Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Novas teorias criacionistas versus evolucionismo

No description
by

Priscila Abreu

on 7 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Novas teorias criacionistas versus evolucionismo

O homem sempre procurou uma resposta para a origem da Vida
Novas teorias criacionistas versus evolucionismo

EVOLUÇÃO
Alteração da forma e comportamento dos organismos entre gerações a partir de um ancestral comum.

1859
Charles Darwin
Seleção Natural
Sobrevivência do mais apto
ERRADO
Contudo, esta expressão retrata um dos processos essenciais: de que nem todos os indivíduos tem o mesmo sucesso evolutivo, onde existe uma seleção que elimina os menos aptos sem juízos morais.
Mecanismo discriminatório
Não aleatório
Resulta em alterações das populações em dadas direções.

Não atua diretamente sobre os genes mas sim sobre as caraterísticas expressas, fenótipo, que podem resultar da interação entre os genes e o ambiente ou podem ter origem em processos epigenéticos
Migrações: são parte também do mecanismo de mudança evolutiva, podendo ser responsáveis pela colonização de novos habitats e pela manutenção de trocas genéticas entre diferentes populações.
Mutações:
Onde a seleção natural atua.
Consiste em alterações genéticas aleatórias que quer dizer que podem ocorrer em qualquer local de 3000 milhões de locais possiveis

Bases nucleotidicas:
adenina (A)
citosina (C)
guanina (G)
timina (T)

Constituem o alfabeto bioquimico necessário para produzir a diversidade do mundo vivo que conhecemos
Aleatórias
seleção natural não é
ou seja, muitas das mutações desvantajosas, que representam a maioria, são eliminadas à partida.

Esta eliminação pode ter a ver com os gâmetas incompatíveis entre si, embrioes que nao se desenvolvem para além das primeiras divisoes celulares ou até mesmo com carateristicas que só se detetam mais tarde.
Mutação neutra:
quando o mesmo tripleto codifica o mesmo aminoácido e produz a mesma proteína
exemplo: uma proteina codificada por uma sequencia de DNA GGA AGG GGA não sofreria alterações se ocorressem por exemplo duas mutações na terceira posição do primeiro e do ultimo tripleto: GGG AGG GGG (glicina-arginina-glicina)
não ocorrendo alterações na proteína então ela vai possuir as mesmas propriedades, pelo que a seleção natural não atua de forma diferente sobre nenhuma das sequencias de DNA descritas.
Deriva genética

Será que um processo puramente aleatório em que essa informação genética, que não confere uma vantagem ou desvantagem adaptativa, é passada à descendenciia?
se imaginarmos duas populações isoladas, e que cada uma delas é constituida por vários individuos, que se vão reproduzir exclusivamente entre si ao longo de muitas gerações, produzindo uma acumulação de mutações genéticas exclusivas e distintas entre as duas populações. a razão para estas populações divergirem geneticamente entre si a partir de uma população original, é devido ao facto de a probabilidade de sogfrerem mutações nos mesmos locais do genoma ser muito baixa (3000 milhoes de locais possiveis para ocorrer uma mutação)
esta é de facto aleatoria, pode tambem contribuir para o desaparecimento de populações com determinadas caracteristicas e de fenotipos que ate podem estar mais adaptados, tratando-se de populações de pequena dimensão que esteja isoladas.

Mutações são um dos mecanismos principais responsáveis pela diversidade genética entre indivíduos.
A consanguinidade e a deriva genética são dois dos responsáveis pela divergência entre populações , caso a migração entre populações seja reduzida.

