Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TCC

No description
by

Jéssica Machado

on 11 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TCC

Justificativa
TEMA:
A Consolidação do Projeto Profissional do Serviço Social
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO

2 O TRABALHO EM SERVIÇO SOCIAL

2.1 A CONSOLIDAÇÃO DO PROJETO PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL
2.1.2 A instrumentalidade no trabalho do Assistente Social
2.2 O SERVIÇO SOCIAL E O SOCIOJURÍDICO
2.2.1 Alguns desafios aos Assistentes Sociais na área sociojurídica
2.3 A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVA EM FOCO: A MATERIALIZAÇÃO DA INSTRUMENTALIDADE EM SERVIÇO SOCIAL

CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS
[…] apresentam a autoimagem da profissão, elegem valores que a legitimam socialmente,
delimitam e priorizam seus objetivos e funções, formulam requisitos (técnicos, institucionais e práticos) para o seu exercício, prescrevem normas para o comportamento dos profissionais e estabelecem balizas de sua relação com os usuários dos seus serviços, com outras profissões e com as organizações e instituições, públicas e privadas
(entre estes, também e destacadamente com o Estado, ao qual coube historicamente, o reconhecimento jurídico dos estatutos profissionais). (NETO, 1999, p. 95).
A Instrumentalidade no trabalho do Assistente Social
A instrumentalidade é entendida “como uma propriedade ou um determinado modo de ser que a profissão adquire no interior das relações sociais, no confronto entre as condições objetivas e subjetivas do exercício profissional.” (GUERRA, 2000, p.1) E depende da adequada utilização dos meios, orientada aos fins pretendidos.
O Trabalho em Serviço Social
A Instrumentalidade em Serviço Social: reflexões à luz da Teoria Social Crítica
UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL
Jéssica Gomes Machado
Pré requisito para a obtenção do título de bacharel em Serviço Social.
Indagações surgidas no decorrer do processo de estágio obrigatório, realizado no SAJUCS, acerca da atuação profissional na área sociojurídica.
A instrumentalidade no trabalho em Serviço Social.
DELIMITAÇÃO
DO TEMA:
A instrumentalidade no trabalho do/a Assistente Social, especialmente na área sociojurídica.
PROBLEMA
De que forma a instrumentalidade do Serviço Social pode contribuir, na área sociojurídica, com a efetivação do projeto ético político profissional?
OBJETIVO GERAL
Problematizar acerca da instrumentalidade no trabalho em Serviço Social, especialmente no que se refere aos instrumentos privativos do/a assistente social, segundo o preconizado na Lei 8.662/93, que regulamenta a profissão de Assistente Social, de modo a contribuir com as discussões realizadas em torno do tema e com a qualificação do exercício profissional na perspectiva de concretização do projeto ético político profissional.
QUESTÃO NORTEADORA
Como se conforma o trabalho em Serviço Social e, quais os balizadores do exercício profissional dos Assistentes Sociais?
Refletir sobre o Serviço Social enquanto trabalho, indicando os elementos constituvos do processo de trabalho, dialogando com o projeto ético político profissional;
OBJETIVO ESPECÍFICO
OBJETIVO ESPECÍFICO
Compreender a inserção e atuação do Serviço Social na área sociojurídica;
QUESTÃO NORTEADORA
Como se configura o trabalho em Serviço Social na área sociojurídica?
QUESTÃO NORTEADORA
Qual a relevância dos instrumentos utilizados pelo/a Assistente Social no exercício de seu trabalho, enquanto mediadores para o desempenho qualificado das intervenções profissionais?
OBJETIVO ESPECÍFICO
Problematizar os diferentes instrumentos de trabalho, de uso específico dos assistentes sociais, como estratégia para o desempenho qualificado do trabalho em Serviço Social.
A validade da teoria social está precisamente em iluminar a possibilidade de leitura crítica da sociedade capitalista, bem como a compreensão do ser social; de permitir ao homem o conhecimento de si e da sociedade – [...] de valorizar o homem que produz a riqueza, a história e que, no entanto, não consegue perceber o seu papel devido, entre outros, ao caráter da alienação presente no processo produtivo. A teoria pode, assim, continuar alimentando a capacidade teórico-crítica daqueles que se voltam a compreender a contradição fundamental dessa sociedade e as consequências dessa contradição, e que buscam perspectivas de transformação para uma sociedade em que a liberdade do ser social seja efetivamente construída (MATHIS; SANTANA 2009, p.10 grifos meus).
MÉTODO
METODOLOGIA
Pesquisa bibliográfica.
Resgata a concepção de trabalho como uma capacidade ontológica do ser social;
Discorre acerca do significado sócio-histórico do Seviço Social
O Serviço Social e o sociojurídico
Termo sociojurídico;
A concepção de "área" sociojurídica (BORGIANNI, 2013);
