Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Impacto Ambiental da Indústria Petroquímica e Combustíveis Alternativos

No description
by

Pedro Alexandre

on 11 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Impacto Ambiental da Indústria Petroquímica e Combustíveis Alternativos

Poluição Atmosférica Combustão dos combustíveis fósseis (problema ambiental) Drowning in Oil Combustível FÓSSil "O vício em combustíveis fósseis não é curável nos próximos anos porque os interesses de curto prazo são muito mais fortes do que as preocupações com uma alteração climática global cujos efeitos mais gravosos só irão manifestar-se nas próximas décadas. O sector dos combustíveis fósseis tem um gigantesco poder financeiro e económico e não está disponível para a mudança no sentido de um novo paradigma baseado em energias renováveis." Era Paleozoica Não-Renováveis Poluente Génese combustíveis fósseis Com os oceanos repletos de seres vivos semelhantes ao plâncton, (e com a respectiva deposição) estes sedimentos devido ao afundamento e aumento de temperatura, sofreram um processo químico formando hidrocarbonetos, e consequentemente jazigos petrolíferos Têm origem na decomposição anaeróbia de matéria animal e vegetal por um processo que se prolonga por milhões de anos. Os combustíveis fósseis, hoje em dia explorados, formaram-se a sua maior parte, na Era Paleozóica, há aproximadamente 500 milhões de anos O petróleo, no estado em que é extraído do solo, tem pouquíssimas aplicações. É uma complexa mistura de moléculas, compostas principalmente de carbono e hidrogénio, – os hidrocarbonetos- além de algumas impurezas.
Para que haja o aproveitamento energético adequado do petróleo, deve-se submetê-lo a processos de separação, conversão e tratamentos. Subprodutos importantes Gás

Éter de petróleo

Gasolina

Querosene

Ceras

Óleos mais pesados



No final do processo, resta o alcatrão, o resíduo sólido. É atualmente a principal fonte de energia, servindo como base para fabricação dos mais variados produtos, dos quais destacam-se benzinas, gasolina, combustível de aviação, alcatrão, polímeros plásticos e até mesmo medicamentos. Já foi causa de muitas guerras e é a principal fonte de renda de muitos países, sobretudo no Oriente Médio. ?
Petróleo e Derivados Combustíveis alternativos Soluções !? conclusion OBRIGADO! Impacto Ambiental da Indústria Petroquímica e Combustíveis Alternativos Problema Importância da indústria petroquimica A indústria petroquímica trabalha com derivados do petróleo ou gás natural. Estes produtos químicos são tipicamente extraídos durante o processo de refinação, do petróleo bruto e de gases que são destilados. A partir de produtos petroquímicos são fabricados uma enorme variedade de produtos (anteriormente enumerados), feitos com produtos petroquímicos, como por exemplo, plásticos, sabonetes, produtos farmacêuticos, fertilizantes, pesticidas, detergentes, pisos, solventes, fibras sintéticas, borracha e outros materiais. Extração e transporte do petróleo bruto podem ter um impacto muito negativo no ambiente, e o processo de refinação pode ser altamente poluente e, por vezes, perigoso para as comunidades vizinhas. Como principal fonte energética, o petróleo desempenha papel estratégico na economia mundial. A produção de petróleo pode representar ate 15% do PIB em alguns países. As energias não renováveis dominam o consumo de energia mundial Impacto Ambiental da Indústria Petroquímica Exemplos de Incêndio Consequências dos incêndios Riscos de Incêndio Os derivados do petróleo são perigosos dado que são extremamente inflamáveis. É comum haver incêndios em refinarias e depósitos onde os petróleos são tratados e armazenados. Estes incêndios são difíceis de extinguir pondo em risco populações que vivem perto das refinarias e depósitos. Em 1991 os exércitos de Saddam Hussein foram expulsos do Kuwait, mas deixaram uma linha de destruição para trás. Eles sabotaram os campos de petróleo do país, danificando 750 dos 943 poços de petróleo do país. Em mais de 600 eles simplesmente atearam fogo. Mais de um milhão de barris de petróleo foram desperdiçados e a fumaça resultante era cheia de gases nocivos, que poderia causar câncer de pulmão e problemas respiratórios para qualquer um que os aspirasse. O Kuwait precisou gastar 1,5 milhões de dólares para tentar interromper os incêndios e mais de 5 bilhões para consertar a infra-estrutura danificada. perda de diversidade biológica

a destruição de ecossistemas e habitats únicos

degradação dos solos Consequências dos acidentes na extração de petróleo

Cada acidente tem caracteristicas próprias (derivado do tipo de acidente, com o local e as caracteristicas dá área atingida).

