Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Cultura da Convergência e

No description
by

Tayane Abib

on 27 March 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Cultura da Convergência e

Culturas Híbridas
Os descolecionamentos e as hibridações já não permitem vincular rigidamente as classes sociais com os estratos culturais. A tendência predominante é que todos os setores misturem em seus gostos objetos de procedências antes separadas (isso não significa que as diferenças entre classes tenha se dissolvido)
Culturas Híbridas
Hibridação e mudanças no modo de falar sobre identidade, cultura e os pares organizadores de conflitos nas ciências sociais: tradição-modernidade | norte-sul | local-global
Culturas Híbridas
Como a hibridação funde estruturas ou práticas discretas?
Culturas Híbridas
Oferta cultural é muito heterogenea | Coexistem varios estilos de recepção e compreensão | Relações díspares com bens procedentes de tradições cultas, populares e massivas
Culturas Híbridas
"Esses processos incessantes, variados, de hibridação levam a relativizar a noção de identidade, põem em evidência o risco de delimitar identidades locais autocontidas. Nao é possivel falar das identidades como se se tratasse apenas de um conjunto de traços fixos, nem firmá-las como a essência de uma etnia ou de uma nação" (CANCLINI, 1990)
Culturas Híbridas
Existem resistências a aceitar estas e outras formas de hibridação porque geram insegurança nas culturas e conspiram contra sua auto-estima etnocêntrica
Cultura da Convergência e
Culturas Híbridas

Políticas e Sistemas da Informação
Profa. Tayane Abib
Intensa análise sobre hibridação a partir das últimas décadas do século XX
Geralmente usado para descrever processos interétnicos e de descolonização, globalizadores, viagens e cruzamentos de fronteiras, fusões artísticas, literárias e comunicacionais
"Entendo por hibridação os processos sociorculturais nos quais estruturas ou práticas discretas, que existiam de forma separada, se combinam para gerar novas estruturas, objetos e práticas" (CANCLINI, 1990)
De modo não planejado ou como resultado imprevisto: processos migratórios, turísticos e de intercâmbio econômico ou comunicacional
Da criatividade individual ou coletiva: artes, vida cotidiana, desenvolvimento tecnológico | Apropriação de patrimônios e novas condições
Os processos globalizadores acentuam a interculturalidade quando criam mercados mundiais de bens materiais, mensagens e migrantes
Os fluxos e as interaçoes que ocorrem nesses processos diminuíram fronteiras e alfândegas, assim como a autonomia das tradições locais; propiciaram mais formas de hibridração produtiva,comunicacional e nos estilos de consumo do que no passado
Mundo fluidamente interconectado e restruturação de assedimentações identitárias em meio a conjuntos interétnicos, transclassistas e transnacionais
Membros de cada grupo se apropriam dos repertórios heterogêneos de bens e mensagens disponíveis nos circuitos transnacionais e geram novos modos
A fluidez das comunicações, facilita-nos apropriarmo-nos de elementos de muitas culturas, mas isto não implica que as aceitemos indiscriminadamente
É desafiador para o pensamento morderno de tipo analítico, acostumado a separar binariamente o civilizado e o selvagem, o nacional do estrangeiro, o anglo do latino
Variabilidade de regimes de pertença desafia o pensamcnto binário a qualquer tentativa de ordenar o mundo em identidadcs puras e oposições simples
"Não funciona a oposição abrupta entre o tradicional e o moderno. O culto, o popular e o massivo nao estão onde estamos habituados a encontrá-Ios. É necessario demolir essa divisão em três pavimentos, essa concepção em camada do mundo da cultura. Precisamos de ciências sociais nômades, capazes de circular pelas escadas que ligam esses pavimentas. Ou melhor: que redesenhem esses planos e comuniquem os níveis horizontalmente" (CANCLINI, 1990)
Até os signos e os espaços sociais das elites se misturam com os populares | Museu recebe milhares de visitantes e as obras literárias clássicas ou de vanguarda são vendidas em supermercados ou se transformam em vídeos
"A democratização da cultura é pensada como se se tratasse de anular a distância e a diferença entre artistas e público. Por que perseguir uma correspondência entre artistas e receptores? Há um componente autoritário quando se quer que as interpretações dos receptores coincidam inteiramente com o sentido proposto pelo emissor" (CANCLINI, 1990)
Democracia é pluralidade cultural, polissemia interpretativa. Uma hermenêutica ou uma política que fecha a relação de sentido entre artistas e público é empiricamente irrealizável e conceitualmente dogmática
Full transcript