The Internet belongs to everyone. Let’s keep it that way.

Protect Net Neutrality
Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Revolução Francesa

No description

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Revolução Francesa

1789-1799
REVOLUÇÃO FRANCESA

QUAL O SIGNIFICADO DA PALAVRA REVOLUÇÃO?
REVOLUÇÃO FRANCESA
A revolução (do latim revolutìo,ónis: ato de revolver), segundo o Dicionário Houaiss é datada do século XV e designa "grande transformação, mudança sensível de qualquer natureza, seja de modo progressivo, contínuo, seja de maneira repentina"; "movimento de revolta contra um poder estabelecido, e que visa promover mudanças profundas nas instituições políticas, econômicas, culturais e morais".
REVOLUÇÃO FRANCESA
Crise Econômica: A França era basicamente agrária e semifeudal, aliada ao crescimento demográfico e catástrofes naturais.
Crise Política: Crise do antigo regime, fortalecimento econômico da burguesia.
Crise Social: A sociedade francesa era dividida em: 1º estado (clero), 2º estado (nobreza) e 3º estado (povo).
Obs: o primeiro e o segundo estado não pagavam impostos, ficando toda a carga tributária para o terceiro estado.
REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESA
A CORTE FRANCESA TINHA GASTOS SUNTUOSOS.
ACIDENTES METEREOLÓGICOS ( ENCHENTES, SECAS E INVERNOS RIGOROSOS)
GASTOS COM A MANUTENÇÃO DO EXÉRCITO.
QUEDA NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS.
85% DA POPULAÇÃO ENFRENTAVAM A MISÉRIA, A FOME E A INFLAÇÃO
CONCORRÊNCIA COM OS PRODUTOS INGLESES.
SITUAÇÃO DA FRANÇA ANTES DA REVOLUÇÃO.
- LUIZ XVI REUNIU, NO PALÁCIO DE VERSALHES ( 1789), OS REPRESENTANTES DOS ESTADOS GERAIS PARA UMA ASSEMBLÉIA.
-TINHA POR FINALIDADE VOTAR UMA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO NO SISTEMA DE COBRANÇA DE IMPOSTOS.
- A NOBREZA, NÃO DESEJAVA ABRIR MÃO DE SEUS PRIVILÉGIOS, COMO A ISENÇÃO DE IMPOSTOS.
ATITUDES DO GOVERNO FRANCÊS PARA SUPERAR A CRISE.

COMPOSIÇÃO DA ASSEMBLÉIA

1ª ESTADO – CLERO 25,6%
2ª ESTADO - NOBREZA 23,7%
3ª ESTADO - PLEBE 50,7%
REPRESENTAÇÃO POLÍTICA DAS TRÊS ORDENS.
O SISTEMA DE VOTAÇÃO ERA POR ESTADO E NÃO POR INDIVÍDUO.
SISTEMA DE VOTAÇÃO
A NOBREZA NÃO ACEITOU A MUDANÇA NO SISTEMA DE VOTAÇÃO.
- TAL SITUAÇÃO LEVOU O TERCEIRO ESTADO A SE ARTICULAR E A DECLARAR A ASSEMBLÉIA NACIONAL , EM SUBSTITUIÇÃO À ASSEMBLÉIA DOS ESTADOS GERAIS.
OS TRABALHOS NA ASSEMBLÉIA DOS ESTADOS GERAIS
A BURGUESIA CONSEGUIU APOIO POPULAR PARA TRANSFORMAR A ASSEMBLÉIA NACIONAL EM UMA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE.
- A ASSEMBLÉIA PASSARIA A TER COMO OBJETIVO A ELABORAÇÃO DE UMA CONSTITUIÇÃO PARA A FRANÇA.
A CONSTITUIÇÃO IMPLICARIA NO FIM DO ABSOLUTISTMO MONÁRQUICO.
ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE
LUÍZ XVI TENTOU DISSOLVER A ASSEMBLÉIA, MAS A POPULAÇÃO ERA A FAVOR DA QUEDA DO REGIME MONÁRQUICO.
A ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE.
LUÍZ XVI TENTOU DISSOLVER A ASSEMBLÉIA, MAS A POPULAÇÃO ERA A FAVOR DA QUEDA DO REGIME MONÁRQUICO.
A ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE.
TOMADA DA BASTILHA ( 14 DE JULHO DE 1789)
O CONFLITO
A REVOLUÇÃO SE PROPAGOU POR TODA A FRANÇA.
- AS REVOLTAS CAMPONESAS FORAM TOMANDO UMA DIMENSÃO TÃO SIGNIFICATIVA QUE PASSARAM A SER TEMIDAS ATÉ MESMO PELA BURGUESIA REVOLUCIONÁRIA.
- A CONSTANTE VIOLÊNCIA E PROPRIEDADES FEUDAIS GERARAM UM SENTIMENTO DE INSTABILIDADE.
O AMBIENTE REVOLUCIONÁRIO
OS BURGUESES, REUNIDOS NA ASSEMBLÉIA, APROVARAM REFORMAS REINVIDICADAS PELOS CAMPONESES.
A ABOLIÇÃO DOS PRIVILÉGIOS FEUDAIS, COMO A COBRANÇA DE IMPOSTOS, GARANTIA A TÃO SONHADA IGUALDADE JURÍDICA AOS TRABALHADORES CAMPONESES.
A ABOLIÇÃO DOS PRIVILÉGIOS FEUDAIS