Polaridade antitética (BORGIANNI, 2012);
Judicialização da política ou judicialização dos conflitos sociais (AGUINSKY; ALENCASTRO, 2003);
Jurisdicialização (ou justicialização) (NOGUEIRA NETO, 2012);
Alguns desafios aos Assistentes Sociais na área sociojurídica.
A Dimensão técnico-operativa em foco:
A materialização da instrumentalidade em Serviço Social
Lei de Regulamentação da Profissão, enquanto um instrumento capaz de articular princípios ético-políticos e procedimentos técnico-operacionais, pois expressa em seu texto legal um conjunto de conhecimentos específicos e especializados, predefinidos como competências e
atribuições privativas do Assistente Social.
Art. 5º - “realizar vistorias, perícias técnicas, laudos periciais, informações e pareceres sobre a matéria de Serviço Social”.
ESTUDO SOCIAL
[…] é um processo metodológico específico do Serviço Social, que tem por finalidade conhecer profundamente e de forma crítica, uma determinada situação ou expressão da questão social [...] (FÁVERO, 2003, p. 42-43).
PERÍCIA SOCIAL
[…] é o estudo social, realizado [...] com finalidades relacionadas à avaliação e julgamentos. (FÁVERO, 2003, p. 44).
LAUDO SOCIAL
[...] é utilizado no meio judiciário como mais um elemento de “prova”, com a finalidade de dar suporte à decisão judicial, […] oferece elementos de base social para a formação de um juízo e tomada de decisão que envolve direitos fundamentais e sociais [...] (FÁVERO, 2003, p. 42-43).
PARECER SOCIAL
[...] parte final ou conclusão de um laudo, bem como resposta a consulta ou a determinação de autoridade judiciária a respeito de alguma questão constante em processo já acompanhado pelo profissional. (FÁVERO, 2003, p. 47).
Para que haja efetividade no trabalho desenvolvido, deve-se considerar a teleologia como determinante essencial, e essa por sua vez, deve ter por baliza as determinações da causalidade. Assim, a finalidade incide sobre o objeto (realidade objetiva/ causalidade) pretendendo modificá-lo (realidade posta/ produto). O que requer a projeção do fim e a busca dos meios, os quais devem ser eleitos com vistas à concretização de uma finalidade também previamente definida.
Considerções Finais
O que pode ser inferido é que a construção destes documentos implica em um procedimento metodológico semelhante. Ou seja, para a elaboração de qualquer um destes instrumentos, o profissional assistente social deve mobilizar conhecimentos teórico-metodológicos e ético-políticos, os quais são iluminados pelo método dialético-crítico e balizados pelos princípios do projeto profissional. Isto significa que o profissional utiliza-se de uma instrumentalidade composta por técnicas e instrumentos coletivos, utilizados por outros profissionais, mas também de caráter próprio e, que servem de mediação entre as ações instrumentais e o exercício profissional crítico e competente
REFERÊNCIAS
AGUINSKY, B.G. ALENCASTRO E.H. Judicialização da questão social: rebatimentos nos processos de trabalho dos assistentes sociais no Poder Judiciário. Katális. v. 9 n. 1 jan./jun. 2006, Florianópolis – SC. p. 19-26.
BORGIANNI, Elizabete. Identidade e autonomia do trabalho do/a assistente social no campo sociojurídico. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. II Seminário Nacional: o Serviço Social no campo sociojurídico na perspectiva da concretização de direitos. Brasília: CFESS, 2012.
_________. Para entender o Serviço Social na área sociojurídica. In: Revista Serviço Social & Sociedade. São Paulo, n. 115, p. 407-442, jul./set. 2013.
FÁVERO, Eunice Terezinha. Estudo Social- Fundamentos e Particularidades de sua Construção na Área Jurídica. In: O Estudo Social em Perícias, Laudos e Pareceres Técnicos: contribuição ao debate no judiciário, penitenciário e na previdência social. São Paulo, Cortez, 2003.
GUERRA, Yolanda. A instrumentalidade no trabalho do assistente social. In: Cadernos do Programa de Capacitação Continuada para Assistentes Sociais, “Capacitação em Serviço Social e Política Social”, Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais, CFESS/ABEPSS- UNB, 2000.
MATHIS, Adriana de Azevedo; SANTANA, Joana Valente. Serviço Social e tradição marxista: notas sobre a teoria social crítica. 6º Colóquio Internacional Marx e Engels. Rio de Janeiro, 2009.
NETO, Wanderlino Nogueira. A judicialização da questão social – desafios e tensões na garantia dos direitos. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. II Seminário Nacional: o Serviço Social no campo sociojurídico na perspectiva da concretização de direitos. Brasília: CFESS, 2012.
NETO, Wanderlino Nogueira. A judicialização da questão social – desafios e tensões na garantia dos direitos. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. II Seminário Nacional: o Serviço Social no campo sociojurídico na perspectiva da concretização de direitos. Brasília: CFESS, 2012.
Full transcript