Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Liderança e Poder nas Organizações: uma analise à luz da Psi

No description
by

Camila Mendes

on 29 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Liderança e Poder nas Organizações: uma analise à luz da Psi

Liderança e Poder nas Organizações: uma analise à luz da Psicologia aplicada à Administração.
Problema
Quais os principais estudos realizados sobre liderança e poder nas organizações?

Qual a importância das teorias para melhor desenvolver as relações de líder e liderado?
Hipótese
Não é de hoje que os temas, liderança e poder, veem sendo discutidos
e analisados por estudiosos dentro e fora do ambiente organizacional, os resultados gerados nessas analise, na grande maioria das vezes são focos de problemas.

Estilos de liderança diferentes, sendo relacionadas desde de tipo físicos à maneira de pensar e agir de um indivíduo. Diferentes formas de exercer o poder, descrevendo-o para que seja melhor exercido. Tudo com o propósito de melhorar as relações existentes dentro de uma empresa, para que a mesma possa executar suas tarefas de maneira correta sem vir a prejudicar a ela mesma e nem seus colaboradores, mas sim beneficiar e ajudar na evolução de ambos.

Objetivos
Geral
Entender como acontece as relações de liderança e poder dentro das organizações com o auxílio da psicologia organizacional.
Específicos
Descrever a evolução da administração até os tempos atuais para melhor compreender os estudos relacionados a liderança e poder;
Relatar a junção da Psicologia à Administração;
Descrever sobre Psicologia Organizacional;
Expor as teorias mais conhecidas sobre os tipos de liderança e poder
Identificar os pontos divergentes entre Liderança e poder

Justificativa
Administração é uma ciência humana e lidar com o ser humano é um processo complexo, cheio de barreiras e para ultrapassar essas barreiras temos ao nosso auxilio outras ciências e teorias elaboradas na busca de entender e simplificar a vida de gestores e trabalhadores. A ciência em questão que auxiliar a Administração é a Psicologia, que agrega conhecimento para assim podermos entender de maneira mais aprofundada a mente humana e como trabalhar com a mesma.

É necessário que saibamos como lidar com conflitos, poder exercido de maneira errônea, relacionamentos prejudiciais no ambiente organizacional, lideres mal qualificados. São pontos que precisamos superar em meio a um mundo moderno e repleto de possibilidades e oportunidades positivas e negativas.

Entender o ser humano e suas necessidades é crucial para o desenvolvimento do mesmo e do mundo empresarial. Como os estudos realizados em meio a estilos de liderança auxiliam na obtenção de respostas para um melhor convívio entre líder e liderado.

Metodologia
A pesquisa foi do tipo descritiva. O subtipo da pesquisa foi bibliográfico, buscando organizar as contribuições feitas por autores que escreveram a respeito do tema. As informações foram encontradas em livros, reportagens, artigos e também com o auxílio da internet quando dificuldades foram encontradas a respeito de não ter em mãos alguns livros que tratam dos temas.
ADMINISTRAÇÃO

Definições

“Administrar é o processo de tomar decisões sobre objetivos e utilização de recursos.” (Maximiano, 6ª ed, p.6)
Administração é uma área do conhecimento fundamentada em um conjunto de princípios, normas e funções elaboradas para disciplinar os fatores de produção, tendo em vista o alcance de determinados fins como maximização de lucros ou adequada prestação de serviço público. (FERREIRA, 1981, p.38)
“Pressupõe a existência de uma instituição a ser gerida, ou seja, uma organização constituída de pessoas e recursos que se relacionam num determinado ambiente, orientadas para objetivos comuns.” (Maximiano, 2000)
1880
1900-1980
1974
Século XX
Século XVIII ao XX
3000 a.c ao IV a.c
Administração Cientifica
Frederick Taylor;
Princípios da Administração cientifica;
Teoria Classica da Administração
Henri Fayol;
Teoria da Burocracia
Max Weber;
Segundo Weber, "A Burocracia é o único modo de organizar eficientemente um grande número de pessoas, e, assim, expande-se inevitavelmente com o crescimento econômico e político". (Chiavenato. 7 ed. 2003-6)
Teoria das Relações Humanas
Pesquisas de Mayou;
Experiência de Hawthorne;
Mesopotâmia, Civilização Suméria, com o surgimento dos primeiros dirigentes e funcionários administrativo profissionais na escrituração de operações comerciais.
Egito: Construção das pirâmides. Evidências de planejamento, organização e controle sofisticado.
China: Sun-Tzu prescreve princípios de estratégia e comportamento gerencial.
Inglaterra: Inicio da revolução industrial.
Estados Unidos: período marcado pelo movimento da Administração Cientifica.
Planejar – Organizar – Comandar - Coordenar - Controlar;
Administração
no Século XXI

