Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Humanidade e Meio Ambiente

No description
by

Maria Madalena Costa

on 20 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Humanidade e Meio Ambiente

Humanidade e Meio Ambiente
O que é humanidade?
Conjunto de toda raça humana;
Comportamento ou natureza humana;
Qualidade de ser sensível ou benévolo.
O que é meio ambiente?
Conjunto de fatores físicos, biológicos e químicos que cerca os seres vivos, influenciando-os e sendo influencido por eles
HISTÓRICO
• A partir da Revolução Industrial o índice de poluição do ar começou a aumentar;
• A queima do carvão mineral despejava na atmosfera das cidades industriais europeias, toneladas de poluentes;
• Atualmente, quase todas as grandes cidades do mundo sofrem os efeitos daninhos da poluição do ar. Cidades como São Paulo, Tóquio, Nova Iorque e Cidade do México estão na lista das mais poluídas do mundo.

2. POLUIÇÃO AMBIENTAL
PRINCIPAIS GASES CAUSADORES DA POLUIÇÃO DO AR
• Os principais causadores dos lançamentos de gases na atmosfera são: automóveis, motocicletas, aviões, fábricas, queimadas, centrais termoelétricas, geradores movidos a combustíveis fósseis, vulcões e etc;

Dióxido de Enxofre:
gás tóxico, incolor e denso. Produzido, principalmente, por vulcões, queima de diesel e em alguns processos industriais. Pode provocar a chuva ácida;
Dióxido de Azoto:
gás tóxico com cheiro forte e irritante. Produzido, principalmente, em veículos como motores a explosão e também na queima de querosene;
Monóxido de Carbono:
produzido na queima de combustíveis fósseis (gasolina, diesel) e também na combustão de madeira, carvão mineral e gás natural. É incolor (sem cor) e inodoro (não possui cheiro);
Dióxido de nitrogênio:
formado nos processos de combustão de veículos, usinas térmicas e indústrias. Muito nocivo, participa da formação do ozônio e da chuva ácida;
Ozônio
: muito nocivo à saúde humana. É gerado a partir da reação dos raios solares com outras substâncias presentes no ar poluído (dióxido de nitrogênio, vapor de solventes e combustíveis não queimados totalmente).

CAUSAS E CONSEQUENCIAS
• A poluição gerada nos centros urbanos de hoje são resultado, principalmente, da queima dos combustíveis fósseis como, por exemplo, carvão mineral e derivados do petróleo (gasolina e diesel);
• Estes dois combustíveis são responsáveis pela geração de energia que, alimenta os setores industrial, elétrico e de transportes de grande parte das economias do mundo. Portanto, coloca-los de lado atualmente é extremamente complicado;
• Esse tipo de poluição tem causado grandes problemas na saúde das pessoas. Várias doenças respiratórias como a bronquite, rinite e asma levam milhares de adultos e crianças aos hospitais todos os anos;
• A poluição também tem causado danos aos ecossistemas e ao patrimônio histórico e cultural. Resultado desta poluição, a chuva ácida mata plantas e animais;
• O clima do planeta também está sendo afetado, causando o Efeito Estufa, por exemplo;
• Ao longo dos tempos, a comunidade política e civil foi sendo alertada para os efeitos adversos, tendo sido assinados vários protocolos internacionais no sentido de aliviar ou resolver alguns dos problemas existentes, como o caso do PROTOCOLO DE MONTREAL, que aboliu o uso dos CFC's, sendo considerado um dos protocolos de maior sucesso e ainda um mais recente, o PROTOCOLO DE KYOTO.

• Os seguintes gases dependem muito da localização, uso do solo e atividades que são realizadas na área. Portanto, dificilmente encontraremos todos os elementos numa mesma cidade ou área específica;


A degradação da camada de ozônio é um dos grandes problemas da atualidade. Esse fenômeno é conhecido como "buraco na camada de ozônio", no entanto, não ocorre a formação de buracos e sim a rarefação dessa camada, que fica mais fina, permitindo que uma maior quantidade de raios ultravioleta atinja a Terra.
Em determinadas épocas do ano ocorrem reações químicas na atmosfera, tornando a camada de ozônio mais fina, mas logo ela volta a sua forma original. Contudo, as atividades humanas têm agravado esse processo, principalmente através das emissões de substâncias químicas halogenadas artificiais, com destaque para os clorofluorcarbonos (CFCs).

