Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

DESENVOLVIMENTO DA LITERATURA

No description
by

Graciana Lenzi

on 2 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of DESENVOLVIMENTO DA LITERATURA

XV
Era Medieval
Séc. XII a XIV

DESENVOLVIMENTO DA LITERATURA
TROVADORISMO - XII
• Primeira manifestação literária de Portugal.
• Surgiu no século XII, entre 1189 e 1418, em plena Idade Média.
• Portugal estava no processo de formação nacional - Feudalismo (sistema) - Teocentrismo (Deus)
• A palavra trovadorismo origina-se de trovador, termo que designava o poeta da época.
• Não havia poemas para serem lidos. Os poemas eram feitos para serem cantados – as chamadas cantigas - escritas em galego-português.
• As cantigas eram manuscritas e reunidas em livros, conhecidos como Cancioneiros.
• Utilizava-se principalmente a viola, a harpa e a lira.
• O marco inicial do Trovadorismo é a “Cantiga da Ribeirinha” (conhecida também como “Cantiga da Garvaia”), escrita por Paio Soares de Taveirós no ano de 1189.
• Os trovadores de maior destaque na lírica galego-portuguesa são: Dom Duarte, Dom Dinis, Paio Soares de Taveirós.
• As cantigas dividiam-se em: Líricas (amor e amigo) e Satíricas (escárnio e maldizer).
QUINHENTISMO - XVI
• Manifestações literárias ocorridas no Brasil, no momento em que a cultura europeia foi introduzida no país.
• Ainda não se trata de uma literatura genuinamente brasileira, a qual revele a visão do homem brasileiro.
• Trata-se de uma literatura ocorrida no Brasil, ligada ao Brasil, mas que denota a visão, as ambições e as intenções do homem europeu mercantilista em busca de novas terras e riquezas.
• As manifestações ocorridas se prenderam, basicamente, à descrição da terra e do índio, ou a textos escritos pelos viajantes, jesuítas e missionários que aqui estiveram.
• As Grandes Navegações no auge.
• Descobertas científicas (Terra), filosóficas.
RENASCIMENTO / CLASSICISMO - XVI
• Valorização do homem e sua individualidade: A objetividade e princincipalmente no racionalismo e no desenvolvimento científico.
• O Classicismo surge durante o Período do Renascimento, ou seja, em meio ao movimento artístico no qual a cultura clássica ocupava o espaço da medieval; O capitalismo consolidava-se e a Idade Média tinha seu fim.
Características
:

Racionalismo
: contrapondo à cultura medieval, que era baseada na autoridade divina, os renascentistas valorizavam
a razão humana como base do conhecimento
. Capacidade de criticar, observar e analisar, raciocinando e buscando caminhos e soluções.

Humanismo
: a valorização do homem como um ser com capacidade única de criar, inventar, descobrir e explicar, segundo os princípios lógicos.

Universalismo
: espírito de descobertas, de verdades absolutas, de registro da realidade comprovada. Período das grandes navegações, das invenções científicas.

Perfeição formal
: métrica, rima, correção gramatical, tudo isso passa a ser motivo de atenção e preocupação.

Mitologia
: Presença da mitologia greco-romana, deuses que representam atitudes e emoções humanas.
BARROCO / SEISCENTISMO PORTUGUÊS - XVII
• O homem em conflito.
• Na Europa muita intranquilidade política, socias e principalmente religiosa.
• Reforma protestante X Contrarreforma - Morte a quem não acreditava. = Companhia de Jesus.

Cenário
: Fé X razão; Deus X homem; Céu X terra; Espiritualidade X materialidade.

