Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

NEUROPEDAGOGIA

No description
by

Thiago Gomes

on 20 April 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of NEUROPEDAGOGIA

> O problema não é só a contaminação ideológica do sistema educacional, mas sim tendência fútil da busca do novo pelo novo, só para mostrar que se está "na última moda"

>Enquanto que os pais que podiam pagar uma escola particular estão tendo seus filhos instruídos por um modelo que está resgatando a metodologia antiga de ensino, os que têm seus filhos em escolas públicas estão recebendo um verdadeiro lixo educacional.
Novos métodos contra os velhos métodos
Ideologia e educação
Na pedagogia atual existe uma aparente “dicotomia” entre dois tipos de instituições formativas: as
tradicionais

e as
novas
; as primeiras se pautando na clássica metodologia de “decoreba”, enquanto as últimas dispensam parcialmente as exigências tradicionais com vistas ao cultivo de competências, antes mesmo da transmissão de conteúdos.

Ex: PCNs - PCNEM & OCM
1. O que é neuropedagogia?
> Neologismo criado pelo prof. Pier por volta do ano 2000 tendo em vista descrever um paradigma de aprendizagem que levasse em conta as últimas descobertas das neurociências. O objetivo desse “novo ramo” da pedagogia seria utilizar os conhecimentos oferecidos pela neurologia na gestão do processo escolar. Basicamente a neuropedagogia seria o ramo da pedagogia que se preocupa em compatibilizar o
software
(técnicas de ensino) com o
hardware
(cérebro humano).
NEUROPEDAGOGIA
> O prof. Pier analisou que a escola dita "tradicional" – a escola que alfabetiza ao fazer o aluno decorar a tabuada – parece ser mais compatível com o funcionamento do cérebro, segundo os estudos neurológicos.
Universidade de Bolonha
Fundada em 1088, e em basicamente um milênio de tentativas e erros analisados por mentes brilhantes, seria impossível não fazer o paradigma pedagógico convergir para a metodologia mais adequada, mesmo desconhecendo a fundamentação neurológica do processo.
>O construtivismo é uma corrente teórica que pretendem a explicar como a inteligência humana se desenvolve, partindo do princípio de que o desenvolvimento humano é determinado por ações mútuas entre o indivíduo e o meio.

>A ideia é que o homem não nasce inteligente, tal como os empiristas assim pensaram, mas também não é passivo sob a influência do meio, isto é, ele responde aos estímulos externos agindo sobre eles para construir e organizar o seu próprio conhecimento, de forma cada vez mais elaborada.
O professor Pierluigi Piazzi
> No início da década de 90 acabou descobrindo dois livros que fundaram o que resolveu chamar de NEUROPEDAGOGIA. Um deles é o
The Computational Brain e o Neural Network
.
O que é construtivismo?
> O construtivismo parte da crença de que
o saber não é algo que está concluído, terminado, e sim um processo contínuo de construção e criação
. O método construtivista fundamenta-se na escrita, acreditando que o aluno tem condições de se alfabetizar sem a ajuda de cartilhas e mecanismos que o induzem no decorar, repetir mecanicamente, declamar, transmitir e aprender o que já está acabado.
Erros da pedagogia construtivista
> Em 2001 as pedagogas finlandesas decretaram que o Sistema Educacional aplicado até então em seu país estava "demodé",

> Foram fazer um estágio em Barcelona (como um monte brasileiras também fizeram) e criaram um projeto de Sistema Up-to-date! Em 2002 o projeto foi detalhadamente estruturado, e em 2003 os professores seriam "reciclados". Enquanto que em 2004 o novo sistema seria implantado. Para sorte dos alunos finladeses, em 2003 foi realizado o P.I.S.A. organizado pela OCDE.
Resultado do P.I.S.A seguinte:

1º FINLÂNDIA
40º BRASIL
41º TUNÍSIA

Como o P.I.S.A. é realizado de 3 em 3 anos, vejamos os resultados de 2009, com mais 6 anos de construtivismo:

01º - CHINA
02º - FINLÂNDIA
08º - JAPÃO
20º - ALEMANHA
21º - REINO UNIDO
23º - NORUEGA
25º - DINAMARCA
30º - EUA
43º - CHILE
48º - URUGUAI
55º - TUNÍSIA
53º - ARGENTINA
57º - BRASIL

O ESTUDO
_ Entender que o professor é tão estudante quanto seus próprios alunos é o ponto de partida de qualquer bom estudante de licenciatura; consequentemente de qualquer bom professor.

