Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PROTOCOLO PREVENÇÃO DE QUEDAS

No description
by

Stéfani Facchin

on 22 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PROTOCOLO PREVENÇÃO DE QUEDAS

62
ECG
bpm
Obrigado!
1. FINALIDADE
Reduzir a ocorrência de queda de pacientes nos pontos de assistência e o dano dela decorrente, por meio da implantação de medidas para a avaliação de risco do paciente, que garantam o cuidado multiprofissional em um ambiente seguro, e promovam a educação do paciente, familiares e profissionais.
3. DEFINIÇÃO
Deslocamento não intencional do corpo para um nível inferior à posição inicial, provocado por circunstâncias multifatoriais, resultando ou não em dano. Considera-se queda quando o paciente é encontrado no chão ou quando, durante o deslocamento, necessita de amparo, ainda que não chegue ao chão.
4.1. FATORES DE RISCO DE QUEDA
Demográfico;
Psico-cognitivos;
Condições de saúde e presença de doenças crônicas;
Funcionalidade;
Comprometimento sensorial;
Equilíbrio corporal;
Uso de medicamentos;
Obesidade severa;
História prévia de queda;
Alessandro, Jane, Larrisa, Luana, Stéfani, Vanessa, Vithória Moreira e Vitória Oliveira.
PROTOCOLO PREVENÇÃO DE QUEDAS
2. JUSTIFICATIVA
A hospitalização aumenta o risco de queda, pois os pacientes se encontram em ambientes que não lhes são familiares, muitas vezes são portadores de doenças que predispõem à queda (demência e osteoporose) e muitos dos procedimentos terapêuticos, como as múltiplas prescrições de medicamentos, podem aumentar esse risco. A queda pode gerar impacto negativo sobre a mobilidade dos pacientes, além de ansiedade, depressão e medo de cair de novo, o que acaba por aumentar o risco de nova queda. Quedas de pacientes contribuem para aumentar o tempo de permanência hospitalar e os custos assistenciais, gerar ansiedade na equipe de saúde, além de produzir repercussões na credibilidade da instituição e repercussões de ordem legal.
2. JUSTIFICATIVA
Algumas intervenções com multicomponentes devem ser observadas para prevenir quedas de pacientes, como, por exemplo:
a avaliação do risco de queda;
identificação do paciente com risco com a sinalização à beira do leito ou pulseira;
agendamento dos cuidados de higiene pessoal;
revisão periódica da medicação;
atenção aos calçados utilizados pelos pacientes; Educação dos pacientes e dos profissionais;
revisão da ocorrência de queda para identificação de suas possíveis causas.
4.2. PACIENTE COM ALTO RISCO DE QUEDA
Independentes;
Dependentes;
Acamados;
4.4. AÇÕES PREVENTIVAS
Medidas gerais:
criação de um ambiente de cuidado seguro conforme legislação vigente, como: pisos antiderrapantes, mobiliário e iluminação adequados, corredores livres de obstáculos, o uso de vestuário e calçados adequados e a movimentação segura dos pacientes.
Medidas específicas:
devem definir o(s) profissional(ais) responsável(eis) por avaliar o risco de queda e definir as ações de caráter preventivo para pacientes que apresentem tal risco. Medidas individualizadas para prevenção de queda para cada paciente devem ser prescritas e implementadas. Deve-se fazer a reavaliação do risco dos pacientes em caso de transferência de setor, mudança do quadro clínico, episódio de queda durante a internação ou na identificação de outro fator de risco. No caso da ocorrência de queda, esta deve ser notificada e o paciente avaliado e atendido imediatamente para mitigação/atenuação dos possíveis danos.
5. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS
Avaliar o risco de queda do paciente (pacientes internados, pacientes no serviço de emergência e pacientes externos);
Orientar pacientes e familiares sobre as medidas preventivas individuais, e entregar material educativo específico quando disponível;
Implementar medidas específicas para a prevenção de queda;
Reavaliar o risco diariamente, e também sempre que houver transferências de setor, mudança do quadro clínico, episódio de queda durante a internação;
Colocar sinalização visual para identificação de risco de queda;
Prestar pronto atendimento ao paciente sempre que este solicitar ou necessitar;
Avaliar e tratar pacientes que sofreram queda e investigar o evento;
6. ESTRATÉGIAS DE NOTIFICAÇÃO DE QUEDAS E MONITORAMENTO DE DESEMPENHO
A criação de um instrumento de notificação de quedas, avaliação de suas causas e geração de informações para produção de indicadores para monitorar o desempenho é uma oportunidade de aprendizagem para a organização, por meio da análise das informações. Indicadores:
Proporção de pacientes com avaliação de risco de queda realizada na admissão.
Número de quedas com dano.
4.3. PACIENTE COM BAIXO RISCO DE QUEDA
Acamados;
Independentes;
Full transcript