Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Fisiologia do Sistema Endócrino - Silvio Tibo

Veja todas as sequências lógicas que permitem total assimilação do Sistema Endócrino.
by

Silvio Tibo

on 11 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Fisiologia do Sistema Endócrino - Silvio Tibo

Boa parte do funcionamento do corpo humano depende da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos que viajam pelo sangue: os hormônios.
Fisiologia do Sistema Endócrino
Hormônios
Os hormônios são definidos como substâncias produzidas e liberadas por determinadas células, que atuam sobre outras células, modificando seu funcionamento.
Principais Glândulas Endócrinas Humanas
Adenoipófise
Somatotrofina = Estimula o crescimento geral do corpo; afeta o metabolismo das células.
HIPÓFISE
A hipófise, antigamente conhecida como pituitária, é uma glândula pouco maior que um grão de ervilha localizada na base do encéfalo. Muitos fisiologistas a consideram a "glândula mestra" do corpo humano, pelo fato de seus hormônios regularem o funcionamento de diversas glândulas endócrinas, como veremos a seguir.
"O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder entusiasmo" Winston Churchill
Glândulas Endócrinas
As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas. O termo refere-se ao fato de essas glândulas lançarem seus hormônios diretamente no sangue, o que as distingue das glândulas exócrinas, que lançam suas secreções fora do corpo ou em órgãos ocos. O conjunto de glândulas endócrinas constitui nosso Sistema Endócrino.
Neuroipófise
Oxitocina = Estimula a contração das musculaturas do útero e das glândulas mamárias.
ADH ou Vasopressina = Promove a reabsorção de água pelos rins.
Prolactina = Promove a secreção de progesterona; estimula a produção e a secreção de leite.
Folículo-estimulante = Estimula os folículos ovarianos, nas mulheres, e a espermatogênese, nos homens.
Luteinizante = Estimula o corpo amarelo e a ovulação, nas mulheres, e as células intersticiais, nos homens.
Tireotrofina = Estimula a tireóidea a secretar seus hormônios.
Adrenocorticotrófico = Estimula a secreção de glicocorticóides pelas glândulas suprarrenais.
Tireóidea
Triiodotironina e Tiroxina = Estimula e mantém os processos metabólicos.
Calcitonina = Estimula a deposição de cálcio nos ossos, reduzindo a concentração de cálcio no sangue.
Paratireóidea
Paratormônio = Eleva a concentração de cálcio no sangue e estimula a liberação de cálcio pelos ossos.
Pâncreas
Insulina = Estimula o armazenamento de glicose pelas células, reduzindo a concentração de glicose no sangue; estimula a síntese de proteínas.
Glucagon = Estimula a quebra de glicogênio no fígado.
Medula Suprarrenal
Adrenalina = Aumenta a concentração de glicose no sangue; provoca vasodilatação, mas causa vasoconstrição na pele, mucosa e rins.
Noradrenalina = Acelera os batimentos cardíacos; causa vasoconstrição generalizada no corpo.
Córtex Suprarrenal
Glicocorticóides = Afeta o metabolismo de carboidratos; aumenta a concentração de glicose no sangue.
Mineralocorticóides = Promove a reabsorção de sódio e a excreção de potássio pelos rins.
Testículos
Andrógenos = Estimula a espermatogênese; desenvolve e mantém as características sexuais secundárias masculinas
Ovários
Folículo = Estimula o crescimento da mucosa uterina; desenvolve e mantém as características sexuais secundárias femininas.
Progesterona e Estrógenos = Promove a continuação de crescimento da mucosa uterina.
Hipotálamo
A região do encéfalo conhecida como hipotálamo também atua como órgão endócrino, produzindo diversos hormônios que controlam o funcionamento da glândula hipófise.
O hipotálamo tem dois grupos de célula endócrinas. Um deles produz hormônios que ficam armazenados na região posterior da hipófise (neuroipófise) até serem liberados no sangue. O outro grupo de células endócrinas do hipotálamo produz hormônios que regulam o funcionamento da parte anterior da hipófise (adenoipófise).