NO DIA 26 DE AGOSTO, OCORREU UM PASSO DECISIVO EM DIREÇÃO À CONQUISTA DAS LIBERDADES INDIVIDUAIS.
PRIMEIRO DOCUMENTO ESCRITO QUE GARANTIA IGUALDADE DE CONDIÇÕES A TODOS OS FRANCESES.
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO.
Art.1º. Os homens nascem e são livres e iguais em direitos. As distinções sociais só podem fundamentar-se na utilidade comum.
Art. 2º. A finalidade de toda associação política é a conservação dos direitos naturais e imprescritíveis do homem. Esses direitos são a liberdade, a propriedade a segurança e a resistência à opressão.
Art. 3º. O princípio de toda a soberania reside, essencialmente, na nação. Nenhuma operação, nenhum indivíduo pode exercer autoridade que dela não emane expressamente.
Art. 4º. A liberdade consiste em poder fazer tudo que não prejudique o próximo. Assim, o exercício dos direitos naturais de cada homem não tem por limites senão aqueles que asseguram aos outros membros da sociedade o gozo dos mesmos direitos. Estes limites apenas podem ser determinados pela lei.
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO.
Art. 10º. Ninguém pode ser molestado por suas opiniões, incluindo opiniões religiosas, desde que sua manifestação não perturbe a ordem pública estabelecida pela lei.
Art. 11º. A livre comunicação das idéias e das opiniões é um dos mais preciosos direitos do homem. Todo cidadão pode, portanto, falar, escrever, imprimir livremente, respondendo, todavia, pelos abusos desta liberdade nos termos previstos na lei.
Art. 12º. A garantia dos direitos do homem e do cidadão necessita de uma força pública. Esta força é, pois, instituída para fruição por todos, e não para utilidade particular daqueles a quem é confiada.
Art. 13º. Para a manutenção da força pública e para as despesas de administração é indispensável uma contribuição comum que deve ser dividida entre os cidadãos de acordo com suas possibilidades.
Art. 14º. Todos os cidadãos têm direito de verificar, por si ou pelos seus representantes, da necessidade da contribuição pública, de consenti-la livremente, de observar o seu emprego e de lhe fixar a repartição, a coleta, a cobrança e a duração.
Art. 15º. A sociedade tem o direito de pedir contas a todo agente público pela sua administração.
Art. 16.º A sociedade em que não esteja assegurada a garantia dos direitos nem estabelecida a separação dos poderes não tem Constituição.
Art. 17.º Como a propriedade é um direito inviolável e sagrado, ninguém dela pode ser privado, a não ser quando a necessidade pública legalmente comprovada o exigir e sob condição de justa e prévia indenização.
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO.
O PODER FICOU COM OS JACOBINOS ( PEQUENA BURGUESIA) ERAM OS GRUPOS MAIS RADICAIS, QUE EXIGIA PROFUNDA REFORMAS POLÍTICAS E SOCIAIS, ENTRE ELAS A PRÓPRIA DEPOSIÇÃO DO REI.
GIRONDINOS ( ALTA BURGUESIA) DE TENDÊNCIA MODERADA, EVITAVAM AS CONQUISTAS POPULARES E DEFENDIAM A MANUTENÇÃO DO REGIME MONÁRQUICO.
JACOBINOS E GIRONDINOS
ATRAVÉS DO LIDER MAXIMILIEN ROBESPIERRE, FOI DOMINANDO O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO, INAUGURANDO O CHAMADO PERÍODO DE TERROR, MARCADO PELA VIOLÊNCIA.
FASE DA CONVENÇÃO NACIONAL: RADICALISMO TERROR.
CALENDÁRIO DA REVOLUÇÃO
A GUILHOTINA
LUÍS XVI FOI PRESO E CONDENADO A MORTE EM 1793.
