Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Desenvolvimento Infantil

No description
by

Márcia Cristina de Amorim

on 11 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Desenvolvimento Infantil

Desenvolvimento Infantil
Estatura
Idade

NEONATO
LACTENTE
PRÉ-ESCOLAR
ESCOLAR
ADOLESCENTE
Recém-nascido
0 - 28 dias
Desenvolvimento Infantil
Avaliação da Idade Gestacional
Peso ao nascer:

RN Baixo Peso < 2500g
RN de Muito Baixo Peso < 1500g
RN de Extremo Baixo Peso < 1000g

Idade Gestacional:
Pré-termo: < 37sem
A termo: 37 < IG > 41sem 6d
Pós-termo: IG igual ou > 42 sem

Peso e Idade Gestacional:
RN GIG : Peso acima do P90
RN AIG : Peso entre P 10-90
RN PIG : Peso abaixo do P10 para I. Gestac.

Ligação Genitora-Bebê
Respostas afetivas entre mãe-bebê (ligação psicológica e fisiológica)
Reforço: marido / família
Vinculação: inicia-se no planejamento e/ou confirmação da gravidez e aceitação do feto como indivíduo
Contato visual e físico

Criação do recém-nascido
Dedicação: necessidades
urgentes, exaustivas e
frequentemente obscuras

Atender os sinais do RN
de maneira empática

Fatores pré-natais que influenciam a capacidade de cuidar
Preocupações financeiras;
Doença;
Abortos ou natimortos prévios;
Mãe adolescente (vida social ativa);
Experiência inconsciente de modelos de criação;
Apoio social;
Atividade profissional.
Fatores peri e pós-parto que influenciam a capacidade de cuidar
Presença contínua durante o trabalho de parto e parto: parto mais curto com menos complicações;
Contato pele a pele logo após o nascimento;
Tempo de permanência na maternidade.

Capacidade de interação do bebê
Período inicial de alerta-vigília (40 min a 1 h)
interação mãe-bebê:
suga facilmente;
contato visual (alcance de 20 a 30 cm: preferência inata por rostos);
Audição desenvolvida: voltam-se para voz feminina preferencialmente.

Modulação do despertar
Reação apropriada a estímulos sensoriais para:
Obter nutrição
Evitar hipo ou hipertermia
Garantir segurança

Estados comportamentais
Determinam
:
tônus muscular
movimento espontâneo
padrão eletroencefalográfico
resposta a estímulos

Brazelton(1973) – Escala Neonatal de Avaliação Comportamental

São seis estados comportamentais
Sono

profundo
Sono

ativo
(reação progressivamente menor a puncturas no calcanhar: habituação)
Sonolência
(mesmo estímulo: inquietude ou choro)
Alerta

tranquilo
(fixa visualmente objetos ou rostos, acompanha horizontalmente, vira em direção a um novo som)
Despertar

ativo
(Inquietude)
Choro

intenso


Estudos
Hospital Universitário de São Paulo:

Estado 3 nos bebês nascidos de parto normal. Partos com intervenção – estágios 5 e 6.
Crianças de cesárea: coordenação mão-boca (auto-apaziguamento).
Após o banho com a mãe: estado 4 (alerta) meninos e estado 3 meninas (sonolência).

Regulaçao mútua
Pais estimulam ou acalmam o bebê para aumentar a interação social
Organismo materno é estimulado pelo choro de fome do bebê (liberação de ocitocina)

Papel do médico
Promoção de práticas médicas ótimas antes, durante e após o parto;
Avaliação das interações genitor-neonato; e
Ensino dos pais sobre as competências e vulnerabilidades de seu RN.

Práticas ótimas
Consulta pré-natal;
Planos de ação hospitalares de apoio;
Permitir contato pele a pele o mais breve possível;
Promover o alojamento conjunto;
Visitas domiciliares na 1ª semana (problemas de lactação, etc)

Avaliação das interações genitor-neonato
Observação durante a mamada ou em estado de alerta:
Hiperestimulação do RN: desvio do olhar, bocejos, sucção de lábios ou mãos
Mãe pouco responsiva

Escala de Avaliação do Comportamento Neonatal (EACN):
fornece medidas formais das competências do desenvolvimento (controle, reatividade autonômica, reflexos, habituação e orientação)

