Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Reprodução seletiva em plantas

No description
by

Olena Bondarenko

on 3 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Reprodução seletiva em plantas

Regeneração de plantas a partir
de protoplastos Clonagem de Plantas A reprodução selectiva em plantas é utilizada há vários séculos e pode ser traduzida como a selecção de sementes das melhores plantas para a sementeira, de modo a obter plantas com características vantajosas.
Neste tipo de reprodução promove-se o cruzamento entre plantas que reúnem características que se desejavam ver reunidas numa mesma planta, dando origem a novas variedades de plantas que, por exemplo, tenham mais resistência a doenças, a pragas e uma maior adaptação ao meio dando maior rentabilidade ao produtor. Uma forma de obter novas variedades de plantas é por isolamento progressivo. Isolamento Progressivo No isolamento progressivo, dá-se o cruzamento entre duas variedades de plantas com características diferentes originando novas variedades de plantas cujo genoma contém caracteres que existiam separados nos progenitores. Deste modo, após o cruzamento da planta com outra que possua as características desejadas é originada uma geração homogénea. Desta primeira geração faz-se uma selecção das plantas que contêm as características pretendidas e através de polinização directa originam-se novas gerações cada vez com mais plantas com as características pretendidas. CLONAGEM POR MICROPROPAGAÇÃO Clonagem de Plantas Regeneração de Plantas a partir de protoplastos Para aumentar o número de produção de plantas o Homem recorreu à clonagem, processo no qual se originam clones, ou seja descendência geneticamente idêntica. A clonagem é um processo de reprodução assexuada por multiplicação vegetativa, por exemplo. Esta técnica utiliza os mesmos príncipios da clonagem comum, pois igualmente se retiram explantes da planta que queremos clonar, que depois ao ser colocados em condições adequadas originam novos indivíduos. O explante é então um fragmento de um local da planta que vai sofrer um processo sofisticado.
Esta técnica é usualmente utilizada na alimentação, ou produção de plantas ornamentais. Esta técnica tem várias aplicações atualmente, sendo utilizada no melhoramento de plantas ou para conservar a diversidade ambiental. A cultura de tecidos in vitro como se pode verificar na imagem anterior é dada em 3 etapas: Colocação do explante num meio de cultura
com vários nutrientes; Desenvolvimento do explante num meio de
cultura controlado e formação de um calo; Transferência de fragmentos do calo para
meios de cultura a fim de obter o
produto de acordo com o desejado. Deste modo através da técnica de micropropragação consegue-se obter milhões de rebentos idênticos a partir de um único explante. As células vegetais conectam-se às células adjacentes a partir da uma matriz de pectinas (polissacarídeos). Esta matriz e a própria parede celular da célula podem ser degradadas através de processos mecânicos ou enzimáticos, levando ao isolamento dessas células que passam a ser desprovidas de parede celular. Passam a ser denominadas de Protoplastos. Este processo de regeneração de plantas a partir de protoplastos tem uma vasta área de utilização, podendo servir para os estudos de biologia celular, estudar os organelos celulares e estudar a biossíntese da parede celular. Neste processo estão envolvidas várias etapas que culminam na formação de uma nova planta. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Selecciona-se a planta que se quer regenerar. Extrai-se as células de uma folha jovem da planta seleccionada. Coloca-se as células num meio de incubação. Degradam-se as paredes celulares e a matriz que une as células recorrendo a enzimas. Originam-se protoplastos. Os protoplastos sofrem divisões celulares. Forma-se o microcalo. Diferenciação do microcalo em calo. Origem da plântula. Desenvolvimento da plântula numa nova planta. Torna-se assim possível regenerar plantas a partir de protoplastos, quando colocados num meio asséptico. Temos Morangos de Janeiro a Janeiro, para além da péssima qualidade ainda ficamos com o seu dinheiro!! Reprodução selectiva em plantas Na alimentação utilizam-se plantas que resultam de mutações. Transgénicos As plantas apresentam características que facilitam o melhoramento genético:

Ciclo de vida curto (seleção rápida de novas características);

Podem ser autofecundadas (fixação da nova característica pretendida);

Numerosa descendência (aparecimento de mutações, aumento da diversidade) Após a descoberta de que a bactéria Agrobacterium é um vetor natural de transferência de genes:

- Ferramenta para estudar e modificar o genoma das plantas: existindo hoje grande número de plantas com interesse económico. Características de melhoramento de plantas recorrendo à engenharia genética: resistência a doenças

melhoramento de qualidades nutritivas

produção de compostos com interesse económico

resistência a condições ambientais extremas (utilização de terrenos com diversas condições) Transgénicos Curiosidades: 1983 - produção do 1º milho transgénico
1996 - aprovado 1º produto de transgénese (tomate transgénico)
Hoje consome-se soja, milho, papaia com proteínas, arroz com proteínas, etc. Reprodução seletiva em animais Razões que levam os criadores a selecionar animais Inseminação artificial Fecundação In Vitro e
Transferência de embriões Clonagem Produção de melhor carne, leite e derivados, ovos, etc.
Obtenção de maior descendência.
Obtenção de animais mais resistentes a doenças e antibióticos. É o primeiro passo que permitiu o melhoramento genético dos animais.
Os machos com as caracteristicas pretendidas são mantidos em centros especiais.
Os criadores de gado compram o sémen destes animais e inseminam as suas melhores fêmeas. Começaram a ser utilizadas como complemento da inseminação artificial.
Assim muitos óvulos podem ser fecundados e posteriomente transferidos.
Algumas células com poucos dias de vida podem ser retiradas dos embriões e colocadas em cultura até se formarem novos embriões. É um processo muito rápido, envolve poucos custos e apartir do qual se podem produzir muitos organismos.
Será um processo no qual devemos colocar as nossas esperanças?
É um processo que faz com que a biodiversidade reduza. O desenvolvimento de tecnicas agropecuárias conduz a grandes alterações a nível genético A administração de hormonas e de antibióticos pode curar doenças mas muitas vezes são utilizados para o aumento da massa muscular do animal.
Nos EUA, anualmente são administradas 30 000 toneladas de químicos ao gado. Se a utilização dos antibiótios for regrada, não trará problemas para a saúde humana nem para a saúde animal A administração destes químicos aos animais provoca a morte de bactérias intestinais.
Os animais ficam com mais nutrientes para o seu organismo.
Mas no que toca à saúde de quem ingerir estes animais, pode acarretar muitos maleficios. Os defensores Os Críticos Engenharia Genética na criação de animais Controvérsia Pode ser uma solução para a fome mundial Pode solucionar o problema da fome mas pode trazer perigos para a saúde pública. Couve-flor Bróculos Couve-saboia Repolho Couve-de-bruxelas Couve-rábano Espécie selvagem
do género Brassica
Full transcript