[1] o estudo é uma prática solitária de aprendizado, nisso que denominaremos por “compreensão”.

[2] o bom estudante é aquele que parte do princípio de que o papel do “professor” não é uma condição, mas uma vivência diária.
Por que estudar?
_ Razões da atividade docente.

_ Advertências: há diariamente cada vez mais mão de obra, e cada vez menos necessidade da mesma. Mas em que sentido? No sentido que
o desenvolvimento tecnológico tende sempre a substituir a “presença” humana.

_ Somente irão sobreviver os que conseguirem penetrar no mercado de trabalho. Mas o caso é que "esse" não quer mais diplomas e títulos, mas sim inteligência, cultura e criatividade; conhecimento,

_ Por que estudar?
_ A resposta para a pergunta “por que estudar?” seria “para nada”! Se for para” estudar como todo mundo estuda”.


_E como todo mundo estuda? Estudam para provas, para tirar boas notas, passar de ano e adquirir um diploma.


_ O velho conselho "estude mais para vencer na vida" definitivamente é um equívoco, posto que o estudo não é questão de quantidade, mas sim de
qualidade
. Portanto, o conselho certo não é estude mais, mas sim estude melhor.
Quando estudar?
_ A maior parte da nossa juventude é vítima de um velho costume: estudar em horas erradas. Desde cedo, tanto familiares quanto educadores estimulam o estudo com vistas às avaliações, mas nunca para o
aprendizado.
_ Com isso, teríamos uma fórmula bem conhecida: estudar em cima da hora, colocar as informações no cérebro de forma absurdamente instável, fazer a prova e, logo em seguida, esquecer tudo!
Cérebro & Computador
_ Informações preliminares são condificadas pela “Memória RAM”(Random Access Memory)

_ Para evitar tragédias do tipo, existe o chamado no-break (Uninterruptible power supply)

_ Quando esse mecanismo é ativado, há o tempo necessário para que a informação seja transferida da memória RAM para o HD (Hard Disk ou Disco Rígido)
_A memória RAM seria equivalente ao sistema límbico, uma estrutura complexa – tálamo, hipotálamo, amígdala, etc – nas quais se destaca o
hipocampo
, muito importante para a memória de
curto prazo
.

_ Envolvendo esse miolo como uma casca de árvore, temos a parte mais “nobre” do cérebro, fundamental para a memória de longo prazo, e que, portanto, se equivaleria ao HD -
O cortex
Computador
Cérebro
_ Tal como a m. RAM, o sistema límbico é como um tipo de rascunho relativamente pequeno que basicamente abrange algumas horas de informação.

_ Semelhante ao HD, o córtex possui uma capacidade de armazenamento gigantesca. Para um rápido entendimento do seu potencial, estipula-se que um indivíduo que estudar dez horas por dia durante toda a sua vida só conseguiria esgotar essa capacidade de armazenamento em, aproximadamente, quatro séculos.
Crítica ao sistema educacional
[1] A deficiência chave das instituições escolares nacionais poderia ser caracterizada como uma insuficiência geral passível de vislumbre nos fins que lhes são almejados.

[2] Poderíamos traduzir esse processo como uma falta de preocupação em relação ao verdadeiro ensino, no sentido de se conseguir que um aluno conserve o conhecimento permanentemente.
_ Uma informação, portanto, apenas é transformada em conhecimento se as redes neurais do córtex forem reconfiguradas. Sinapses devem ser desfeitas, outras ativadas, dentritos morrem ou nascem, caminhos são refeitos.