Ensino sobre competências individuais
Principais causas de atraso motor
baixo peso ao nascer
distúrbios cardiovasculares, respiratórios e neurológicos
infecção neonatal
desnutrição (PIG quando adulto: HAS, D. Coronariana, DM
baixas condições sócio-econômicas
nível educacional precário dos pais
prematuridade
Desenvolvimento Infantil
Áreas de Desenvolvimento Psicomotor mais acometidas:

MEMÓRIA
COORDENAÇÃO VISUOMOTORA
LINGUAGEM
Identificação dos desvios do D. Motor + intervenção precoce são fundamentais.
Orientações
Crescimento
: peso, estatura, PC.
Desenvolvimento
: atitude de flexão generalizada (hipertonia flexora dos quatro membros e hipotonia cervical), pedalagem. Reflexos (Moro, tônico-cervical assimétrico, sucção. Reação à luz.
Alimentação
: pega, posicionamento, LM exclusivo.
Vacinação
: BCG-ID e Hepatite B
Prevenção

de

acidentes
: banho, talcos.
Higiene
,
sono
(decúbito dorsal).

Desnutrição leva a prejuízo nas áreas de linguagem e sociabilidade
Pré-termo de baixo nível sócio-econômico apresenta desempenho inferior ao A Termo de baixo nível sócio-econômico
Lactentes à termo PIG apresentam menor desenvolvimento motor e meal que lactentes AIG
Desenvolvimento Infantil
Primeira Infância: Lactente
(29 dias a 2 anos incompletos)

O desenvolvimento neurológico acontece através de etapas previsíveis e pré-determinadas, de acordo com um plano contido no potencial genético
relacionado à idade cronológica onde o ser humano adquire enorme quantidade de habilidades motoras que progridem de movimentos simples e desorganizados para a execução de habilidades motoras altamente organizadas e complexas
céfalo-caudal
do centro para a periferia
proximal-distal

Primeira Infância: Lactente
Os braços passam a obedecer ao controle cortical e orientação visual antes das pernas.
MMSS cada vez mais ágeis para alcançar, segurar e manipular objetos.
Agarra com a mão dedos pinça fina
Brincar relação com o mundo.

Primeira Infância: Lactente
Primeira Infância: Lactente
Fala materna: características específicas: prosódia
Surge um terceiro na relação (pai).
Ritmos de sono, alimentação e excreção a partir das alternâncias proporcionadas pela mãe.

Primeira Infância: Lactente
Sustenta a cabeça: 2 m
Mãos juntas na linha média 3 m
Reflexo tônico-cervical assimétrico desaparece 4 m
Senta sem apoio 6 m
Anda sozinho 12 m
Corre 16 m

Reflexo TC assimétrico: extensão de braço e perna, no lado para o qual está voltada a face, enquanto os membros do lado correspondente à região occipital entram em flexão. Aparece na 2ª semana de vida e desaparece no 4-6 meses
Motor Grosseiro
Alcança objetos 4 m
Reflexo palmar cessa 4 m
Passa objetos de uma mão para outra 5,5 m
Agarra o dedo polegar 8 m
Rabisca 13 m
Faz torre de 2 cubos 15 m
Faz torre de 6 cubos 22 m

Primeira Infância: Lactente
Motor Fino
Primeira Infância: Lactente


Ri respondendo a faces ou vozes: 1,5 m
Balbucia: 6 m
Inibe com não: 7 m
Atende a ordens com gestos: 7 m
Fala a primeira palavra: 12 m
Fala 4-6 palavras: 15 m
Fala 10-15 palavras: 18 m
Forma frases: 2 anos

Comunicação e Linguagem
Fixa o olhar: 2 m
Fixa o olhar nas próprias mãos: 4 m
Bate 2 cubos: 8 m
Descobre brinquedos que foram escondidos: 8 m
Começa a brincar simbolicamente: 12 m
Estica-se para alcançar objetos: 17 m
Brinca com bonecos: 17 m

Primeira Infância: Lactente


Ato ou processo de conhecer. Inclui atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e discurso.

Cognitivo
Ficha de Acompanhamento do Desenvolvimento
Presença das respostas esperadas para idade: OK

-Falha em alcançar algum marco: antecipar a consulta seguinte; investigar a situação ambiental da criança; relação com a mãe e oferta de estímulo; orientar a mãe.