Tecido Gorduroso
Glândula Pineal
Além disso, a glândula pineal, que é uma pequena região do encéfalo, sintetiza o hormônio melatonina, envolvido no controle das respostas corpóreas ligadas ao ciclo claro-escuro.
O tecido gorduroso também tem atividade endócrina: ao acumular certa quantidade de gordura, ele produz um hormônio, a leptina, que atua sobre o hipotálamo, diminuindo o apetite.
A hipófise é constituída por dois tipos distintos de células endócrinas. A porção anterior, denominada adenoipófise, e a porção posterior, denominada de neuroipófise, que é um prolongamento do hipotálamo.
A Ocitocina...
A Ocitocina é um hormônio da neuroipófise capaz de acelerar as contrações uterinas que levam ao parto. Outro efeito da oxitocina é causar a contração da musculatura lisa das glândulas mamárias, o que leva à expulsão do leite durante a amamentação. Nesse caso, o estímulo para a liberação do hormônio é aprópria sucção do peito pelo bebê.
Estudos recentes têm mostrado que a oxitocina desempenha papel importante também em diversos comportamentos, estando associado à capacidade de a pessoa manter relações interpessoais saudáveis e ligações afetivas estáveis, daí a denominação de hormônio do amor.
O ADH...
O hormônio antidiurético, ou ADH, tem como principal efeito a diminuição do volume de urina excretado, ou seja, tem efeito antidiurético. Um dos efeitos fisiológicos do ADH é promover a contração das artérias mais finas do corpo, as arteríolas, o que eleva a pressão arterial e aumenta a permeabilidade dos túbulos distais dos néfrons, produzindo maior reabsorção de água pelos rins.
Por seu efeito vasoconstritor, o ADH é chamado também de vasopressina. Se a pessoa produz menos ADH que o normal, ela elimina grande volume de urina, sente muita sede e corre o risco de desidratação. Esse quadro clínico caracteriza
o diabetes insípido.
Os hormônios tróficos
A Adenoipófise libera quatro hormônios tróficos, aqueles cujo efeito é estimular o funcionamento de outras glândulas endócrinas. Esses hormônios são o hormônio tireotrófico (TSH), o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), o hormônio folículo-estimulante (FSH) e o hormônio luteinizante (LH)>
Calcitonina e Paratormônio
A taxa normal de cálcio, em torno de 9 a 11 miligramas por 100 mililitros de sangue, é regulada pela ação conjunta das glândulas tireóidea e paratireóideas, por meio de seus hormônios calcitonina e paratormônio, respectivamente, em um mecanismo conhecido como retroalimentação ou feedback negativo.
A diminuição da concentração de cálcio no sangue estimula as glândulas paratireóideas a secretar paratormônio. Esse hormônio atua em vários níveis: a) sobre os ossos, provocando liberação de cálcio; b) sobre o intestino, aumentando a absorção de cálcio dos alimentos; c) sobre os rins, aumentando a reabsorção de cálcio contido na urina inicial. Essas ações conjuntas levam ao aumento do nível de cálcio no sangue.
Pâncreas
O Pâncreas desemprenha tanto funções
exócrinas como endócrinas, sendo por isso considerado uma glândula mista, ou anfícrina. A parte endócrina do Pâncreas é constituída por centenas de aglomerados celulares denominados ilhotas pancreáticas, ou ilhotas de Langerhans. Estas têm dois tipos celulares: células-beta produtoras de insulina e células-alfa produtoras de glucagon.
Após uma refeição, insulina é liberada para absorver a glicose em excesso. Se a pessoa passa muitas horas
sem se alimentar, as células-alfa são estimuladas a
secretar glucagon. Sob a ação desse hormônio
o fígado passa a converter glicogênio em
glicose, liberando esse açúcar na
corrente sanguínea.