_Enquanto isso não ocorre, as informações retidas pelo sistema límbico são perdidas. Ao fim de um dia, nosso cérebro sente a necessidade de “resetar”, justamente porque o aporte dessa memória é pequeno, mas ainda assim é necessário para o funcionamento geral da cognição.
Poderíamos perguntar: o que vai para o lixo e o que vai ser salvo?
[1] Essa “decisão” é determinada pela carga emocional, associada a cada fragmento de informação, e não à carga racional da mesma.

[2] Se uma informação é obtida com indiferença, tédio, de maneira a não abalá-l@, nem positiva nem negativamente, com certeza ela será descartada durante a noite.
Para a pergunta “quando estudar?”, o Prof. Pier responderia: “é preciso estudar pouco, mas todos dias”.
Módulo I
Quanto estudar?
_Se compreendemos a necessidade do estudo diário, naturalmente entenderemos o quanto devemos estudar: POUCO!

_Outro aspecto de destaque é que somos naturalmente levados a nos dedicar aquilo que gostamos, e nos afastar daquilo que temos mais dificuldade.
Quantos rounds?
_Os neurônios funcionam por meio de algumas substâncias químicas essenciais que, em caso de utilização intensa, podem se esgotar em trinta ou quarenta minutos.

_Para que possa continuar desempenhando o seu papel, é necessário que o neurônio tenha tempo para se recompor, ou seja, que possa reabastecer-se daquelas substâncias cuja falta o haviam tornado ineficiente.

_Quanto tempo devemos descansar? A resposta seria dez minutos para cada meia hora de estudo
Um neurônio é um dispositivo eletroquímico que funciona como uma chave que permite, dependendo de determinadas condições, a passagem de um pulso elétrico para outros neurônios, abrindo ou fechando circuitos.
_ O estudo é uma atividade solitária; quanto a aula é um possível espaço de entendimento.
_O estudo exige um lugar
sossegado
e
confortável
que permita a
concentração
.
*As implicações da música e Tv.

_A transmissão de um pulso elétrico de um neurônio para outro, é absurdamente mais lenta do que a de um computador. Para superar essa “lerdeza”, o nosso cérebro usa um truque que, na informática, é chamado de “processamento paralelo”

_Um ser humano não canhoto , percebemos que cada uma das parte denominadas hemisférios cerebrais se especializou em realizar tarefas específicas. Dessa maneira, no hemisfério esquerdo temos os módulos cognitivos [1] linguístico e [2] lógico-matemático; no direito o [3] musical e o [4] espacial.
Como estudar?
Um velho ditado chinês
"Se escuto, esqueço. Se vejo entendo. Se faço aprendo"
_ Não adianta ficar olhando para um livro aberto de forma passiva, o estudo exige a escrita ao discernir conceitos e fatos essenciais.

*Escrever não é digitar

_ Nas aulas temos o costume de ouvir e ver, mas pouco fazemos, justamente porque a aula se destina essencialmente ao entendimento.

_ O estudo, como o momento posterior ou antecedente à aula destina-se ao aprendizado, estado de preparação das redes neurais para que se configurem alterando fisicamente a estrutura do cérebro
Por exemplo
_ A típica dificuldade no estudo de
matemática
, por exemplo, encontra a sua explicação na
forma errada de estudar
.

1. Estudar para passar nas provas

2. Estudar para aprender

_ Enquanto as ciências exatas levam consigo a necessidade de um edifício de conhecimentos que se sustentam.

Ciências humanas
Ciências exatas
_Matemática
_Física,
_Engenharia,
_Química
_Estatística
_Computação
_Sociologia
_Ciência política _Antropologia _História
_Linguística _Pedagogia _Comunicação
_Geografia
_ Direito
_ Arqueologia
_ Psicologia
etc
Filosofia
LÓGICA
Full transcript