Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TCA

No description
by

Patrícia Francisco

on 4 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TCA

Luxor Templo de Karnak Obeliscos – peças monolíticas de forma tronco-piramidal;
Mastros – colocados simetricamente nas fachadas.
Pilones – Pórticos maciços, de grandes dimensões e de forma tronco-piramidal;
Pátio – semidescoberto, apresentando colunas;
Sala hipostila – Enorme sala, repleta de colunas;
Santuário – Pequena peça somente usada pelos sacerdotes. Constituição Genérica dos templos Templo de Karnak A grande esfinge está situada na borda do planalto de Gizé, ao sul do complexo da Grande Pirâmide e perto do templo do vale da pirâmide de Kéfren (c. 2520 a 2494 a.C.), Esfinges – androesfinges – cabeça humana
- Kerioesfinge (cabeça de carneiro). Constituição Genérica dos templos Monumentos – religiosos (templos comuns e subterrâneos e quiosques processionais.)
- funerários (mastabas, hipogeus e pirâmides);
- obeliscos e esfinges.
Palácios e Residências.
Arquitetura Militar – Fortalezas. Arquitetura Civil Dominância das formas piramidais;
Dominação dos cheios sobre os vazados (substituição das janelas por iluminação zenital);
Dominação horizontal nas construções;
Policromia interior;
Temática decorativa – Símbolos: sol alado, com a serpente alçada, escaravelho sagrado, cruz egípcia e hieróglifos (escrita decorativa, com figuras estilizadas de rara beleza);
Lei da frontalidade;
Lei do decréscimo – diminuição dos pés-direitos dos compartimentos à medida que se penetra no edifício; decréscimo da iluminação e abrandamento das cores. Características plásticas Trílito – Escavações na rocha (hipogeus);
Abóboda de berço – Raramente empregada.
Cobertura plana (sobre vigamento de pedra)
Colunas – Monolíticas – 8 m de altura em Memphis;
Colunas – em tambores – 21m de altura em Karnak;
Colunas de Osíris – Estátua do deus onde se apóia o teto;
Pilar – de oito faces com ábaco. Técnicas e Sistemas Construtivos: Madeira – escassa (andaimes e obras auxiliares);
Pedra – abundante (grandes obras);
Argila – Usada nas residências e palácios;
Tijolos – Adobes.
Areia – Nos leitos de fundações Materiais: O Obelisco simboliza também o pênis do deus egípcio, Osíris: Conta a lenda que quando Osíris foi morto e esquartejado pelo seu rival, Set, a Rainha Ísis encontrou e juntou todos os seus pedaços, exceto um: a pila. A partir daí criou-se o uso do Obelisco, até aos dias de hoje. Pilar de pedra alto, quadrado, afunilado e coroado com um ponto piramidal, inventado pelos egípcios. Obelísco Portão como forma de torre no complexo do templo egípcio; paredes grossas que se inclinam para dentro.

Cada uma das construções em forma de pirâmide truncada que constituem os pórticos nos templos e outras construções do antigo Egito. Pilono O mesmo que cimalha. Parte superior do entablamento.

Moldura ornamental no alto de uma construção ou parede; um friso horizontal projetado de uma parede para diferenciar seções horizontais de uma construção. Cornija Capitel egípcio no Templo de Philae. Parte superior da coluna que a arremata, servindo para sobre ele repousar o entablamento ou cornija; por isto é sempre mais largo que o corpo ou fuste da coluna. De modo geral, é decorado ostentado as mais variadas formas, em função do estilo a que pertença. Capitel Colunas do templo de Lúxor em Tebas Lapidar – Coluna construída totalmente em pedra e que esteve presente na maior parte das grandes arquiteturas.

De Osíris – Pilastras nas quais está encostada a estátua do deus. Há quem a considere a inspiradora das cariátides.

* Cariátide – Figura feminina esculpida, usada como coluna para sustentar um lintel, verga ou viga. Coluna: pilar vertical, circular, que sustenta um arco ou entablamento. Monumentos religiosos e mortuários;

Construção em pedra para durar para sempre; Características das edificações notáveis no Egito: Arquitetura para imortalidade
Prof. Dr. Carlos Edinei de Oliveira Egito BAINES, John; MÁLEK, Jaromír. O mundo egípcio: deuses, templos e faraós. Madrid: Edições Del Prado, 1996.

BAUMGART, F. Breve História da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

CARVALHO, Benjamin de A. Arquitetura: no tempo e no espaço. São Paulo: Freitas Bastos, 1982


JANSON, H. W. Iniciação a historia da arte. Colaboração de Anthony E Janson. 2. ed. Sao Paulo: Martins Fontes, 1996.

STRICKLAND, Carol. Arquitetura comentada: uma breve viagem pela história da arquitetura. Rio de Janeior: Ediouro, 2003 Referências Agulha de Cleópatra – Londres – mede 21 m de altura por 2,40 de base Capitel Coluna egípcia (sistro ou hatórica) de capitel com a forma da cabeça da deusa Hathor, no templo de Dendera. Os primeiros edifícios cobertos de pedra em larga escala;
Formas puras geométricas como a pirâmide (a primeira arte abstrata);
Invenção da coluna, do capitel, da cornija, do pilono e do obelisco;
O artesanato fino, inclusive os baixos-relevos entalhados como parte integrante do conjunto estético. Contribuições do Egito para a arquitetura:
Full transcript