Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Medidas de Frequência

No description
by

Tatiana Natasha Toporcov

on 16 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Medidas de Frequência

Medidas de Frequência
de Desfechos em Saúde

Ao final da aula espera-se que vocês saibam:

1. Entender a diferença entre casos incidentes e casos prevalentes.

2.Calcular, interpretar e diferenciar as medidas: prevalência, risco, taxa e odds.

3. Definir o conceito de pessoas-tempo e aplicá-lo ao calculo de taxas

4. Escolher apropriadamente medidas de frequência para situações específicas


Medidas de frequência são a base para entender e comparar quando, onde e em quem os eventos em saúde ocorrem
Uso das medidas de frequência:


Como calcular medidas de frequência?
Tipos de desfecho:

- Morbidade

- Mortalidade

- Fatores de risco
Razão

Proporção

Taxa

Odds
Absolutas:
Relativas:
Morbidade
Mortalidade
Fatores de risco
Incidência
Prevalência
Incidência
Prevalência
- Mortalidade acumulada

- Mortalidade proporcional
- Incidência Acumulada (taxa de ataque)
- Densidade de Incidência
ou taxa de incidência

- Pontual

- Período

- Prevalência de toda vida (tempo-vida)

- Pontual

- Período

- Prevalência de toda vida (tempo-vida)

Desfecho
Medidas
Tempo
Incidência acumulada ou
Proporção de incidência
- Proporção de indivíduos que desenvolvem a doença durante o tempo especificado

- Pressuposto: Análise uma coorte fechada sem perdas de seguimento, ou seja, o evento é inevitável e todos os indivíduos são seguidos por todo o período de tempo

I- Varia de 0 a 1 (é uma proporção)

II- Não possui uma unidade, mas sempre é referente a um período de tempo

Proporção: Que fração da população é afetada?
Incidência acumulada ou
Proporção de incidência

Incidência acumulada ou proporção de incidência

=6/10 casos por ano
=0,60 casos por ano
1.mês
x
x
x
x
x
x
Incidência acumulada
ou proporção de incidência
taxa de ataque
É um tipo particular de incidência acumulada ou proporção de incidência
(é uma proporção, portanto, não é uma taxa!!!!)
É expressa em porcentagem e varia de 0 a 1

Taxa de ataque secundária
É taxa de ataque entre os suscetíveis que tiveram contato direto com os casos primários, ou seja, com aqueles que se infectaram na primeira onda da epidemia.

Expressa o risco de adoecimento em grupos populacionais específicos, em situações como a de um surto de doença infecciosa, carencial ou tóxica
Nesses casos o período de observação é limitado e geralmente decorre de uma exposição muito específica

Taxa de ataque
Prevalência
Pode ser:
- N de Casos prevalentes (Absoluta)
- "Proporção de prevalência"
Tipos de prevalência
1. Pontual

2. Prevalência em um ponto

3. Prevalência de toda vida
(tempo-vida)
A prevalência é também denominada de Taxa de prevalência
(inapropriadamente), proporção de prevalência, prevalência num ponto

1) Varia de 0 a 1 ( a prevalência é uma proporção – não é uma taxa)

2) Mede a magnitude da doença na população,
não é uma medida de
risco

3) É vista com uma parcela da população que em um determinado momento foi identificada com a doença, porém
NÃO diz QUANDO a doença se desenvolveu.

