Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Redes Sociais e Mídias Interativas

Teoria e prática de uso das Redes Sociais
by

Izathalita Lima

on 23 August 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Redes Sociais e Mídias Interativas

REDES SOCIAIS E MÍDIAS INTERATIVAS
Izaíra Thalita da S. Lima
1 - Discussão conceitual sobre as transformações no homem, na sociedade, na cultura, na percepção e interação nas atividades geradas pelo advento das mídias digitais;
2. Práticas de marketing digital e a realização de ações sociais, culturais, ambientais e educativas através de hipermídias onde se inserem as Redes Sociais.
A importância dos conceitos
A diferença entre teoria e prática é que sem teoria não há uma boa prática ou a teoria não está bem aplicada
Operador x Inventor
Cibercultura, Redes Sociais e Ciberativismo Indígena
izathalita@gmail.com - Email
Izaíra Thalita Lima - Facebook
@Izairathalita - Twitter
@izathalita - Instagram
PROPOSTA DO MÓDULO
E vocês?
O que fazer com as tecnologias de informação ao nosso alcance??
A grande diferença está em ir além do tecnicismo, entender o contexto social, as pessoas, suas criações... E as pessoas estão fazendo coisas realmente extraordinárias na Internet
Música colaborativa
e-commerce
Educação EAD
Ciberativismo
Bibliotecas digitais
Memórias e Arquivos digitais
Redes Sociais
Cibercultura
Temos feito coisas que antes eram consideradas pura ficção:
ISAAC ASIMOV
Somos Ciborgues??
A vida secreta dos Objetos
Não há cultura sem mudanças
Não somos mais Naturais -> Cultura
OBJETIVIDADE X SUBJETIVIDADE
REAL X VIRTUAL
NATUREZA X CULTURA
SUJEITO X OBJETO
Dicotomias que nos separam em partes
Herança da ciência cartesiana (Decartes)
- Bruno Latour - Teoria Ator-Rede ANT
- Considera os objetos ou o Não-humano que age sobre o Humano - Seres HÍBRIDOS

Ações inclusive proporcionadas pela Tecnologia e nossas Redes telemáticas
Somos Híbridos
Quebra de Paradigmas
- Donna Haraway
Michel Serres - Historiador e cientista
Pierre Lévy
Bruno Latour
Isabel Stangers
Vídeo futurista
Vídeo
Jamais Fomos Modernos
Vídeo
Os objetos ganham 'vida'
Pensar sobre os objetos que interferem nas nossas ações e como nos relacionamos com esses objetos, pois são criados e recriados por nós todos os dias.
Por isso que um uso de alguma ferramenta tecnológica pode mudar nas mãos das pessoas.
Isso é teoria e prática
Ciência e senso comum
Ler Trecho do texto sobre cultura
A cibercultura é a relação entre as tecnologias de comunicação, informação e a cultura, emergentes a partir da convergência informatização/telecomunicação na década de 1970. Trata-se de uma nova relação entre tecnologias e a sociabilidade, configurando a cultura contemporânea (LEMOS, 2002).
Pierre Lévy
Inteligência Coletiva –
Pierre Lévy
Com o advento de novas tecnologias e das relações da arte pós-moderna, herdadas das décadas de 1960 e 1970, surge a necessidade de novas formas de relações sociais adequadas a estas mudanças.
Conforme explica Levy (1999, p. 125), através do movimento social californiano ― Computers for the People, os computadores deixaram de ser exclusividade de cientistas e estatísticos, foram barateados e levados ao alcance de pessoas comuns.
Este movimento não fora previsto ou decidido por governos ou multinacionais, mas nasceu de um movimento visando a ― reapropriação em favor dos indivíduos de uma potência técnica que até então havia sido monopolizada por grandes instituições burocráticas (LEVY, 1999, p. 125).

Os atores deste movimento foram jovens que exploraram a rede como um espaço de encontro, compartilhamento e de construção coletiva.
Levy (1999, p. 127) reforça três princípios que proporcionaram o crescimento do ciberespaço:

a interconexão,
a criação das comunidades virtuais e
a construção da inteligência coletiva.

Estes três princípios estão inter-relacionados. A interconexão das pessoas, por meio da rede, possibilita a formação de comunidades virtuais, grupos de pessoas com objetivos comuns que interagem por meio da rede trocando informações, compartilhando ideias e conteúdos.