A par de todos estes processos está a seleção natural
A evolução observa-se numa população e não num organismo individualmente.
Seleção natural
Mecanismos de mudança evolutiva
Seleção Natural
Mutações
Deriva genética
Consanguinidade
Migrações
Atua sobre o produto final.
Cruzamento entre individuos aparentados
Quanto maior o grau de parentesco destes individuos, maior efeito no processo evolutivo.
Evolução da diversidade biológica
Força que molda a matéria-prima em bruto, isto é, a diversidade genética é a razão pela qual os seres vivos estão aparentemente muito bem adaptados aos locais onde habitam e às espécies com as quais interagem.
Criacionismo
O Universo, a Vida e todas as alterações associadas têm por base um Criador Divino
Os primeiros Criacionistas acreditavam numa interpretação literal dos textos religiosos
Teorias Criacionistas
Entre os criacionistas não existe consenso sobre quão literal deve ser a interpretação dos textos bíblicos
Teorias Criacionistas
Os adeptos da Terra plana
Fazem a intepretação mais literal da Bíblia e baseiam-se em passagens para afirmar que a Terra é plana. Relativamente à antiguidade da Terra, por escassez de dados bíblicos, não existe considerável debate.
Os adeptos da Terra Geocêntrica
Apoiam a Teoria Geocêntrica baseados em interpretações literais de evidências bíblicas
Os adeptos do Criacionismo da Terra jovem
Acreditavam que a criação do Universo, da Terra e dos seres vivos ocorreu no máximo há 10000 anos durante 6 dias. Explicam os eventos geológicos com base em acontecimentos bíblicos mas fazem uma interpretação metafórica em relação às evidências de que a Terra é plana e fixa.
Novas Teorias Criacionistas
Adeptos do Criacionismo da Terra Antiga
A discussão entre os criacionistas existe para explicar as evidências fósseis com base na Bíblia. Surgiram duas Teorias no séc. XIX:
Indica que existe um longo periodo entre a Genesis 1:1 e Genesis 1:2.
A primeira deu origem às alterações geológicas e aos fósseis observados atualmente; a segunda formou o Jardim do Paraíso à cerca de 4000 anos.
Teoria do Hiato
Teoria do Dia-Era
Os seis dias indicados no Livro de Génesis não passam de metáforas paras as eras geológicas, aceitando assim a antiguidade dos fósseis
Adeptos do Criacionismo Progressivo
A análise da Bíblia feita por estes seguidores é quase totalmente metafórica. Indica que a geologia pode ser estudada sem referências bíblicas e que Deus é o responsável pela transformação e criação de novas espécies, através de processos especiais pouco claros.
Conserva a interpretação clara da criação de Adão e Eva.
Aceitam a evolução dentro das 'espécies' deixando claro que o ser humano se enquadra num grupo único e sem qualquer relação com outro ser vivo.
Teoria do Plano Inteligente
Teoria mais racional e menos dogmática
Os seus seguidores não acreditam que processos de Seleção Natural ou mutações tenham dado origem a organismos ou estruturas tão complexas, nem explicam a macroevolução.

Assenta na ideia de que a microevolução é direcionada, que os seres humanos se desenvolvem para se tornarem no ser definido num pré-plano. A evolução é vista como um estado provisório até alcançar o estado final de perfeição.
Teoria da Complexidade Irredutível
Para que uma determinada estrutura funcione corretamente tem que ser inicialmente projetada, após a avaliação de todos os componentes. Se um desses componentes não funcionar ou tiver sido alterado, a estrutura não irá funcionar segundo o previsto. Desta forma, não é possível que tenha evoluido gradualmente.
Michael Behe apresenta o exemplo do flagelo da bactéria: se houver alteração qualitativa ou quantitativa de uma das 30 proteínas que constituem o flagelo este não funciona.
Desta forma, é impossível que tenha origem na evolução porque a sua complexidade e funcionamento requer a presença de todas as proteínas originais.
Michael Behe
Bioquímico na Lehigh University e seguidor senior do Center for Science and Culture
Os indivíduos que melhor compreendem e aceitam a natureza da Ciência têm mais tendência para aceitar o Evolucionismo
Argumento da direção da evolução
Teoria do Plano Inteligente
Anagénese - processo contínuo em que uma espécie ou população sofre modificações ao longo do tempo
perfeição e complexidade
Cladogénese- processo divergente em que uma espécie ancestral dá origem a duas ou mais espécies descendentes.
Aos olhos dos evolucionistas esta conceção torna-se paradoxal.



O argumento da explosão do Câmbrico
A maioria dos criacionistas acredita que o período Câmbrico foi um momento de inspiração divina em que ocorreu a formação das espécies atuais
O período Câmbrico, está associado a um salto evolutivo devido à existência de registos fósseis de praticamente todos os Filo, não significando que os Filo tenham surgido neste período pois existem dados moleculares que confirmam que estes organismos já tinham vivido um período evolutivo bastante longo mas sem deixarem registos fósseis. É também de notar que a macroevolução é apenas visível em períodos de tempo bastante longos.
Argumento da aleatoriedade da evolução
Interpretação errada por parte dos Criacionistas de que a evolução gera ordem a partir do caos
Os processos evolutivos aleatórios englobam as mutações e a deriva genética, mas a Seleção Natural trata-se de um processo discriminatório;

