Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Antonio Gramsci

No description
by

José Domingos Antônio Gonçalves

on 26 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Antonio Gramsci

Relação Paulo Freire com Gramsci
A verdade é que o pensamento desses dois intelectuais se complementa em uma contribuição muito importante para nossa ação política voltada a transformação da realidade.
Primeiramente, ambos se baseiam na práxis, na união da filosofia á pratica. A práxis foi fundamental para que Paulo Freire e Gramsci desenvolvessem pensamentos inovadores para os que buscam a transformação social. Paulo Freire aprofunda o pensamento de Gramsci, completando a noção de hegemonia na perspectiva de transformação e autonomia do povo como contra hegemonia. Alem disso , Paulo freire amplia o conceito de classe passando de proletários, a quem ele inclusive dedica seu mais famoso livro, a pedagogia do oprimido.

Vida e Obra
Nascido no vilarejo de Ales em 22 de janeiro de 1891,ao norte da Sardenha, uma ilha situada no centro do Mediterrâneo ocidental, era o quarto dos sete filhos de Francesco Gramsci, que sofria por dificuldades financeiras e problemas com a polícia. Sua família passou por diversos municípios da Sardenha até finalmente estabilizar-se em Ghilarza.
A filosofia da práxis proposta por Antonio Gramsci como uma possibilidade de emancipação humana, sendo um processo contínuo e permanente capaz de responder aos problemas atuais de nosso momento histórico. Entendendo que a construção de uma nova ordem de relações sociais de produção, nova forma de gerir a vida, emerge de uma concepção dialética da educação que contém em si as preocupações da vida concreta.
Vida e Obra
Conceito de hegemonia e contra-hegemonia
Conceito de filosofia da práxis
Conceito de escola unitária
Conceito de intelectual orgânico
Relação Paulo Freire com Gramsci
Educação/Escola na perspectiva de Gramsci

Hegemonia e contra-hegemonia
Em história política, hegemonia é a supremacia de um povo sobre outros, seja através da introdução de sua cultura ou por meios militares.
Em Política, o conceito foi formulado por Antonio Gramsci para descrever o tipo de dominação ideológica de uma classe social sobre outra, particularmente da burguesia sobre o proletariado e outras classes de trabalho, o domínio se caracteriza por dois elementos: força e consenso. A força é exercida pelas instituições politicas e juridicas e pelo aparato militar. O consenso diz respeito sobretudo a cultura: trata-se de uma liderança ideologica conquistada entre a maioria da sociedade e formada por um conjunto de valores morais e regras de comportamento.

Na opinião de Gramsci, deve se originar da constatação de que todos os homens são “filósofos” quando refletem sobre sua situação e expressam sua concepção de mundo (por meio da linguagem, do senso comum, da religião, do folclore etc.)


Antonio Gramsci
Filosofia da Práxis
SUMÁRIO
Localização da Sardenha na Itália
Antonio Gramsci foi um filósofo, político, cientista político e comunista italiano
Tendo sido um bom estudante, Gramsci venceu um prêmio que lhe permitiu estudar literatura na Universidade de Turim. A cidade de Turim, à época, passava por um rápido processo de industrialização. Os sindicatos se fortaleceram e começaram a surgir conflitos sociais-trabalhistas. Gramsci frequentou círculos comunistas e associou-se com migrantes sardos.
Sua situação financeira, no entanto, não era boa. As dificuldades materiais moldaram sua visão do mundo e tiveram grande peso na sua decisão de filiar-se ao Partido Socialista Italiano

Gramsci, em Turim, tornou-se jornalista. Seus escritos eram basicamente publicados em jornais de esquerda como Avanti. Sua prosa e a erística de suas observações lhe proporcionaram fama.
Sendo escritor de teoria política, Gramsci produziu muito como editor de diversos jornais comunistas na Itália.
Gramsci viria a ser um dos líderes do Partido Comunista Italiano (PCI) desde sua fundação, porém subordinado a Bordiga até que este perdeu a liderança em 1924. Suas teses foram adotadas pelo PCI no congresso que o partido realizou em 1926.
Em 1922 Gramsci foi à Rússia representando o partido, e lá conheceu sua esposa, Giulia Schucht, uma jovem violinista com a qual teve dois filhos.