Esta troca em rede resulta na construção da inteligência coletiva.
A cibercultura propaga um movimento sociocultural, uma forma de comunicação não midiática (LEMOS, 2003b, p. 04), interativa, comunitária, transversal e rizomática, pautada por dois princípios essenciais: a autonomia dos usuários e a alteridade (LEVY, 1999, p. 132).
Devido à democratização do polo de emissão, graças à web, qualquer pessoa pode: criar, compartilhar e consumir informações por meio da rede. Esta possibilidade atende a ― emergência de vozes e discursos, anteriormente reprimidos pela edição da informação pelos mass media (LEMOS, 2003b, p. 2).
Mídias Sociais
A segunda lei da cibercultura é o princípio da conectividade generalizada. Esta nasce da conexão dos computadores pessoais (PC) à rede, transformando-os em computadores conectados (CC). Graças à internet e à web o mundo está interconectado em links de hipertexto.
A rede está em todos os lugares, conforme cita Lemos (2003, p. 2) ― tudo comunica e tudo está em rede.
Estas ligações semânticas tecem conexões globais de conteúdos hipermídia. As tecnologias de transmissão democratizam o acesso às informações, permitindo que qualquer usuário conectado à rede possa criar, compartilhar e consumir informações a partir de qualquer ponto da rede.

O termo mídias sociais não se refere só aos meios de comunicação atuais, mas sobretudo ao seu conteúdo - tudo o que está disponível para qualquer um ler, contribuir e se envolver.

O outro aspecto fundamental das redes sociais é que elas são um meio de conversação de "muitos para muitos", com uma relação complexa entre o público e o remetente.
A REDE
Redes de relacionamento
Permitem a conexão com outras pessoas em sites de relacionamento. Diversas aplicações nesses sites tornam a experiência mais interessante.

Impacto amplo
Os cidadãos da sociedade digital confiam mais uns nos outros do que nas mensagens de marketing das empresas - o que levou analistas a sugerir que, na era digital, as organizações não têm controle total de seu marketing.

No entanto, enquanto a ausência de controle dá crédito à mídia social, a falta de controle editorial significa que a qualidade e a precisão possam ser comprometidas em relação ao conteúdo produzido profissionalmente.
Tipos de mídia social


SOCIAL BOOKMARKING Você pode compartilhar suas páginas favoritas através de sites que permitem que você guarde-as e salve-as. Por exemplo: Digg e Del.icio.ous.

BLOGS E MICROBLOGS Você pode compartilhar suas fotos e vídeos em sites que permitem fazer o upload de graça. A visualização pode ser limitada a amigos e familiares. Por exemplo: Wordpress, Blogger e Twitter.

REDES SOCIAIS Você compartilha conteúdo, fotos, vídeos e interesses através de redes de relacionamento. Por exemplo: Orkut, Facebook, YouTube e Flickr.
Redes Sociais
As demais Mídias não são Sociais?
As demais Mídias Não são interativas?
A construção cooperativa é a socialização, compartilhamento de vídeos, músicas, fotos, construção de blogs e fóruns em que os indivíduos disponibilizam fontes sobre a temática abordada.
Tipos de construção do conhecimento
Rádio
Jornal
Tv
Internet
Raquel Recuero
- Capital Social
- Capital Simbólico

Atores que buscam prestígio, atenção, valoração de seus posts
Sites de Redes Sociais:
Formas diferentes de interação
- Cada Rede possui sua especificidade
- Formas de capital social com dinâmicas próprias
Ler livro Conversações em Rede
Diferenças
Redes Sociais
Sites de Redes Sociais (SRSs)
Mídias Sociais
Quais Redes Você conhece?
http://www.slideshare.net/gilgiardelli/muito-alm-do-facebook-e-twitter
http://www.izairajornalista.blogspot.com.br/2011/12/retrospectiva-do-twitter-e-memoria.html
Dinâmica de conteúdo por colaboração
Visão prática do uso:
Mecanismos de funcionamento das redes sociais
Roteiros básicos de produção de conteúdo

IMERSÃO E APROPRIAÇÃO
Exemplos: Usos do
Twitter
e
Facebook
, para o jornalismo
Do
Instagram
e
Foursquare
por empresas do ramo de alimentos e viagens e vestuário
Pinterest
por lojas, Marketing e Publicidade
Indígenas
Busk - Jornal digital
- http://busk.com/
Koleções - Colecionadores
Rede Histórica - Historiadores

- http://kolecoes.com.br/
Ajude um Repórter - Jornalistas e fontes
News Page Designer - Designers de jornais -
http://npd.snd.org/
Beautiful People - Pessoas bonitas - - http://www.beautifulpeople.com/index/pt
- Monitoramento
- Metodologia
- Relatório – Modelo de acompanhamento

Como definir????
- Quais atuar

3.2 Estratégias/ - Visão geral
a. Twitter
b. Facebook
c. Youtube
d. Blog
e. Pinterest
f. Foursquare
g. Instagram
Pontos:
- Fidelizar clientes
- estabelecer confiança
- gerenciar reputação

- Identifique o público
- Realize pesquisas
- utilize linguagem certa

Atividade de Avaliação -
Trazer exemplo de ação de Marketing nas SRSs - positivas e/ou negativas (Relatório com impressões e argumentações de base teórica)
OU
- Produção de um projeto de paper visando o Intercom 2013 - Mínimo de 4 Máximo de 10 pág (Modelos)
obrigada!!
Full transcript