Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Capítulo 4 do livro:Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos

No description
by

MONICA TAVARES FERREIRA

on 18 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Capítulo 4 do livro:Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos

Reflexões
Capítulo 4
Gêneros do discurso, multiletramentos e hipermodernidade

Referências
Multiplicidade
cultural
MULTISSEMIOSE
O conceito de multiletramento digital pressupõe a concepção de ensino da leitura e escrita englobando aspectos que considerem as estratégias de leitura e produção de hipertextos, cujas marcas constitutivas são a incompletude, a fragmentação, a (co)laboração. (MARCUSCHI, 2000, p. 89 apud PACHECO, 2012).

Bakhtin concebe o gênero como uma forma concreta e histórica, necessariamente presente em todas as manifestações discursivas, uma vez que o discurso materializa-se na forma de enunciados, que são sempre construídos em determinados gêneros.

Mônica Tavares Ferreira


Prof. Dr. Hércules Tolêdo
ICHS/UFOP
Gêneros do discurso
Multiletramentos
O conceito de multiletramentos aponta para [...] a multiplicidade cultural das populações e a multiplicidade semiótica de constituição dos textos por meio dos quais ela se informa e se comunica (ROJO, 2012, p.13) .










ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola editorial, 2012.

ROJO, Roxane. Multiletramentos. 2013. Disponível em: <http://prezi.com/pvdzfth_z_og/multiletramentos/> Acesso em: 2 dez 2013.

ROJO, Roxane; BARBOSA, Jacqueline P. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.


XAVIER, Antônio Carlos dos Santos. Letramento digital e ensino. Disponível em: <http://www.ufpe.br/nehte/artigos/Letramento%20digital%20e%20ensino.pdf>. Acesso: 31/11/2013 às 11:45hs.



Multiletramento Digital
Saímos de um modelo de estruturação monomodal (escrita ou fala; veiculação através da voz ou do papel) para o modelo multimodal (hipertexto e utilização simultânea síncrona a assíncrona de cores, sons, formas e imagens em movimento). Dentro desse contexto, todos [...] estão se deparando com a multimodalidade, que passa a ser traço constitutivo do discurso oral e escrito. (PACHECO, 2009, p.)
Animações
Stop Motion
Animes
Remixes
Mashups


Videoclipes
Fanclips
Fanfics
Etc.

O que é uma educação apropriada para mulheres, para indígenas, para imigrantes em geral? O que é apropriado para todos no contexto de fatores de diversidade local e conectividade global cada vez mais críticos?

(New London Group, 2006[1996]:10).
É vivendo a vida com os textos, isto é, atuando e nos comunicando nos diferentes campos/ esferas de atividade pelas quais circulamos em nosso cotidiano – em casa, no trabalho, estudando, informando-nos por meio do jornalismo, consumindo, apreciando e fruindo obras de arte, divertindo-nos – que enunciamos e materializamos nossos textos orais, escritos e multimodais. Os gêneros de discurso nos servem nesses momentos, pois são as formas de dizer mais ou menos estáveis em nossa sociedade.
Esses gêneros discursivos são nossos conhecidos e são reconhecidos tanto pela forma de composição dos textos a eles pertencentes como pelos temas e funções que viabilizam e o estilo de linguagem que permitem. Os textos pertencentes a um gênero é que possibilitam os discursos de um campo ou esfera social.
Roxane Rojo
"...Toda semiótica é semiótica multimidiática e todo letramento é letramento multimidiático."
Rojo,2015, p.115
"Nenhuma tecnologia é uma ilha. Conforme nossas tecnologias se tornam mais complexas, elas se tornam situadas em redes mais amplas e longas de outras tecnologias e de outras práticas culturais." Lemke,2010:S.P
Gêneros do discurso, multiletramentos e hipermodernidade:
Discussão sobre as mudanças pelas quais o mundo passou na Hipermodernidade; em especial nas maneiras de participação e interação social, nas formas de enunciar e nos textos;
Ideias e sugestões sobre como a escola contemporânea, poderá fazer face a essas mudanças na direção da formação de usuários críticos e éticos.
Discussão também sobre as novas tecnologias digitais de informação e comunicação(TDICs) e as culturas em rede, características da hipermodernidade, e os multiletramentos e novos letramentos.
Capítulo 4
Para Lipovetsky o termo Pós-Moderno tornou-se vago e não consegue exprimir o mundo atual, o pós de pós-moderno se referia ao passado como se este já estivesse morto, antes de afirmar o fim da modernidade, assiste-se ao seu arremate, que se concretiza no liberalismo globalizado, na mercantilização dos modos de vida e numa individualização galopante. Mas esta modernidade, que também é denominada de supermodernidade é integradora, a qual estamos saindo era negadora: não mais destruição do passado, e sim, sua integração com as lógicas modernas do mercado, do consumo e da individualidade.


Ao definir o conceito de hipermodernidade, Lipovetsky propõem “superar a temática pós-moderna e reconceitualizar a organização temporal que se apresenta”. Sugere o termo hipermoderno, pois surge uma nova fase da modernidade, que foi do pós ao hiper: “a pós-modernidade não terá sido mais que um estágio de transição, um momento de curta duração.”(Lipovetsky, 2004:58).



