Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of OS (DES)CAMINHOS DO MEIO AMBIENTE

Introdução à Metodologia Cientifica PPGEA UFSC
by

Alejandro Donanngelo

on 2 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of OS (DES)CAMINHOS DO MEIO AMBIENTE

OS (DES)CAMINHOS DO MEIO AMBIENTE Filipe Souza

Alejandro Donnangelo Contexto Histórico e Panorama Geral como Movimento Social Século XIX movimentos operários pós-revolução industrial - 50's
- movimentos
minorias END Apresentação 60's
Rock n'roll
Hipes
Revisão de valores Modo de produção --> modo de vida Hippies, luta pela paz - Vietnam Socialismo x industrialização Ecologia - Questionamento


Ecologia - poluição
- erosão
- barragens
- guerra
- armamentismo
- ameaça nuclear
- superpopulação Mutualismo Facultativo Grupos
diversos
com
interesses
em comum Mutualismo Facultativo Brasil 70's - Ditadura FIESP abre para capital estrangeiro plano econômico desenvolvimentista Maior desenvolvimento industrial da história
do Brasil Desmatamento, latifundios Esquerda
oligarquia + imp. = subdesenvolvimento
revolução socialismo = modernização Deslocamento do social pata o desenvolvimentista miseria não mais Pressão do desenvolvimento
leva a esforços de preservação Final da ditadura, volta dos exilados Movimentos ecológicos fortes no RS e RJ 3 fontes
associações RJ e RS
exilados politicos no final dos 70's
estado (investimento estrangeiro só chega se preservar) amazonia não "é" santuário, mas é preservada por interesses de posseiros, indios, seringueiros... Contradição da sociedade
apropriação recursos naturais
questionamento
ecólogos
desenvolvimento
tecnocrátas Geógrafo e Prof. da UFF

Livros - geografia social e meio ambiente

Prêmios : Chico Mendes, ciência e tecnologia (2004)

Casa de las Américas (Cuba, 2008),
por seu livro ''A Globalização da Natureza e a Natureza da Globalização" Carlos Walter Porto Gonçalves Lutas socias - Lutas ecológicas Não há condição objetiva no ME
O MV é difuso, mas isto não o desqualifica
Ha uma quebra de paradigma
Movimento abrangente Condição existencial impulsiona M. S.
ex. camponeses, êxodo, grilheiros...
Há sempre uma condição objetiva A PROBLEMÁTICA ECOLÓGICA É MUITO MAIS COMPLEXA!
É possível esquecer a questão social?
O rio limpo elimina os problemas sociais?
Ecologistas querem voltar à época das cavernas? O outro lado da moeda
Ecologistas vs operários
Ecologistas vs MS O conceito de natureza não é natural Cada qual tem o seu!!! Utopias e idealizações
Fuga da realidade Qual é o nosso conceito de "NATUREZA"?
Como concebemos a natureza?
Como está relacionado à forma como produzimos e vivemos? A NATUREZA e o dia a dia Natureza = caos, desordem, selvagem,
incivilizada. Justifica-se civilização caótica
Antropocentrismo!
Natureza objeto
DE ONDE VEM NOSSO CONCEITO? Dissociação Conceito de Natureza no Ocidente Pré-socrárticos - physis (natureza, todo)
emergir constante Platão e Aristoteles - dicotomias
plantas, pedras, animais Cristianismo solidifica dicotomía
Homem x Natureza
Deus x Mortais Cartesianismo apaga de vez qualquer dúvida
Pragmátismo e antropocentrismo
Através do método possuo a natureza Capitalismo
ápice do pragmatismo Ápice da especialização
e fragmentaçao Metafísica -
além da physis
não importa
não científico Mercantilismo - terreno fértil p/ pragmatismo cartesiano $$ $$ $$ Ecologia
questiona Depende do conceito depende da cultura natureza Justifica-se intervençao do estado
para estabelecer a "ordem" natureza homem Cartesianismo - pragmático
- antropocéntrico iluminismo - nada de sobrenatural revolução industrial potencializa modernidade pós-modernidade Ciência Diante da Natureza 3 eixos da ciência
moderna - oposição homem x natureza
- oposição sujeito x objeto
- paradigma atômico-individualista oposição homem x natureza Segregação das grandes áreas e disciplinas fruto do cartesianismo;

Homem social separado da natureza

Homem está separado pela ética e moral

Hierarquia, o homem é superior

Tenta-se de toda forma encontrar evidências para separar os animais dos seres humanos sexualidade racional acasalamento, pudores oposição sujeito x objeto Espirito x matéria = homem (sujeito) x Natureza (objeto)
O pós-moderno = medieval

Sujeito não dialoga com objeto

Em nome da ciência e do rigor metodlógico domina-se a natureza

Está estabelecido assim

Há outras possibilidades e realidades potenciais
A realidade existe em funçao daquelas que não se manifestaram

Opressão, silêncio dos vencidos

A ciência é autoritária e está acima de tudo paradigma atomístico individualista da ciência moderna O átomo como unidade fundamental da matéria

Tudo reduzido à unidade individual e indivisível

O homem visto como unidade fundamental

As relações não importam


O átomo é divisível e principalmente é um sistema

As relações tornam-se importantes

Começa a revisão do mecanicismo newtoniano célula núcleo O paradigma cai, a importância das relações reducionismo indivíduo O Natural é o Justo. É? O Dia a Dia Individualista reducionismo O feudalismo muta - mercantilismo liberta os camponeses
Chega a "liberdade" - liberdade individual
Os passos da história intensificam o sentimento
A herança persiste Natureza e justiça quase sinônimos no final do século XVIII

Mecanicismo - ciência neutra e acima da verdade

São ideológicos os que tentam mudar a ordem natural das coisas

O Estado é o regulador das coisas - estabelece a ordem

Filósofos perdem perante o racionalismo (Freud, Fourier, Hegel, Nietzshe...)