Características gerais
: • Dualismo entre teocentrismo e o antropocentrismo.
• Linguagem rebuscada: figuras de linguagem, uso da ordem inversa.
• Brevidade da vida: Morte - desejo de viver intensamente.
• Idealização amorosa: intensidade de sentimentos de pecado e culpa.
• Contraste.
• Preferência pelos aspectos mais dolorosos e cruéis.
• Figuras religiosas, anjos e santos.
BARROCO BRASILEIRO - XVII
• O Brasil tornara-se ainda no século XVI, um empreendimento comercial importante para Portugal, produzindo mais riquezas que outros países.
• A vida da Colônia passara a organizar-se, desde então, em torno dos engenhos de açúcar.
• A cidade de Salvador, capital da Colônia desde a criação do Governo-Geral (1549) foi então transformada em polo da produção cultural.
• Marco inicial é o poema épico “Prosopopeia” de Bento Teixeira.
• O autor que mais se destacou nessa escola literária foi Gregório de Matos “Boca do Inferno”.
ARCADISMO/ NEOCLASSICISMO/ SETECENTISMO
• Como o próprio nome já diz NEO (novo) CLASSICISMO, a retomada de padrões clássicos.
• O Barroco fica desgastado, muito rebuscado, exagero.
• Amplia-se o estudo científico, a valorização da ciência e do progresso.
• Com o aumento da burguesia + Revolução Industrial = produção artesanal por máquinas.
• Movimentos migratórios - campo para a cidade - consequência poluição, agitação, violência.
• Surge a ideia de retorno às origens naturais e bucólicas, distante das grandes cidades.
• Arcádias (academias literárias) - artistas (pseudônimos) - valorização = pastores.
• Movimento cultural - Iluminismo.
PROFESSORA GRACIANA LENZI
HUMANISMO - XV
• Foi uma época de transição entre a Idade Média e o Renascimento.
• Foi nessa época que surgiu uma nova classe social: a
burguesia
. Os burgueses não eram nem servos e nem comerciantes.
• Com o aparecimento desta nova classe social foram aparecendo as cidades e muitos homens que moravam no campo se mudaram para morar nestas cidades, como consequência o regime feudal de servidão desapareceu.
• Foram criadas novas leis e o poder parou nas mãos daqueles que, apesar de não serem nobres, eram ricos.
• O “status” econômico passou a ser muito valorizado, muito mais do que o título de nobreza.
• As Grandes Navegações trouxeram ao homem confiança de sua capacidade e vontade de conhecer e descobrir várias coisas.
• A religião começou a decair (mas não desapareceu) e o teocentrismo deu lugar ao antropocentrismo, ou seja, o homem passou a ser o centro de tudo e não mais Deus.
• Os artistas começaram a dar mais valor às emoções humanas.
• Divide-se em blocos: poesia palaciana Garcia Resende (vida aristocrática dos palácios - Cancioneiro Geral), a historiografia e o teatro Gil Vicente (épocas festivas).
(caracterizando a transição do feudalismo para o capitalismo e significando uma ruptura com as estruturas medievais)

http://guiadoestudante.abril.com.br/estudar/jogos-multimidia/escolas-literarias-brasileira-portuguesa-702798.shtml
Era Clássica
XVI = 1503
Principais Autores e Obras:

Luís Vaz de Camões
(1524-1580). É considerado o maior poeta da língua portuguesa. Sua obra-prima "Os Lusíadas" (obra dividida em 10 partes (cantos) com 8816 versos distribuídos em 1120 estrofes), conta a viagem do grande navegador português Vasco da Gama às Índias. Escreveu também poesias (líricas e épicas) e peças teatrais.

Outros escritores existiram, porém não tiveram tanto destaque quanto Camões, são eles:
Sá de Miranda (
peças de teatro, uma das mais conhecidas de sua obra é Cleópatra, uma tragédia)
, Bernardim Ribeiro e Antonio Ferreira.

O Classicismo terminou em 1580, com a passagem de Portugal ao domínio espanhol e também com a morte de Camões.
Leonardo da Vinci
(1452-1519) - ele dominou com sabedoria um jogo expressivo de luz e sombra, gerador de uma atmosfera que parte da realidade, mas estimula a imaginação do observador. Foi possuidor de um espírito versátil que o tornou capaz de pesquisar e realizar trabalhos em diversos campos do conhecimento humano.
Literatura Informativa
: A Carta de Caminha inaugura o que se convencionou chamar de Literatura Informativa sobre o Brasil. (1º de maio 1500)
• Este tipo de literatura, também conhecido como literatura dos viajantes ou literatura dos cronistas, como consequência das Grandes Navegações, empenha-se em fazer um levantamento da “terra nova”, de sua floresta e fauna, de seus habitantes e costumes, que se apresentaram muito diferentes dos europeus.
Literatura Jesuítica/Catequese: Como consequência da Contrarreforma (expandir a religião + fiéis), chegam, em 1549, os primeiros jesuítas ao Brasil.
• Incumbidos de catequizar os índios e de instalar o ensino público no país, fundaram os primeiros colégios, que foram, durante muito tempo, a única atividade intelectual existente na colônia.
• O instrumento mais utilizado para atingir os objetivos pretendidos pelos jesuítas (moralizar os costumes dos brancos colonos e catequizar os índios) foi o 
teatro
, mas outras produções ocorreram, como,
poemas e corais
.
• Para isso,
os jesuítas chegaram a aprender a língua tupi
, utilizando-a como veículo de expressão.
• Padre Manuel da Nóbrega, o missionário Fernão Cardim e o
padre José de Anchieta - “Do Santíssimo Sacramento” e “A Santa Inês”.
Era Colonial
XVII - XVIII = 1600
ESTILOS/ TENDÊNCIAS

