Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Aprendizagem Ativa: origens, fundamentos e metodologias

No description
by

Márcia Rosa da Costa

on 15 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aprendizagem Ativa: origens, fundamentos e metodologias

1880
1900
2000
1762
1930
Aprendizagem Ativa: origens, fundamentos e metodologias
Maria Montessori
1870-1952
Itália
Educação Ativa e Sensorial
Abraham Flexner
1866-1959
Estados Unidos
Relatório Flexner
Flexner apresenta em seu relatório uma análise sobre as 155 escolas médicas que visitou na América do Norte, em 180 dias, no ano de 1909.
O relatório levou à consolidação de um modelo de ensino com:
- escolas médicas integradas a universidades / hospitais-escola;
- grande ênfase na experimentação, no ensino das ciências básicas e na prática clínica.
Forte influência das ideias de John Dewey – destaca o “aprender fazendo”.

“Do lado pedagógico, “a medicina moderna, como todo o ensino científico, é caracterizada pela atividade. O estudante não mais meramente observa, escuta, memoriza – ele faz”.
Jean Piaget (1896-1980) Suiça
"Piaget (1980), ao defender os métodos ativos de ensino, nega o sentido de atividade simplesmente como ações concretas, desprovidas de abstrações (reflexão da ação), ou como a estruturação de imagens do real, ou utilização de recursos audiovisuais ou de ensino programado.
Para ele estes elementos constituem auxílios, apoios espirituais, mas, em essência, por si só, não constituem uma metodologia ativa.
Esta pressupõe o uso da "cabeça, não somente das mãos". A ação produtiva, efetiva, deve sempre estar acompanhada da reflexão." (Rosso & Taglieber, 1992)
"A pedagogia é como a medicina: uma arte, mas que se fundamenta (ou deverai fundamentar-se) em conhecimentos científicos precisos." (Piaget)
"A educação é uma constante reorganização ou reconstrução da experiência."
Celèstin Freinet
1896-1966
França
Pesquisar e Cooperar
Fernando de Azevedo
1894-1974
Brasil
Influência de John Dewey
Anísio Teixeira
1900-1971
Brasil
Ênfase no desenvolvimento do intelecto e na capacidade de julgamento, em preferência à memorização.

Foi um dos mais destacados signatários do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova.
Aprendizagem Ativa
Emilio ou Da Educação
Jean Jacques Rousseau
1712-1778
Valorização da Experiência

Concreto
Abstrato
Experiência
Teoria
Rousseau
Univesp TV
Paulo Freire
1920-1997
Brasil
Profª Drª Márcia Rosa da Costa
Depto de Educação e Humanidades
Joahann Heinrich Pestalozzi
1746-1827
Zurique - Suiça
Métodos Ativos
“Os métodos ativos supõem uma sólida formação teórica, psicológica e pedagógica para conhecer claramente a natureza do ato pedagógico, para compreendê-lo como uma prática social que demanda fundamentos científicos. Encaminhar os alunos em direção à construção ativa de conhecimentos pressupõe que os próprios professores tenham praticado esta metodologia. Mas, ao professor não basta apenas o saber teórico-prático de como ensinar, é preciso também estar solidamente fundamentado nos conteúdos a serem ensinados.” (Rosso & Taglieber, 1992)
"Deve-se ajudar a criança a fazer e a expressar-se, mas o adulto jamais deve fazer em seu lugar, a não ser quando for absolutamente necessário..."
John Dewey
1859 - 1952
Estados Unidos
Teoria da Indagação ou da Investigação
Filosofia, política e educação
Democracia como vida
Educação Progressiva
"O essencial é obter do grupo a máxima eficiência a serviço da comunidade."
Professor de sociologia educacional no Instituto de Educação da Universidade de São Paulo e catedrático do Departamento de Sociologia e Antropologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo. Professor emérito da referida Faculdade da USP.

Foi o primeiro signatário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (A reconstrução educacional no Brasil), em 1932.
escrito durante durante o governo de Getúlio Vargas, consolidava a visão de um segmento da elite intelectual que, embora com diferentes posições ideológicas, vislumbrava a possibilidade de interferir na organização da sociedade brasileira do ponto de vista da educação.

Redigido por Fernando de Azevedo, dentre 26 intelectuais, entre os quais Roldão Lopes de Barros, Anísio Teixeira, Afrânio Peixoto, Lourenço Filho, Antônio F. Almeida Junior , Roquette Pinto, Delgado de Carvalho, Hermes Lima e Cecília Meireles.

Ao ser lançado, no meio do processo de reordenação política resultante da Revolução de 30, o documento tornou-se o marco inaugural do projeto de renovação educacional do país.
Manifesto Pioneiros da Educação Nova
1932
Metodologias Ativas
Aprendizagem Baseada em Problemas
Metodologia da Problematização
Aprendizagem baseada em Projetos
Estudos de Casos
Aprendizagem a partir de Pesquisa
Peer Instruction
Flipped Classroom
Em Freire "... a ação de problematizar enfatiza a práxis, na qual o sujeito busca soluções para a realidade em que vive e o torna capaz de transformá-las pela sua própria ação, ao mesmo tempo em que se transforma. Nessa ação, ele detecta novos problemas num processo ininterrupto de buscas e transformações.." (Mitre et all, 2008)
Refletindo e problematizando
Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e
Tecnológica Eduardo Fernandes Barbosa e Dácio Guimarães de Moura
Full transcript