Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Técnicas Análise de Falhas

No description
by

Anaí Almeida

on 29 August 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Técnicas Análise de Falhas

Introdução
O treinamento de
“Técnicas de Análise de Falhas”
foi elaborado em vista da demanda de padronização, aumento da eficiência e melhoria dos resultados do processo de
“Análise de Ocorrências”
aplicado em todas as usinas EDPBR.
Benefícios:
As técnicas de análise de solução de problemas podem ser aplicadas para resolver qualquer tipo de questão.
Para as usinas, a investigação correta dos problemas pode evitar a reincidência das ocorrências e falhas, reduzindo a indisponibilidade e a taxa de falha da usina, além de melhorar o desempenho e a confiabilidade operativa da usina.
Resultados Esperados
Como resultado do treinamento é esperado que os colaboradores envolvidos no processo de análise de ocorrências estejam familiarizados com os “Métodos de Análise e Solução de Problemas” e que estes possam ser utilizados de forma prática para a elaboração de relatórios de análise de ocorrências.
Manutenção
Norma Técnica
ABNT 5462/1994
: manutenção pode ser definida como a combinação de todas as ações técnicas e administrativas, incluindo a de supervisão, destinadas a manter ou recolocar um item em um estado no qual possa desempenhar uma função requerida.

Manutenção preventiva:
“Manutenção efetuada em intervalos determinados, ou de acordo com os critérios prescritos, destinada a reduzir a probabilidade de falha ou a degradação do funcionamento de um item”.
Manutenção corretiva:
“Manutenções efetuadas após a ocorrência de uma pane destinada a recolocar um item em condições de executar uma função requerida”.
Manutenções Pró-Ativas
Preventiva
Preditiva

Manutenções Reativas
Corretiva
Objetivos do Treinamento
O treinamento de “Técnicas de Análise de Falhas” tem como objetivo introduzir o conceito de “Métodos de Análise e Solução de Problemas” aos colaboradores participantes das atividades de operação e manutenção da UTE Porto do Pecém.
Conceitos
Falha
Término da capacidade de um item desempenhar a função requerida.
Podemos definir o modo como sendo a forma ou maneira de ser ou manifestar-se uma coisa.
Ou ainda a maneira como ocorreu algum evento.
Causa
Pode-se definir causa como sendo aquilo que determina a existência de uma coisa ou o que determina um acontecimento.
O mesmo que motivo, razão, origem...
Efeito
Define-se efeito como sendo o resultado produzido por uma ação ou um agente.
O mesmo que consequência, resultado...
Modo
Exemplo:
Processo de Solução de Problemas
Metodologias de Análise e Solução de Problemas (MASP)
Meu carro pifou no meio da estrada!
MASP são ferramentas utilizadas durante o processo de solução eficaz do problema!
Existem ferramentas de diferentes níveis de complexidade e com foco em cada etapa do processo.
Visão Geral das Ferramentas MASP
Diagrama de Pareto

Brainstorming

GUT

5 Porquês

FTA

FMEA

Diagrama Ishikawa

PDCA

5W2H


Diagrama de Pareto
Etapas de Desenvolvimento

• Identificação do problema;
• Estratificação: buscar e relacionar as diferentes causas que contribuem para o surgimento do problema;
• Coleta de dados: registro das frequências de cada uma das causas levantadas;
• Priorização: elaboração do gráfico de Pareto (causas x frequências), o gráfico indicará quais as causas que mais contribuem para o problema e quais devem ser priorizadas;
Vantagens X Desvantagens

Permite a rápida visualização dos 80% mais representativos;
Facilita o direcionamento de esforços;

Existe uma tendência de se deixar os “20% triviais” em segundo plano. Isso gera a possibilidade de qualidade 80% e não 100%.

É uma ferramenta de MASP utilizada para a identificação do problema.

Pareto permite separar os problemas em poucos “vitais” e muito “triviais”, facilitando a identificação dos aspectos prioritários aos quais devem incidir os esforços de melhoria.
Brainstorming
O brainstorming é conhecido como “tempestade de ideias”. A técnica de brainstorming propõe que um grupo de pessoas se reúna e se utilize das diferenças em seus pensamentos e ideias para que possa chegar a um denominador comum eficaz e com qualidade.
Vantagens X Desvantagens

Permite a manifestação aleatória das pessoas;
É de fácil aplicação e não requer grandes conhecimentos;

Se o objetivo não estiver claro, pode virar uma bagunça de idéias sem que nenhuma possa ser aproveitada;
Nem sempre surge o resultado ou a solução esperada para o problema em questão;
Tem por base a experiência de cada um dos envolvidos.
GUT (Gravidade/Urgência/Tendência)
É uma ferramenta MASP utilizada para identificar problemas.

O GUT pode ser aplicado quando há a necessidade de se priorizar ações dentre um leque de algumas que dispomos. O objetivo desta ferramenta é ordenar a importância das ações pela sua gravidade, pela sua urgência e pela sua tendência.
A filosofia do GUT é atribuir notas de 1 a 5 para cada uma das variáveis G, U e T dos problemas listados e tomar o produto como peso relativo do problema.
Exemplo:
Análise dos 5 Porquês
É uma ferramenta MASP utilizada no processo de análise de modo de falha e causa raiz.

Esta ferramenta é bastante simples e de forma resumida, sua metodologia consiste em efetuarem-se cinco iterações perguntando-se o porquê para o problema em questão, sempre questionando a causa imediatamente anterior de forma a se atingir a causa raiz do problema.

Com esse método é possível encontrar a causa raiz do problema de forma mais simples e direta.