afectando as áreas económicas, financeiras, políticas e claro, as ambientes e científicas. Marés Negras Fotos Acidentes na extração de petróleo Medidas de prevenção e de combate

Este tipo de catastrofe antropológica tem de ser prevenida. Através de inspecções regulares e rigorosas aos equipamentos/instrumentos, ao cumprimento das medidas de segurança.
Pesquisa dos terrenos através de geólogos, cartas topográficas, inovação dos equipamentos utilizados. Os petróleos brutos são transportados, dos locais de extração até aos países consumidores, em enormes petroleiros com capacidade para transportar milhões de toneladas. Um acidente marítimo com um petroleiro pode originar o derrame dos produtos transportados, que, por serem menos densos do que água, flutuam, originando as chamadas marés negras. Consequências das Marés Negras

Existem vários efeitos das marés negras sobre ambiente, que variam com o tipo de acidente e o local de acidente.

A película formada na superfície da água impede a entrada da luz, que reduz a taxa de fotossíntese das plantas marítimas, e as trocas gasosas entre o oceano e a atmosfera, o que diminui a quantidade de oxigénio dissolvido na água provocando asfixia de diversos peixes e a proliferação de bactérias anaeróbias, além da morte de aves marinhas


Se o crude atingir a costa, os terrenos ficam estéreis, apenas sendo propícios ao desenvolvimento de populações de algumas bactérias que se alimentam de hidrocarbonetos.

Para além das consequências no ambiente, as marés negras podem ter efeitos socioeconómicos bastante negativos. Devido à destruição da fauna e flora, áreas comerciais como a pesca, a aquacultura, a apanha do marisco e o turismo são gravemente afectadas, o que, consequentemente, leva a um aumento da taxa de desemprego.
Medidas de prevenção e de combate

Reforçar os barcos (desde de 2005 que é obrigatório os petroleiros possuírem casco duplo)

De modo a recolher o petróleo e a estagnar a propagação da maré negra são utilizados, respectivamente, navios-aspiradores e barreiras flutuantes. Contudo, essas embarcações não são eficazes quando as manchas são muito grandes e as barreiras não são uma medida válida quando o oceano se encontra muito agitado. Meios Ecológicos e a Produção de combustíveis alternativos Como limitar o consumo de combustíveis fosseís?
Para reduzir o consumo do petróleo, diminuir os problemas ambientais e melhorar o ambiente para gerações futuras é necessário encontrar combustíveis e comburentes alternativos com um preço inferior ao do petróleo. A estes combustíveis dá-se o nome de novos combustíveis, combustíveis verdes, ou combustíveis limpos. Hidrocarbonetos FILIPE DUARTE SANTOS

02/01/2013 - artigo de opinião - Jornal o "Público" Ponto de Ebulição 0ºC 400ºC Petróleo (dados estatísticos) O petróleo desempenha papel estratégico na economia mundial.

Atualmente, 90% do petróleo consumido é utilizado como combustível ou carburante; os 10% restantes são usados em petroquímica, permitindo fabricar o eteno e o propeno, que intervêm na síntese de matérias plásticas. Principais países produtores de petróleo Arábia Saudita 10,521 10,146 9,688 Rússia Estados Unidos da América Maiores reservas de petróleo do mundo Venezuela Arábia Saudita Canadá 296,5 265,4 175,2 Uma consequência deste domínio é o preço dos combustíveis fósseis que sobe em proporcionalidade inversa à sua quantidade disponível para venda, ou seja, quanto mais escasseiam, mais elevado é o seu preço.
A economia mundial está tão dependente deles que o simples aumento do preço do barril de petróleo (que é o mais explorado para fins energéticos) influência fortemente os mercados. Carvão Petróleo Gás natural Subprodutos resultantes da destilação do petróleo Valores de produção em 2010, em milhões de barris por dia (Valores de Reservas em 2011, em bilhões de barris de óleo): Biometano Bioetanol Biometanol Hidrogénio Biodiesel Gás do petróleo liquefeito (GPL) Energia Nuclear Política Antipoluição
É prioritário o reforço e o investimento na investigação, quer para impedir a emissão para a Atmosfera destas substâncias quer para encontrar soluções mais verdes. É nesse sentido que a comunidade científica tem estado a trabalhar, para encontrar combustíveis alternativos e autossustentáveis.
Mas essa realidade só será possível com políticas de antipoluição e restrição ao uso de combustíveis fósseis, e é com base nesta ideia de necessidade de baixar os níveis de consumo das matérias fosseis, tarefa só dificultada pelo desconhecimento e falta de financiamento no estudo de compostos alternativos, que este trabalho encerra em si a esperança de que nos próximos anos esta realidade se irá inverter. O uso destes recursos energéticos, nomeadamente os combustíveis fósseis, afetou drasticamente a vida do ser humano, pois teve impactos sociais, tecnológicos e económicos enormes. A razão pela qual os hidrocarbonetos são considerados bons combustíveis é o facto de estabelecerem ligações C=O e O-H fortes. Infelizmente, o grande inconveniente é as graves consequências sobre o meio ambiente, em particular a queima que mais afeta a qualidade do ar, e indiretamente as condições atmosféricas. Dióxido de Carbono (CO2)

Ideias-chave:

Do processo da combustão de combustíveis fósseis resultam gases poluentes (CO2) que são libertados para a atmosfera.

