Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

"Verdes são os campos"

ORAL PT
by

Francisco Couto

on 18 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of "Verdes são os campos"

Verdes são os campos,
De cor de limão:
Assim são os olhos
Do meu coração.

Campo, que te estendes
Com verdura bela;
Ovelhas, que nela
Vosso pasto tendes,
De ervas vos mantendes
Que traz o Verão,
E eu das lembranças
Do meu coração.

Gados que pasceis
Com contentamento,
Vosso mantimento
Não no entendereis;
Isso que comeis
Não são ervas, não:
São graças dos olhos
Do meu coração.
O Poema
Análise Interna(Tema)
Análise Interna(Sentimentos)
Análise Externa:
O poema é uma cantiga pois é constituido por um mote de 4 versos e 2 glosas, ambas com 8 versos;
Um poema de Luís Vaz de Camões
"Verdes são os campos"
Esta poema foi
escrito por Luís
Vaz de Camões e publicado pela primeira vez em 1598.
O poema é também a letra de uma música de Zeca Afonso
Pode ser considerada uma cantiga perfeita pois o ultimo verso da cabeça da glosa "tendes" rima com o primeiro da cauda da glosa "mantendes". O mesmo acontece na 2ª volta
Verdes são os campos,
De cor de limão:
Assim são os olhos
Do meu coração.

Campo, que te estendes
Com verdura bela;
Ovelhas, que nela
Vosso pasto tendes,
De ervas vos mantendes
Que traz o Verão,
E eu das lembranças
Do meu coração.

Gados que pasceis
Com contentamento,
Vosso mantimento
Não no entendereis;
Isso que comeis
Não são ervas, não:
São graças dos olhos
Do meu coração.
Verdes são os campos,
De cor de limão:
Assim são os olhos
Do meu coração.

Campo, que te estendes
Com verdura bela;
Ovelhas, que nela
Vosso pasto tendes,
De ervas vos mantendes
Que traz o Verão,
E eu das lembranças
Do meu coração.

Gados que pasceis
Com contentamento,
Vosso mantimento
Não no entendereis;
Isso que comeis
Não são ervas, não:
São graças dos olhos
Do meu coração.
Durante o texto, o sujeito poético expressa vários sentimento:
Sente-se apaixonado pois a natureza lhe lembra a amada;

Sente-se nostálgico e saudoso pois ele apenas vive de memórias e não no presente;

Sente-se triste e desgraçado pois tudo o que tem são recordações de um passado mais feliz e sente-se com saudades disso.
Verdes são os campos,
De cor de limão:
Assim são os olhos
Do meu coração.

Campo, que te estendes
Com verdura bela;
Ovelhas, que nela
Vosso pasto tendes,
De ervas vos mantendes
Que traz o Verão,
E eu das lembranças
Do meu coração.

Gados que pasceis
Com contentamento,
Vosso mantimento
Não no entendereis;
Isso que comeis
Não são ervas, não:
São graças dos olhos
Do meu coração.
Recursos Estilísticos Usados
Contem versos de redondilha menor;
Há a repetição do verso final do mote no verso final da glosa

Também a o uso do bucolismo pois no texto fala-se sobre o gado, natureza, os campos, ervas e ovelhas;
O poeta usa muito a metáfora e comparação pois queria mostrar a beleza e formusidade da amada em comparação com o campo

O escritor dirige-se na maior parte do poema ao gado, que não tem consciência do seu sofrimento, logo usa a personificação e a apóstrofe;
Verdes são os campos,
De cor de limão:
Assim são os olhos
Do meu coração.

Campo, que te estendes
Com verdura bela;
Ovelhas, que nela
Vosso pasto tendes,
De ervas vos mantendes
Que traz o Verão,
E eu das lembranças
Do meu coração.

Gados que pasceis
Com contentamento,
Vosso mantimento
Não no entendereis;
Isso que comeis
Não são ervas, não:
São graças dos olhos
Do meu coração.

No Mote:
Rima Cruzada;
Nas Voltas:
Rima Interpolada e Cruzada nos versos 1, 4 e 5;
Rima Cruzada nos versos 2 e 3;
Rima Cruzada e Interpolada nos versos 6 e 8;
Verdes são os camp
os,
De cor de lim
ão:
Assim são os olh
os
Do meu coraç
ão
.

Campo, que te estend
es
Com verdura be
la
;
Ovelhas, que ne
la
Vosso pasto tend
es
De ervas vos mantend
es
Que traz o Ver
ão
,
E eu das lembranças
Do meu coraç
ão
.

Gados que pasc
eis
Com contenta
mento
,
Vosso manti
mento
Não no entender
eis
;
Isso que com
eis
Não são ervas, n
ão
:
São graças dos olh
os
Do meu coraç
ão
.
Síntese:
Neste poema, o sujeito poético descreve os olhos da amada em comparação aos campos verdes e ao limão.

Diz que esta é graciosa e bela.

A mulher provoca no sujeito poético sentimentos de felicidade, saudade e nostalgia pois sente sente falta do passado com ela mas ao mesmo tempo sente-se feliz por ter um passado alegre

O sujeito poético mostra admiração pela natureza, as recordações e o seu amor por ela;

Neste poema, o escritor usa várias maneiras de expressar sentimentos tal como a metáfora e comparação;

Bibliografia:
http://pt.slideshare.net/HMECOUT/verdes-so-os-campos-9955702

http://pensador.uol.com.br/frase/ODQ5Mzc/
www.google.com

Trabalho realizado por:


Francisco Couto
nº5
10ºR

Escola Secundária Rocha Peixoto
Curso Profisional de Instrumentista Cordas e Teclas
Neste poema, o sujeito poético pretende comparar os olhos da sua amada com a Natureza que é bela e formosa;

Começa por dizer que os olhos dela são verdes como os campos e o limão, expressando aqui a cor dos olhos e a sua beleza; Diz também que os olhos são graciosos;


O "eu lírico" cita a beleza do campo e menciona que as ovelhas mantêm-se deste, enquanto ele se mantem das lembranças do seu coração para não sofrer saudade e angústia;

Por último, o sujeito poético refere que o gado pasta com alegria nos campos, no entanto explica que o que eles estão a comer são as graças do seu coração, ou seja, dá a entender mais uma vez que os olhos da amada são verdes e belos como a erva do campo
Uso do hipérbato
Esquema Rimático
Ajetivação;
Full transcript