Cultismo
: Culto à forma. Preocupação com a técnica e a estética do texto. Uso acentuado de figuras de linguagem, linguagem rebuscada e vocabulário culto, formal.


Conceptismo
: Culto à ideia, à argumentação ao conteúdo e raciocínio exposto. Manifestação principalmente em prosa. Intuito de ensinar.
• Início em Portugal 1580 com a fundação da Arcádia Lusitana.
• Autor mais importante
Pe. Antônio Vieira
Gregório de Matos
• Baiano.
• Considerado o iniciador da literatura brasileira.
• Recebeu influência tanto do cultismo, como do conceptismo.
• Obras com diversidades de temas.
• Gêneros que produziu: Poesia sacra (temática religiosa), lírica amorosa, poesia satírica.
Poesia sacra
: Essa temática abrange comemorações a festas de santos, reflexões morais.
Lírica amorosa
: A pura idealização do amor; Timidez do amante, temeroso do desprezo da amada; Busca definir o amor.
Poesia satírica
: Não perdoava ninguém, ricos e pobres, negros, brancos e mulatos, padres, freiras, autoridades civis e religiosas, amigos e inimigos, todos eram objeto de sua “lira maldizer”.
ARCADISMO/ NEOCLASSICISMO/ SETECENTISMO
• Basicamente são os mesmos ideais Europeu.
• Primeira tentativa de construir um literatura brasileira.
• Descoberta do ouro em Minas Gerais.
• Vila Rica (atual Ouro Preto) e Rio de Janeiro substituíram Salvador como polos de produção e irradiação de ideias.
• Uma pequena burguesia letrada (padres, comerciantes, militares) faziam ecoar as ideias do Iluminismo.
XVIII
Manuel Maria Barbosa du Bocage - pseudônimo árcade "Elmano Sadino"
: Apresenta uma poesia com características
árcades
,
satíricas
, na qual critica a corrupção e as hipocrisias portuguesas,
erótica
.

Características
: •
Bucolismo e pastoralismo
: retorno a vida do campo, principais temáticas.

Iluminismo
: busca pela clareza, crença na razão e na ciência.

Antropocentrismo
: (homem).

Racionalismo
: busca pela objetividade e pelo equilíbrio.

Idealização

amorosa
.

Linguagem objetiva, vocabulário simples
e
ordem direta
.

Carpe diem
: o “aproveite o dia”, o “curta o momento”.
ESCRITORES:

Cláudio Manuel da Costa "Glauceste Satúrnio"
: Introdutor do arcadismo brasileiro, com
Obras Poéticas
(1768); Sonetos líricos (vida e amor).


Tomás Antônio Gonzaga "Dirceu"
: é o mais popular e mais conhecido poeta árcade. Nasceu em Portugal. Em Vila Rica conheceu Maria Doroteia Joaquina de Seixas, 17 anos com quem manteve relações amorosas "Marília de Dirceu" - dividida em três partes (liras).
ROMANTISMO
Era Romântica
Era Nacional
Primeira metade XIX
• Período revolucionário, responsável pelas grandes transformações sociais, políticas e ideológicas.
• A burguesia já começa a se tornar a classe dominante.
• Revolução Industrial – causou mudança do estilo de vida.
• Revolução Francesa – representa a tomada do poder político pela burguesia.
• Consequentemente estas transformações influenciaram as artes e a literatura.
• Liberdade de expressão “Não há regras nem modelos” (individualismo).
• Nacionalismo, historicismo e medievalismo: Exaltação dos valores e os heróis nacionais, ambientando seu passado histórico, principalmente o período medieval.
• Valorização das fontes populares – o folclore: Os autores buscavam inspiração nas narrativas orais e nas canções populares, manifestação do nacionalismo romântico.