Comportamento Organizacional
MICROORGANIZACIONAL
MESOORGANIZACIONAL
MACROOGANIZACIONAL
Psicologia
Organizacional
• Psicologia do trabalho;
• Psicologia da Organização;
• Psicologia de Pessoas;
LIDERANÇA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
PODER
Poder de Recompensa
Poder Coercitivo
Poder Legítimo
Poder de Referência
Poder de Especialização
1. Obediência;
2. Identificação;
3. Internalização;
"Poder é a capacidade de influenciar a conduta dos outros e em troca, de resistir a influência indesejadas.” (McMurray, 1975, apud Google Livros. Administração de empresas: um enfoque interdisciplinar. 2010, p.556)
"O poder, como um todo, implica a possibilidade, para um indivíduo ou um grupo de atuar sobre outros indivíduos ou grupos, o poder é uma relação e não um atributo dos atores." (Crozier & Friedberg, 1990, p. 55)
Liderança
Segundo Stephen Robbins, Timothy Judge e Filipe Sobral (2010, p. 359), liderança é a capacidade de influenciar um conjunto de pessoas para alcançar metas e objetivos.
A diferença entre liderar e administrar, podemos considerar a visão de John Kotter professor da Harvard Business School, citado por Stephen; Timothy; Filipe (2010), a administração diz respeito ao gerenciamento da complexidade, um contexto mais amplo. A liderança, por sua vez, diz respeito ao gerenciamento da mudança.
Segundo Spector, Paul E (2012, p. 494) “[…] liderança envolve influenciar as atitudes, crenças, comportamentos e sentimentos de outras pessoas. Mesmo quem não é líder pode influenciar outras pessoas, mas lideres exercem uma influência desproporcional, ou seja, o líder tem mais influência do que aquele que não é líder.”.
“A base de liderança não é o poder e sim autoridade, conquistada com amor dedicação e sacrifício. O respeito, a responsabilidade o cuidado com as pessoas são virtudes indispensáveis a um grande líder.” Extraído do livro: “O Monge e o Executivo: Uma História sobre a essência da liderança.” Autor: James C. Hunter.
Teorias dos Traços
Teorias Comportamentais
Teoria situacional de Liderança
Teoria de troca entre líder e liderado (LMX)
Liderança carismática e
liderança transformacional
Coaching

Mentoring
Liderança Autêntica
Liderança servidora
Estilo de Liderar de Jesus Cristo – Dois séculos de liderança
Liderança espiritual
LIDERANÇA X PODER
Chiavenato (7 ed. 2003) afirma que para os humanistas, liderança pode ser estudada de vários ângulos:
Liderança como fenômeno de influência interpessoal;
Liderança como processo de redução de incerteza de um grupo;
Liderança como uma relação funcional entre líder e subordinado; Liderança como um processo em função do líder, dos seguidores e variáveis de situação;

Segundo Stephen Robbins, Timothy Judge e Filipe Sobral (2010, p. 361-362), “As falhas nos primeiros estudos sobre traços de liderança levaram os pesquisadores a seguir por outra direção do final dos anos 1940 até o final dos anos 1960, [...] Essas teorias sugeriam que é possível treinar pessoas para serem líderes.”
Autoritária - Liberal - Democrática.
Teoria elaborada por Paul Hersey e Kenneth Blanchard (1986), diziam que “A liderança Situacional representa uma negação da possibilidade de adoção de um estilo ideal de gerência”.
Liderança Carismática
Liderança Transformacional
De acordo com o Instituto Brasileiro de Coaching, é um processo de aceleração de resultados que consiste no desenvolvimento de competências e habilidades para o alcance de resultados planejados.
Segundo o Instituto Brasileiro de Coaching, Mentoring é uma espécie de tutoria onde um profissional mais
velho e mais experiente orienta e compartilha com profissionais mais jovens, que estão iniciando no mercado de trabalho ou numa empresa, experiências e conhecimentos no sentido de dar-lhes orientações e conselhos para o desenvolvimento de suas carreiras. Estas orientações vão desde o âmbito pessoal até o profissional.