4) Numerador agrupa indivíduos com diferentes tempo de duração da
doença

5) É útil para planejar serviços de saúde e antecipar mudanças

Características da Prevalência (Proporção de prevalência)
I - Casos prevalentes não são representativos de todos os casos
II - Casos com longa duração (sobreviventes) estão super
representados
III- A prevalência depende tanto da incidência como do
prognóstico
IV- Uma intervenção que aumente a sobrevida após a doença (i.e.,
melhore o prognóstico) aumentará a prevalência da doença
V- A relação temporal não é clara
VI- É impossível determinar se a exposição é anterior a doença
VII- Causação reversa – desenvolvimento da doença pode
afetar a exposição

Limitações para avaliar relação causal
x
Utiliza-se o termo "Prevalência" para a "proporção de prevalência"
Por que a prevalência não é uma boa medida para avaliar uma relação causal??
I – Estudos de malformações congênitas (prevalência ao nascer)


II – Doenças crônicas não fatais que não apresentam um claro
momento de início

III- Estudos de Soroprevalência

IV- Estudos de fatores de risco de doenças

V – Pesquisa não etiológica

exemplo: pesquisa em serviços de saúde

Situações em que casos prevalentes
são comumente usados

Quando uso a prevalência?
Prevalência = Incidência x Duração
Fatores de risco
Assistência à saúde
Prevenção primária!
Prevenção Secundária!
Noções
Básicas

Introdução
Tempo?
Prevalência:
Mede a magnitude de uma doença/condição/exposição na população.
Probabilidade de ter a doença.
Casos existentes de desfecho em um ponto no tempo.


Incidência:
Avalia com que frequência ocorrem casos novos de uma doença.
Probabilidade de desenvolver a doença.
Novos casos de desfecho em um período determinado.

Relação Incidência x Prevalência
Morbidade
Mortalidade
Fatores de risco
Incidência
Prevalência
Incidência
Prevalência
- Total

- Específica por causa

- Estratos da população
Desfecho
-
Descrevem
quando, onde e em quem os desfechos em saúde ocorrem
-
Descrevem
a magnitude do problema estudado
Número de casos
Incidência x Prevalência= Exemplo
1.mês
x
x
x
x
x
Evento: estresse em PG
12. mês
x
x= ocorrência de estresse
Relação Incidência X Prevalência
Prevalência= Incidência x Duração
Fontes de dados
Proporção
Proporção
Proporção
Taxa
Proporção
Taxa
- Taxa de mortalidade (total, específica por causa, estratos de população)
Cálculo
Prevalência
Prevalência X causalidade
12. mês
x=desfecho
x
Qual é o denominador?


Número de leitos por médico

850 leitos /10 médicos

R = 85 leitos por 1 médico

Número de alunos por monitor

Número de habitantes por unidade sanitária

Razão de Sexo: Homens / Mulheres Mulheres / Homens

Odds ratio

Razão de taxas

Razão de prevalência

Razão (Exemplos)
Taxa de mortalidade por tétano em São Paulo em 2005

Óbitos por Tetano: 17

População in 2005: 42 milhoes

Taxa de mortalidade = 0,042/100.000-ano

A taxa pode ser expressa em qualquer potência de 10
100, 1,000, 10,00, 100,000

Coorte

Todas as medidas de ocorrência de doença são deduzidas
a partir de uma coorte de indivíduos

Muitas vezes essa coorte não é claramente identificada

- Coorte Fechada
Uma vez feita a seleção da coorte, nenhum novo membro é incorporado (o tamanho da coorte não aumenta)

Durante o seguimento os membros da coorte são perdidos pela morte (na prática, existem outras formas de perdas de seguimento)

- Coorte Aberta
A composição da coorte é dinâmica (novos membros entram e saem da coorte no correr do tempo)

Exemplo: Residentes em São Paulo durante 2005, trabalhadores de uma planta.


Exemplos
Incidência acumulada
Taxa de Letalidade
PS:
Quando a taxa de mortalidade é um bom indicador da incidência?
- Letalidade é elevada
- Duração da doença é curta
Densidade ou taxa de incidência
Taxa de mortalidade
Letalidade
Problemas e cuidados
Cuidados
PS2:
"Epidemiologia é o estudo da
ocorrência e distribuição de
estados ou eventos relacionados à saúde em
populações específicas
, incluindo o
estudo de determinantes
que influenciam estes estados e a
aplicação
deste conhecimento no
controle dos problemas de saúde
”.

(Porta, 2008)
Full transcript