Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

IMPASSES COMERCIAIS ENTRE BRASIL E EUA

No description
by

Leticia Pereira

on 9 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of IMPASSES COMERCIAIS ENTRE BRASIL E EUA

Início da relação EUA e Brasil.
Fatores que contribuíram para esta relação.
Politica Econômica Brasileira
Relação comercial entre Brasil e EUA atualmente
Momentos de tensão.
Contribuição dos EUA
Em meados do séc. XX e XXI, os EUA consolidavam-se como o principal parceiro comercial brasileiro. Essa relação teve início já na época em que os EUA eram os principais importadores do café do Brasil. A partir de então os EUA passou a ser um dos principais fornecedores de produtos manufaturados para o país, ultrapassando até os outros principais fornecedores: os europeus.
Atualmente pode-se considerar que a balança comercial entre EUA e Brasil está equilibrada apesar de que o Brasil importa mais do que exporta para os norte-americanos. Entretanto os dois são de certa maneira dependentes entre si, ou seja, o Brasil importa 1,4% dos produtos dos EUA sendo os principais: peças de automóveis, veículos e aparelhos eletrônicos e, os EUA importam 1,3% dos produtos do Brasil, no caso o principal seria o petróleo.
Alguns dos fatores mais importantes para esta aproximação foram: a mudança do padrão do padrão-ouro pelo dólar, nos EUA na década de 1930 e os acontecimentos econômicos e políticos que prosseguiram após a 2ª Guerra Mundial, desfavorecendo assim a influencia do Reino Unido sobre o Brasil e todo o restante da América latina.
Nesta época, a política econômica externa brasileira passou a ser organizada de forma que concordasse com as teses do multilateralismo defendidos pelos EUA. Estas teses presentes na consolidação do GATT, por sua vez, tinham como objetivo guiar igualmente os arranjos relativos a investimentos estrangeiros, porém, o Brasil preferiu ter cautela, temendo abrir-se de maneira irrestrita aos fluxos de capitais privados. A preferencia então foi dada aos projetos de financiamento público, nos quais os EUA tiveram significativa participação.
Mais tarde começou a haver momentos de tensão entre EUA e Brasil, onde o Brasil e outros diversos países em desenvolvimento começaram a perceber que estavam sendo penalizados pelas regras estabelecidas por países desenvolvidos, por exemplo, EUA, que passou a recorrer cada vez mais a medidas de defesa comercial que o Brasil considerava abusivas, como política antidumping, direitos compensatórios e acordos ilegais de restrições voluntárias de exportações.
A década de 1950 foi muito importante pelo grande avanço econômico no Brasil devido às industrializações onde os EUA teve grande importância, principalmente pelas diversas plantas automotivas instaladas no território brasileiro e também pelas incorporações tecnológicas tanto via estatal, quanto privada.
Impasses comerciais entre
Brasil e Eua.
Full transcript