Por vezes, em condições pouco eficientes, desta combustão resultam outros gases, como por exemplo o monóxido de carbono, o carbono presente nas moléculas de CO provém dos hidrocarbonetos assim como do carbono presente no CO2 libertado, onde carbono reage com os radicais de oxigénio, originando CO.

Responsável pelo efeito estufa Azoto (N)

Ideias-chave:

Contribui para o efeito estufa

Molécula extremamente estável, devido à sua ligação tripla, por isso é quase inerte.

Nos motores de combustão, devido às descargas das explosões do combustível, existe energia suficiente para quebrar essa ligação tripla, originando posteriormente óxido de azoto

Os óxidos de azoto contribuem 150 vezes mais para o efeito de estufa do que o CO2 e os CFC’s 15000 vezes mais. Enxofre

Ideias-chave:

A maior parte dos combustíveis contém enxofre na sua constituição

o dióxido de carbono formado na combustão, consegue arrastar outros poluentes, nomeadamente óxidos de azoto, enxofre, carbono e porventura hidrocarbonetos.

Os óxidos ácidos (CO, SO2, SO3, etc.) contam-se entre os principais responsáveis pelas chuvas ácidas.

Existe uma norma que não permite uma percentagem de enxofre superior a 0,3% no gasóleo e, por isso, os produtores lançam no mercado gasóleos com uma percentagem de enxofre de 0,2%. Consequências O dióxido de enxofre também é perigoso para as pessoas pois provoca complicações respiratórias e pulmonares, quando se dissolve na água que os órgãos respiratórios contêm.

O monóxido de carbono (CO), outro composto produzido também na combustão dos combustíveis fósseis, é tóxico pois reage com a hemoglobina formando um composto mais estável, podendo levar à morte por asfixia. Também pode provocar problemas de visão, redução da capacidade de trabalho, entre outros problemas de saúde. Meios de intervenção e prevenção A poluição atmosférica no Mundo é um assunto de extrema importância pois causa efeitos nocivos em todo o Meio Ambiente, e é necessário fazer algo de modo a atenuar os danos existentes e prevenir que estes piorem, é necessário diminuir a poluição atmosférica provocada pelo ser humano, consumir menos energia (usando quem sabe: lâmpadas económicas e aproveitar ao máximo a luz do dia, não deixar aparelhos em stand by, etc.) e poupar combustíveis nas viagens quotidianas (transporte públicos ou andar a pé). Quanto ao agravamento do efeito de estufa, é imperativo proceder à redução da taxa de emissão de CO2 pela diminuição das combustões industriais e domésticas assim como diminuir o número de combustões nos motores dos veículos promovendo a utilização de transportes públicos ou utilizar fontes de energia não poluentes (tema abordado mais à frente) Já contra a formação das chuvas ácidas, cujos poluentes ácidos têm origem nas combustões dos combustíveis fósseis (SO2, SO3, NO), podemos diminuir as emissões dos poluentes ácidos através de: Dessulfurações do gasóleo e dos óleos carburantes; e da Aplicação generalizada dos conversores catalíticos.

Os conversores catalíticos são usados para filtrar os gases libertados pelos escapes dos automóveis e a nível industrial, designadamente, na redução de NOx, na oxidação de combustíveis e na oxidação e redução simultânea de gases de combustão. O controlo das emissões de NOx ainda não é completamente eficaz, pois a utilização deste processo tem alguns inconvenientes tais como o elevado custo e a emissão excessiva de NH3. Por isso, ainda se procura uma melhor opção para diminuir a emissão destes gases.
Os catalisadores de oxidação são usados para as combustões incompletas, promovendo a oxidação dos hidrocarbonetos não consumidos e do monóxido de carbono. De facto, ainda assim é libertado para a atmosfera moléculas de CO2, que acentua o efeito estufa. Contudo, os conversores catalíticos de oxidação impedem a libertação de outros gases, como o monóxido de carbono, que são bastante mais nocivos. Para além disso, apresentam outra vantagem, pois conseguem diminuir a quantidade de combustível gasto. Nos automóveis posteriores a 2005 são usados catalisadores de redução seletivos, onde é usado platina ou ródio, de modo a diminuir as emissões dos óxidos de azoto. Sem os conversores catalíticos, da combustão de gasolina resultaria a emissão de por exemplo NO2, que uma vez lançado na atmosfera daria origem ao ozono, este gás é prejudicial e quando sua concentração iguala ou supera 180 ppm torna-se um ressico de saúde pública. Industrialmente, os gases poluentes atravessam discos porosos ou de materiais porosos contendo os metais catalisadores, de modo a aumentar a eficiência do conversor catalítico. A presença em elevadas quantidades na atmosfera de gases - como o dióxido de carbono, o metano, entre outros que são produtos de combustão dos combustíveis fósseis aumentam o efeito estufa.

