Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O caracter heterocósmico da experiencia estética

O caracter heterocósmico da experiencia estética
by

Nuno Neves

on 28 June 2010

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O caracter heterocósmico da experiencia estética

A atitude estética perante o Mundo
O termo Estética deriva do vocábulo grego “aisthésis” que significa sensivel, este termo remete para a capacidade humana de captação do que nos rodeia, através dos nossos órgãos dos sentidos, mas também para um sentimento de agrado ou desagrado que acompanha as nossas percepções que lhe confere uma determinada tonalidade afectiva.

Este termo remete a uma designação: A percepção da realidade realizada pelo artista é diferente da do Homem comum traduz-se e exprime-se de forma diferente.
O artista revela na sua obra o seu modo de organização do mundo, o modo como “vê” as coisas.
A arte “transfigura” o real.
A realidade banal e imediata é recriada e reconfigurada, de modo a transformar-se numa sobre-realidade.
Experiência Estética
A experiência estética acontece numa atmosfera afectiva, pois o Ser Humano é um ser sensível. O Ser Humano capta os objectos que o rodeia através dos seus sentidos, manifestando sentimentos múltiplos, de alegria, de contentamento e de prazer face a estes, logo que sejam de carácter Humano (“Origem”), valorizando-os afectivamente, atribuindo-lhe um valor estético, elevando-os do plano da utilidade para o plano de estética.
O Ser Humano, através da contemplação estética participa activamente na contemplação do objecto, interpretando subjectivamente, criando ou recriando o objecto na sua alma, experimentando prazer estético que excede para um outro cosmos subjectivo, criado pela sua mente, pelos seus sentimentos face ao objecto permanecendo alheio (distante) e alterno (alternado ) ao mundo real, no seu heterocosmos (“Diferentes Universos”).
“O ser e o fazer humanos
não são afectivamente neutros” M.ª Abrunhosa e M. Leitão, Um Outro Olhar Sobre o Mundo
Full transcript