Segundo STEPHEN; TIMOTHY; FILIPE (2010, p.377) as teorias sobre liderança aumentam o nosso entendimento sobre liderança eficaz, mas falta o foco na abordagem da ética e da confiança, pontos esses que, segundo a presente teoria, essenciais para o perfil de um líder completo. Pontos que ressaltem a importância do homem no processo de liderar e a transparência em suas ações.
Buscar propósitos com paixão;
Praticar valores sólidos;
Liderar com o coração;
Cultivar relacionamentos duradouros;
Desenvolver autodisciplina;

É um estilo caracterizado pelo servir, ser o mediador, o facilitador para com seu próximo, no caso no ambiente de trabalho, com o seu subordinado, dando total prioridade em proporcionar o bem estar da sua equipe, buscando sempre a saúde nas relações entre seus colaboradores.
Características do Líder Servidor – (James C. Hunter. O Monge e o Executivo)
Paciência;
Gentileza;
Humildade;
Respeito;
Altruísmo;
Comprometimento;.
Capacidade de perdoar;
Honestidade;
Serviço e Sacrifício;
O século XXI é uma era de pessoas imediatistas. Estamos vivendo uma crise de valores. O mundo moderno se deixou levar pelo consumismo, pelo individualismo, ansiedade, ganância, assim se tornando um território do medo, medo da violência, do desemprego, de um futuro incerto.
"Todas as empresas são organizações espirituais, a pergunta certa é, qual o grau de espiritualidade em cada umas delas, e isso depende fundamentalmente da responsabilidade de todos que estão dentro da instituição."
(RODRIGUES, 2013)
"Outro passo importante para a espiritualização da empresa é que, já que esse processo depende fundamentalmente das pessoas que estão dentro da organização, as mesmas devem se sentir dispostas a participar de micro coletividade, de uma fraternidade, como realmente deve ser definida essa relação equipe e empresa, ter o que conhecemos por espírito de equipe."
(RODRIGUES, 2013)
Figura 4 – Ilustração de valores organizacionais
Fonte: Evolução Humana – Espiritualidade nas empresas. 2011

Segundo Moggi (2008) citado por Roberta Manfron de Paula e Daiane Leal Costa (2010, p.2) “o espiritual está naquilo que é imaterial para a empresa, aquilo que não pode ser apropriado pelos donos de capital, porque está inserido na essência das pessoas, como ideias, valores, conhecimento, informações etc”.
“[...] seus ensinamentos geram frutos há mais de dois mil anos, Jesus se fazia seguir e obedecer de forma espontânea, dedicada e motivada, em direção a um objetivo.” MACHADO (2008).
Ainda de acordo com MACHADO (2008) “um indivíduo precisa ter grande força de persuasão e enorme carisma para fazer com que desconhecidos larguem tudo e se ponham a andar pelo mundo a seu lado, ouvindo e ajudando a divulgar uma mensagem.”
"[...] Acreditar em seu potencial é uma qualidade de liderança fundamental [...]” (Laurie B.Jones Jesus, O maior líder que já existiu, RJ-Ed. Sextante, 2006, apud Adams Auni, 2010).
• O poder não requer a compatibilidade de objetivos, apenas a relação de independência;
• Liderança requer alguma congruência entre os objetivos de líderes e liderados;
• A liderança enfoca a influência descendente do líder sobre o liderado, minimizando a importância dos padrões ascendentes e lateral de influência, já o poder não necessita de tal parâmetro;
• Diferenças encontradas em relação às pesquisas. A pesquisa sobre liderança em sua maior parte, enfatiza a questão do estilo. Pesquisa sobre poder se dedica a uma área mais ampla e foca as táticas de conquista da submissão;

Conclusão
A psicologia aplicada à administração é de grande importância;
Sobre Poder - O poder não está nas mãos de quem possui força física ou de capital, mas sim na de quem dentem a informação, o conhecimento e a habilidade de saber lidar com pessoas.
Sobre Liderança - Não existe um modelo adequado, existem modelos que se adequam as situações.

As organizações estão cada vez mais conscientes do papel que a liderança e o poder, podem ser exercidos através dos programas relacionados à civilidade no ambiente de trabalho.
O Futuro pertence a empresas que procuram se adaptar ao ambiente, se preocupando em manter a qualidade de vida dos seus funcionários, com meio ambiente, e o desenvolvimento sustentável, pois nossa sociedade está cada vez mais madura e exigente quanto a esses fatores; preocupações essas que não devem ser feitas por obrigação, mas sim por consciência de que devemos respeitas uns aos outros, ajudar uns aos outros, ter a certeza de que tudo no mundo está interligado de que somos todos um só.


“A vida poderia se resumir em uma só palavra:
Organização.”