as calotes polares começam a derreter, habitat de muitos seres vivos, pondo em risco, por isso, a sua existência.

uma subida do nível do mar e, a submersão das cidades litorais.

a desertificação, levando à morte de vários animais e plantas.


Todas as alterações climáticas referidas são uma grande ameaça para a saúde dos seres humanos, principalmente as ondas de calor que, por exemplo, entre 2003 e 2006, causaram 3828 mortes em Portugal. Os óxidos de azoto e o dióxido de enxofre são responsáveis pelas chuvas ácidas.

prejudiciais para as florestas, pois dissolvem iões presentes no solo, que são fundamentais para um crescimento saudável das árvores.
afeta ecossistemas aquáticos, pois diminui o pH da água de lagos e rios, provocando a morte de vários peixes, que não suportam valores de pH demasiado baixos. Os produtos da combustão de combustíveis fósseis também causam, por vezes, um fenómeno de nome smog (nevoeiro fotoquímico), que é uma mistura de gases, maioritariamente constituída por ozono com outros compostos, formados por reações provocadas por gases libertados da combustão.











Este nevoeiro pode causar irritação e danos nos olhos, na pele e nos pulmões, a seca das membranas protetoras do nariz e da garganta, alterações no sistema imunitário e agrava também as doenças respiratórias como a asma. Menos poluentes que o gasóleo

Não contribui para o agravamento do efeito de estufa

Origina subprodutos utilizáveis na agricultura e indústria (excepto energia nuclear)

Decompõem se com facilidade não constituindo perigo para solos e aguas subterrâneas (excepto Energia nuclear)

Não liberta compostos de enxofre Muito caro

Capacidade de produção limitada Origem: fabricado a partir de óleos vegetais para fritar, sendo os mais comuns os óleos de girassol e colza.

Utilização: sector dos transportes Origem: fermentação de resíduos agrícolas e estrumes

Utilizações: para utilizar em aquecimentos ou utilizações domésticas e produzir adubos orgânicos. Origem: é o elemento mais abundante no universo (75%) e também o terceiro elemento mais presente na Terra

Utilização: Várias, como por exemplo sector dos transportes Viaturas que se deslocam a hidrogénio – veículos elétricos onde a eletricidade é produzida por uma célula combustível [célula eletroquímica em que são consumidos um agente redutor (combustível) e um agente oxidante (comburente), com o objetivo de gerar energia elétrica].

Viaturas com combustíveis alternativos - contêm um motor de combustão interna normal, mas é capaz de utilizar combustíveis alternativos como o biodiesel, o etanol e o gás natural. Origem: petróleo

Utilização: sector dos transportes Origem: a partir do metano, pelo que também e conhecido por álcool do metano

Utilização: serve para fabricar o aditivo que, quando incorporado na gasolina em vez do tetraetilochumbo, permite obter carburantes sem chumbo e com maior índice de octano. Origem: fermentação alcoólica dos açúcares dá origem ao etanol, também designados bioetanol, por ter origem numa reação biológica

Utilização:carburante para automóveis. Origem: Energia nuclear é a energia liberada numa reação nuclear

Utilização: gerar eletricidade Protocolo de Quioto (1997). os países que assinaram o Protocolo de Quioto podem não estar a cumprir os valores acordados. Por exemplo, Portugal ultrapassou o limite das emissões de gases de estufa previsto pelo Protocolo de Quioto, em 13%. A União Europeia também estabeleceu um conjunto de regras para o licenciamento de certas instalações industriais, devido à necessidade de atenuar os efeitos ambientais de alguns processos industriais e de evitar que a poluição se transferisse entre os países.

Esta diretiva, denominada IPPC (Integrated Pollution Process Control), pretende promover a prevenção e controlo da poluição por parte das identidades industriais, que ficam a sujeitas a uma licença ambiental é URGENTE mudar
Full transcript