forma que os traços correspondentes, antes distintos ,se tornam similares.
Os descendentes se parecem mais uns com outros do que com ancestral, embora a similaridade geralmente esteja associada aos detalhes, suas origens são distintas
S.N
S.N
QUAL O PRINCIPAL FATOR QUE ATUA NESTA CONVERGÊNCIA ENTRE OS INDIVÍDUOS?
A
Seleção natural
força linhagens distintas que vivem em habitats similares a apresentarem características semelhantes. Podendo também atuar de forma negativa, selecionando mutações negativas não adaptáveis
Fenômeno evolutivo caracterizado pela adaptação de diferentes organismos a uma condição ecológica igual.
Thylacinus cynocephalus
Marsupial que vivia na Austrália e Nova Guiné

Canis lupus
Lobo placentário
Outros exemplos:
Golfinho - Mamífero
X
Família Delphinidae
Tubarão - "peixe"
Classe: Chondrichthyes
ordem de répteis
marinhos extintos
Ictiossauro
ESTES INDIVÍDUOS SÃO 2 CÁCTOS?
NÃO
Ambas pertencem a diferentes famílias e são parentes distantes na filogenia ; no entanto, ambas são suculentas, possuem caules grossos que armazenam água, possuem espinhos para proteção, e ambas são adaptadas para sobreviver em regiões desérticas
Na direita Cactos (família Cactaceae)
Na esquerda Euphorbias Sul-Africano (família Euphorbiaceae)
http://archive.peabody.yale.edu/exhibits/treeoflife/succulent.html
IRRADIAÇÃO ADAPTATIVA
Neste modelo, temos um
ancestral comum
que dele surgiram várias espécies. Ancestrais que viviam em populações grandes que por algum acontecimento passaram a povoar outras áreas, e lá se adptando ao meio e com ação da seleção natural foram se diferenciando do grupo original e assim formando novas espécies
A partir de um mesmo tipo ancestral ocorre o aparecimento de várias linhas evolutivas divergentes.
Mas que acontecimentos, ou melhor , quais
fatos ocorreram para o surgimento muitas outras espécies?
Este processo que é consequência de isolamento geográfico de vários grupos a partir de uma população inicial, levando à diversificação das espécies com acúmulo de características diferentes ao longo do tempo e com atuação da seleção natural.
Barreiras geograficas
Outros processos
:

Extinção de competidores

Substituição de espécies competidoras

Barreiras adaptativas

As irradiações adaptativas, podem ser compreendidas, segundo o princípio de divergência, proposto por Darwin, em que as formas mais semelhantes, competirão mais intensamente do que as formas mais diferentes, tendendo a se distanciar, durante o processo evolutivo
O QUE É EVOLUÇÃO?
Evolução é o processo através no qual ocorrem as mudanças ou transformações nos seres vivos ao longo do tempo, dando origem a espécies novas. A Teoria evolutiva apresenta evidências decorrentes de estudos comparativos de organismos fósseis e atuais.

A árvore filogenética é uma hipótese sobre relações evolutivas, e para sua construção é preciso usar características que sejam indicadores confiáveis de ancestralidade.
Na biologia, nos estudos evolutivos das espécies extintas e viventes encontramos estruturas semelhantes em diferentes espécies, tais semelhanças podem ser análogas ou homólogas.
HOMOLOGIA
“Quando um mesmo órgão ocorre em diferentes animais variando sua forma e função "
Homologia
quando ocorre a mesma origem embriológica de estruturas de diferentes organismos, sendo que essas estruturas podem exercer ou não a mesma função.
www.brasilescola.com

