Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

(Alguns) Fundamentos do Design Gráfico

Apenas algumas bases do Design Gráfico
by

Ana Sofia Vaz

on 17 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of (Alguns) Fundamentos do Design Gráfico

(Alguns) FUNDAMENTOS DO DESIGN GRÁFICO
Esta apresentação serve para mostrar de que bases é feito o design gráfico... Que um projecto de design finalizado é apenas a ponta do icebergue, sustentado por fortes fundamentos que fazem a mais pequena, ou TODA, a diferença no aspecto final. Assim, aqui ficam apenas algumas bases para que possam entender que o design é muito mais do que "fazer bonecos"... ;)
Ponto, linha, plano
O ponto, a linha e o plano são as bases do design. A partir destes elementos, os designers conseguem criar imagens, padrões, texturas, diagramas, animações, sistemas tipográficos…

Durante séculos, os processos de impressão usaram pontos e linhas para representar luz, sombra e volume. Na litografia, pontos e linhas acumulam-se a fim de constituir planos maiores e de proporcionar a ilusão de volume.
Ponto
O ponto indica uma posição no espaço. Apesar de, em termos geométricos, ser apenas um par de coordenadas, graficamente toma forma como um sinal, uma marca visível.

Uma série de pontos forma uma linha. Uma massa de pontos torna-se textura, forma ou plano.
Linha
A linha é uma série infinita de pontos. Tem comprimento mas não tem largura (quando estendida geometricamente) e pode ser a conexão entre dois pontos ou o trajecto de apenas um ponto em movimento; aparece nos limites dos objectos e onde dois planos se encontram.

As linhas existem em muitos pesos, a sua presença visual é determinada pela espessura, textura e pelo trajecto; podem ser rectas ou curvas, contínuas ou tracejadas e multiplicam-se para descrever planos, volumes e texturas.
Plano
Um plano é uma superfície contínua que se estende em altura e em largura, é o trajecto de uma linha em movimento; formas são planos com limites.

Pode ser sólido ou perfurado, opaco ou transparente, rugoso ou liso. Tectos, paredes, pisos e janelas são planos físicos.
Ritmo e equilíbrio
O equilíbrio é uma condição humana fundamental. É um conforto estimado socialmente e que nos está implícito. Em design, ele funciona como uma âncora dos elementos no espaço. As relações entre os objectos de uma página são como as relações físicas: o equilíbrio visual acontece quando o peso de uma ou mais coisas está distribuído igualmente ou proporcionalmente no espaço. Os designers empregam tamanho, textura, valor, cor e formas contrastantes para contrabalançar ou enfatizar o peso de um objecto, atingindo assim o sentido de equilíbrio dinâmico.

O ritmo é um padrão forte, constante e repetido. Os designers gráficos usam o ritmo na construção de imagens estáticas, nos livros, revistas e imagens animadas que possuam uma duração e uma sequência.
Simetria / Assimetria
Repetição / Variação
Escala
A escala pode ser considerada tanto objectivamente como subjectivamente. Em termos objectivos refere-se às dimensões exactas de um objecto físico ou à correlação exacta entre uma representação e a coisa real que ela representa. Modelos reduzidos recriam relações encontradas nos objectos em escala real. Subjectivamente, a escala alude à impressão que alguém tem do tamanho de um objecto através da maneira como os objectos se relacionam connosco e com o nosso conhecimento.
A escala pode depender do contexto.
A escala é relativa: um elemento gráfico pode parecer maior ou menor dependendo do tamanho, da localização e da cor dos elementos ao redor dele. O contraste no tamanho pode criar uma tensão, bem como uma sensação de profundidade e movimento. Pequenas formas tendem a recuar e grandes a aproximarem-se.
Textura
A textura é o grão táctil das superfícies e substâncias. No nosso meio ambiente, a textura ajuda-nos a entender melhor a natureza das coisas; no design, as texturas dos elementos correspondem igualmente à sua função visual. Muitas das texturas que os designers manipulam não são experimentáveis fisicamente pelo observador, pois só existem como efeito óptico. O designer usa texturas para reforçar um ponto de vista, estabelecer uma atmosfera ou expressar uma sensação de presença física. As texturas têm uma capacidade genuína de nos atrair e de nos capturar.
Cor
A cor pode exprimir uma atmosfera, descrever uma realidade ou codificar uma informação. Os designers usam a cor para fazer com que algumas coisas se destaquem e outras desapareçam (camuflagem). Assim, a cor serve para diferenciar e conectar, ressaltar e esconder. A nossa percepção da cor depende das outras cores em redor da mesma (um tom claro parece mais claro contra um fundo escuro do que contra um fundo mais pálido). Ao longo de tempo estabeleceu-se um vocabulário preciso para que designers, programas, gráficas pudessem comunicar com algum grau de clareza.
As relações de figura/fundo definem a percepção visual. Uma figura é sempre vista em relação ao que a rodeia. Os designers gráficos procuram frequentemente um equilíbrio entre figura e fundo, utilizando essa relação para proporcionar energia e ordem à forma e ao espaço. Eles criam contrastes entre forma e contraforma, a fim de construir ícones, ilustrações, marcas e composições que estimulem o olhar. A criação de tensões ou ambiguidades de figura/fundo adiciona energia visual a uma imagem. Mesmo ambiguidades subtis podem animar o resultado final e mudar a sua direcção e impacto.
Figura / Fundo
Mas afinal, o que é o design gráfico?
Em 1665, Isaac Newton descobriu que um prisma divide a luz num espectro de cores: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo, e violeta; organizou, então, essas cores à volta de um disco.
Cores primárias
Cores terciárias
Cores
análogas
Cores secundárias
Obrigada pela atenção!
Bibliografia:
Graphic Design: The New Basics;
Ellen Lupton, Jennifer Phillips
Ana Sofia Vaz
anita_vaz50@hotmail.com
Full transcript