Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Capítulo V- Sociolinguística ou Sociologia da Linguagem?

No description
by

Patricia Vieira

on 14 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Capítulo V- Sociolinguística ou Sociologia da Linguagem?

Capítulo V- Sociolinguística ou Sociologia da Linguagem?
A Sociolingüística diferencia dois tipos de abordagem:

- Abordagem Microssociolinguística

- Abordagem Macrossociololinguística

Esse capítulo tem como objetivo mostrar que essas abordagens vistas geralmente de lados opostos, são na verdade complementares.

Abordagem Macro
As redes sociais e as línguas
4. Sociolinguística e sociologia da linguagem
Em 1970 José Pedro Rona fazia a distinção entre uma sociolinguística propriamente linguística que estudaria a estratificação interna do conjunto constituído pela língua, seus dialetos e seus patoás (variedade linguística de regiões especificas.), e uma sociolinguística alinguística que estudaria os efeitos da sociedade sobre o conjunto precedente.
Louis-Jean Calvet
Julia Yumi Franz
Luana da Silva Vicente
Mariana Larissa Bento
Patrícia Regina Vieira

Abordagem Micro:
O estudante se aproxima do professor, que estava deixando a sala acompanhando de estudantes brancos e negros, e lhe diz:
“ Could I talk to you for a minute? I’m gonna apply for a fellowship and I was wondering if I could get a recommendation”
O professor responde: “Ok! Come along to the Office and tell me what you want to do”
E o estudante, juntando-se ao grupo, diz aos colegas: “ Ahma git me a gig” [ Vou descolar um trampo”].

Desse trecho pode-se resumir que:

O estudante para o professor: preciso de uma carta de recomendação.
O professor para o estudante: Certo, Venha comigo.
O estudante aos outros estudantes: vai dar certo.

Gumperz pede para um grupo de estudantes ouvir a gravação dessa passagem e cada um obteve as seguintes avaliações:
3º Grupo: viu na passagem uma estrategia do falante para indicar que estava se dirigindo apenas aos negros do grupo.
- A analise da comunicação em família, por exemplo, é mais “macro” que a do idioleto de um falante e mais micro que a de um bairro ou cidade, que por sua vez, é mais micro que a analise da situação sociolingüística de uma região ou um país.
1º Grupo: formado por pessoas que mantinham pouco contato com os negros, que foram incapazes de compreender formas como ahma ou gig, e por isso não souberam falar a respeito.
2º Grupo: viu na passagem ao Black English uma forma de rejeição do professor branco e da estrutura acadêmica como um todo.
4º composto por negros e brancos familiarizados com os negros, disseram que essa linguagem não é muito utilizada pelos negros formados, que se dividem entre o inglês padrão e o Black English.
Uma familia senegalesa originária de Saint-Louis, que vivia na capital de Dakar. O pai, médico, impunha o uso do francês em casa, lingua falada pela mãe, pelos filhos ( de 14 e 12 anos ), por um primo ( 12 anos) que vivia com eles e por uma filha (de 10 anos). Por outro lado, o filho caçula ( de 7 anos) só falava o Wolof.
A noção atual que temos de rede social surgiu entre sociólogos.
Barnes viu após estudar os camponeses e pescadores três tipos diferentes de campos sócias: territorial, sistema baseado na industria de pesca e sistema de relação com familiares, conhecidos e amigos.
Para Barnes, as relações sociais passavam por uma língua ou mais e os pontos interligados por essas linhas simbolizavam uma paróquia ou uma simples família, onde cada uma das linhas representava um discurso, que não era necessariamente igual.
A posição dominante consiste em manter duas entidades distintas como fato social, sem deixar de considerar sua autonomia da linguística.
. Humberto Morales López distingue dois grandes grupos de estudos: os mais frequentes que descrevem os aspectos linguísticos da sociedade e os outros que estudam os fenômenos linguísticos em relação a determinadas variáveis sócias.
As distinções entre sociolinguística e sociologia da linguagem, entre abordagem micro e macro, não tem pertinência teórica alguma; contudo elas tem um valor metodológico.
O objeto de estudo da linguística não é apenas a língua ou as línguas, mas a comunidade social sob seu aspecto linguístico.
Milroy nota que as famílias chinesas sao constituídas em primeiro grau de organização social, principalmente por causa do trabalho familiar; e que pode se indentificar três tipos de falantes: o grupo da peimeira geração de migrantes, um segundo grupo que é constituído por migrantes que vieram com a ajuda dos migrantes anteriores e o grupo de chineses nascidos em Newcastle, cuja nacionalidade é britânica.
Com raras exceções esses falantes são bilíngues , mas pode-se ver que as redes sociais em que eles estão envolvidos fazem-nos supor que isso levaria a uma mudança de curso, que iria do monolinguismo inglês, passando para um bilinguismo dominado pelo inglês.
Lesley Milroy estudou as redes de comunicação de Balfast e notou que os membros da classe operaria tem uma rede de comunicação muito mais densa do que os membros de classe media ou superiores, por eles frequentarem trabalho, lazer e vizinhança e por isso, seu socioleto é reforçado.
Full transcript