Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PLANEJAMENTO SOCIAL: Intencionalidade e instrumentação

No description
by

Maria Madalena Marques Gehm

on 8 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PLANEJAMENTO SOCIAL: Intencionalidade e instrumentação

PLANEJAMENTO SOCIAL: Intencionalidade e instrumentação
Myrian Veras Baptista

1 A racionalidade do Planejamento
O planejamento aqui, é visto como um processo metódico de abordagem racional e científica, supões uma sequência de atos decisórios, ordenados em momentos definidos e baseados em conhecimentos teóricos, científicos e técnicos.
É a ferramenta para pensar e agir dentro de uma sistema próprio
, estuda as situações, prevendo os seus limites e suas possibilidades
O PLANEJAMENTO COMO PROCESSO POLÍTICO
Significa que é um processo contínuo de tomadas de decisões, inscritas nas relações de poder, o que caracteriza ou envolve uma função política. [...] sejam aliados à apreensão das condições subjetivas do ambiente em que ela ocorre: o jogo de vontades políticas dos diferentes grupos envolvidos, correlação de forças, a articulação desses grupos, as alianças ou as incompatibilidades entre os diversos segmentos.
Assim se dão essas atividades:

PLANEJAMENTO COMO PROCESSO TÉCNICO-POLÍTICO
O desdobramento desse processo, particular de planejamento se faz a partir do reconhecimento da necessidade de uma ação sistemática perante questões ligadas a pressões ou estímulos determinados por situações que, em um momento histório, colocam no imediato da prática.


ESTUDO DA SITUAÇÃO
Consiste na caracterização, na compreensão e na explicação de uma determinada situação tomada como problema para o planejamento e na determinação da natureza e da magnitude de suas limitações e possibilidades. Ou seja, consiste na compreensão, na explicação e na expressão de juízos ante ao dados de realidade apreendidos.
CONSTRUÇÃ/RECONSTRUÇÃO DO OBJETO: SOBRE O QUE PLANEJAR
Objeto da intervenção profissional é o segmento da realidade que lhe é posto como desafio, é o aspecto determinado de uma realidade total sobre o qual irá formular um conjunto de reflexões e de proposições para intervenção. Não se trata de aceitar ou negar mecanicamente as demandas institucionais nem de assumir ou “formar trincheiras” junto com a população. Qualquer dessas respostas optativas poderão levar a uma ação distanciada do real. Trata-se de re-estruturar essa demanda, mediando interesses diversos, numa determinada direção ético-política, o que significa diversos re-construir o objeto da intervenção.
PLANEJAMENTO
DECISÃO
que se refere à escolha de alternativas, à determinação de meios, à definição de prazos, etc.
AÇÃO
relacionada à execução das decisões. É o foco central do planejamento. Orienta-se por momentos que a antecedem e é subsidiada pelas escolhas efetivadas na operação anterior, quanto aos necessários processos de organização.
RETOMADA DA REFLEXÃO
operação de crítica dos processos e dos efeitos da ação planejada, com vistas ao embasamento do planejamento de ações posteriores.
REFLEXÃO
que diz respeito ao conhecimento de dados, à análise e estudo de alternativas, à superação e reconstrução de conceitos e técnicas de diversas disciplinas relacionadas com a explicação e quantificação dos fatos sociais e outros.
b) De decisão = que se refere à escolha de alternativas, à determinação de meios, à definição de prazos, etc.

DECISÃO
corresponde às diferentes escolhas necessárias no decorrer do processo. O nível de envolvimento do planejador nessa atividade é variável, de acordo com o seu posicionamento ante as questões que trabalha, suas opções ideo-políticas e as particularidades de cada caso.


OPERACIONALIZAÇÃO
Relaciona-se ao detalhamento das atividades necessárias à efetivação das decisões tomadas, cabendo aos técnicos sua consubstanciação em planos, programas e projetos, e, na ocasião oportuna, em sistematização das medidas para sua implementação.
AÇÃO
A instância da ação refere-se Às providências que transformarão em realidade o que foi planejado. Ao operá-la, cabe ao técnico o acompanhamento da implantação, o controle e a avaliação que realimentarão i ciclo de planejamento, de acordo com as perspectivas da política definida.
EQUACIONAMENTO
corresponde ao conjunto de informações significativas para a tomada de decisões, encaminhadas pelos técnicos de planejamento aos segmentos decisórios.
O planejamento refer-se ao mesmo tempo, à seleão das atividades necessárias para atender questões determinadas e À otimização de seu inter-relacionamento, levando em conta
condicionantes impostos a cada caso (recursos, prazos e outros); diz respeito também, à decisão sobre os caminhos a serem percorridos pela ação e às providências necessárias à sua adoção, ao acompanhamento da execução, ao controle, à avaliação e à redefinição da ação.

Planejamento é a ferramenta para pensar e agir dentro de uma sistemática analítica própria, estudando as situações, prevendo seus limites e suas possibilidades.

Enquanto processo racional, o planejamento se organiza por operações complexas e interligadas, que conforme Ferreira (1965, são as seguintes:
Quadro síntese da dinâmica do processo de Planejamento
Full transcript