DIANTE DA AMEAÇA DE MUDANÇA POR PARTE DOS JACOBINOS, RESTAVA AOS GIRONDINOS RETOMAR O CONTROLE DO PROCESSO E DETER AS CONQUISTAS POPULARES.
EM 1795, A REVOLUÇÃO TOMOU OUTRO RUMO: INICIOU-SE A REAÇÃO BURGUESA, RESPONSÁVEL PELO GOLPE QUE DERRUBOU ROBESPIERRE E PÔS FIM AO PREDOMÍNIO DOS JACOBINOS.
A REAÇÃO BURGUESA: O GOVERNO DO DIRETÓRIO
ROBESPIERRE FOI VÍTIMA TAMBÉM DA GUILHOTINA.
ROBESPIERRE
FOI MARCADA PELA REPRESSÃO AOS MOVIMENTOS DE CARÁTER POPULAR.
A ALTA BURGUESIA FOI CONDUZINDO A FASE FINAL DO PROCESSO REVOLUCIONÁRIO GARANTINDO SEUS INTERESSES.
A INSTABILIDADE POLÍTICA E SOCIOECONÔMICA CONTINUAVA.
OS GIRONDINOS BUSCAM ALIANÇA COM OS MILITARES.
O GOVERNO DO DIRETÓRIO
NAPOLEÃO BONAPARTE
Napoleão foi um importante líder do exército nacional.
- Napoleão passou a controlar o poder executivo.
- No âmbito político, as aspirações das classes populares foram afastadas.
- Criava-se uma verdadeira República burguesa.
O PERÍODO NAPOLEÔNICO
Em 1804, ocorreu mais uma fase importante da história política francesa.
- A modificação da Constituição resultou no restabelecimento do regime monárquico e Napoleão assumiu o poder como imperador da França.
Regime monárquico
A FRANÇA PROMOVEU DIVERSAS CAMPANHAS MILITARES DE CARÁTER EXPANSIONISTA.
ALGUMAS BEM SUCEDIDAS, RESULTARAM NA ANEXAÇÃO DE ALGUNS TERRITÓRIOS NA ITÁLIA, NA ESPANHA E NO LESTE EUROPEU.( REINOS GERMÂNICOS E AUSTRIÁCO)
GUERRAS NAPOLEÔNICAS
O ÚNICO RIVAL QUE PODIA RESISTIR AO EXÉRCITO DE NAPOLEÃO ERAM OS INGLESES.
NAPOLEÃO DECRETA O BLOQUEIO CONTINENTAL.
A IDÉIA ERA SIMPLES: O PAÍS EUROPEU QUE OUSASSE FAZER COMÉRCIO COM A INGLATERRA SOFRERIA NA CARNE A VIGANÇA DE NAPOLEÃO.
BLOQUEIO CONTINENTAL
BLOQUEIO CONTINENTAL
A SITUAÇÃO DE PORTUGAL
VAMOS FUGIR, BABY
A FAMÍLIA REAL PORTUGUESA
O FRIO RUSSO
O BLOQUEIO CONTINENTAL NÃO DEU CERTO.
A CAMPANHA MILITAR NA RUSSIA FOI UM DESASTRE.
O DECLÍNIO DO IMPÉRIO DE NAPOLEÃO.
AS PERDAS DO EXÉRCITO FRANCÊS
FOI PRESO E MANDADO PARA A ILHA DE ELBA.
NAPOLEÃO FOI DERROTADO E PRESO
OS VENCEDORES IMPUSERAM UM NOVO REI Luís XVIII, irmão do rei guilhotinado.
Os camponeses se agitaram e a burguesia rejeitou o retorno do antigo regime.
Napoleão voltou,mas governou por cerca de 100 dias.
Em junho de 1815 rendeu a superioridade do inimigo, e foi enviado como prisioneiro para ilha de Santa Helena.
Em 1821 morreu doente.
OS 100 DIAS DE WATERLOO
CONGRESSO DE VIENA 1815
CONGRESSO DE VIENA 1815
A Morte de Napoleão
Napoleão morreu em 5 de maio de 1821, na Ilha de Santa Helena. De acordo com historiadores, seu corpo passou por uma autópsia. Uma das versões é a de que o procedimento teria revelado que ele morrera de câncer no estômago.
Mas essa não foi a única coisa revelada na ocasião. “Seus órgãos reprodutivos eram pequenos e aparentemente atrofiados. Dizem que ele ficara impotente algum tempo antes de morrer”, teria dito o Dr. C. MacLaurin.
Como se não bastasse ter sido descrito como “pequeno”, a lenda afirma que o pênis de Napoleão fora cortado na ocasião. Segundo essa história, depois da autópsia o dito cujo teria desaparecido.
Em 1971, 150 anos após o incidente, um órgão, apresentado como o pênis de Napoleão, apareceu no Christie’s Fine Arts Auctioneers, em Londres. Um visitante o descreveu como “um pequeno cavalo-marinho”, já que ela media cerca de 2,5 cm.
Full transcript