A Hipermodernidade é caracterizada por uma cultura do excesso, do sempre mais. Todas as coisas se tornam intensas e urgentes. O movimento é uma constante e as mudanças ocorrem em um ritmo quase esquizofrênico determinando um tempo marcado pelo efêmero, no qual a flexibilidade e a fluidez aparecem como tentativas de acompanhar essa velocidade. Hipermercado, hiperconsumo, hipertexto, hipercorpo: tudo é elevado à potência do mais, do maior. A hipermodernidade revela o paradoxo da sociedade contemporânea: a cultura do excesso e da moderação. (Lipovetsky, 2004)
http://imgur.com/gallery/3sN2ynC
https://www.google.com.br/search?q=carnaval+ouro+preto+2015
Em sala de aula:
Atividades para @ profess@r

PLAYLIST
http://releituramusical.tumblr.com/
Seleção:
1 – “Fico assim sem você” – Adriana Calcanhotto
2 - “Sonífera Ilha” – Pato Fu
3 - “Boi da Cara Preta” – Tribo de Jah
http://trilhassonoras.tumblr.com/
Seleção:

1 - “Aqui no Mar”, Sebastião - Filme A Pequena Sereia

2 - “Hakuna Matata”, Timão e Pumba - Filme O Rei Leão

3 - “Nunca Teve um Amigo Assim”, Gênio da Lâmpada - Filme Aladdin


ouviremos três canções que refletem sobre as coisas que acontecem na nossa sociedade.
http://cidadaodesdesempre.tumblr.com/
http://periferiaemdestaque.tumblr.com/
Seleção:

1 - Subirusdoistiozin - Criolo

2 – Jorge da Capadócia – Racionais MC’s

3 - That’s my way – Edi Rock feat. Seu Jorge
Artistas que fizeram versões ótimas para o público infantil de canções que gerações passadas ouviram de outro jeito.
ouviremos canções de três animações clássicas da Disney. Sabe aqueles melhores amigos do herói ou da heroína do filme? Pois é, vamos ouvir as canções interpretadas por eles.
Seleção:

1 - “Pequeno Cidadão” – Pequeno Cidadão

2 - “O Jumento” – Os Saltimbancos

3 - “Cidadão de Papelão” – O Teatro Mágico
Profess@res...
[...]
Como a escola pode atuar na promoção e qualificação dessa participação multiletrada na hipermodernidade? Que experiências é preciso proporcionar aos alunos? Que práticas de linguagem se deve contemplar? Como lidar com o pluriculturalismo presente escola e com as culturas em rede?
Mais do que isso, no contexto da hipermodernidade, está em jogo a dimensão de uma formação pautada pela ética da responsabilidade (pelo outro) que possa dar conta do hiperindividualismo, derivado de um desenvolvimento "desviante" (até certo ponto possível) do ideal de autonomia do projeto modernista, já que um novo pacto social se faz necessário."
Rojo,2015: 131
Escolas...
[...]
Que papel teria a escola nesse processo? como contemplar esses gêneros, práticas e procedimentos na escola? Quais escolher? Como trabalhar com eles?

Rojo,2015: 132
Para Rojo, uma possibilidade de contemplar esses novos gêneros, práticas e procedimentos hipermodernos (e digitais) na escola, é através da organização por esfera de circulação dos discursos.
Esferas privilegiadas:
Jornalística - Responsável pelo "controle" e circulação da informação;
Divulgação da Ciência - Responsável pelo "controle" e circulação do conhecimento;
Participação na vida pública - Responsável pelo fazer político contemporâneo
Artístico-literária - Produção de cultura e arte - entretenimento.

Pensar na composição de um currículo multiletrado, que leve em conta os novos letramentos digitais da hipermodernidade na Escola


Gêneros hipermediáticos na escola
Retomada crítica, sobre a pedagogia dos multiletramentos
Considerações em 3 dimensões:
Diversidade Produtiva - âmbito do tabalho
Pluralismo cívico - âmbito da cidadania
Identidade Multifaceadas - âmbito da vida pessoal
Cope & Kalazantzis, 2006;Rojo,2012

Há a necessidade de se trabalhar, em sala de aula, os princípios de pluralidade cultural e da diversidade de linguagens envolvidos no conceito de multiletramentos. Ressaltamos que os recursos tecnológicos exercem papel importante, pois as propostas que apresentads nesta obra são ancoradas nele.
Acreditamos que nesse contexto e por meio de atividades que realmente preparem o aluno para as diversas práticas sociais, além de torná-lo mais crítico para uma atuação significativa no meio em que vive, estaremos favorecendo o desenvolvimento de um cidadão multiletrado nessa era hipermoderna!
.

[...] No que diz respeito à consideração da diversidade de culturas, Rojo(2013) já salienta que a teorização do Grupo de Nova Londres é frágl, abstraindo o hibridismo cultural da hipermodernidade e mencionando a tríade cultura erudite (incluindo a escolar), cultura popular e cultura de massa.

Sem negar a ideia de que a cultura não tem fronteiras, é permeável e porosa, Sacristán(2008), extrai derivações/ consequências para a educação, a partir de acepções ou tipos de cultura considerada.

Rojo,2015: 113
[...] Não é difícil reconhecer o quanto a escola ainda privilegia quasque exclusivamente a cultura dita "culta", sem levar em conta os multi e novos letramentos, as práticas, procedimentos e gêneros em circulação nos ambientes da cultura da massa e digital e no mundo hipermoderno atual.

Rojo,2015:135
Finalizando...
Acepções ou tipos de cultura como objeto / Derivações para a Educação
Cultura culta como herança da memória histórica: as ciências, as artes, as humanidades, a tecnologia...
Importância das atitudes críticas para navegar num mundo de informação, "não hierarquizada" , dispersa e variada. Capacidade para se orientar, analisar e optar.

Cultura como formas de vida e de expressão. O sentido étnico de cultura e os processos de globalização:
Explorar e exportar as possibilidades dos meios clássicos e das novas tecnologias para aproveitar a extraterritorialidade da cultura como meio de nos tornar plurais e de nos aproximarmos dos outros.

Cultura de massas:
Necessidade potenciar o sujeito para que valorize e saiba decidir no meio de apelos a modos de vida fáceis e superficiais.

Obrigada!!!
Full transcript