Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Do mito à filosofia

Diferença entre mito e razão
by

fred trevisan

on 9 October 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Do mito à filosofia

O mito
O mito surge como uma verdade, enquanto processo vivo de compreensão da realidade. Não de uma verdade como a conhecemos hoje, com o rigor e a certeza do raciocínio lógico, a qual exige provas cabais, mas antes uma verdade espontânea.
A chave para a compreensão do mito é a crença e não a evidencia racional.
O mito de Prometeu
A Filosofia
A filosofia surgiu na pólis, é na ágora o seu lugar, daí a sua vocação para a política. Por estar na pólis e por, então, se envolver na política é a filosofia alteradora da ordem, perturbadora e incômoda.
Do mito à Filosofia
O surgimento do pensamento racional
A Filosofia
Com o advento da razão na Grécia surgem os primeiros filósofos, que de início eram chamados de sábio, sophos, como se diz em grego.
A Filosofia
Entre eles havia um homem chamado Pitágoras. Filho de um joalheiro, nasceu no ano de 570 A.C. na ilha de Samos, a poucas milhas da cidade de Mileto.
Dizem que querendo presentear seu filho Etálides, o deus Hermes prometeu-lhe tudo o que ele quisesse à exceção da imortalidade. Então, Etálides pediu-lhe uma memória eterna, isto é, a possibilidade de se recordar, mesmo depois de morto, de todas as vidas vividas anteriormente.
A Filosofia
Graças a essa faculdade, Pitágoras afirmava ter vivido quatro vezes. Entre as encarnações, a alma fora-se transferindo para numerosas espécies animais e até para algumas plantas.
Apresentação para uso acadêmico e sem fins lucrativos.
Prof. Fred Trevisan
Full transcript