Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Características Morfológicas das Neoplasias Benignas

No description
by

Luísa Araújo

on 23 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Características Morfológicas das Neoplasias Benignas

Neoplasias Benignas
Quais são as características morfologicas que distinguem as neoplasias benignas das malignas?
Proliferação celular anormal, descontrolada e autônoma, na qual as células reduzem ou perdem a capacidade de se diferenciar, em consequência de alterações nos genes que regulam o crescimento e diferenciação celulares.
A diferenciação refere-se à extensão com que as células neoplásicas lembram células normais comparáveis.
As células da maioria dos tumores benignos correspondem intimamente às células normais.
A falta de diferenciação é denominada anaplasia e é um ponto fundamental da transformação maligna.
Os tumores bem diferenciados, maligos ou benignos, tendem a reter as características funcionais normais. Assim, pode haver produção hormonal por parte de tumores endócrinos ou produção de ceratina por tumores epiteliais escamosos.

Neoplasia
Características Morfológicas das Neoplasias Benignas
Allan Medeiros
Érica Andrade
Filipe Barbosa
Geraldo Seabra
Íris Moraes
Luísa Araújo
Depatamento de Patologia - UFPE
Definição
A diferenciação entre tumores benignos e malignos tem por base sua aparência (morfologia) e seu comportamento (evolução clínica), por meio de quatro critérios:
Alteração maligna (transformação) da célula-alvo
Taxa de crescimento
Invasão local
Metástases
Diferenciação e anaplasia
Taxas de crescimento
Determinadas por três fatores principais: tempo de duplicação das células tumorais, fraçãode células no ciclo replicativo e células perdidas (por necrose, apoptose, descamação, etc)
Tumores indiferenciados realizam um maior número de mitoses, possuindo crescimento errático, enquanto que os tumores bem diferenciados (benignos) são de crescimento lento, podendo estacionar e até mesmo regredir.
Invasão local
Tumores benignos:
Crescimento por expansão, formando uma massa expansiva coesa localizada em seu sítio de origem e sem capacidade de se infiltrar, invadir ou metastatizar.
Normalmente são delimitados por uma cápsula fibrosa derivada da matriz extracelular do tecido originário devido à atrofia das células parenquimatosas.
Metástases
A metástase envolve penetração do tumor nos vasos sanguíneos, linfáticos e cavidades corporais, seguida de transporte e de crescimento de massas celulares secundárias que são descontínuas do tumor primário. Este é um aspecto muito importante de distinção entre tumores benignos e malignos, já que quase todos os malignos podem metastatizar.
Caso Clínico
Paciente gênero masculino, 55 anos, procurou Clínica de Odontologia tendo como queixa principal o aparecimento de uma “bola” na região do lábio inferior, com duração aproximadamente de dois anos, mas atualmente sente um certo desconforto, a “bola” está prejudicando sua estética e também sua mastigação, acabou inclusive mordendo a lesão e provocando sangramento e algia. Ao exame clínico observou-se uma lesão em lábio inferior com características nodular de base séssil com consistência serosa, e clinicamente evidenciava uma coloração rósea
semelhante à mucosa normal
,
sem ulceração ou outra qualquer alteração
, mas quando foi realizada a palpação observou-se uma discreta mudança para a tonalidade mais amarelada, e o tamanho da lesão era de aproximadamente 2 cm de diâmetro.
Hipótese diagnóstica: lipoma.
Foram solicitados exames pré-operatórios de rotina, estando o paciente apto para o procedimento planejado que é a biópsia excisional da lesão. Após a remoção da lesão foi colocada a peça em um frasco com água onde a mesma flutuou evidenciando o diagnóstico de lipoma, e em seguida a peça foi transferida para a solução de formol a 10%, e enviada para exame anatomopatológico, onde o material foi confirmando a hipótese diagnóstica de lipoma. O paciente encontra-se há um ano em proservação sem evidências de recidiva.
Full transcript