-Persistência: encaminhar para serviço de referência ou maior complexidade

P= presente
A= ausente
NV= não verificado
A criança pré-escolar
(2 a 6 anos incompletos)

Desenvolvimento infantil
Depende do estímulo/ambiente
Período caracterizado pelo aprimoramento das habilidades adquiridas: comunicação e locomoção
Idade do explorar e brincar

A criança pré-escolar
Pré-escolar
dependência apegada x independência desafiante

Idade das birras
A criança pré-escolar
Motor
: corre, sobe e desce escadas, sobe nos móveis, salta e pula
Adaptativo
: torre de 7 cubos, rabisca círculos, imita linhas
horizontais
Linguagem
: põe 3 palavras em conjunto
(sujeito, verbo e objeto)
Social
: manipula bem colher, ajuda a se despir,
ouve histórias com figuras

Aos 2 anos
Motor
: sobe e desce escadas alternando os pés
Adaptativo
: torre de 9 cubos, risca linhas verticais e horizontais,
forma uma figura fechada
Linguagem
: refere-se a si mesmo como eu,sabe seu nome
completo
Social
: ajuda a arrumar as coisas tenta brincar.

Aos 2 anos e 6 meses
Aos 3 anos
Motor
: anda de velocípede, fica de pé por alguns momentos
num pé só.
Adaptativo
: torre de 10 cubos, copia um círculo, imita uma
cruz.
Linguagem
: sabe a idade e o sexo, conta três objetos, repete
três números.
Social
: faz jogos simples, ajuda a se despir, lava as mãos,
tira os sapatos, desabotoa a roupa.

Motor
: pula com 1 pé só, joga bola
para cima, sobe bem escada, usa
tesoura para cortar figuras.

Adaptativo
: copia cruz e quadrado,
desenha homem com 2 a 4 partes
além da cabeça, copia ponte de cubos.

Linguagem
: conta uma história.

Social
: brinca com diversas crianças
(interação social e brinquedo), vai ao
banheiro sozinha.

Aos 4 anos
Motor
: salta
Adaptativo
: desenha triângulo copiando
Linguagem
: dá o nome de 4 cores, conta até 10
Social
: veste-se e despe-se; faz perguntas sobre o significado das palavras; engaja-se em atividades domésticas.


Aos 5 anos
Aceitar os limites / Teste dos limites
Refrear impulsos
Acessos de fúria
Interagir com um número crescente de pessoas
Brinquedo e linguagem estimulam o controle emocional
Curiosidade sobre os genitais e masturbação
Castigos: 1 minuto por ano de vida; abandonar castigo físico

Desafios Emocionais
Figuras de Gessel
Teste do desenho de Goodenough-Harris
avalia a maturidade intelectual, nas suas funções perceptivas, de abstração e generalização na criança e no adolescente de 03 à 15 anos de idade. Pode ser caracterizado como um teste projetivo pois é através do desenho que a criança revelará características da sua personalidade, suas necessidades e emoções, mas também pode ter um propósito psicométrico já que ajuda na avaliação cognitiva dessa faixa etária.
Teste do desenho de Goodenough-Harris
4 anos e meio
2 anos e meio
entre 2 e 3 anos
Livro: Medição da inteligência através de desenhos (Goodenough, 1926) e depois, revisado e ampliado por Harris no livro: ‘Desenhos de crianças como medidas de maturidade intelectual’

Desenvolvimento Infantil
A criança em idade escolar
(6 a 12 anos)
Separação progressiva dos pais
Busca de aceitação pelos colegas
Capacidade de auto-avaliação e de perceber a avaliação dos outros sobre si: auto-estima
Pressão externa para adaptação pode ser muito agressiva

Desenvolvimento Infantil
A criança em idade escolar
Pensamento do “pré-operacional” (percepção) para “operações lógicas concretas” Piaget (observação): argila (bola x cobra)
Primeiros 2 anos: alfabetização e fundamentos da matemática
Escola: demandas cognitivas crescentes.
Atividade intelectual além da sala de aula na 3ª ou 4ª série (jogos: estratégias e palavras)
Desenvolvimento Infantil
Escolar
Cognição e Linguagem
Teoria cognitiva
Cognição e Linguagem
Capacidades cognitivas: interação de vários fatores:
Ânsia para agradar os adultos
Cooperatividade
Competitividade
Disposição para trabalhar por uma recompensa posterior
Crença nas capacidades próprias
Capacidade de arriscar uma experiência

Problemas acadêmicos e de comportamento são
sintomas
Déficits das funções cognitiva, perceptiva ou linguística.