REDUÇÃO DA CAMADA DE OZONIO
Nas ultimas décadas, contudo, a concentração natural desses gases isolantes tem sido aumentada demasiadamente pela ação do homem, como a queima de combustíveis fósseis, o desmatamento e a ação das indústrias, aumentando a poluição do ar. O excesso dessa camada está fazendo que parte desses raios não consigam voltar para o espaço, provocando uma elevação na temperatura de todo o planeta, o aquecimento global. Por isso, o nome estufa é usado para descrevê-lo.
EFEITO ESTUFA
INVERSÃO TÉRMICA
A inversão térmica ocorre quando o ar frio (mais denso) é impedido de circular por uma camada de ar quente (menos denso), provocando uma alteração na temperatura.
Esse fenômeno se intensifica durante o inverno, pois nessa época do ano, em virtude da perda de calor, o ar próximo à superfície fica mais frio que o da camada superior, influenciando diretamente na sua movimentação. O índice pluviométrico (chuvas) também é menor durante o inverno, fato que dificulta a dispersão dos gases poluentes.
Doenças respiratórias, irritação nos olhos e intoxicações são algumas das consequências da concentração de poluentes na camada de ar próxima ao solo. Entre as possíveis medidas para minimizar os danos gerados pela inversão térmica estão a utilização de biocombustíveis, fiscalização de indústrias, redução das queimadas e políticas ambientais mais eficazes.

Poluição das Águas e Solos
Eutrofização
É a forma mais comum e antiga de poluição de aguas;
O nome vem "eu", que significa "bem" e "trofização", "nutrição"
Ocorre a partir do lançamento de dejetos humanos e de animais em rios, lagos e mares. Uma vez que esses dejetos são compostos de matérias orgânicas, há a possibilidade do aumento da quantidade de fosfatos e nitratos.
A produção exagerada leva ao aumento de bactérias aeróbicas que, por sua vez, consomem todo oxigênio disponível e aumentam a demanda biológica de oxigênio (DBO), causando a morte das formas de vida existentes.

Exemplos
Magnificação Biológica
Processo pelo qual substâncias tóxicas e não biodegradáveis permanecem acumulatdos ao longo da cadeia alimentar.

Dos poluentes não biodegradáveis que se acumulam ao longo da cadeia, merecem destaque os metais pesados, como o mercúrio, o chumbo e o cádmio, elementos frequentemente presentes em processos industriais, no lixo eletrônico e garimpos irregulares (mercúrio).
Contaminação por Mercúrio
O mercúrio é uma substância natural, porém as atividades humanas (mineração) promovem a disponibilidade do metal no meio ambiente e, consequentemente, a alteração em sua concentração.
A alta concentração de mercúrio, permite a ligação desse metal com outros elementos químicos, o que torna sua ação mais agressiva
Acumulação de Lixo
A grande produção de lixo gera liberação de gases e contaminações em solos e água. Os principais causadores desse problema são: aumento populacional, o modelo consumista e o grande uso de descartáveis.
O lixo pode ser dividido em:
Domiciliar: alimentos, papéis, plásticos, vidros, papelão, produtos deteriorados, etc.
Industrial: cinzas, lodos, metais, cerâmicas, madeira, borracha, resíduos alcalinos, etc.
Hospitalar: embalagens, seringas, agulhas, curativos, gazes, ataduras, peças atômicas.
Lixo tecnológico: computadores, pilhas e aparelhos eletrônicos em geral.

Copos Plásticos
O consumo de copos plásticos cresce cada vez mais. Esse tipo de lixo não é reciclado, pois demanda uma lavagem anterior ao processo, aumentando o custo para tal realização.
O copo descartável de plástico é um dos produtos que mais geram lixo. Seu uso reduz a vida útil de aterros sanitários e lixões. Geram CO2 (dióxido de carbono) na produção e no seu transporte, continuado a poluir por muito tempo depois de descartados.

A ação humana sobre os ecossistemas naturais acarreta sérios desequilíbrios ambientais em comunidades que levaram centenas ou milhares de anos para se estabelecer. Como exemplos dessa interferência pode-se destacar o processo de desmatamento, introdução de espécies exóticas e extinção de espécies.

INTERFERÊNCIA HUMANA EM ECOSSISTEMAS NATURAIS
• CAUSAS
Esse processo é verificado em todo o mundo, resulta do crescimento das atividades produtivas agrícolas e pastoril - devido à abertura de novas áreas de lavoura e pastagens -, das questões econômicas, como a mineração e o extrativismo e, principalmente, do aumento da densidade demográfica em escala mundial, colocando em risco as regiões naturais do planeta.

