Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Guerra Colonial

No description
by

Lara Sousa

on 19 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Guerra Colonial

Guerra Colonial
Contexto da Guerra Mundial
Nas colónias europeias sempre existiram movimentos de oposição e resistência à presença das potências coloniais. Porém, ao longo do século XX, o sentimento nacionalista — fortemente impulsionado pelas primeira e segunda guerras mundiais .
Por outro lado, também as grandes potências emergentes da II Guerra Mundial, os Estados Unidos e a União Soviética, alimentavam — quer ideologicamente, quer materialmente — a formação de grupos de resistência nacionalistas, durante a sua disputa por zonas de influência.
O regime do Estado Novo nunca reconheceu a existência de uma guerra, considerando que os movimentos independentistas eram apenas terroristas e que os territórios não eram colónias, mas províncias e parte integrante de Portugal. Durante muito tempo, grande parte da população portuguesa, iludida pela censura à imprensa, viveu sob a ilusão de que, em África, não havia uma guerra, mas apenas alguns ataques de terroristas e de potências estrangeiras.
Anos
O que foi ?
Designa-se por Guerra Colonial o período de confrontos entre as Forças Armadas Portuguesas e as forças organizadas pelos movimentos de libertação das antigas províncias ultramarinas de Angola e Moçambique
Onde aconteceu ?
Aconteceu em Angola , Guiné Bissau e Moçambique .
Como começou
E onde ?
A 4 de fevereiro, o Movimento Popular e Libertação de Angola (MPLA), que era apoiado pela União Soviética e por Cuba, atacou a prisão de São Paulo, em Luanda, e uma esquadra da polícia. Foram mortos sete polícias. E no norte do território, a UPA (União das Populações de Angola), que se dedica sobretudo à guerrilha rural, desencadeou vários ataques contra a população branca. Angola foi a primeira colónia onde se iniciou a luta armada organizada contra o domínio português.
O fim da guerra
O 25 de Abril de 1974, planeado e executado por militares dos três ramos das Forças Armadas Portuguesas, uma nova geração de oficiais de baixa e média patente, formada e criada na guerra, que aprendera a agir com autonomia, levantaria, sob a direcção do Movimento das Forças Armadas (MFA), um período revolucionário que transformaria radicalmente o Estado e a sociedade.
Consequências
No ínicio dos anos 60 formaram-se
movimentos defensores da independência das colónias portuguesas .
Guerras de guerilha entre as Forças Armadas Portuguesas e os movimentos de defesa da independência colonial da Angola , Guiné-Bissau e Moçambique levaram :
- Guerra de 13 anos entre Portugal e as colónias ultramarinas .
Veteranos da guerra
O conceito de Perturbação Pós – Stress Traumático de Guerra surgiu, após a Guerra do Vietname (1959-1975) e a Guerra Colonial (1961 - 1974). Em todas estas situações traumáticas o surgimento do distúrbio encontra-se relacionado com um acontecimento stressor.

Em 1976, o Vietnam Veterans Working Group (VVWG) propõe um diagnóstico, referenciado como “Catastrophic Stress Disorder”, designando como um fenómeno que afecta não só os veteranos do Vietname, mas também aqueles que estiveram sujeitos a um acontecimento que saísse fora da experiência humana dita “normal”.
Assim, os VVWG reuniram mais de cem histórias de veteranos do Vietname, de civis com problemas no local de trabalho, vítimas de desastre e sobreviventes de campos de concentração. Em 1980, no “Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders” (DSM – III), surge pela primeira vez a designação do conceito de Perturbação Pós – Stress Traumático mantida até hoje apesar de algumas alterações.
Angola
Guiné-Bissau
Moçambique
Bibliografia
http://pt.slideshare.net/jorgediapositivos/guerra-colonial-portuguesa?next_slideshow=3
https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_Colonial_Portuguesa#Contexto_pol.C3.ADtico-social
http://www.dw.com/pt/cronologia-1961-1969-in%C3%ADcio-da-guerra-colonial-e-viragem-no-destino-das-col%C3%B3nias/a-17280932
http://www.publico.pt/sociedade/noticia/a-guerra-colonial-causou-mais-danos-fisicos-do-que-psicologicos-1477438
http://sites.apoiar-stressdeguerra.com/o-stress-de-guerra
Trabalho realizado por :
Lara Nº11 Voc II
A 4 de Fevereiro de 1961 teve início a Guerra Colonial com o ataque de duas centenas de revoltosos à esquadra de polícia da PSP e cadeias em Luanda. Só terminaria 14 anos depois, com o 25 de abril e o fim da ditadura. Morreram 8289 militares portugueses no conflito, em Angola, Moçambique e Guiné-Bissau.
Full transcript