Atraso cognitivo global

Déficit primário de atenção

Déficit secundário de atenção: depressão, ansiedade...

Social e Emocional
Contextos: lar, escola e vizinhança.
Independência crescente.
Necessitam de apoio incondicional.
Atenção aos perigos reais.
Pressão dos pais para atingir comportamentos adultos pode levar a sintomas somáticos.
Fatores de estresse podem prejudicar a independência

EXAME MINI-MENTAL PARA CRIANÇAS MAIORES DE 4 ANOS

Orientação:

(um ponto para cada resposta correta)

1) Qual é o/a... Ano? Estação?
Data? Dia? Mês?
2) Onde nós estamos?
País Estado Cidade Bairro Endereço


Mini Mental
Registro:
3) Nomeie 3 objetos levando um segundo para dizer cada um. Então pergunte ao paciente todos os três após você tê-los dito. Dê um ponto para cada resposta correta. Repita o nome dos objetos até que o paciente aprenda os três. 3 pontos 
Atenção e cálculo:
4) Subtração seriada de sete em sete. Dê um ponto para cada resposta correta. Pare após cinco respostas. 5 pontos
5) Mande o paciente soletrar “MUNDO” ao contrário. 5 pontos

Mini Mental
Recordação:
6) Pergunte os nomes dos três objetos aprendidos no quesito três. Dê um ponto para cada resposta correta. 3 pontos
 
Linguagem:
7) Aponte para um lápis e um relógio pedindo para o paciente nomear cada objeto. 2 pontos


8) Mande o paciente repetir – A BANDEIRA DO BRASIL É VERDE E AMARELA. 1 ponto

9) Peça ao paciente para seguir uma ordem em três estágios: “Pegue um pedaço de papel com sua mão direita. Dobre o papel ao meio. Coloque o papel no chão.” 3 pontos


10) Peça ao paciente para ler e executar a ordem escrita: “FECHE OS OLHOS”. 1 ponto

Mini-Mental
11) Peça ao paciente que escreva uma sentença, a sua própria (a sentença deverá ter um sujeito, um objeto e deverá fazer sentido) despreze os erros de português. 1 ponto
12) Peça ao paciente que copie o desenho impresso abaixo (dê um ponto se todos os lados e ângulos são preservados e se as linhas de interseção formam um diamante). 1 ponto


score x 0.25 +2.68 = idade mental

Mini Mental
Jean Piaget
sensório motor = 0~2 a
pré operacional = 2~7 a
operatório completo = 7~11 a
operatório formal = >12 a
Sensório motor
0 ~ 2 a
busca adquirir controle motor e aprender sobre os objetos que a rodeiam
bebê absorve conhecimento por meio de suas próprias ações, que são controladas por informações sensoriais imediatas
a criança conquista através da percepção e dos movimentos todo universo que a cerca. Ex.: Toalha da mesa X pote de bolacha
Pré operacional
2 ~7 a
egocentrismo (seu ponto de vista como único)
reversibilidade: não compreendem processo inverso ao observado
centralização: incapacidade para se centrar em mais de um aspecto da situação
não conservação: massa de modelar (não entendem que a massa é a mesma com qualquer formato)
desenvolve linguagem, imagens mentais e jogos simbólicos
Operatório concreto
7 ~11 a
lida com conceitos como números e relações
início da escolarização formal
declínio do egocentrismo (linguagem mais socializada, empatia com sentimentos e atitudes dos outros
propriedade transitiva ( A > B, B > C, logo A > C
maior concentração, responsabilidade e respeito mútuo
Operatório formal
> 12 a
estágio definido pela habilidade de engajar-se no raciocínio proposicional; deduções lógicas podem ser feitas sem o apoio de objetos concretos
pensamento
formal
abstrato
reflete sobre a sociedade e quer transformá-la
pensamento hipotético-dedutivo: passa a criar hipóteses para tentar explicar e sanar problemas
Desenvolvimento Infantil
Adolescência
OMS: 10 aos 20 anos
ECA: 12 aos 18 anos
Transição da infância para idade adulta
(biológico e psicossocial)
Crise de identidade (busca)
Variação individual é substancial
Hormônios + estruturas sociais