CARACTERÍSTICAS:
• Confessionalismo: Os sentimentos pessoais do autor em dado momento de sua vida são expressos nas obras.
• Pessimismo: O individualismo e do egocentrismo adquirem traços doentios. O “mal do século” ou tédio de viver conduz:
- ambiente exótico ou passado misterioso.
- narrativas fantásticas (envolvendo o sobrenatural).
- morte (como última solução).
• Crítica Social: O Romantismo pode assumir um caráter combativo de oposição e crítica social, observamos sua ocorrência na sua última fase.
SÃO TRÊS AS GERAÇÕES:

PRIMEIRA:
Os primeiros autores conservavam características clássicas (apego às regras da produção literária). Principais temas:- nacionalismo.- romance histórico e medievalismo.
Destacam-se
Almeida Garrett
, Alexandre Herculano e Antônio Feliciano de Castilho.

SEGUNDA
: Período do Ultrarromantismo: exagero pelo subjetivismo e emocionalismo (o tédio, devaneio, sonho, desejo da morte estão sempre presentes).
Destacam-se Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis, Soares dos Passos e João de Deus.

TERCEIRA
: Essa fase antecipa características da Escola Realista, que substituirá o Romantismo.
O subjetivismo e o emocionalismo cederão lugar para uma literatura de tom exaltado, baseada nos grandes debates sociais e políticos da época.
ROMANTISMO
- Grandes transformações políticas.
- Vinda da família real para o Rio de Janeiro (1808), a elevação do Brasil à categoria de reino (1816), primeiro reidado (D.Pedro I, 1822 - 1831) (Início da literatura).
- Surto de desenvolvimento com a amplicação do comércio exterior (CAFÉ) e a industrialização.
- Os conflitos ainda existiam.
- Campanha republicana (fundação) e a Campanha abolicionista.
- Outro aspecto importante é com relação à escravidão dos negros: o Brasil era uma das poucas colônias americanas que ainda sustentava o sistema econômico baseado do trabalho escravo, o que gerou opiniões controversas por parte dos autores daquela época.
- Temos expressões literárias abolicionistas (Exemplo: o poeta Gonçalves de Magalhães).
- A busca por expressões originais e legítimas dos sentimentos nacionais.
- Niterói -
Revista

Brasiliense
. (Renovação literária e adoção de ideais românticos, principalmente o
nacionalismo
,
religiosidade
e
abandono
dos padrões neoclássicos).
- Considera-se que o período romântico no Brasil inicia em 1836, com a publicação da obra Suspiros Poéticos e Saudades, do poeta Gonçalves de Magalhães e vai até o ano de 1881, com a publicação do romance realista Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis.
- Manuel de Araújo Porto Alegre é um dos iniciadores do romantismo brasileiro - escritor, jornalista, arquiteto e pintor.
SÃO TRÊS AS GERAÇÕES:
PRIMEIRA:
- Domingos José Gonçalves de Magalhães,
Antônio Gonçalves Dias
e Manuel de Araújo Porto Alegre.
- Não conseguiram realizar o maior ideal - liberdade expressiva.
- Mesmo assim, renovaram a literatura nos termos de uma proposta nacionalista.
-
Nacionalismo
, sobretudo com o
indianismo
(descrição da natureza - cor local).
SEGUNDA:
Luís José Junqueira Freire -
É o autor mais angustiadodo ultrarromantismo.
(Morreu do coração aos vinte e três anos).
Obras:
Inspirações do Claustro e Contradições poéticas.

• José Marques Casimiro de Abreu -
Produziu a poesia mais ingênua - infantil - temas como saudade, infância, família, amor platônico (medo).

• Manuel Antônio Álvares de Azevedo
-
Literatura mais consistente. (Também vítima de Tuberculose e um tumor 21 anos). Obras: Lira dos vinte anos, poema do frase, entre outros.
TERCEIRA:

Antônio de Castro Alves
- Um dos maiores representantes do Romantismo. Temas como, natureza, amor e problemáticas sociais. Considerado o "poeta dos escravos" (Também vítima de tuberculose - 24 anos).
REALISMO/ NATURALISMO/ PARNASIANISMO
• Surgiu a partir da segunda metade do século XIX.
• É dominada pelo progresso científico.
• A literatura passa a buscar a realidade autêntica, sem fantasia ou rodeio.
AUTORES DO ROMANCE ROMÂNTICO BRASILEIRO:
• Joaquim Manuel de Macedo - A Moreninha.
• José de Alencar - romances indiatistas - Iracema, históricos - As minas de Prata, regionalistas - O tonco do ipê, urbanos - Senhora.
• Manuel Antônio de Almeida - Memórias de um sargento de milícias.
• Bernardo Guimarães - A escrava Isaura.
• Franklin Távora - O Cabeleira.
• Visconde de Taunay - Inocência.
CARACTERÍSTICAS
:
• Oposição ao idealismo romântico. Não há envolvimento sentimental.
• Representação mais fiel da realidade.
• Romance como meio de combate e crítica às instituições sociais decadentes, como o casamento, por exemplo.
• Análise dos valores burgueses com visão crítica denunciando a hipocrisia e corrupção da classe.
• Retrata apenas a vida presente.
• Escrever com clareza e harmonia, observando a correção gramatical, retratando fielmente os personagens e usando uma linguagem próxima da realidade.
• Narrativa minuciosa (com muitos detalhes).
• Personagens analisadas psicologicamente.
O que difere:
• Apresenta uma visão patológica do homem (realismo - biológica).
• Ser amoral.
• Mostra o homem como produto de forças “naturais” zoomorfização.
Na produção...
• Obsessão formal.
• Perfeccionismo do poema.
• Riqueza de vocábulos.
• Controle emocional.
• Descritivismo.
Autores:

Gustave Flaubert (Madame Bovary).
• Eça de Queirós - Primo Basílio, A relíquia, Os maias, A ilustre casa de Ramires, A cidade e as serras, O crime do padre Amaro.
Segunda metade XIX
REALISMO/ NATURALISMO/ PARNASIANISMO
• 2ª Revolução Industrial - Produção em alta, capitalismo acelerado.
• 2º Reinado (D. Pedro II) - Final da época imperial.
• Capital Rio de Janeiro.
• Abolição da escravatura (1888) - Lei Áurea.
• Proclamação da república (1889).
CARACTERÍSTICAS DOS AUTORES:
(Parnasianismo): Busca pela perfeição formal, vocabulário rebuscado, apego à mitologia, recionalismo, objetivismo.
• Olavo Bilac: Imaginação fértil, linguagem castigada, forma impecável, "príncipe dos poetas brasileiros".

(Realismo):
• Machado de Assis: duas fases - Romantica: A mão e a luva, Helena, Histórias da meia-noite. - Realista: Memórias póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Dom Casmurro, Esaú e Jacó, Memorial de Aires. + contos.
• Raul Pompeia: O ateneu.

(Naturalismo): Determinismo (governado pelo destino), objetividade, cientificismo, linguagem simples, descrição, preocupação social.
• Aluísio de Azevedo: O mulato, O cortiço.
O que difere:
• Apresenta uma visão patológica do homem (realismo - biológica).
• Ser amoral.
• Mostra o homem como produto de forças “naturais” zoomorfização.
Na produção...
• Obsessão formal.
• Perfeccionismo do poema.
• Riqueza de vocábulos.
• Controle emocional.
• Descritivismo.
Autores:

Gustave Flaubert (Madame Bovary).
• Eça de Queirós - Primo Basílio, A relíquia, Os maias, A ilustre casa de Ramires, A cidade e as serras, O crime do padre Amaro.
SIMBOLISMO
• Surge na França em reação ao Parnasianismo.
• Lançamento, em 1889, das revistas "Os Insubmissos e Boêmia Nova". (Em Portugal).
• Antinaturalista, antipositivista, antirracionalista, anticlassicista.
Final do séc. XIX
Começo do séc. XX
CARACTERÍSTICAS:
• Uso de símbolo - ideias nebulosas - desconhexas - sombras, névoa.
• Linguagem musical - rimas elaboradas.
• Conteúdo relacionado com o espírito, o místico e o subconsciente.
• Textos onde predominam o íntimo, a intuição e a fantasia.
• Linguagem exótica, com o predomínio de som e colorido.
• Sinestesia - cruzamento de sensações provenientes de sentidos diferentes.
REPRESENTANTES PORTUGUESES:
• Eugênio de Castro: É o seu primeiro livro publicado dentro das novas tendências "Oaristos".
• Camilo Pessanha: livro "Clépsidra".

REPRESENTANTES BRASILEIROS:
• Cruz e Sousa: Inaugura o movimento com o livro "Missal e Bronquéis"
• Alphonsus de Guimaraens.
Full transcript