A Teoria da Evolução não engloba reflexões sobre a origem do Universo e existe confusão relativamente ao que trata a Teoria da Evolução (frequentemente confundida com a Seleção Natural).
O ARGUMENTO DA AUSÊNCIA DE FÓSSEIS DE TRANSIÇÃO
Fósseis com características intermédias entre dois grupos taxonómicos
Os Criacionistas negam a existência deste tipo de fósseis permitindo apenas a classificação num dos grupos
Criação especial de cada
grupo taxonómico
No entanto, os paleontólogos indicam que todos os fósseis são o resultado de evolução devido a modificações morfológicas entre eles.
Distribuição temporal dos fósseis:
Ciclo contínuo de aparecimento e extinção pontuais que leva a que algumas espécies sejam consideradas marcadores de idade geológica. Esta evidência refuta a possibilidade de uma única extinção e a criação espeial e independentemente de espécies.
O ARGUMENTO DA 'INOBSERVABILIDADE' DA EVOLUÇÃO
Se não observamos a evolução esta é uma Teoria sem fundamento
O tempo médio de vida de um ser humano é demasiado curto para pudermos observar os efeitos da evolução
No entanto, ao nível microbiológico é possível observar algumas etapas que levam à especiação por terem um ciclo de vida curto
É importante deixar claro que a evolução está subjacente a processos casuais do nosso dia-a-dia
Exemplo:
As vacinas antigripais são uma forma de evolução laboratorialmente induzida dos vírus e na sua produção em formas inofensivas ao ser humano.
O argumento da evocação constante de desentendimentos e fraudes da Ciência da Evolução
Para descridibilizar a Teoria da Evolução é comum os Criacionistas se focarem na falta de consenso entre os cientistas. Mas é esta falta de consenso que leva a investigações em busca de dados e respostas cada vez mais rigorosos
No entanto, entre os Criacionistas o desentendimento também é evidente, principalmente em relação aos argumentos que negam a evolução ou partes da mesma
Evidências da Evolução Biológica
Muitas das áreas científicas forneceram dados para a evolução biológica
Fósseis de animais ´à muito extintos
Distribuição geográfica das espécies
Comparação entre sequências de DNA
A astrofísica e a Geologia demonstram que a Terra é suficientemente antiga para suportar a evolução biológica
Físicos e químicos disponibilizaram métodos que permitem localizar no tempo os principais eventos evolucionários
A origem do Universo, da nossa Galáxia e do Sistema Solar gerou as condições favoráveis à evolução de Vida na Terra
Teoria do Big Bang
Proposta pelo Astrónomo e Padre Católico Romano Georges Lemaitre
Astrofísicos desenvolveram métodos que permitem afirmar que o Universo se está a expandir
Os seres vivos apareceram no primeiro bilião de anos da história da Terra
Existência de muitos fósseis ancestrais datados neste período
Experiências laboratoriais comprovam que compostos simples como a água e os gases vulcânicos possam ter reagido entre si e dado origem a estruturas moleculares
Auto-replicação do RNA
Registos fósseis demonstram evidências sólidas da evolução
Estratificação através de rochas sedimentares
Fósseis de transição
Estruturas e comportamentos comuns entre espécies demonstram que as mesmas evoluiram de uma espécie ancestral comum
Estruturas homólogas
Estruturas análogas - Convergência evolutiva
A evolução explica a distribuição geográfica de muitos seres vivos
Conclui que os humanos evoluiram de um ancestral primata
A evolução biológica explica a origem e a história dos seres vivos
Especiação
Estudos ambientais
Estudos genéticos
A Biologia Molecular confirma e aprofunda as evidências sobre a evolução a partir de outros seres vivos
Semelhanças genéticas entre espécies com um ancestral comum
Estudos permitem perceber como é que as alterações genéticas produzem novas características nos organismos
Novas Teorias Criacionistas
Versus
Evolucionismo
Teoria da Complexidade Irredutível
Esta teoria toma como certo que os processos evolutivos conduzem ao estado de aptidão crescente e continuada o que não se verifica sempre no processo de evolução e, erradamente, confundem complexidade com aumento de aptidão.

Para além diso, segundo Darwin, estruturas complexas podem ter determinada função e mais tarde serem selecionadas para desempenhar outra função de complexidade igual ou superior.
Relativamente ao exemplo da bactéria, é errado caracterizar o flagelo, com graus de complexidade diferentes e muitas das bactérias movimentam-se de forma independente do flagelo. Para além disso, existem componentes da membrana celular que são semelhantes aos percursores de proteínas flagelares.
Origem evolucionária comum
O criacionismo científico defende a hipótese de criação independente, no entanto essa hipótese pode ser facilmente contradita, visto que :
1. Os organismos teriam que ser morfologica e fisiologicamente independentes entre si;
2. Todos os seres vivos ou a sua maioria teriam que ser classificados através de um registo fóssil
3. Não poderiam existir organismos mais complexos recentemente em comparação com organismos mais antigos
4. As espécies não poderiam sofrer alterações morfológicas ao longo do tempo
5. Não poderiam existir orgãos vestigiais de parentesco óbvio mas sem qualquer utilidade atualmente.
A ciência baseia-se em evidências impíricas