A homologia entre estruturas de dois organismos diferentes sugere que eles se originaram de um grupo ancestral comum, embora não indique um grau de proximidade comum.
Derivam do membro anterior presente no grupo ancestral que originou os mamíferos, portanto, são estruturas homólogas entre si, pois todas têm a mesma origem embriológica.
Nesses casos, não há similaridade funcional
Exemplos: Os membros anteriores de vertebrados terrestres:
Os quatro membros dos tetrápodes
O Ancestral dos tetrápodes desenvolveu quatro membros e seus descendentes herdaram esse atributo, logo, a presença de quatro membros é uma homologia.
ANALOGIA
"Quando uma parte ou um órgão de um animal tem a mesma
função que a parte ou o órgão de outro animal”
A analogia refere-se à semelhança entre estruturas de diferentes organismos, devida unicamente à adaptação a uma mesma função, então, as estruturas análogas não refletem por si sós qualquer grau de parentesco.
Quando organismos não intimamente aparentados apresentam estruturas semelhantes exercendo a mesma função, dizemos que eles sofreram evolução convergente ou convergência evolutiva, que é caracterizada pela adaptação de diferentes organismos a uma mesma variáve
São estruturas diferentes quanto à origem embriológica, não derivam das mesmas estruturas presentes em um ancestral comum exclusivo entre insetos e aves, mas ambas estão adaptadas à execução de uma mesma função: o vôo.
Asas de morcegos consistem em retalhos de pele estendidos entre os ossos dos dedos e do braço. Asas de pássaros são penas estendidas por todo o comprimento do braço.
Essas diferenças sugerem que as asas de morcego e as de pássaro não foram herdadas de um ancestral comum com asas.
Apesar das asas de pássaro e de morcego serem análogas como asas, como membros dianteiros elas são homólogas.
Pássaros e morcegos não herdaram asas de um ancestral comum com asas, mas herdaram os membros superiores de um ancestral comum com essa característica.
Analogia
Homologia
A perda secundária da capacidade de vôo de alguma aves Paleognatas ( Avestruz,Inhambu Chororó etc..)
Reversão Evolutiva
Um caráter complexo pode degenerar e retornar ao seu estado original.
O retorno à condição ápoda em cobras:
http://biosubverso.blogspot.com.br/2013/08/filogenia-mastigada-para-biologos-e.html
Condição áptera (sem asa) Pulga x colêmbola
Os ancestrais da linhagem que originou o colêmbola jamais tiveram asa.
Convergência Adaptativa
Isto pode dar lugar a falsas interpretações, já que pode ser considerado um caráter primitivo, mas, na realidade, é um caráter avançado.
É um caso de reversão, uma vez que o ancestral de todos os tetrápodes desenvolveu dois pares de membros locomotores
http://cobrasserpentes.blogspot.com.br/2012/09/cobra-coral.html
Micrurus corallinus
http://biosubverso.blogspot.com.br/2013/08/filogenia-mastigada-para-biologos-e.html
Grupo externo basal
Sapos: não têm dentes na mandíbula, ancestrais tinham dentes
Triatobatrachus sp
sub-classe Lissamphibia
Gastrotheca guentheri
HOMOPLASIA
As homoplasias são caracteres semelhantes que surgiram mais de uma vez (origem independentemente), causando interferência nas análises dos relacionamentos filogenéticos.
São portanto características semelhantes que ocorrem em espécies não diretamente aparentadas. Tipos de homoplasias:
paralelismo
,
reversão
,
convergência adaptativa.
Caráter compartilhado por duas ou mais espécies que não estava presente no ancestral comum a elas.
O termo homoplasia é sinônimo de analogia
PARALELISMO
Um caráter é compartilhado por duas ou mais espécies que descendem de um mesmo ancestral comum, porém o caráter compartilhado por elas não estava presente no ancestral comum a elas
As membranas interdigitais dos dedos anteriores dos pés dos patos e dos albatrozes.

Redução no comprimento dos élitros em diferentes grupos de besouros serra-paus (Cerambycidae)

REFERÊNCIAS:
AMORIM, Dalton de Sousa. Fundamentos de Sistemática Filogenética (1º edição), Editora Holos, 2002.
ARMSTRONG, W.p. Parallel and Convergent Evolution: Similar Terms That Are Difficult To Distinguish. 2005. Disponível em: <http://waynesword.palomar.edu/convevol.htm>. Acesso em: 2 out. 2014.

DAVID, S. C HELLER, W . K. PURVES,D. M. H. Vida: A Ciência da Biologia - 8.ed.: Volume 2: Evolução, Diversidade e Ecologia 2008

HICKMAN JR, C.P.; ROBERTS, L.S.; LARSON, A. Princípios integrados de zoologia. 11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2004.

Hildebrand, Milton. Análise da estrutura dos verterados / Milton Hildebrand, G.E. Goslow Jr. ; ilustradora Viola Hildebrand ; Tradução Ana Maria de Souza, É rika Schlenz. – 2. Ed. – São Paulo : Atheneu Editora, 2006.
LIMA, Jorge Luiz. ESPECIAÇÃO/CONVERGÊNCIA/IRRADIAÇÃO. 2005. Universidade Federal Fluminense. Disponível em: <http://www.uff.br/prebio/index.htm>. Acesso em: 28 out. 2014.

OLIVEIRA, Ester Helena de. Polarização de Séries de transformações e conceito de Homoplasia: Homologia x homoplasia. 2013. Blog subverso. Disponível em: <http://biosubverso.blogspot.com.br/2013/08/filogenia-mastigada-para-biologos-e.html>. Acesso em: 2 ago. 2013.

QUICK, D.L. 1993. Principles and Techniques of Contemporary Taxonomy. Blackie Academic & Professional

RIDLEY, M. Evolução. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.
Full transcript