O racionalismo silencia outras possibilidades

É preciso explicar com base na ordem natural - Darwin da o grande passo

Ciência clássica em confronto com os novos fundamentos da ciência Evolução da ciência - quebrou-se o paradigma

Sjueito x objeto da lugar a sujeito x sujeito

Perspectiva é a palavra chave

Na ciência sujeito interfere no objeto - há relação , há evolução

Sujeito consigo mesmo Sistema estático newtoniano agora é um sistema que evolui

Sistema, o todo, levam -se em conta as relações

Sistemismo

Tudo se "reduz" ao todo

Estado-todo , governos totalitários E tudo virou sistema A harmonia natural. Harmonia? A física domina o século XX - o scientistas são "isentos" de reponsabilidade.
A bomba é dos governantes, mas há possibilidade de edestruição total

Sociedade mecânica e não orgânica

Revolução industrial e maquinismo

Extremos naturalista e antropocentrista - continua dualismo
A natureza é um conceito O ecossistema Concepção ecoísta
Regularidade e invariância
Caos e harmonia Antagonismos e complementariedades Antagônico e complementar não se exluem - relativismo dos ecossistemas
Ecossistemas ocorrem de forma espontânea - se autorregulam
espontaneidade - eco-organizadora

Reciclagem - fluxos de energia individualismo compõem o
todo de forma harmônica Só existe pelas interações
das partes A vida está inserida na ordem cósmica, o grande relógio Natureza vida e morte Os ecossistemas se regulam em ciclos teias e conexões não tão simples, reducionistas ou individualistas "Viver de morte, morrer de vida" Diversidade, resistência e vitalidade ecossistêmica Diversidade é essencial para a saúde dos ecossistemas Resistência ao colapso Espontaneidade autonomia e dependência Rosa e espinho - deve-se ter a visão do todo
Individualismo grupal
O caos ordenado Autonomia e depenência Homem na natureza e natureza do homem Não é o homem que destroi, mas determinadas formas de organização social no seio de uma cultura
Conceito de natureza Dificuldades da biologia e da geografia O homem por natureza produz cultura
Biologia, geografia e ecologia são reducionistas
População
Apego Malthus e Darwin
Reducionismo estatístico A hominização - evolução A caça civilizadora Os processos civilizatórios a partir da caça

primeiros avanços sociais - divisão das tarefas macho e fêmea

Surgimento de uma economia rudimentar (como forma de organização social) Patrimônio cultural como condição natural ao homem Cultura e genética evoluem juntas
Ambas são mutantes Bípede nú de cabeça grande O cérebro, o jovem e a linguagem hominizante A linguagem cria o homem
A evolução do cérebro se dá pela cultura e pela linguagem
Não é possível separar a cultura da natureza do homem evolução - genética e cultural
não podem ser dissociadas
A bagagem cultural - a chama olímpica não pode apagar Sociedade natural. Natural? Iluminismo - racionalismo - positivismo

Natural - conceito ambiguo

Natureza e sociedades

Defesa da liberdade

Ecólogos falam em limites - quem deve impor limites?

O homem deve ser livre Sociedade moderna e natureza Mecanicismo - física, matemática

Privilégio do sincrônico

Segmentação , compartimentalização

Ciências naturais - quimica, bioquimica, biologia , ecologia... Time is Money Máquinas Tempo e trabalho: produtividade Produtividade - conceito temporal

Relógio é o centro da sociedade moderna

Compartimentalização do tempo

Produção tempo mecânico

O tempo é a chave da modernidade industrial Trabalho: de sofrimento à redenção da humanidade Tripaliare - tortura

Trabalho muda devida à burguesia mercantil e depois industrial

Negação do ócio...negócio

O poder, a produção de mercadorias

Tempo abstrato - mecanização Economia/valor de uso/valor de troca Subordinação - ecológico para econômico

Camponês vende excedente - capitalismo êxodo rural

Subordinação do valor de uso (ecologia) ao valor de troca (economia)

Valor de troca move a sociedade

Quantidade à qualidade, economia à ecologia, abstrato ao concreto

Mulher (bem de uso), homem (bem de troca)

Capitalismo dissocia - sistemas de produção - valor de uso

Afasta homem da natureza - subordinação ao capital

Transforma tudo em bem de troca A técnica , sociedade, a natureza ciência a serviço do homem
Máxima valoração da técnica imediatismo
tudo reduz-se a objeto
sujeito a objeto (RH) Trabalhador- apêndice da máquina

Capital domina propria técnica (trabalhador não pensa)

Técnica proeminente na sociedade (sufoca outras realidades)

Industrialização não acaba com problemas Cultura européia opressora
Hierarquização das diferenças
Classismo - Hierarquia - condições impostas tidas como naturais.
Naturalização das relações sociais. Natureza e relações sociais Ecologia, liberdade e igualdade: autonomia Momento de crise - reflexão, autoavaliação

Perspectiva apocaliptica

Afirmar diferença através da igualdade

Mais que uma revisão verde - social Ecológos - presos ao tecnicismo A questão ambiental interdisciplinar QUEBRA Toda cultura observada de fora ou sob outra ótica parace irracional!! a ciência é neutra?
Será...? Alemanha?
Full transcript