A Religião não depende apenas de evidências, envolve também forças ou entidades sobrenaturais
Por serem áreas que debatem diferentes aspetos da vida não deveria existir qualquer conflito entre elas.
Por as suas crenças não poderem ser testadas, modificadas ou rejeitadas através de meios científicos não puderão fazer parte do processo científico
Princípio da falsificabilidade
Segundo Karl Popper, uma teoria científica terá que ser falsificável. Se o investigador não conseguir imaginar dados que contrariem a sua hipótese significa que não está a ser científico.
Karl Popper (1902-1994)
Filósofo Científico
Se não for possível alterar a teoria significa que a mesma está inserida no campo das crenças, fé, religião ...
'O Criacionismo não deve ser ensinado no âmbito da religião, nem a Teoria do Evolucionismo não deve ser ensinada como uma religião
Didier Raoull
Biólogo francês
Os americanos resistem em aceitar a Teoria evolucionista devido à componente religiosa.
1. Processos naturais
2. Deus dirigiu os processos naturais
3. A Vida mantém-se constante desde a sua origem até à atualidade
Public acceptance of evolution
Jon Miller at al (2006)
Gallup Poll (2011)
"There is no contradition between an evolutionary theory of human origins and the doutrine of God as Creator."
Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana
"Creationists inevitably look for God in what science has not yet explained or in what they claim science cannot explain. Most scientists who are religious look for God in what science does understand and has explained."
Kenneth Miller
Professor de Biologia na Universidade de Brown

Ideias evolucionistas e não evolucionistas anteriores a Darwin
Seleção das espécies de Darwin
(1859)
O Eclipse do Darwinismo
(1880 a 1920)
A síntese evolutiva moderna
(1920 a 1950)
Contexto histórico
Seleção Natural
Mutações
Deriva Genética
Consanguinidade
Migrações
Mecanismos de mudança evolutiva
A chita é concebida como uma máquina eficaz para matar gazelas; mas as últimas são concebidas como máquinas inquestionáveis de fuga às chitas.
Vejamos o exemplo:
Evolucionismo Teísta
Os seus seguidores acreditam que Deus cria através da evolução.
A sua intervenção direcionou a evolução para que fossem criados os humanos e agiu diretamente quando os dotou de alma.

Ainda não há consenso relativamente ao número de vezes que atuou diretamente.
Teilhard de Chardin
(1881 a 1955)
Filósofo e Padre Jesuíta francês
Atualmente, existem grupos de Católicos Romanos que rejeitam qualquer conflito entre a Igreja e acreditam que a Bíblia se refere à criação das almas individualmente.
Valores éticos e morais
Fatores que influenciam a adesão à Teoria Criacionista
Preconceitos e tendências cognitivas
Afiliação religiosa
Crenças religiosas
Estatuto socioeconómico
Nível de escolaridade
Novas Teorias Criacionistas versus Evolucionismo
Os individuos que melhor compreendem e aceitem a natureza da Ciência têm mais tendência para aceitar o Evolucionismo
Argumentos Teleológicos
A evolução não ocorre porque Deus não a referiu no seu livro
A Terra foi criada em 6 dias e não houve tempo para que ocorresse a evolução
Os animais extintos são aqueles que morreram num grande dilúvio e inundanção descritos na Bíblia
O argumento da evolução tem sido usado para hegemonia de raças, por Hittler e outros.

Argumentos Criacionistas
O argumento da perfeição dos seres vivos e dos humanos em particular
É com frequência que os criacionistas explicam as suas teorias em conceções erradas.
a) os organismos desenvolvem-se de forma a atingir a perfeição intimamente ligada à complexidade

b) todas as estruturas que constituem o organismos têm uma função

c) a evolução é dirigida
Uma característica pode manter-se numa população se as suas vantagens suplantarem as desvantagens e ao longo do tempo uma característica desvantajosa pode sofrer alterações e tornar-se vantajosa para o organismo.

Se os orgãos foram construidos para uma função final, então porque somos dotados de estruturas imperfeitas que causam elevada vulnerabilidade?

Porque existem orgãos e movimentos vestigiais?

Se o ser humano é perfeito porque é que é tão vulnerável a várias doenças que não afetam outras espécies?
Ana Fidalgo
Sara Abreu
Mestrado em Biologia Molecular e Celular
Evolução Biológica e Molecular
2013/2014
Full transcript