(Reginaldo Ribeiro)

CAMILA REGES MENDES DOS SANTOS
ORIENTADOR: MARCOS ANTÔNIO DOS SANTOS LIMA

FACAM-FACULDADE DO MARANHÃO
Curso de Administração

De acordo com os estudos realizados por Suzana Braga Rodrigues em Os Desafios da Administração no Século XXI (RAE, vol.44), os prontos principais em que podem ser resumidos os desafios da administração no atual século são os seguintes:

• Pressões ligas à globalização;
• Pressões relativas ao controle de custos;
• Tensões referentes às relações de confiança entre os stakeholders;
• Demandas sobre o comportamento ético e a responsabilidade corporativa;

Segundo Wagner; Hollenbeck (2009, p. 07), as questões levantadas por essa área são as seguintes:
Quais os efeitos das diferenças de aptidões sobre a produtividade do empregado?
Como as pessoas sentem seu local de trabalho?
O que motiva os funcionários a desempenhar seus cargos?
Por que alguns se sentem satisfeitos com seu trabalho enquanto outros o julgam estressante?
Para achar tais respostas essa área se vale ainda segundo Wagner; Hollenbeck (2009, p.07), das seguintes perguntas:

Quais formas de socialização incentivam os que trabalham juntos a cooperar entre si?
Como a produtividade de um grupo pode ser melhorada?
Que combinação de aptidões entre os membros de uma equipe aumenta o desempenho do grupo?
Como gerentes podem determinar que líder potencial será o mais eficaz?
Segundo Wagner; Hollenbeck (2009, p. 07), Como as duas áreas anteriores, comportamento micro e mesoorganizacional, se detêm de perguntas as quais são:

De que forma o poder é adquirido e retido?
Como os conflitos podem ser solucionados?
Que mecanismos podem ser utilizados para coordenar atividades de trabalho?
Por que existem diferentes formas de estrutura organizacional?
Como uma empresa deve ser estruturada para lidar melhor com as circunstâncias que a envolvem?


A psicologia é uma ciência que procura medir, explicar e, algumas vezes, modificar o comportamento dos seres humanos e dos animais. Aqueles que contribuem nessa área e continuam a acrescentar ao conhecimento do comportamento organizacional são os que estudam as teorias relativas ao processo de aprendizagem e de personalidade, os psicólogos clínicos e, principalmente, os psicólogos organizacionais e industriais. STEPHEN; TIMOTHY; FILIPE (2010).
De acordo com J. A. Conger e R. N. Kanungo, citados por Stephen Robbins, Timothy Judge e Filipe Sobral (2010, p. 370), o primeiro pesquisador a considerar a liderança carismática e sua relação com o comportamento organizacional foi Robert House, que afirmava que nessa teoria os liderados atribuem capacidades heróicas ou extraordinárias de liderança a seus líderes quando observam neles determinados comportamentos.
Outro conceito contemporâneo de liderança é o estilo transformacional, que para alguns, tem como base o estilo transacional que fala que o líder direciona o seu grupo de seguidores em direção às metas estabelecidas, explicando suas funções e quais tarefas as metas exigem serem executadas.
Obs: ver página 13 do trabalho
Obs: ver página 14 do trabalho
Obs: ver página 14 do trabalho
Obs: ver página 14 e 15 do trabalho
Obs: ver página 15 do trabalho
Obs: ver página 15 e 16 do trabalho
Obs: ver página 16 e 17 do trabalho
Obs: ver página 19 do trabalho
Obs: ver página 19 e 22 do trabalho
Obs: ver página 23 do trabalho
Obs: ver página 24 do trabalho
Obs: ver página 24 e 25 do trabalho
Obs: ver página 25 do trabalho
Obs: ver página 26 do trabalho
Obs: ver página 27 do trabalho
Obs: ver página 28 do trabalho
Obs: ver página 30 do trabalho
Obs: ver página 30 do trabalho
Obs: ver página 30 do trabalho
Obs: ver página 31 do trabalho
Obs: ver página 31 do trabalho
Obs: ver página 31 do trabalho
Obs: ver página 32 do trabalho
Obs: ver página 13 do trabalho
Obs: ver página 32 do trabalho
Obs: ver página 33 do trabalho
Obs: ver página 33 do trabalho
Obs: ver página 34 do trabalho
Obs: ver página 35 do trabalho
Figura – 1 Organograma da teoria da troca entre líder e liderados
Fonte:
Wagner; Hollenbeck (2009)
Obs: ver página 36 do trabalho
Obs: ver página 37 do trabalho
Obs: ver página 38 do trabalho
Obs: ver página 39 do trabalho
Obs: ver página 39 do trabalho
Obs: ver página 40 e 41 do trabalho
Obs: ver página 44 e 49 do trabalho
Obs: ver página 54 do trabalho
Obs: ver página 55 do trabalho
Obs: ver página 55 do trabalho
Obs: ver página 56 do trabalho
Obs: ver página 58 e 59 do trabalho
Agradecida!
Full transcript