As pessoas envolvidas no processo podem chegar a diferentes causas para os problemas. O ideal é que todos os envolvidos participem por meio de um debate e, desta forma, cheguem a um consenso sobre o problema.
Vantagens X Desvantagens
5W2H
Ferramenta utilizada na etapa de implementação de ações corretivas.
Esta ferramenta é extremamente útil uma vez que elimina por completo qualquer dúvida que possa surgir sobre um processo ou atividade.
PDCA
Ferramenta utilizada durante a etapa de diagnóstico dos problemas!

O principal objetivo desta ferramenta é efetuar um planejamento, implantação e melhoria de processos.
Planejamento (PLAN): Definir o que se quer, qual é a finalidade de se planejar o que será feito. Definição dos objetivos, estratégias, ações e metas.
Executar (DO): Execução do que foi planejado
Verificar (CHECK): Checagem e comparação dos dados obtidos na execução com o que foi estabelecido no plano, com a finalidade de verificar se os resultados estão sendo atingidos conforme o que foi planejado.
Agir (ACTION): Esta fase consiste em agir, ou melhor, fazer as correções necessárias com o intuito de evitar que a repetição do problema venha a ocorrer.

Etapas do Ciclo
Diagrama de Ishikawa
Fault Tree Analysis
Failure Mode and Effect Analysis
O método de análise de árvore de falhas visa melhorar a confiabilidade de produtos e processos através da análise sistemática de possíveis falhas e suas consequências, orientando na adoção de medidas corretivas e preventivas
É uma metodologia de análise de modo de falha e causa raiz, focada em identificar potenciais falhas antes que elas ocorram!
O processo tem como objetivo investigar as sucessivas combinações de falhas dos componentes até atingir as chamadas falhas básicas ou eventos básicos da FT.
Diagrama de Ishikawa, espinha de peixe ou ainda diagrama de causa e efeito é utilizado com o objetivo de mostrar a relação entre um efeito e as possíveis causas que podem estar contribuindo para que ele ocorra.
Elaboração
Brainstorming!
Com objetivo de identificar o maior número possível de causas que possam estar contribuindo para gerar o problema.
Agrupamento das causas em categorias
Elaborar o diagrama
As causas principais devem ser ligadas diretamente à linha horizontal.
As secundárias são ligadas às primárias e assim sucessivamente.
Análise das causas
Objetivo de verificar quais são as causas mais influentes no processo.
Aprofundamento das Metodologias
Metodologias de Análise Pré Falha
Metodologias de Análise Pós Falha
FMEA
FTA
Análise dos 5 Porquês
Diagrama de Ishikawa
Exemplo:

“Oportunidades de crescimento das vendas dos produtos orgânicos”.

O objetivo é que apareçam diversas idéias, tais como:

Inovar embalagem;
Foco em emagrecimento;
Distribuição de brindes;
Propaganda com artistas famosos;
Menos calorias descritas na embalagem;
Aumento da beleza;
Melhora da saúde;
Qualidade de vida;
Descontos promocionais;
Kit promocionais;
Amostras grátis;
Montagem de stands em shoppings;
Melhora da autoestima;

Pergunta n°1: Por que nosso cliente demonstra insatisfação?
Resposta: Porque nós não cumprimos o prazo de prestação conforme prometido.

Pergunta n°2: Por que fomos incapazes de cumprir o cronograma acordado ou cronograma para a entrega?
Resposta: O trabalho levou muito mais tempo do que pensávamos que levaria.

Pergunta n°3: Por que demorou tanto tempo?
Resposta: Porque nós subestimamos a complexidade do trabalho.

Pergunta n°4: Por que nós subestimamos a complexidade do trabalho?
Resposta: Porque fizemos uma rápida estimativa do tempo necessário para concluí-lo, e não listamos os estágios individuais necessários para completar o projeto.

Pergunta n°5: Por que não fizemos isso?
Resposta: Porque nós estávamos concluindo outros projetos. É evidente que precisamos rever a nossa estimativa de tempo e procedimentos de especificação.

Exemplo:
Exemplo:
Exemplo:
FMEA é uma técnica de engenharia utilizada para definir, identificar e eliminar falhas conhecidas ou potenciais, de sistemas, projetos, processos e/ou serviços.
Para diminuir a probabilidade da ocorrência de falhas em projetos de novos produtos ou processos;

Para diminuir a probabilidade de falhas potenciais (ou seja, que ainda não tenha ocorrido) em produtos/processos já em operação;

Para aumentar a confiabilidade de produtos ou processos já em operação por meio da análise das falhas que já ocorreram;

Para diminuir os riscos de erros e aumentar a qualidade em processos administrativos.
O FMEA pode ser aplicado nas seguintes situações:
Exemplo:
Exemplo:
Exemplo:
Exemplo:
Exercício:
Exemplo:
Exercício:
Exercício
Exemplo:
Exercício:
O exemplo ao lado refere-se à plicação de análise de FTA para um acidente automobilístico:
Em uma empresa atuante no ramo de bebidas que produz cervejas em garrafas e em lata foi constatado o alto índice de reclamações por parte dos consumidores. A meta da empresa era ter uma redução de 50% no número de reclamações.
Muitas falhas estão ocorrendo nos processos de uma empresa de costura. Com isso, a produção esta sobrecarregada e não consegue atender a sua demanda, ocasionando a insatisfação dos seus clientes, pois as mercadorias estão sendo entregues fora do prazo acordado em contrato e com defeitos.
Exemplos:
Dúvidas?
Obrigado!
Desenvolva uma análise pelo método de Ishikawa para representar os fatores de influência sobre as mesmas falhas do exercício dos 5 Porquês.
Janeiro de 2014
Full transcript