Puberdade x Adolescência
Puberdade
Adolescência
- Conjunto de mudanças físicas
- Base biológica
- Fenômeno universal
- Início: broto mamário (fem) e aumento do volume testicular (masc)
- Término: fechamento das epífises, maturação sexual e capacidade reprodutiva
- Biológico + psicossocial
- Universal (ambiente socio cultural e individualidade)
- Limites imprecisos
- Busca da identidade adulta
Adolescência: períodos
Inicial
Médio
Tardio
Desenvolvimento somático
Avaliação do crescimento:
correlação entre
Idade cronológica (IC)
Idade estatural (IE)
Idade-peso (IP)
Desenvolvimento puberal (Tanner)
Idade óssea (IO)

Baixa estatura constitucional: IE = IO < IC
Baixa estatura familiar: IO = IC > IE
Hipotireoidismo: IO ≤ IE < IP < IC
Baixa estatura hipofisária: IO ≤ IE < IP < IC
Baixa estatura por desnutrição: IP < IE U IO < IC

Relações
Desenvolvimento cognitivo
Autoconceito
Família
Companheiros
Sexualidade
Identidade sexual
É a percepção individual sobre o gênero (masculino e feminino) que uma pessoa percebe para si mesma
≠ sexo (dimensão apenas biológica)

É o gênero com o qual a pessoa se identifica (i.e, se ela se identifica como sendo um homem, uma mulher ou se ela vê a si como fora do convencional);
É geralmente formada aos três anos de idade e é extremamente difícil mudar depois disso;
É fixa e não sofre variações;
‘O sexo entre as orelhas é mais importante que o sexo entre as pernas’

Identidade de gênero
Gênero atribuído a um indivíduo, tendo como base a representação social deste gênero: um determinado comportamento, roupas, corte de cabelo, etc.
Conscientização dos papéis e costumes socialmente definidos (masculino x feminino)

Papel social de gênero (sociocultural)
Orientação sexual
Refere-se à forma de desejo, que não pode ser mudada e não é uma escolha (mais apropriado que opção sexual ou preferência sexual)
Indica por qual(is) gênero(s) ela sente-se
atraída
, seja física, romântica e/ou emocionalmente
Pode ser determinada por fatores biogenéticos, sejam questões hormonais in utero ou genes que possam determinar esta predisposição (?)
É o que molda o comportamento

Quanto à sua orientação sexual, uma pessoa pode ser:

Assexual (nenhuma atração sexual)
Bissexual (atração pelos gêneros masculino e feminino)
Heterossexual (atração pelo gênero oposto)
Homossexual (atração pelo mesmo gênero)
Pansexual (atração independente do gênero)
Identidade (conhecimento de si mesmo)
Intimidade (relacionamento maduro)
Integridade (>60 a) (comportamentos responsáveis)
Independência

Desenvolvimento Psicossocial
Rebelde Sem Causa
Ultraje a Rigor

Meus dois pais me tratam muito bem
(O que é que você tem que não fala com ninguém?)
Meus dois pais me dão muito carinho
(Então porque você se sente sempre tão sozinho?)
Meus dois pais me compreendem totalmente
(Como é que cê se sente, desabafa aqui com a gente!)
Meus dois pais me dão apoio moral
(Não dá pra ser legal, só pode ficar mal!)

MAMA MAMA MAMA MAMA
(PAPA PAPA PAPA PAPA)

Minha mãe até me deu essa guitarra
Ela acha bom que o filho caia na farra
E o meu carro foi meu pai que me deu
Filho homem tem que ter um carro seu
Fazem questão que eu só ande produzido
Se orgulham de ver o filhinho tão bonito
Me dão dinheiro prá eu gastar com a mulherada
Eu realmente não preciso mais de nada

Meus pais não querem
Que eu fique legal
Meus pais não querem
Que eu seja um cara normal

Não vai dar, assim não vai dar
Como é que eu vou crescer sem ter com quem me revoltar
Não vai dar, assim não vai dar
Pra eu amadurecer sem ter com quem me rebelar
Full transcript