Em 1924, Gramsci foi eleito deputado pelo Veneto. Ele começou a organizar o lançamento do jornal oficial do partido, denominado L'Unità, vivendo em Roma enquanto sua família permanecia em Moscou.
Em 1926, as manobras de Estaline dentro do Partido Bolchevista levaram Gramsci a escrever uma carta ao Komintern, na qual ele deplorava os erros políticos da oposição de Esquerda no Partido Comunista Russo, porém apelava ao grupo dirigente de Estaline para que não expulsasse os opositores do Partido.
Em 8 de novembro de 1926, a polícia italiana prendeu Gramsci e o levou a prisão romana Regina Coeli. Foi condenado a 5 anos de confinamento; no ano seguinte ele foi condenado a vinte anos de prisão.
Em 1934 sua saúde estava seriamente abalada e ele recebeu a liberdade condicional, após ter passado por alguns hospitais em Civitavecchia, Formia e Roma onde veio a falecer em 27 de abril de 1937, aos 46 anos.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE ARAGUAÍNA
CURSO DE LICENCITURA EM MATEMÁTICA
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO

Seminário Contemporâneos das Ciências Sociais
Antonio Gramsci

Acadêmicos

Antônia Gleice
João Borges
José Domingos
Kelson Feitosa
Sílvia Moreira

A obra escrita de Antonio Gramsci é normalmente dividida cronologicamente em antes e depois da sua prisão pelo governo ditatorial italiano.
No período pré-cárcere, Gramsci escreveu ensaios sobre literatura e teoria política, publicados em jornais operários e socialistas. No Brasil, uma parte destes textos foi publicado no livro Escritos políticos.
No período de cárcere, temos duas obras. As Cartas do cárcere, escritas para parentes e amigos e posteriormente reunidas para publicação. E os 32 Cadernos do Cárcere, de 2.848 páginas, não eram destinados à publicação. Trazem reflexões e anotações do tempo em que Gramsci esteve preso, que começaram a 8 de Fevereiro de 1929 e terminaram em Agosto de 1935, por conta dos seus problemas de saúde.

Principais obras:

Cadernos do Cárcere,
A questão meridional,
Cartas do cárcere,
Americanismo e fordismo, Cadernos do cárcere

Escola unitária
A escola, para Gramsci, necessita de uma organização em que as atitudes tomadas sejam equilibradas e efetivamente exista um relacionamento constante entre o trabalho manual, técnico, industrial e o trabalho intelectual.
Não sendo pedagogo, Gramsci entendeu que a educação era uma dimensão estratégica na luta pela transformação da sociedade e apresenta uma das mais consistes propostas para organizar a cultura no mundo capitalista, delineado o projeto da escola unitária. A escola e a educação para ele assumem uma grande importância.

Intelectual Orgânico
O termo “intelectuais orgânicos”, para Antonio Gramsci são aqueles que dedicam a defender criar a ideologia de um grupo especifico, por exemplo, a burguesia tem seus intelectuais orgânicos como os economistas etc., o proletariado também tem seus intelectuais orgânicos, dentre eles o “partido” segundo Gramsci pode ser considerado um intelectual.
O intelectual, no sentido gransciano, é todo aquele que cumpre uma função organizadora na sociedade e é elaborada por uma classe em seu desenvolvimento histórico desde um tecnólogo ou um administrador de empresas , um dirigente sindical ou partidário.

Educação/escola Na perspectiva de Gramsci

A educação e a escola como projetos de autonomia numa perspectiva gramsciana, vinculam os fenômenos educativos á realidade na qual estamos inseridos e nos permitem uma reflexão para que compreendamos o conhecimento. Não é por acaso a escolha, tendo em vista que Gramsci talvez seja a marxista “clássico” que mais longe leva a reflexão sobre a escola.
A importância do pensamento de Gramsci se apresentar para nossos dias sob os eflúvios das suas reflexões sobre educação, a escola e a cultura.

Referências
ATTA - Filósofos e a Educação - Gramsci - Episódio 04. 2013. Universidade racionalista. Disponível em: < > Acesso 15 fevereiro 2014.

CARVALHO, Alonso Bezerra de; SILVA, Wilton Carlos Lima da (Org.). Sociologia e Educação: leituras e interpretações. São Paulo. Avercamp, 2006.

FERRARI, MÁRCIO. 2011.Pedagogia. disponível em: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/antonio-gramsci-307895.shtml > Acesso em: 15 fevereiro 2014.

MIRANDA, LUIZ CEZAR DOS SANTOS. 2011. V encontro brasileiro de educação e marxismo marxismo, educação e emancipação humana 11, 12, 13 E 14 de abril de 2011 – UFSC – Florianópolis – SC – Brasil, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia. Disponível em: < http://www.5ebem.ufsc.br/trabalhos/eixo_01/e01a_t004.pdf> Acesso em 15 fevereiro 2014.

NOGUEIRA, MARCO AURÉLIO. 2000. Dissertação (professor de Teoria Política da Unesp e pesquisador da Fundap. Texto originalmente publicado como prefácio ao livro de Rosemary Dore Soares) – UNESP. Disponível em: < http://www.acessa.com/gramsci/?id=148&page=visualizar> Acesso em: 14 fevereiro 2014.

PILETI, Nilson; PRAXEDES, Walter. Sociologia da Educação: do positivismo aos estudos culturais. São Paulo: Ática, 2010.
Full transcript