• CONSEQUÊNCIAS
Essa remoção indiscriminada da vegetação nativa traz diversas conseqüências: empobrecimento da biodiversidade- extinção de espécies-, erosão (oriunda das chuvas e do vento) e empobrecimento do solo.

• VISÃO MUNDIAL
América do Sul é o continente com a maior perda de área na última década, cerca de 4 milhões de hectares por ano, segundo relatório da ONU, seguida da África, com 3, 4 milhões. Em plano oposto está a Ásia que registrou um ganho líquido de 2,2 milhões de hectares anuais de florestas no mesmo período, devido aos programas de florestamento na China, Índia e Vietnã.

DESMATAMENTO
• CAMPO NACIONAL
O cerrado é o bioma mais desmatado, vítima da construção de pastos e enormes plantações, produção de carvão vegetal e as constantes queimadas; segundo o IBGE, esse bioma diminuiu 40 % na última década.
A floresta amazônica sofre do mesmo mal, devido, principalmente, ao comércio ilegal de madeira e contrabando de animais. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), 17% da floresta desapareceu do mapa, uma área equivalente a 700 mil Km².
A Mata Atlântica se reduz hoje, a apenas 7% de sua cobertura original, o que significa que várias espécies endêmicas estão seriamente ameaçadas. Devido a esse quadro, foi aprovada a Lei da Mata Atlântica (Lei Nº285/99) em 2006.
O Brasil não assinou a “Declaração de Nova York sobre Florestas”, documento apresentado na Cúpula do Clima, que ocorreu dia 23 de setembro deste ano. A declaração prevê a redução do desmatamento até 2020 e zerá-lo até 2030. O país declarou que não assinou, pois não foi convidado a preparar a declaração sendo sugerido a aprovar o projeto sem nenhuma permissão de alteração. Segundo a ONU, 28 governos assinaram o documento.
• Mexilhão dourado
Esse molusco invasor chegou ao Brasil em navios vindos da Ásia, provavelmente situados na água de lastro das embarcações, tendo sido identificado primeiramente no Rio Grande do Sul, porém, após se transportar por diversos rios, já foi visto no Pantanal.
O animal representa uma ameaça aos ecossistemas aquáticos: reproduz de maneira avassaladora, aderem-se em qualquer superfície que avista, alguns cresce em cima de artrópodes, matando-os. E, sua presença aumenta consideravelmente a população de certos peixes, visto que se tornou uma nova opção alimentar; ocasionando modificações na cadeia alimentar.
Ademais, a presença dessa espécie causa sérios prejuízos econômicos às usinas hidrelétricas: invasão de tubulações de abastecimento de água, de drenagem pluvial e de captação para a agricultura irrigada; entupimento dos sistemas de refrigeração e prejuízo do funcionamento de motores dos barcos.

Introdução de espécies exóticas
A introdução de espécies exóticas em uma região causa desequilíbrios ambientais, como por exemplo, a extinção de uma espécie nativa, visto que a espécie exótica, por não possuir predadores ou parasitas naturais, tem seu crescimento acelerado; com o tempo, essa espécie passa a ser uma praga, enquanto as nativas sofrem um declínio populacional, podendo levá-las ao desaparecimento.
Extinção de espécies
Muitas são as causas do desaparecimento de espécies como, por exemplo: expansão da população, extensão das fronteiras agrícolas, desmatamento, queimadas caça e a pesca excessivas -vulgo “predatórias”-. O que acarreta sérios distúrbios ao equilíbrio de um ecossistema.
Pesquisas apontam que até 2050 podem ser extinguidas do planeta Terra cerca de 1 milhão de espécies animais.
No Brasil, de acordo com o Ibama , cerca de 650 espécies correm risco de extinção, Ademais, segundo dados, o país lidera a lista de espécies de aves em extinção, seguido da Indonésia.

Essa espécie é um dos mais recentes casos de extinção no Brasil, vivia no extremo norte da Bahia, na caatinga ao sul do Rio São Francisco.
Registros apontam que a espécie era rara na natureza, havendo cerca de 30 casais, por isso, exemplares foram capturados e comercializados ilegalmente. Em julho de 2002, o Ibama declarou oficialmente a espécie como extinta.

