Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

3.3 A reinvenção das formas artísticas

No description
by

João Albuquerque

on 21 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 3.3 A reinvenção das formas artísticas

3.3 A reinvenção das formas artísticas
3.3.1 Imitação e superação dos modelos da Antiguidade
As manifestações artísticas dos séculos XV e XVI espelham novas sensibilidades estéticas, baseadas na arte clássica (
classicismo
) e na representação de elementos naturais (
naturalismo
).
Escultura
Classicismo

Os artistas deste período inspiraram-se nos artistas da Antiguidade Clássica, em cujas obras apreciavam a harmonia das formas, a mestria técnica, o rigor matemático e a racionalidade das composições.
Esta admiração pelas obras clássicas foi acompanhada de um elevado interesse arqueológico pelos vestígios da Roma Antiga.
Ao mesmo tempo a estética medieval do estilo gótico era repudiada pelos artistas do Renascimento.
Naturalismo
Os artistas do Renascimento nutriam também admiração pela Natureza, a qual tentam transpor para a arte, e apurado sentido de captação da realidade. Desta forma, ultrapassam os clássicos na representação dos seres humanos, animais, paisagens....

Conscientes do seu talento, os artistas do Renascimento não mais quiseram ser considerados apenas bons artífices, passando a assinar as suas obras como autênticos criadores.

Nos temas retratados: mitologia e história clássicas.
Na representação do corpo humano, glorificando-o.
Na valorização da proporção, da simetria, da harmonia.
Na utilização dos elementos artísticos greco-romanos, tais como colunas, capitéis, cornijas, frontões, arcos, abóbadas de berço, cúpulas e ordens arquitetónicas.
Escultura do Renascimento
A escultura renascentista recuperou muita da grandeza e perfeição alcançadas na Antiguidade Clássica. Para isso contribuíram as várias campanhas arqueológicas que neste período foram levadas a cabo em Roma e que deram a conhecer muitas obras-primas da estatuária greco-romana, nas quais se inpiraram os escultores do Renascimento.
A escultura deixou de estar subordinada ao enquadramento arquitetónico para onde a Idade Média a relegara.
A estátua equestre, de extremo realismo, foi a área onde melhor se verificou a aplicação do naturalismo.
Para além da estátua equestre, recupera-se o nu, as figuras mitológicas e biblicas e os túmulos tornam-se espaços de exaltação das capacidades humanas.
Principais características da escultura renascentista
Principais escultores
Gattamelata,
Donatello
Bartolomeo Colleoni
, Verrochio
Humanismo
Presente na representação da figura humana (nu) e na exaltação das capacidades e feitos do ser humano(estátua equestre, túmulos)
Naturalismo
No rigor anatómico (ossos, músculos), na expressão fisionómica (reveladora da personalidade), na espontaneidade e ondulação das linhas (curvas e sinuosas, diferees das formas rígidas da escultura medieval).
Equilíbrio
Na preferência pela composição geométrica em pirâmide, sinal da racionalidade.
Perfeição técnica
No domínio de vários materiais (mármore, pedra, bronze, madeira, terracota) e no domínio da técnica da perspetiva, executada com base em desenhos rigorosos, de modo a atingir os ideais de proporção e naturalismo (fosse no baixo-relevo ou na estatuária)
Lorenzo Ghiberti
, Portas do Paraíso
(batistério de Florença)
Donatello
Verrocchio
Miguel Ângelo
Full transcript