Diabetes Melito
pessoa apresenta elevada taxa de glicose no sangue, a ponto de o
A insulina está relacionada com o distúrbio hormonal conhecido como diabetes melito, enfermidade em que a
açúcar ser excretado na urina. A pessoa diabética elimina grande volume de urina, uma vez que a alta quantidade de glicose no filtrado glomerular causa diminuição na reabsorção de água pelos túbulos renais. Além disso, o diabético degrada muita gordura e proteína para obter energia, o que pode resultar em emagrecimento e fraqueza.
Há dois tipos de diabetes melito: tipo I, chamado de insulino-depen- dente, causado pela redução acentuada de células-beta do pâncreas, com deficiência da produção de insulina; e o tipo II, que apresenta
níveis normais de insulina no sangue, mas que sofre redução do
número de receptores de insulina nas membranas de suas
células musculares e adiposas. Com isso, diminui a ca-
pacidade dessas células de absorver glicose do
sangue.
Obs.: Os hormônios da neuroipófise são produzidos pela região do hipotálamo.
Adrenalina e Noradrenalina
sintetizados a partir do aminoácido tirosina. Durante uma situação de
A medula adrenal produz dois hormônios principais: a adrenalina, ou
epinefrina, e a noradrenalina, ou norepinefrina. Esses hormônios são
estresse (susto, grande emoção, etc) o sistema nervoso estimula a medula suprarrenal a liberar a adrenalina no sangue. Sob ação desse hormônio, os vasos sanguíneos da pele contraem-se e a pessoa fica pálida; o sangue passa a concentrar-se nos músculos e nos órgãos internos, preparando o organismo para uma resposta vigorosa.
A adrenalina também causa taquicardia (aumento do ritmo cardíaco), aumento da pressão arterial e maior excitabilidade do sistema nervoso. Essas alterações metabólicas permitem ao organismo responder rapidamente a uma situação de emergência.
A noradrenalina é liberada em doses mais ou menos constantes pela medula adrenal, independentemente da liberação de adrenalina. Sua principal função é manter a pressão sanguínea em níveis normais.
Enquanto a noradrenalina provoca a vasoconstrição, a adrenalina provoca vasodilatação.
Corticosteróides
Os hormônios produzidos pelo córtex adrenal pertencem ao grupo dos esteroides, sendo conhecidos genericamente como corticosteroides.
Um grupo desses hormônios, os , atua na
produção de glicose a partir de proteínas e gorduras. Esse processo aumenta a quantidade de glicose disponível para ser usada como combustível, em casos de resposta a uma situação estressante.
glicocorticoides
O principal glicocorticoide é o , também conhecido como hidrocortisona. Além de seus efeitos no metabolismo da glicose, a hidrocortisona diminui a permeabilidade dos capilares sanguíneos. Devido a essas propriedades, ela é utilizada no tratamento de inflamações, como as provocadas por processos alérgicos.
cortisol
Corticosteroides
, regula o balanço de água e sais no
Um outro grupo de corticosteroides, os
mineralocorticoides
aldosterona
aumenta a retenção de íons sódio pelos rins, cusando retenção de água no corpo e, consequentemente, aumento da pressão sanguínea. A liberação da aldosterona é controlada por substâncias produzidas pelo fígado e pelos rins em resposta a variações na concentração de sais no sangue.
organismo. A , por exemplo, é um hormônio que
Estados de depressão emocional podem atuar sobre o hipotálamo e afetar as glândulas suprarrenais, como consequência do descontrole da glândula hipófise. Isso propicia aumento da pressão sanguínea e outras alterações metabólicas.
Atualmente, sabe-se que a manutenção prolongada de níveis elevados de cortisol no sangue causa depressão do sistema imunitário, tornando o organismo mais suscetível a infecções, hipertensão e até mesmo o desenvolvimento de câncer.
Bons estudos!!!
Suprarrenal
Glândula Tireóidea e as Paratireóideas Incrustadas
Full transcript