Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Painel 01 - ESCOLAS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

No description
by

Sandro Martinez

on 11 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Painel 01 - ESCOLAS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

Universidade da Região da Campanha
Centro de Ciências Exatas e Ambientais
Curso de Arquitetura e Urbanismo
Trabalho de Conclusão de Curso II

escolas municipais de educação infantil
projeto de semi-tipos para Bagé/RS

Configura-se como a primeira etapa da educação básica, oferecida em creches e pré-escolas, às quais se caracterizam como espaços institucionais não domésticos que constituem estabelecimentos educacionais públicos ou privados que educam e cuidam de crianças de 0 a 5 anos de idade (BRASIL, 2009).
educação infantil
"Em tempos de crise na educação e de padrões insatisfatórios de desempenho escolar no Brasil, o dissenso sobre a real interferência de diferentes áreas de conhecimento na educação apresenta relação fundamental entre aprendizado e arquitetura".
justificativa
necessidade de ambientes apropriados para as atividades formadoras educacionais
demanda existente
Lei nº 12.796/2013
falta de critérios para a implantação de equipamentos urbanos
utilização de projetos padronizados tipo
proposta
Acad. Sandro Martinez Conceição
Orien. Profª. Msc. Magali Nocchi Collares Gonçalves

Bagé, março de 2014.

organograma
coord. pedagógica
professores
acesso principal
direção/administração
direção
secretaria
almoxarifado
sanit. adm.
hall/recepção
cozinha
despensa
vivência
sanit. alunos
pátio descoberto
pátio coberto
refeitório
serviço
cozinha funcionários
lavanderia
depósito mat. limpeza
solário
sala de atividades
pedagógico
ateliê
depósito
uso múltiplo
acesso serviço e
carga/descarga
sanit. alunos
Miguel Zabalza, 1998.
“A qualidade do espaço é protagonista da Educação Infantil”.
Doris Kowaltowski, 2013.
terraço
V. Tupã/Brum
Escola 2
V. Ferreira/B. Getúlio Vargas
Escola 1
V. Gaúcha/Passo do Príncipe
Escola 3
adm.
vivência
serviço
pedagógico
acesso
acesso
serviço
adm.
vivência
serviço
pedagógico
acesso
acesso
serviço
adm.
vivência
pedagógico
acesso
acesso
serviço
serviço
pedagógico
multiúso
adm.
serviço
sanitário
terraço
vivência
circulação
pedagógico
multiúso
serviço
sanitário
terraço
circulação
adm.
vivência
pedagógico
multiúso
serviço
sanitário
terraço
circulação
adm.
vivência
Escola 01 | V. Ferreira/B. Getúlio Vargas
Escola 02 | V. Brum/B. Tupã
Escola 03 | V. Gaúcha/Passo do Príncipe
Projetar a escola municipal deve ter por
diretriz fundamental
o seu caráter de obra pública, o que implica equacionar a boa técnica à racionalização de recursos públicos e ao atendimento das demandas da SMED.
implantação
diretrizes
todo o lote considerado área de projeto
espaços externos e internos integrados pelas relações de fluxo
generosa área externa
uso recreativo
possibilidades lúdicas
árvores
sombreamento
edifício
bem-estar
segurança
desenvolvimento
intelectual
criativo
físico
social
escola acessível
articular funções
encontros
interpenetrabilidade
privacidade
edifício como um todo deverá incentivar o desenvolvimento global da criança
critérios socioambientais
desempenho térmico
acústico
luminoso
energético
modelo educativo
Escola Infantil Municipal de Berriozar Pamplona/Espanha
Referências
Escola Primetime
São Paulo/SP
Escola Despertar
Porto Alegre/RS
critérios
escola semi-tipo
escola tipo
função
técnica
forma pertinente
função
forma pertinente
sítio
técnica
composição
quanto à padronização escolar

A -Bagé/Rio Grande do Sul; B - Mairi/Bahia; C - Guará/São Paulo; D - Dois Irmãos do Buriti/Mato Grosso do Sul. Reprodução do mesmo modelo em todo o território nacional –Programa Proinfância
A - Escola Primária Nº13; B - Escola Primária Nº3; C - Escola Infantil Nº2. Escolas em Buenos Aires, Argentina. Variações do mesmo esquema tipológico.
Complexo d’Óbidos, Portugal. 2010. - Projeto de escola semi-tipo.
critérios
quanto ao projeto contemporâneo
economia universalidade sistematicidade
Loja Forma, São Paulo, 1987. Paulo Mendes da Rocha
Torre Barcelona, Barcelona, 2001. Hélio Piñon
Projeto para sede do Iphan, em Brasília, 2006. Edson Mahfuz
resoluções ambientais
orientação leste/oeste dos ambientes pedagógicos
utilização de brises/cobogós nas fachadas
zenital nas circulações
ventilação cruzada
climatização artifical - calefação e ventiladores
tratamento acústico com forro especial
Escola Jornalista Roberto Marinho, Campinas. 2004. Andrade Morettin Arquitetos
Escola Campinas F1, Campinas. 2004. MMBB Arquitetos
método construtivo e sistema modular
A proposta está calcada em sistema estrutural pré-fabricado de concreto hiperestática, com vãos de 720 x 990cm, derivados do módulo básico de 90 x 90cm.
Dimenões estimadas das peças pré-moldadas
pilares de fachada: 30x60cm
pilares internos: 30x45cm
laje alveolar: 20cm
vigas: 30x80cm
Escola Várzea Paulista, Várzea Paulista, 2008. FGMF
Programa de Necessidades
Segue os Parâmetros básicos de infraestrutura para instituições de educação infantil do Ministério da Educação e o Catálogo de ambientes para edificações escolares da Fundação de Desenvolvimento da Educação.
Obrigado!
escolas municipais de educação infantil
projeto de semi-tipos para Bagé/RS
florações
Almeja-se que a metodologia adotada garanta a produção racionalizada do projeto, porém sem impedir as diferentes soluções arquitetônicas necessárias às características de cada terreno.
Esc. 1
Esc. 2
Esc. 3
Implantação
compatível ao terreno que demande o menor movimento de terra, mas que também q
ualifique o tecido urbano
pela inserção do edifício escolar. Pela sua
escala
e
tipologia de referência urbana
, o prédio deverá apresentar
identidade
de
obra pública
e estabelecer um
diálogo
respeitoso com as edificações do entorno,
despertando
na comunidade o
senso de pertencimento
.
Full transcript