Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Função Referencial da Linguagem

No description
by

Dany Gazeta

on 13 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Função Referencial da Linguagem

Função Referencial

A função referencial privilegia justamente o referente da mensagem, buscando transmitir informações objetivas sobre ele. Essa função predomina nos textos de caráter científico e é a que prevalece nos textos jornalísticos.
Características:

Neutralidade do emissor;
Objetividade e precisão;
Conteúdo informacional;
Uso da 3ª pessoa.
CAPITALISMO
Filmes
Músicas
Cultiva guerras
Destrói
nações
Dinheiro e poder
Suas
razões
Capitalismo
Um mal
incurável
Capitalismo
O homem é
irresponsável

Capitalismo

Capitalismo
Ratos de Porão

Destrói natureza
Mata
animais
Só o dinheiro importa
O restante são coisas
banais
Mal incurável

Capitalismo

Ganância e
ambição
Em qualquer
situação
Está gerando um caos na
humanidade
Esta é a triste
realidade.

Artes Plásticas
Os Retirantes. Candido Portinari, 1944. Óleo sobre tela. 190cm x 180cm.
Operários. Tarsila do Amaral, 1933. Óleo sobre tela. 150cm x 205cm
Histórias em quadrinhos
Textos literários
E empurrou a cadeira de rodas até a borda da piscina.
E a cadeira ficou presa. A pequena borda de cimento detinha sua passagem. Jill empurrou com mais força, mas ela não virava. Era como se Toby a estivesse segurando por simples força de vontade. Podia vê-lo lutando para se soltar, lutando pela vida. Ia soltar-se, libertar-se, agarrar-lhe o pescoço com os dedos esqueléticos...Ela ouvia seus gritos. "Não quero morrer...Não quero morrer...'' e , não sabendo se era real ou efeito de sua imaginação, num ímpeto de pânico, reuniu uma súbita força e empurrou o mais que pôde o encosto da cadeira de rodas. Ela se projetou para a frente, no ar, suspensa durante o que pareceu uma eternidade, e então rolou para dentro da piscina, caindo na água com estrondo. Por muito tempo pareceu flutuar e então, lentamente, começou a afundar. Os redomoinhos da água fizeram-na girar de modo que a última coisa que Jill viu foram os olhos de Toby condenando-a ao inferno, enquanto a água se fechava sobre ele.

Um Estranho no Espelho, fragmento. Sidney Sheldon, tradução de Eduardo Saló. 1969.

Jogos
Propagandas
Só entravam no condomínio os proprietários e visitantes devidamente identificados e crachados. Mas os assaltos começaram assim mesmo. Ladrões pulavam os muros e assaltavam as casas. Os condôminos decidiram colocar torres com guardas ao longo do muro alto. Nos quatro lados. As inspeções tornaram-se mais rigorosas no portão de entrada. Agora não só os visitantes eram obrigados a usar crachá. Os proprietários e seus familiares também. Não passava ninguém pelo portão sem se identificar para a guarda. Nem as babás. Nem os bebês. Mas os assaltos continuaram.
Segurança (fragmento). Luis Fernando Verissimo. Comédias para se ler na escola. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

A Turma da Mônica, Maurício de Sousa. Editora Globo.
O Pato Donald, Editora Abril.
“Não seria bom viver num mundo sem vaidade?
Um mundo, onde a imagem não tivesse importância?
Onde a beleza não fosse valorizada?
Não seria bom viver nesse mundo?
Não, não seria.
Acredite na beleza. O Boticário.”
Auschwitz - Os Nazistas e a Solução Final (2005)
Resident Evil Remake
Repressão - O Boticário. 2008
Full transcript