Ararinha Azul
Tartaruga-de-couro
Tartaruga vista como a maior de sua espécie – até dois metros de comprimento de casco e cerca de 700 quilos- tem sido muito afetada pela pesca ilegal, sendo considerada como criticamnte ameaçada.
Vive a maior parte da vida na zona oceânica, sendo o litoral norte do Espírito Santo a única área regular de desova conhecida no Brasil.
Em alguns paises, o consumo da carne e óleo desse animal é legalizado o que contribui ainda mais com o risco de extinção.
Formas Sustentáveis para aprimorar a relação homem e ambiente
É necessária a criação de uma espécie de alfabetização ecológica que dê ênfase em questões como:
Nenhum ecossistema produz resíduos, já que os resíduos de uma espécie são alimentos para outra;
A matéria circula continuamente pela teia da vida;
A energia que sustenta estes ciclos ecológicos vem dosol;
A vida não conquistou o planeta pela força, e sim através da cooperação.

Formas de Obtenção de Energia Limpa
A energia eólica é a que mais cresce no mundo. Mais de 1700MW instalados em 30 países. A energia solar cresceu de 48 MW para 288 MW de 1990 até 2000.
Algumas empresas multinacionais estabeleceram compromissos voluntários de redução dos gases do efeito estufa, o que induz novos mercados em energia alternativa.
No Brasil, as hidroéletricas merecem destaque por serem a principal matriz energética do país.

Consumo Sustentável
Para a manutenção dos recursos naturais não é necessário consumir menos, mas sim consumir de forma mais eficiente.Os sete elementos da ecoeficiência são:
Redução do gasto de materiais com bens e serviços;
Redução do gasto de energia com bens e serviços;
Redução da emissão de substâncias tóxicas;
Intensificação da reciclagem de materiais;
Maximização do uso sustentável de recursos renováveis;
Prolongamento da dissolubilidade dos produtos;
Segregação de valor aos bens e serviços.

Sustentabilidade nas construções
As construções sustentáveis buscam equalizar dois grandes desafios mundiais: o impacto ambiental da indústria da construção e os seus benefícios econômicos e sociais.

Construir de maneira sustentável significa:
Reduzir o impacto negativo das obras;
Integrar fontes de energia renováveis ainda no estágio de desenvolvimento do projeto;
Usar materiais recicláveis na construção para preservar recursos naturais;
Melhorar a performance térmica dos edifícios para reduzir os custos com ar-condicionado;
Projetar o tempo de vida das estruturas,
Reciclar materiais e estruturas após a demolição,
TELHADO VERDE
Os telhados verdes ou ecotelhados podem ser feitos com gramas ou plantas rasteiras. Os principais benefícios são: retenção de água da chuva, redução da velocidade de escoamento da água da chuva na fonte, limpeza da água pluvial, melhora a relação entre a edificação e o meio ambiente, contribuição na formação de um miniecossistema, atraindo pássaros, borboletas e joaninhas, além de garantir mais economia.
Grupo:
Maria Madalena Costa;
Naíra Gaudereto;
Natália Oliveira;
Tatiana Danelon.
REFERÊNCIAS
FREITAS, Eduardo de. O Desmatamento. Disponível em: < http://www.brasilescola.com/geografia/o-desmatamento.htm >. Acesso em 27 de set. 2014.

BRASIL tem maior índice de desmatamento do mundo. Disponível em: <http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI371471-EI299,00.html>. Acesso em 27 de set. 2014

SAIBA o que é desmatamento e quem o monitora. Disponível em: < http://www.brasil.gov.br/meio-ambiente/2012/04/saiba-o-que-e-desmatamento-e-quem-o-monitora-no-brasil>. Acesso em 27 de set.2014.

BRASIL ainda é o PIS com maior índice de desmatamento do mundo. Disponível em:<http://ipevs.org.br/blog/?p=1232>. Acesso em 27 de set. 2014

BRASIL não assina declaração para zerar desmatamento até 2030. Disponível em: <http://g1.globo.com/natureza/noticia/2014/09/brasil-nao-assina-declaracao-para-zerar-desmatamento-ate-2030.html>. Acesso em 28 de set.2014

O MEXILHÃO dourado e o seu transcriptoma. Disponível em: <http://improvisocientifico.blogspot.com.br/2012/10/o-mexilhao-dourado-e-seu-transcriptoma.html>. Acesso em 28 de set. 2014

ANIMAIS em extinção no Brasil. Disponível em :<http://www.todamateria.com.br/animais-em-extincao-no-brasil/.. Aceso em 28 de set. 2014
Full transcript